quarta-feira, dezembro 05, 2018

A catequese serve para fazer pessoas boas?

É uma boa catequista. É interessada. Não se conforma com uma catequese doutrinal, escolar, com base no ensino e aprovação de conhecimentos e verdades. Mas há dias, no meio de uma reunião de catequistas, deu a entender que o objectivo da catequese, pelo menos como ela a via, era formar pessoas boas. A discussão que se gerou deu-me azo a clarificar que não basta formar pessoas boas na catequese. É necessário formar pessoas boas por causa de Cristo, ou melhor, por Cristo, com Cristo e em Cristo. Crescer na fé não é apenas crescer na bondade. Esse pode ser um dos efeitos da fé. Mas a fé é mais que isso. Basta recordar que um muçulmano pode ser uma pessoa bondosa. Um ateu pode ser uma pessoa bondosa. O que a catequese deve fazer é iniciar, formar e ajudar as pessoas a chegar á maturidade da fé, por Cristo, com Cristo e em Cristo.

9 comentários:

Anónimo disse...

Há dias dizia à minha filha de 12 anos, que achava a longe de Jesus.
Disse lhe que afastada de Jesus não deixaria de ser uma boa menina...Mas com Jesus por perto seria com certeza mais feliz. A diferença da bondade com Cristo e sem Cristo está, quanto a mim, no retorno a quem pratica o bem.

SL

Anónimo disse...


Deixa-me, Padre, acrescentar ao meu comentário de 13:04 o seguinte: a maldade no mundo, infelizmente, consegue superar a bondade. A bondade, ainda que sem a tomada de consciência de Cristo, vale a pena. Creio que mesmo aos olhos de Deus. Um mundo cheio de pessoas boas sejam elas muçulmanas, ateus, etc é uma alternativa preferível à maldade.

Não podemos ser mais papistas que o Papa, corremos o risco de ser hipócritas.


Numa altura em que se "usam", ainda que não de forma intencional, as crianças para trazer a maioria dos pais à Igreja (falo da minha realidade, as tuas paróquias podem ser diferentes)por conta das festas e actividades da catequese, parece-me que os pais acabam por precisar mais de catequese que os filhos. Não se pode pedir às catequistas que façam o trabalho dos pais.

A fé é complexa e parte sempre do nosso interior, é impossível ser completamente incutida em alguém a não ser por Ele. E os Seus caminhos são insondáveis.

O encontro com Deus, não acontece para todos na mesma altura. E acredito que muitos jovens sentem dificuldade em tomar consciência de Cristo na sua vida, dia a dia, nas suas atitudes. Mas se houver semente lançada, em algum momento da sua vida poderão Escutá-lo.

A mim parece me ser esse o trabalho da tua catequista...Lançar semente pelo maior Mandamento. Se ela cumprir o objectivo a que se propõe "formar pessoas boas" ainda que alguns jovens tenham dificuldade em tomar consciência de Cristo, tens aí uma Grande catequista que, ainda por cima, é sincera!

SL


Anónimo disse...


Demando: o que é «ser bom«? E «mais que bom»?

Ouvimos estas expressões frequentemente sem que lhe precisemos o sentido. Mais que bom será talvez ser também compreensivo. Esta é uma qualidade essencial a qualquer bom carácter. Aliás, é o «must» daquilo que costumamos apelidar de «bondade».
A catequese serve para fazer pessoas boas, perguntas tu. Parece-me que serve para dar Jesus a conhecer e, mais que isso, ou por causa disso, a gostar dele. Será esse o primeiro objectivo, uma vez que os outros surgirão naturalmente. A catequese é uma ponte suspensa, a ligar duas margens, os catequisandos com o nosso Jesus (Jesus não precisa de pontes, mas precisamos nós). Aproximando-nos verdadeiramente de Jesus ficamos pessoas melhores, boas e compreensivas.

Por isso, respondendo à tua pergunta, a catequese pode não servir essa aproximação; pode até fazer-nos desconfiar de Jesus se o objectivo não for devidamente transmitido. Mas também pode fazer-nos aproximar dele, e nos mostrar Jesus como é verdadeiramente. Como se faz? Menos artifícios e mais realidade aproxima. O caminho poderá ser longo, mas as pontes têm que ser curtas. O fim motiva. Falamos de Jesus e não do Pai Natal. Por isso não confundamos o burro do presépio de Belém com o Rudolfo da Lapónia. Formação aos catequistas, formação, é o que recomendo.

JS disse...

Bem, um bom cristão tem de ser antes de mais um bom homem (ou mulher).

À Igreja compete ser perita em humanidade.

O Cristo que esperamos, confessamo-l'O verdadeiro Deus e verdadeiro Homem.

Mas também acreditamos que nenhum ser humano verdadeiramente o será sem descobrir-se "capax Dei".

As virtudes cardeais têm o seu cume nas correspondentes teologais.

Há o ser bom; e há o ser santo.

Paulina Ramos disse...

A função da catequese, tal como eu a encaro, será a de ajudar a pessoa a solidificar-se em Cristo.
À medida que isso vai acontecendo a pessoa caminha no sentido da bondade.
Acho que a bondade será uma consequência e não uma causa primária.

Anónimo disse...


JS

Não percebo nada de latim, mas que soa bem, soa.
Um dia, ainda irei aprender o linguajar dos santos.

Ailime disse...

Boa noite Sr. Padre,
A catequese quanto a mim deve ser para as crianças serem iniciadas na descoberta de Cristo.
Por acréscimo se se identificarem com Ele serão boas com certeza, ou esforçar - se-ão nesse sentido. Claro que isto obedece a uma enorme caminhada ao longo das suas vidas se perseguidas pela fé.
Com certeza que as catequistas também poderão e deverão ensinar princípios básicos de educação nomeadamente no que respeita ao saber estar, para melhor escutar.
Ailime
(Nunca fui catequista e o que escrevi foi apenas sobre o que penso e sinto sobre o assunto)

Unknown disse...

Por isso que temos que vivermos entre pessoas boas. Por que beleza acaba dinheiro também. Mas um coração bom. Ah!... Um coração bom esse é pra sempre.

Anónimo disse...


Que bonito, «chegar à maturidade» da fé. Conhecer a meta para calcorrear os caminhos.