quarta-feira, julho 11, 2018

Há paróquias e paróquias

Há paróquias que o são porque assim foram constituídas, zonas religiosas com um determinado território para cumprir a sua cultura religiosa e alimentar um pouco a fé de cada um, sobretudo através dos sacramentos. E há paróquias que querem ser comunidades cristãs e que, partindo da Palavra de Deus, fazem caminho para serem cada vez mais comunidade cristã.
Digo isto porque, apesar de ter paróquias a meu encargo como no primeiro caso, também tenho algumas paróquias que vejo crescer como no segundo. Há dias uma destas, por ocasião de uma festa onde, no final, havia rematações de buxos, chouriças e farinheiras confecionadas por um número bonito de senhoras da comunidade, assisti a algo que superou grande parte das minhas expectativas. Depois de tudo rematado, e sem que se previsse, lá foi grande parte da minha gente para o forno assar outra grande parte das chouriças e farinheiras. Eu tivera necessidade de me deslocar a outro local, e às tantas recebo uma chamada a dizer que estava tudo pronto para o convívio e estavam à minha espera. Qual não foi o meu espanto quando, ao chegar, verifiquei que estava quase toda a comunidade reunida para o convívio e, ainda por cima, ninguém tocara na comida antes de eu chegar. Porque sim, disseram. Porque eu era o seu pastor. Para além das chouriças e farinheiras, não faltou o pão e até uma sopinha, como eu gosto, e umas sobremesas para os mais gulosos. Bonita comunidade esta, que tenho de agradecer a Deus.

5 comentários:

Paulina Ramos disse...

Bonita, essa tua comunidade.
És um sortudo.

Zilda Carlos de Souza Carlos de Souza disse...

Assim que é bem tratado um bom pastor. com respeito e carinho.Que bom, sinal de bondade que o padre tem os outros.

Anónimo disse...

muito bonito sim senhor enche a alma

Anónimo disse...

Olhe que bom Padre!
Continue assim e num abrir e fechar de olhos , ficam o "pastor" e as "ovelhas", um "rebanho" cheio de colesterol!
Sim, porque a "sopinha", essa foi só para disfarçar!
Beijos.
Maria Ana.

Confessionário disse...

Maria Ana, não consegui deixar de sorrir... é que a sopa era de peixinho, ou melhor, de camarão! heheheh