quarta-feira, dezembro 23, 2015

As três chaves

Tenho três chaves na mão. São chaves que me ofereceram quando ainda não sabia balbuciar que estava vivo. São as chaves imaginárias que coloquei hoje de novo nas mãos para olhá-las e compreender-me.
A primeira disseram-me que abria a porta da vida.
A segunda que abria a porta do paraíso.
A última que abria a porta de Deus.
Disseram-me também que só poderia escolher e ficar com uma. E para me ajudar a fazê-lo, disseram-me que se escolhesse a primeira, escolhia a vida. Se escolhesse a segunda, escolheria a vida em plenitude. Se escolhesse a terceira, era escolhido.
Mas escolhido como? Para quê? De que forma? Perguntei eu. Era escolhido para viver amado, receber o amor em plenitude, viver para sempre em Deus.
Meio encolhido, meio envergonhado, sem me achar merecedor, escolhi ser escolhido. Escolhi a terceira. Afinal era a porta das portas!

8 comentários:

HD disse...

Mt Bom !! :))

Anónimo disse...

Lindo! Um Santo Natal!

Coruja Nortuna disse...

Belíssimo texto!

Aqui o Natal da minha casa vai ser uma loucura! Convidei o Bispo sr. Francisco e agora vai vir ele, padre Elias, a madre do convento, e algumas freiras, o sacristão, a esposa dele e o filho e claro a minha família em peso...Já to preparando o mesão para toda essa gente...Meu Deus to ficando louca. lol Sai correndo para comprar uma lista enorme. E agora to preparando algumas coisas básicas como doces e etc...Bjs e bom Natal para o sr confessionário.

Anónimo disse...

Muito bem "escolhido", o texto, a chave e aquele que foi realmente escolhido. Bom Natal.

Anónimo disse...

Bom texto para o nosso Natal. Bigada

Anónimo disse...

ah, e Bom Natal

Úrsula Neves disse...

Uma escolha sábia, atrevida, Mas sábia. Atravessar uma porta estreita são para poucos. Uns pensam que isto é uma loucura, outros por um lado acham bonito, o senhor te feito um caminho direto ao criador. Escolheu uma porta totalmente plena, uma entrega de corpo e alma ao Deus dos cristãos. Eu digo. Cabe a nós termos a livre espontânea vontade disso. Aquela maravilhosa portinha estreita dita na bíblia, mas ela é a escolha mais difícil. Parabéns por escolhe-lá. Já eu escolhi uma chave mestra dourada, uma chave que me abre todas as portas. Eu vejo coisas que os outros não enxergam, vejo o oculto das pessoas e o que caminha nas sombras.

Bom Natal Sr Confessionário.

Luís Ramos disse...

Este post fez-me pensar, rezar e sentir-me amado e chamado a amar o meu próximo numa atitude de serviço e acolhimento com muita misericórdia. Continuação de um santo Natal.