domingo, março 06, 2011

Quando vais à Missa?

Na sequência do post anterior, pareceu-me oportuno lançar esta nova sondagem com o objectivo de perceber como nos relacionamos com a Eucaristia, como a procuramos, como nos esforçamos para participar nela, cumprindo ou não o preceito que a Igreja nos propõe de participar na Eucaristia, pelo menos, no dia do Senhor, ao Domingo, e nas festas de "guarda".
Aliás, quando faço referência ao Domingo estou também a querer referir-me aos dias de "guarda", os chamados dias santos.
A 2ª e a 5ª opção podem também confundir-se, mas na 2ª estou sobretudo a referir-me a uma participação dominical mais um dia ou dois da semana, e na 5ª estou a referir à participação dominical mais o maior número possível de Eucaristias durante a semana.
Convém ainda fazer uma chamada de atenção ou realce para a utilização da forma verbal "posso". É obvio que ela pode ter diferentes interpretações. Uns podem pensar que se refere às possibilidades ou disponibilidades inerentes ao emprego. Outros, podem incluir nesta opção algumas ocupações de casa, ou algum passeio ou outra ocupação similar. E ainda pode haver quem entenda que a vontade ou a preguiça podem incluir-se nestas opções. Cada um reverá a sua consciência neste assunto. Eu queria referir-me quase exclusivamente à primeira situação. Mas cada um saberá. Aliás, podem e devem sempre explicar a sua opção aqui, nos coments.

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá,
Vou à missa quando o meu interior o exige e sempre que posso.
Este fim de semana não pude ir pois estou como recenseadora nos censos 2011.
Hoje sinto a falta desse alimento espiritual, dessa força que só a Eucaristia nos transmite.
O espirito que em mim habita necessita de alimento tanto como o meu corpo fisisco.
Já agora, tratem bem os recenseadores, por favor.
Eles estão a cumprir uma missão.
Paulina

Anónimo disse...

Eu vou todos os Domingos, mas nao sou fanática. Se tiver de faltar, não fico aflita! Ele sabe bem os meus sentimentos. Eu não vou por causa do hábito...

Teodora disse...

vou apenas quando me apetece.

depois vou aos funerais que não colidam com o meu horário de trabalho e só daqueles que me são próximos.

quanto a casamentos, estes não têm surgido o que é bom porque afinal quase todos acabam mal e quem gasta dinheiro são os convidados!

ó padre

o senhor não quer casar comigo? eu acho que assim mesmo sem^conhecê-lo fisicamente, eu arriscaria. mas tem uma condição! tem de continuar a ser padre e tem de namorar comigo até ao último segundo das nossas existências.

será que os bispos e arcebispos costumam vir aqui aos blogs? hello?! Is anybody home?

Maria disse...

OLá Senhor Padre,
É uma boa interpelação esta, até pela altura do ano em que muitos pensam mais em divertimento do que em religião. Mas não foi para falar dos outros que quis responder a este coment, mas de mim.
Quando vou à missa? Bem não tantas vezes como desejava, não durante a semana. Nesta altura, em que já não estou na vida activa bem poderia fazê-lo...mas não faço, há contigências de que não vou aqui falar, por uma questão de privacidade que me impedem de o fazer, como eu desejo. Vou ao Domingo, vou e sinto-me muito feliz e preenchida por isso, e pela Sagrada comunhão. Não, não vou há missa por hábito esse conceito não cabe dentro da minha fé. Foram várias as etapas da minha vida: umas em que ia todos os Domingos, durou anos. Outras em que ia de vez em quando, e outras em que simplesmente não ia. Anos a fio. E que dizer dos dias que ia e levava o tempo a olhar para o relógio. E aqueles em que estava totalmente ou quase, ausente...E ainda agora em que pela graça de Deus a minha vida deu uma volta de 180º. tenho pequenos lapsos de ausêcia durante a missa. Todavia devo dizer, que sempre que me afastava, Deus dava-me a graça de voltar sempre. E quando falto à missa actualmente, não fico confortável, a não ser que não me possa mexer e apesar de saber que Deus sabe, o que vai no meu coração, fico sempre a pensar que se calhar não me esforcei o suficiente para ter ido. Será exagero, não sei, talvez.
Abraço fraterno
Maria

JS disse...

Duas precisões:

Há também quem vá especialmente à missa em ocasiões liturgicamente significativas, mesmo que não sejam considerados em rigor dias santos. Certamente, Confessionário, amanhã (Cinzas) irás encontrar as igrejas bem mais cheias do que é habitual...

Há também quem vá propositadamente à missa quando se trata de uma intenção por um familiar ou amigo falecido, e sobretudo se a ocorrência é recente. São as tais missas de sufrágio, sobretudo as que têm uma data significativa: ao cumprir-se mais um mês sobre o falecimento, ao lembrar o aniversário natalício...

Confessionário disse...

Tens razão, JS.
Embora eu quisesse incluir nos Domingos todo o tipo de festas ou similares, poderia ter sido mais preciso. E não lembrei esse pormenor importante das intenções de missa!
Em relação ao dia de amanhã, quarta-feira de cinzas, vão mais que o habitual, mas menos que ao Domingo.
Conheço gente que, de facto, é capaz de não ir à missa dominical, mas vai quando tem uma intenção para colocar na missa da semana.

Obrigado