terça-feira, outubro 30, 2018

Desenhar a humanidade de Jesus

A catequista estava num encontro de catequese quando, no momento de realizar as actividades manuais, a pequenita Carolina a abordou explicando o que ia desenhar. Olha, catequista, eu vou desenhar a humanidade de Jesus. A catequista ficou admirada, pois não era comum uma criança ter um desejo deste género, mas aprovou o seu desejo e ficou expectante com os resultados do ansiado desenho. Não tardou muito para que a Carolina lhe mostrasse uma folha, ainda que pouco colorida, com um Jesus ligeiramente diferente. Olha, catequista, levei Jesus ao cabeleireiro, para aparar a barba e cortar um bocadinho o cabelo. Gostas? Achas que ficou bem? A catequista escondeu o sorriso e, mais uma vez, aprovou a ideia. Sim, Carolina, ficou muito bem. Foi uma boa ideia levares Jesus ao cabeleireiro. Ele ficou muito bonito, contente e agradece-te de coração. No teu próprio coração. Só falta dares uma pinturinha, uma cor aqui e outra acolá, para Jesus ficar ainda mais bonito. Ela assim fez e ficou a espirrar felicidade! Para quem não sabe, é assim que se pinta a humanidade de Jesus.

5 comentários:

Anónimo disse...

Será que Jesus também ria à gargalhada, Pe? Às vezes penso nisso...

Confessionário disse...

Eu acho que Ele se ria daquela maneira mais radical: até lhe doerem as costas e a cabeça. Imagino que teria um rosto constantemente a sorrir. Daqueles rostos que, mesmo que não fossem bonitos, encantavam ao seu redor. E também acho que devia ter um sentido de humor muito apurado... acho que era mesmo um brincalhão.

Anónimo disse...

oh, tão bonito!

Unknown disse...

Que bonitinho. As crianças nos surpreende muitas vezes, me lembro quando era catequista em duas comunidades numa delas um garoto bem danado que aprontava tudo. Bom eu nem podia pensar em chegar atrasada pq ele faltava descer a torre da igreja. Em dia de explicação sobre a oração do creio, ele me falou: _Catequista me diz uma coisa; eu escuto nas missas mas não entendi até hoje é faleceu ou padeceu? Nisso respondi sim é pedeceu, que quer dizer sofreu, apanhou muito dos homens maus. Daí imediato ele disse à todos nossa então é isso que acontece comigo direto nas mãos da minha famílias. Ele é um dos bem levado mas gostava de estar por dentro das palavras que muitos expressavamos de modo engolido. Entre outros dados que eu ainda era auxiliar infantil na mesma escola do pequeno Vitor quando a mãe dele me pediu se o padre que ia celebrar na escola poderia lhes dar um pouco de água benta. Mais rápida ele falou: Naquela escola tinha que benzer era a caixa dagua toda pq ele não era o único fervente de lá.Cada uma que ouvia aconteceu muitas passagens até fogueira fizeram numa sala de aula de catequese. Era questão de segundos. Em outro dia o padre foi benzer os escapularios de uns catequisando não demorou muito pra dizer tinha como benzer o cinto do pai de um deles. Eles poderia ser bem levados mas gostavam que todos concluíram e até hoje ainda me chamam de catequista quando me encontram. Tenho saudades.

Ailime disse...

Boa noite Sr.Padre,
Fabuloso!
Como as crianças são tão verdadeiras e práticas!
Gostei imenso.
Ailime