segunda-feira, março 21, 2011

A língua dos padres tem obrigação de saber responder

A língua dos padres tem obrigação de saber responder. E há três respostas que estão sempre prontas. Sempre na pontinha. São as três respostas que mais facilmente ouvimos aos padres diante das nossas perguntas ou dificuldades. Primeira. Temos de conformar-nos. Segunda. Temos de nos colocar nas mãos de Deus. Terceira. Temos de rezar. São as três respostas mais comuns e certeiras quando o problema está complicado e não tem solução à vista. São verdade nos nossos lábios. São verdade de Deus. Porém, mais do que respostas, deveriam ser frases declarativas, afirmações, adjectivos dos cristãos. Esta é uma das verdades que quero fazer agora. Não precisa ser de Deus. Só minha. Uma verdade que também uso, muitas vezes, como respostas. E canso-me. Canso-me de responder desta forma. E quando o cansaço se torna mais forte que a força das palavras, estas deixam de ser frases nossas para se tornarem simplesmente frases da nossa língua. De tão polidas, de tão usadas, elas tornam-se respostas gastas.
Quando a Maria me veio contar o que a filha fizera, que insinuara bater-lhe, que berrara para que meio mundo ouvisse, que fugira de casa, que partira para parte incerta com a certeza de que não voltaria, deixando a mãe com a sensação de que o cordão umbilical já não seria mais usado e que teria de guardar no esquecimento tudo o que à filha dissesse respeito, inclusive os seus erros e opções mais que erradas, não soube dizer mais do que as respostas que tinha prontas, na minha língua.
Depois cheguei a casa e bati a porta três vezes. Abri a primeira e achei que batera com a força certa. Abri segunda, e a força fora suficiente. Mas bati terceira para ter a certeza de que era essa a força que queria utilizar. Sentei-me na cama, de cócoras, com as mãos a segurar a raiva. E perguntei a Deus que há-de fazer um padre que as pessoas procuram a horas e desoras porque esperam que o padre fale a solução certa, porque estão habituados a ouvir as certezas que o padre tem habitualmente prontas, na ponta da língua e do Espírito Santo, porque sabem que ele é um homem de Deus e Deus há-de soprar-lhe ao ouvido, porque o padre é padre e é para isso que o padre serve. Porque padre é padre e ponto final.
Estou cansado de abrir constantemente aquela porta, que bati três vezes com força, para responder as coisas certas às pessoas, quando eu procuro mais que a resposta certa e não a encontro. Que dizer quando já não se sabe o que fazer, Senhor?

27 comentários:

Maria disse...

Boa noite Senhor Padre,
acabei de ler o seu texto e como sempre, admiro o que escreve, a maneira humilde e despretenciosa como o faz e como toca em temas tão humanos pela qual passam os padres e que nós às vezes não sonhamos, habituados que estamos a que os padres sabem sempre como nos consolar, como nos ouvir, como nos aconselhar, sem nos lembrarmos que eles são tão humanos como nós e que soluções só Deus as pode dar.
Acredito Senhor padre, como a impotência de ir mais além pode ser frustante para alguém que queria poder sair do lugar comum de que falou. Mas...não se esqueça nunca, que para além de ser sacerdote e de tudo o que isso implica para si, é também um ser humano e o Espirito Santo sopra quando e onde quer.
Beijinho
Maria

Anónimo disse...

Às vezes parece um padre jovem, inexperiente(isto não é de forma alguma uma critica).
No caso da Maria como o de outra pessoa desesperada, ela queria respostas, mas não têm de vir necessariamente da sua língua sr. Padre, podem vir da dela, têm de vir da dela, para ambos saírem da confissão mais leves.
Bem deve saber que o genuflexório está para o padre o que o sofá está para o psicanalista...
Duvide de si como homem, mas não duvide de si como Padre.
S.

Anónimo disse...

Olá
Confessionário,
Os padres não têm que dizer sempre a coisa certa, essa ideia foi sendo incutida nas pessoas e agora recusam-se a admitir que um padre é um representante da igreja católica, um ser humano, que como qualquer outro comum mortal, por vezes não sabe o que fazer.
Há cerca de um ano tive uma depressão... fruto de uma catástrofe natural, fruto também do não aceitar uma doença natural da minha mãe, e ainda de um marido pouco compreensivo...
Nessa altura eu não sabia o que fazer pensar ou dizer, as froças foram-se... só pensava quem cuidaria do meu filho se algo me acontecesse, pois com 8 anos seria dificil orientar-se sozinho...
Sabe o que eu fiz procurei um médico... procurei também o Médico da alma, que não me disse o que fazer, mas deu-me forças para continuar a viver um dia de cada vez...
Confessionário, tu és um ser humano, as pessoas procuram o padre, pois este é quem as ouve...
Procuram um padre porque não podem pagar a um psicólogo.
Procuram o padre porque pensam que os padres têm um canal directo e secreto para Deus.

Confessionário disse...

Olá, amigas/os

Eu sei o que faz os desabafos que ouço; sei que as pessoas saem sempre melhor (como dizia a última anónima, com mais força; e até sei que essa é a força de Deus); sei que Deus me tem iluminado sempre nas respostas a dar (a sério que tem; às vezesa admiro-me comigo mesmo nas respostas que dou sem perceber que as ia dar); e sei que se as pessoas me procuram é porque de certeza costumo dar as repostas ou ouvi-las como precisam (já tive bastantes expressões que me indicam isto)...

Mas é aquela coisa de querer resolver tudo, de dizer claramente o que se deve fazer, e reparar que as frases habituais/comuns não chegam.

Neste caso concreto da Maria, que devia ou poderia dizer-lhe?

Anónimo disse...

Podia dizer-lhe que os pais têm obrigação de fazer o melhor que sabem e podem; mas que os filhos têm vontade própria e nóss também temos de os deixar escolher o caminho que querem percorrer e, portanto, aos pais, por muito que esta realidade custe, não resta outra coisa senão rezar e deixar nas mãos de Deus o resto.... essas três respostas, digo, verdades que saem tantas vezes da boca de um padre e que embora para ele possam parecer pouco, para quem ouve quer dizer tanto!

Digo eu, claro

Anónimo disse...

Neste caso da Maria...
Que sentiu o seu coraçâo?
É ao coração que Deus Fala.
Poderia ter-lhe dito o que o seu coração estava a sentir.
Nem que fosse a vontade de dar um valente correctivo na filha.

concha disse...

Olá Confessionário
È sempre difícil dizer aos outros o que deveriam ou não ter feito ou fazer.
Acho que mais do que qualquer outra coisa, a Maria queria alguém que a escutasse sem a condenar nas atitudes que tomou.E também acho que quando perguntamos a alguém o que fazer,já temos a resposta e a única coisa que queremos, é que aquilo que disserem, venha ao encontro daquilo que sabemos.Quem escuta, só tem que perceber o que o outro pensa sobre o assunto e integrar isso apresentando uma solução de bom senso,que é sempre possível a quem não está directamente implicado na situação.
Um abraço com força acrescida, para tanta situação difícil

Anónimo disse...

Para a filha da Maria ter este comportamento é porque deve ser uma adolescente. Tb fui uma adolescente conturbada, a minha mãe deve ter sentido as mesmas emoções da Maria...mas cresci e amadureci, faz parte do processo.
Podia ter falado da adolescência perturbadora pela qual passam certos jovens, que ela não é a única mãe a passar por aquela situação, que com tempo, paciência e "a ajuda de Deus" as coisas virão a resolver-se (ou não).
Simone.

Anónimo disse...

Olá conf!

Que palavras?
Estas mesmo:
Temos de conformar-nos.
Temos de nos colocar nas mãos de Deus.
Temos de rezar.

Não vale a pena dizeres outras.

Alexandra!

Idalina disse...

Como dizia um anónimo num comentário ao post anterior: «cada vez estou mais convecido e sinto que nós padres somos "para raios" de pessoas desiludidas.» Reconhecendo que isso vos possa os sentimentos descritos neste post, que não tenham respostas para todos os problemas que vos colocam e que sintam que o que dão são respostas "gastas", ainda bem que lá estão para ouvir quem se sente perdido e recorre a vós. Acredito que nem sempre procurem mesmo uma solução, mas quem os ouça. E recorrerem ao padre é sinal de confiança e de fé. E quantas vezes só ouvir e mostrar solidariedade, não é uma resposta?

Peregrina Repetente disse...

Boa Noite!
Alexandra e Confessionário, Por favor a 1ª palavra NÃO:
Temos que nos Conformar (????)
Desculpem-me, mas são as Unicas palavras que Ninguém tem o Direito de dizer, muito menos um padre.
Tirar a Esperança a alguém é fazer "Terrorrismo psicológico" e as palavras não são minhas, são de outro sr. padre.
Que tal imaginarem este filme, estão numa cama de hospital ás portas da morte, chamam o Sacerdote e este diz"Tem que se conformar, esta é a vontade de Deus" desculpe, sr. padre mas por muita fé que este doente tenha acabou de lhe tirar a uma gota de esperança.
Não sei se consegui transmitir a mensagem, mas a ideia é SEMPRE dar Esperança.
lm

Ab imo corde disse...

Eu talvez dissesse tão simplesmente "Não sei o que te/lhe dizer". E logo em seguida, talvez segurasse nas mãos da pessoa em silêncio, não sei! Confessionário, não sabemos tudo. É certo que há uma tendência enorme para se esperar muito, às vezes mais do que pode dar, de um padre. E o que poderá esperar o padre de nós? Algumas vezes também pode esperar mais do que o que sabemos dar, mas também pode e deve esperar compreensão pela dimensão humana que, aliás, é comum a quem procura e ao procurado! ;)
Confessionário, por que será que Deus nos deu dois ouvidos e apenas uma boca? ;)

Beijinho sereno

Confessionário disse...

A minha vontade era mesmo conseguir resolver, com as minhas respostas, os problemas de todos!
Mas reconheço que isso não depende mesmo de mim.
Até tenho muito que agradecer a Deus, porque me tem ajudado a responder mais do que as tais 3 respostas!

Ontem aconteceu-me uma coisa muito interessante, que vou escrever um dia destes e que explica isto que estou a querer dizer.

Esta vontade de resolver tudo, não pode deprimir-me! Em vez de resolver tudo, vou começar a pensar em resolver o pouco que conseguir e que já é muito!

Confessionário disse...

Peregrina,
Tens muita razão. A palavra "conformar" pode excluir a esperança. Se calhar era melhor utilizar "aceitar" sem nos conformarmos. É menos directo. O teu amigo tem razão. Ao utilizarmos estas expressões devemos deixar reticências para a Esperança.

Anónimo disse...

Padre, boa tarde.
Envio-lhe este poema um pouco a propósito dos seus ultimos 2 posts. Força.
Espero que goste. Eu acho tão bonito.

"Sinto-me confundido, Senhor:
Por ser pecador e perdoar,
Ser fraco e ajudar,
Ser miséria e espalhar felicidade;

Por ter dúvidas e ensinar certezas,
Ter tentações e santificar,
Viver numa encruzilhada e encaminhar;

Por ter chagas e curar,
Ter lágrimas amargas e consolar,
Ter espinhos e espalhar suavidade;

Por sentir contradições e ensinar a verdade,
Sentir a carne e defender o espírito,
Viver a solidão e congregar à minha volta...

Por tudo isto, minha alma vos louva, Senhor"

Um abraço
ZN

Confessionário disse...

Tão bonito e tão saboroso, ZN

Anónimo disse...

Olá conf.

Tu podes dar varias respostas para determinados problemas. Mas para este em causa, acho que não há melhor resposta.
Acredito que o conformar possa ser excluida. Mas neste caso o que podemos fazer senão aceitar e "colocar" tudo nas mãos de Deus.
O que é que a Maria vai fazer? E o que teria levado a filha da Maria a fugir?
Deixa-me contar-te isto: há algum tempo atrás o namorado da minha sobrinha foi morar com ela na casa dos pais. Situação normal, se os miudos não tivessem 18 anos e ainda andassem a estudar. Quando "confrontei" a minha cunhada ela disse-me: prefiro que estejam os dois debaixo do meu tecto, doque ela abalar não sei para onde. Tenho de me conformar com esta situação.
Hás vezes nós temos de nos conformar perante determinados problemas. E penso que existem coisas que nós não conseguimos resolver e temos de aceitar.

Um abraço!

Alexandra

HD disse...

Podemos não ter respostas milimétricas ( se calhar Deus não quer que o façamos)
Em vez de “conformar-se”…ENCARAR o que está a viver
Depois temos que apontar caminhos,
São estes que ajudam á descoberta pessoal de respostas.
- ajudar a “encarar “ a situação, a compreender o que motivou o que não se entende, lançar desafios sobre formas de ultrapassar, tornear o obstáculo….
Nas MÂOS DE DEUS…a “CONFIANÇA” de que nesse caminho Ele nos dá a direcção correcta, sendo Pai nunca nos abandona!
E ORAR….o “ALENTO DA JORNADA” , onde se busca a fortaleza mesmo perante os desafios da noite escura …que nos guia rumo á luz no horizonte!
Nada disto é resignação, é viver Cristo em nós!
HD

Anónimo disse...

Ola Confessionario: Pergunta o que dirìamos no seu lugar. Sinceramente não sei.Sei apenas que estando na situação descrita ou noutra parecida,encontrar disponibilidade da parte do padre e o aconchego de uma palavra amiga já seria uma grande ajuda. Como já disse noutros comentarios que fiz e por aquilo que vou ouvindo as pessoas sentem muita falta de direcção espiritual.E eu incluo-me nelas.Que pena muitos padres não estarem mais vezes disponiveis para nos ouvirem.Sinto-me tantas vezes perdida nas encruzilhadas da vida.E como eu tantos outros.Beijinhos Maria Ana.

Anónimo disse...

Uma vez que ando a ler o Novo Testamento,...
"Agora a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isto vim a esta hora."
S.João 12.27

Simone.

Anónimo disse...

Um dia, lá atrás, andava tão chateado com a minha mulher, já não sabia o que fazer. Se acabar. Continuar parecia impossível. Precisava tanto de encontrar alguém com quem desabafar. E ouvir. Não tinha ninguém. Fui ter com o Padre que mais admirava e em quem mais confiava, apesar dos defeitos.

Recebeu-me pronto. Expus-lhe. Ouviu e quase não falou...não sabia o que me havia de dizer...
Mas bastou...Entretanto ele foi solicitado por alguém.
O encontro acabou e eu fiquei só. Liguei-me a Deus...e...desabafei com ele. Como já desbafara.
Tudo se resolveu...
Com Deus, ninguém está só.

HD disse...

Recomendo sobre este tema a leitura da Carta do Chile do Prior de Taizé Fr Alois, onde fala sobre a Alegria , a Compaixão e o Perdão :http://www.taize.fr/IMG/pdf/ptletter.pdf

Inspiradora...

D. R. disse...

boa tarde..

Compreendo perfeitamente o que sente. Mas dias virão em que se sentirá mais forte, mais inspirado por Deus...

Quando me sinto assim... só consigo ouvir isto:

http://www.youtube.com/watch?v=OORpgv2zPsc

imagino que não seja novidade nenhuma para si, mas espero que inspire muitos que por aqui passam.

D. R. disse...

ZN, que poema lindo... ;)

Mas quem é o autor de tão belo poema?

Confessionário disse...

lido.
Quando quiseres assim, mad directo para o mail. Guarda-se melhor!

Anónimo disse...

OK.

Helen disse...

Nossa meu coracao ficou apertado agora Padre...juro meus olhos se encheram de lagrimas...
Como eh importante pra mim sentir as pessoas...entenda...as pessoas procuram uma palavra amiga, alguem que as escute...nao se desespere mais assim...diga que esta feliz em poder oferecer seu ombro amigo, e que se sente feliz em saber que tal pessoa confia sua historia a voce, diga para essa pessoa rezar a Deus por discernimento padre, um abraco as vezes resolve um coracao machucado e desesperado... :/