domingo, julho 15, 2018

Dona da minha vida

A frase era demasiado imperativa. Eu sou dona da minha vida. Era demasiado impositiva e antropocêntrica. Eu sou dona da minha vida e posso fazer o que quiser com ela. 
Esta frase saiu dos lábios de uma amiga, para afirmar a sua opinião sobre a eutanásia e sobre outros assuntos relacionados com a vida. Creio que ela foi honesta consigo mesma, pois é isso mesmo que pensa. Está convencida que se a vida é dela, é a sua dona. De facto a vida é dela. Mas não creio que seja a sua dona. E não o digo por uma questão piedosa, como quando dizemos, sem mais, “estamos nas mãos de Deus”. Como se fosse um fado, um destino de resignação que não queríamos mas que temos de aceitar. Essa lógica não me agrada muito.
Faço esta afirmação de uma forma, que julgo, um pouco mais cientifica ou com base na experiência humana. Porque se fossemos donos da nossa vida, como explicar que, sem o querermos, nos surjam doenças, problemas, sofrimentos? Se fossemos donos da nossa vida, o mais provável é que todos tivéssemos uma bela casa e belos carros e mais não sei o quê. Seríamos todos muito capacitados, sumamente inteligentes e dotados. Se nós fossemos donos da nossa vida, o mais provável era acabarmos achando-nos igualmente donos das vidas dos outros. Acabaria tornando-se um caos.
Nós somos donos das nossas opções, mas não somos donos da nossa vida.

12 comentários:

Zilda Carlos de Souza Carlos de Souza disse...

pura verdade. seria muito ambição nossa sermos donos das nossas vidas.

Anónimo disse...

só gente parva e convencida faz afirmações d"estas

Anónimo disse...

Concordo

Paulina Ramos disse...

Acho que o que a tua amiga queria dizer é que cada um faz as suas próprias escolhas e decisões.
Não creio que a expressão tenha essa carga que lhe atribuiste.
É que a vida está mesmo nas nossas mãos e muitas vezes falta apenas a coragem para a resolver!

Confessionário disse...

Paulina, pode até não ter tanta carga como eu lhe coloquei, mas a sensação com que fiquei era mais ou menos essa: sendo donos da nossa vida, podemos fazer com ela o que quisermos e nada nem ninguém tem nada a ver com isso

Zilda Carlos de Souza Carlos de Souza disse...

Sim. Mas temos que termos fé e sermos fortes. E sabermos adminitrar nos a vida.jamais deixarmos que outros as cuisem POR vezes vivemos para agradar outros e quando pensamos em cuida da nossa vida. DAÍ chegam os palpoéticos, as escolhas são nossas mas por vez podem serem caminhos que DEUS precisa mostrar se é certo ou errado. CAbe cada um seguir.

Zilda Carlos de Souza Carlos de Souza disse...

Por isto o Cristo veio, para que as nossas vidas conhecem outros sentidos.

Anónimo disse...


Podemos sim, Padre... Podemos fazer o que quisermos da nossa vida..

Por acaso não nos foi dado o livre arbítrio?

SL

Paulina Ramos disse...

Confessionário,
"... podemos fazer com ela o que quisermos..." de certa forma é assim mesmo, claro que como tudo na vida tem as suas consequências.
Há muitas questões associadas mas a verdade é que está apenas nas nossas mãos.
É como o colega que sem exitar parou o carro e lançou-se da ponte.
Morreu.
Nada o impediu.
Quem o rodeava ficou com todos os porquês, são demasiadas interrogações relativamente a uma pessoa que não pediu opinião a ninguém.

Anónimo disse...

Posso estar errada eperdoue-me aqui este comentario que se segue...
Sobre a Eutanasia e o Aborto...em algumas circunstancias concordo e essas clausulas ja hexistiam antes da imposiçao da lei actual...
Mas abordo o tema EUTANASIA...
atrevo-me a pensar em milhares de pessoas que respiram apenas e estao num estado vegetativo...
Estao vivas eu sou a favaor da VIDA pois a vida é cristo em cada um de nos.
Nos respiramos cristo no quotidiano (alguns)
E essas pessoas??
Será "Humano" MANTER ESSA VIDA com vida artificial?
Imagino-me junto de alguem nesse estado inconsciente de si...
Sendo catolica tenho as minhas duvidas se esse corpo deve ou nao permanecer vivo artificialmente ou permitir que parta em paz!
Sabendo que mts desconhecem o amor de DEUS...que nunca quizeram ou puderam respirar "cristo" que capacidade teem em reconhecer que estiveram uma vida inteira cegos...é assim que se convertem as almas e outros que passaram vida inteira dedicando-se inteiramente a cristo...e estam nas mesma condiçoes???
O sofrimento de um corpo morto???
Que "beneficios" traz a sua alma??
EUTANASIA???
Ou misericordia??

Confessionário disse...

18 julho, 2018 21:16

Estás a confundir a eutanásia com a distanásia. Esse é um dos nossos problemas: não sabemos o suficiente do assunto. É que a Igreja está desacordo com a distanásia, que é a utilização de todos os meios possíveis para prolongar a vida quando não existe esperança de cura. Ou seja, uma coisa é terminar com a vida porque o sofrimento é grande, e outra prolongar a vida de formas não naturais quando se sabe de antemão que é apenas um prolongar da vida.

Confessionário disse...

Paulina e SL
O que dizeis é uma questão de opção, mas não propriamente de sermos donos da nossa vida. De certo modo, podemos fazer com ela o que quisermos, mas isso não é o mesmo que dizer que somos seus donos. Pelo menos é o que me parece.Por isso a referencia final a que somos donos das nossas opções, mas não da nossa vida. Reparem que tb podemos fazer o que quisermos com a vida dos outros (é o que um assassino faz) e isso não significa que seja seu dono...