segunda-feira, março 28, 2011

Hoje vieste-me ao pensamento e ao coração

Hoje vieste-me ao pensamento e ao coração. Sem motivos, sem vontades. Vieste porque o Tó, o padre António, começou a falar de funerais e de lutos. Destas coisas que conversamos porque nos inquietam. Quando comecei a falar de ti, o Tó parou para me escutar. Os seus olhos ficaram brilhantes, fixos, com rasgos de horizonte. Ele ainda tem mãe. De certeza que me escutou a pensar nela. Falei de ti como já há muito não falava. Quando me vens ao pensamento, ironicamente, costumo afastar-te, desculpando-me que é apenas um pensamento. É melhor não pensar para não sentir. Porque os pensamentos dão azo a sentimentos. A mana, quando precisa ficar bem com a sua vida, pensa em ti, contou-me. Sonha contigo. E acorda contigo. Eu não sou assim. Recuso-me a acordar contigo num sonho. Mas hoje apeteceu-me trazer-te à minha realidade. Àquele momento em que, com um sorriso estampado no mesmo rosto que era marcado por lágrimas, iniciei o ensaio de cânticos para a nossa festa, a festa da vida que te tinha prometido uns dias antes. Ninguém queria cantar. Eu queria cantar ao mundo todo, como se fosse o melhor cantor que poderia algum dia cantar-te. Apontei para ti, agarrei no micro e disse Vamos cantar, que hoje é dia de festa. Ninguém me acompanhou a não ser o silêncio e os murmúrios de muitas lágrimas que, no meio da assembleia, se desenharam. Deixaram-me, uns trinta segundos que pareceram minutos, a cantar sozinho. A minha voz enchia a Igreja e juntava-se ao ritmo das lágrimas. Não me vou esquecer nunca deste momento único das nossas vidas. Como estavas bela, a sorrir, contente. Recordo que as pessoas iam e vinham, em magotes, dar os sentimentos. Nunca gostei muito disso, até porque os sentimentos são das pessoas e continuam com elas. Sentimentos já eu tinha muitos E só quem ama a minha mãe sabe o que é este sentir a morte dela. Mas entendo. Davam-me os sentimentos e eu chorava e sorria. Chorava e sorria. Chorava porque não conseguia para de chorar. Sorria porque não conseguia parar de sorrir. Como agora não consigo parar de sentir. Como agora apetece trazer-te ao meu pensamento e ao coração. E aqueles olhares que, nos vários dias e eucaristias desse último mês, trocávamos, em casa, por entre a hóstia que acabara de consagrar. E sorríamos perdidamente, como se entre nós, entre mim e a tua dor, estivesse somente Ele nesse pedaço de sacrifício eucarístico. Que maravilhosas são as expressões de fé que o Senhor nos ensina através daqueles que são completamente seus. Mãe, devo-te muito do meu sacerdócio. Devo-te muito da minha vida. Devo-te muito daquilo que sou. E hoje apetecia-me tanto o teu colo!

19 comentários:

joaquim disse...

Deixo-te apenas um abraço dizendo-te que sei do que falas!

Anónimo disse...

Bom dia Sr.Padre: Obrigada por este começar de dia embrulhado na beleza deste texto. Queria dizer-lhe tanta coisa mas não encontro as palavras certas por isso fico em silencio. Um silencio agradecido por Deus um dia me ter guiado ate este blogue. Que Ele o comule de benção. Beijinhos Maria Ana.

Anónimo disse...

Bom dia!

Olá confessionario, os teus textos são excelentes e sentidos, mas principalmente o poste de "AGARROU-ME A MÃO",fico arrepiada com alguns comentários, são lindos de mais.

Como alguém comentou os "maus" são sempre os outros e não os padres, gostaria ver um post com uma linda historia de amor, porque sim alguns desses HOMENS(SACERDOTES) já se apaixonaram e hoje são felizes.

Beijinhos!

Obrigada por existires!

concha disse...

Olá Confessionário
Linda homenagem!Não há que dizer, a não ser que também eu recordo a minha mãe como alguém muito especial que mesmo tendo partido,ficará sempre conmigo porque me amou muito.Eu acredito que quem se ama nunca parte.
Um abraço

Anónimo disse...

Bom dia,
Mãe... que verdade linda esta palavra encerra, nascemos da nossa Mãe como a flor da terra.
Tenho saudades da minha mãe.
Tenho saudades dos seus sábios conselhos.
Adoro-te Mãe...
Essa malvada doença que te consome diariamente e que apagou da tua mente nossos nomes, não nos apagou do teu coração, tenho a certeza disso quando olho fundo nos teus olhos, te faço um carinho, ou encosto a minha cabeça no teu colo... mesmo sem um gesto teu eu sinto que nem que seja pela força do meu Amor, estou gravada a fogo no teu coração.
Obrigada Mãe por me teres dado o ser, o existir.
Perdoa-me todas as vezes que te magoei ou não te soube entender.
Só depois de ser mãe compreendi a Grandiosidade da tua Pessoa.
Amo-te muito.

Renascer disse...

UM GRANDE ABRAÇO, CONFESSIONÁRIO! PARTILHO O QUE SENTE!

Maria Zete disse...

Padre o senhor me pôs de novo a chorar! Obrigado por partilhar conosco um sentimento tão lindo. Sei exatamente o que sentes.
Grande abraço.

Maria disse...

Meu querido padre,
Que tocantes as suas palavras, que texto tão comovente. Sei do que fala, já passei por isso há pouco tempo, todavia não posso deixar de fazer resaltar a sua grande sensibilidade. É uma pessoa com um coração e uma alma do tamanho do mundo, e o Espírito Santo habita nela. Grande beijinho
Maria

al cardoso disse...

Pois e, por vezes ainda que nao queiramos, vem-nos ao pensamento os nossos seres queridos, que ja partiram.
Pai infelizmente ja o nao tenho por ca, mas a mae sim essa ainda a tenho e faco votos, que seja por muito tempo.

Um abraco de amizade e solidariedade.

Anónimo disse...

Oi,meu amigo
Pensei em dizer algo que pudesse te ajudar,mas prefiro deixar pra ti uma canção e sei que a música pra ti também tem força e nos ajuda a dar um pouco mais de sentido,aquilo que parece que teima em nos deixar sem sentido...

Fisicamente,ela não está mais contigo.Mas,está sempre olhando e intercedendo por ti junto da nossa mãezinha e dela também:Maria.

Que o Espírito Santo te ajude a sentir suas duas mãezinhas junto de ti ,a te abraçar ,te consolar hoje e sempre nos momentos que mais precisar.
Abraço.LUZ.

http://www.youtube.com/watch?v=Tdp4FmnDRRM&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=sCAwUUU1_mI&feature=related

Anónimo disse...

Pra você
http://www.youtube.com/watch?v=_HFqh0sHolM&feature=related
Luz.

D. R. disse...

(o video que colocou agora em destaque é excelente... :) por acaso já conhecia... ;) Boa Quaresma.

beijinho)

Anónimo disse...

sr.padre hoje pela 1-a vez chorei ao ler uma sua historia e sei bem do que fala eu tambem ja perdi a minha maior referencia de vida a muito pouco tempo e so deus e o meu grande amigo sabe o que tenho passado nestes tempos , nunca me arrenpendi de tudo o que lhe fiz e so nao fiz mais porque ela nao deixou preferiu sofrer para ela , e nao queria que eu chorasse porque , sempre me amou ate ao ultimo dia , em que partio , e eu nas minhas oraçoes de pecadora praticante pedi ao pai do ceu que ela nao sofresse muito , e Ele na sua grande misericordia fez-me a vontade, e sei que Ele ja lhe perdou tudo porque a quem muito ama muito lhe e perdoado , mas a saudade fica sempre , foi uma companheira de uma vida inteira , para alem de mae era uma grande amiga , fiquei um pouco mais sozinha , mas ganhei um grande amigo que se preoucupa comigo , apesar da vida oucupada que tem e sei que o Senhor um dia lhe dara a reconpensa de tudo o que tem feito por mim . o Pai do ceu e grande e se nos tira algo da-nos sempre mais . aqueles que patem para a outra viagem nunca morrem a nao ser que se esqueçamos deles no nosso coraçao. um abraço

Anónimo disse...

Boa noite Sr.Padre
Deixou-me de lagrimas no rosto. Sou uma jovem de 18 anos que infelizmente sabe o que é viver sem a presença da mulher que nos gerou. Nao há um dia que ñão pense nela, que não queira um beijo dela e um abraço e principalmente ouvir as palavras sabias dela.
Acredito que se Deus levou-a para junto dele por alguma razão foi.
Continue.

Maria disse...

Emenda: no meu coment de 30 de Março onde se lê resaltar, deve ler-se ressaltar
Maria

Elsa Sequeira disse...

Passei por cá. Gostei muito de ler-te. Sei que és assim, tal e qual o que escreveste...
Saaaaudades tuas, muitas!
bjtsss e força :)

Anónimo disse...

O snhr padre está a falar do maior medo da minha vida! Não entendo a 100%, mas quando imagino apenas, acho que consigo sentir parte da dor!

D. R. disse...

Ah! Peço desculpa por não ter feito nenhum comentário a este texto...

Fiquei sem palavras.

Ela continua aí, consigo.

E dá-lhe colo, a cada segundo...

MAC disse...

Deixou-me com as lágrimas nos olhos. Felizmente, ainda tenho Mãe, mas, só de pensar... que nó na garganta, meu Deus! Não sei mais que dizer-lhe...
Mando-lhe um abraço virtual
MAC