domingo, março 26, 2017

voltar [poema 134]

Talvez um dia seja cego para ver
E nas palavras veja imagens que não sei
Hei-de falar com o corpo enrolado em mim
Voltar ao tempo em que nascia para ser

Talvez um dia chegue como um coração
Para ver de novo as manhãs a renascer
Para tornar a ver-te como no princípio
Quando o mundo ainda era paraíso
Para viver

3 comentários:

Anónimo disse...

Sr padre, anda muito quaresmal, não anda? Eu gostei

Anónimo disse...

muito bonito, (só para variar)
bj

Anónimo disse...

Gostei. Tem a ver com o Evangelho do cego de nascença, não?