segunda-feira, maio 14, 2012

Esta é para ti, Diana, parte V, o brilho

A Diana estava do outro lado do vidro. A fisioterapeuta estava com ela. Já não consegue fazer muitos movimentos. Já não consegue fazer muitos movimentos, mas a boca e os dentes não param de sorrir. Enquanto me vestia com os apetrechos do hospital próprios para entrar em quartos com cuidados especiais, uma bata, umas touca, uma máscara, reparei como ela sorria para a fisioterapeuta. É normal nela aquele sorriso rasgado e que brota do interior. Faz-me lembrar o sorriso de um Cristo que uma vez vi num filme e não mais esqueci. Um daqueles clássicos antigos que passavam na Páscoa na televisão. Ao meu lado, estavam dois enfermeiros da Diana. Enquanto esperava que a fisioterapeuta acabasse, falei com eles. Todos gostavam dela. Olhe, às vezes andamos à disputa para tomar conta dela. Ela tem um brilho especial. A maioria dos doentes quase nos torna doentes. A Diana não. A Diana faz-nos ter vontade de viver e de ser enfermeiros. Ao pé dela sentimo-nos bem. A mãe da Diana já me dissera aqui há uns tempos que os médicos e os enfermeiros gostavam muito da Diana e andavam sempre de roda dela. Nas quase três horas em que estivemos juntos, lado a lado e ao lado da sua cama, assisti à prova destas coisas que os enfermeiros e a mãe da Diana me haviam dito. Os enfermeiros e as enfermeiras iam passando só para dizer Olá. Acho que não havia um único que não acenasse, pelo menos, do outro lado do vidro. Vês como és especial, Diana. Tens tanto a dar de Deus. Deus deu-te tanto para dar. E apesar do teu sofrimento, aqui estás ainda a dar de ti, da tua vida, da tua alegria, da tua simpatia, do teu brilho, da tua fé, do teu e do nosso Deus.

5 comentários:

Filha de Maria disse...

E quando estas almas assim brilham, não nos ofuscam... iluminam antes o nosso caminho...

Rosa disse...

Gostava de escrever,de escrever mas não é fácil,Deus não escolhe os capacitados,capacita e a Diana é um exemplo de fé,entrega,amor e sofrimento e aceitando tudo como uma dádiva de Deus,continuando a brilhar no seu olhar o espírito da confiança.

Joana disse...

"Diana" na mitologia Romana era considerada a deusa da caça.

Agora compreendo o nome escolhido, a Diana é uma caçadora de corações e almas.
Gostei muito desta partilha. Adorava conhecê-la pessoalmente!

bjs :)

Aprendiz disse...

São pessoas assim, que se escondem atrás dos doentes de quem cuidamos diariamente, que fazem os nossos dias e as nossas vidas valerem de facto a pena. Há muitas "Dianas" por aí, pena é que nem sempre haja tempo para lhes dar (mais) tempo...
Rezo pela Diana, para que ela continue a ser a Alegria de quem a cuida, a Alegria de quem dela se abeira, a Luz que brilha e ofusca toda e qualquer doença. Que nunca te faltem razões para sorrir!
A si, pe. Conf, obrigada este toque (de Deus). Já não me lembrava, há algum tempo, da maravilha que é poder ser Enfermeira :)

Confessionário disse...

Aprendiz,
e não é só a maravilha de poder ser enfermeira; é também a graça de poder ajudar quem precisa