sexta-feira, maio 11, 2012

Esta é para ti, Diana, parte IV, os sins

A Diana foi transplantada aos pulmões há mais de um ano. Deitada na cama do hospital, confidenciou-me que na época agradecia a Deus essa pessoa que, ao morrer, lhe tinha doado os pulmões. Não sei quem é, padre. Mas agradeço. Fazia-o ao anoitecer, para agradecer o dia de vida que findou. Porém, ultimamente não tinha agradecido. Os pulmões não estão a responder, padre. Estão a rejeitar. Não consigo respirar. Eles criaram, por si, um vírus estranho sem explicação, mesmo para os médicos. Perguntei-lhe porque deixara de agradecer. Fiquei meio revoltada, meio triste, meio bloqueada. Eu disse que esses sentimentos eram normais. Que Deus a ouvia, a entendia, os aceitava. Mas que não deixasse que isso lhe afectasse o mais importante, que era viver a cem por cento. Ela concordou. Também a cem por cento. E hoje, depois de eu sair, vais de novo agradecer a Deus a pessoa que te doou os pulmões, certo? Mais certo não podia ser, porque ela sorriu e disse sim. Sorri sempre. E os sins dela são dos melhores sins que eu conheço.

8 comentários:

Filha de Maria disse...

Amigo Pe. C.;

Estou com a Rosa (do post ant.). Quanto mais der, quanto mais se der aos outros... mais o seu coração se abre a DEUS e... mais abre o coração dos outros a DEUS!

Doi-nos tanto ver os outros sofrer e não poder fazer nada... mas reconfortar a alma, é fazer...

Aguardo as partilhas restantes...

Anónimo disse...

Bom dia:

Olá Diana.

Queria muito dar-te um grande abraço, olhar-te nos olhos e dizer que, conheço-te pelas palavras do confessionario e gosto muito de ti, sinto-me próxima de ti, gostaria que sentisses não a minha pessoa presente junto de ti, mas que sentisses o meu carinho quando penso em ti.
Sinto-te uma pessoa muito corajosa, com um coração lindo onde Deus habita de uma forma muito muito especial.
Tenho a certeza de que ELE te ama muito também.

Ontem tive necessidade de fazer uma oração por ti Diana, faltavam-me as palavras para o fazer, então acendi uma vela e coloquei-a aos pés de MARIA, e fiz da oração seguinte a minha oração por TI.

"Uma vela sozinha não reza,
mas Tu, Senhor, gostas desta simples vela,
que eu acendi com amor.
Seja como a Tua Luz
Que ilumina a DIANA, e a sua vida.
Seja como o teu fogo
que queima na Diana toda a dôr e sofrimento.

Senhor, não posso ficar
muito tempo aqui, neste santuário,
a não ser com o coração.
Por isso, aqui deixo a arder esta vela.
Representa uma pequena parte da Diana que quero oferecer-te como:
Uma oração contínua pela sua vida.

Fica bem juntinho da Diana, Pai, abraça-a por mim, faz-lhe saber que o meu coração está junto dela abraçando-a e amando-a. "

Muita Força para Ti DIANA.

Rosa disse...

Não existe palavras que possa descrever todo este sentir,só a oração nos pode levar a aceitar tanta dor, que muitas vezes nos questionamos porquê? ainda esta semana tive uma formação por causa de casos extremos que acontecem,e em crianças e que nós não encontramos explicação e acontece a revolta,essa revolta que Deus compreende em nós, e nos aceita
Nós temos uma missão para cumprir na vida, ao qual não sabemos,é como um livro e se vai abrindo dia após dia e ao cruzarmos na vida uns dos outros é porque mutuamente nos temos de ajudar e passar algo de bom,só Deus o sabe.
Continuo a dizer, Bem Haja Senhor PADRE.

Ana Melo disse...

Muita força para Ti Diana.

Joana disse...

Hoje ao passar por aqui, mais uma vez fiquei emocionada! (Ainda não tinha lido estes textos).
Até porque Diana rima com Joana, podia ser eu.
Espero sinceramente que se recupere, fico a aguardar o desfecho final com ansiedade, esvazie a sua bagagem todinha conosco pe. lol :)

Bjs :)

Anónimo disse...

Amigo, o que mais me toca nestas tuas palavras é a referência que fazes ao "sim" da "Diana".
Dizes: "Os sins dela são dos melhores sins que eu conheço".
Eu também conheço a "Diana" e quem me dera a mim poder ser tão coerente como ela, e quem me dera que todos nós pudessemos dizer "sins" tão sinceros como ela.

Fico a aguardar os próximos textos...

LPS

Anónimo disse...

Se pudesse e fossemos compativeis, não me importaria de doar os meus pulmões à Diana.
Já estou cansado deste mundo, da vida e sabendo que a minha triste existencia salvaria outra, so por isso ja valeria a pena ter vivido.

Anónimo disse...

Que bonito Sr. Padre Confessionário o que fez e faz pela Diana. Nunca a abandone. Infelizmente á muitas "Dianas" por aí, que querem a presença de um padre e não há. Não têm disponibilidade. Depois vimos a saber que para assistirem a um jantar de amigos, ou aniversário de um outro amigo, aí já têm tempo. Falo assim porque já me bateu á porta essa necessidade. Também eu sou uma "Diana", mas mesmo tendo sacerdotes amigos ou conhecidos, nunca tive a sorte que a "sua" Diana teve! Te-lo a si para a ouvir e arrancar-lhe o sorriso. Isso é lindo, fabuloso, e no meu entender de leiga que sou, é essa a atitude que Deus quer de todos nós. Deixe que lhe diga querido Pe. Confessionário, também nós leigos, "Dianas", é essa a ideia e em parte o que esperamos de vós, sacerdotes, mas nem todos estão pra aí virados. O sacerdócio é para já muitos uma simples profissão que contem regras muito rigidas, que tambem as contornam. Tenho pena de não pertencer á sua paróquia. Acredito que tal como a Diana, já teria tido algumas se não muitas palavras acolhedoras de alento, de força e uma maneira diferente de olhar a vida. No entanto fico muito feliz pela Diana por o ter por perto. Que Deus e Nossa Mãe Santissima o proteja e lhe dê sempre forças para poder ir junto de quem o procura. Que os seus paços sejam iluminados pelo Divino Espirito Santo!