domingo, novembro 11, 2012

Na lareira 1

Chove na rua e estou sentado à lareira que fica na casa de retiros onde me encontro. Estou sozinho com as pequenas labaredas que saem da lareira. Olho-as embalado pelo barulho das gotas de água que caem na terra e no telhado. Está frio lá fora. A noite começou. Foram todos deitar-se. Posso finalmente pensar em Ti sem que ninguém me interrompa, à minha maneira. E penso-te de uma maneira como sempre pensei e não quero pensar. Penso que és o meu Deus. E um peso cai-me em cima, como se fosses a mala que carrego, ou o carro que conduzo, ou a minha aparelhagem sonora. Como se Te tivesse comprado em alguma loja e fosses posse minha. Como um par de calças ou um sobretudo ajustado à minha forma de ser, às minhas canseiras e desabafos. Tenho vontade de que sejas assim ou assado. Vejo-me a dizer-te como devias fazer, como devias resolver este ou aquele assunto. Digo o que era melhor, como se o teu melhor coubesse milimetricamente no meu querer. Mas hoje descobri que Tu não és o Deus que eu quero, mas o Deus que Tu és. Eu não posso limitar-te. O Deus que Tu és é demasiado grande para caber na minha cabeça. E a chuva continua lá fora e a lareira à minha frente.

14 comentários:

Anónimo disse...

Tenho à minha frente a lareira, mas não está acessa.
O meu filho diz que precisamos arranjar lenha.
E eu faço silêncio pois não tenho meios para o fazer.
O meu filho adormece, aninhado no meu colo.
E fico ali a olhar para o que poderia ser uma sala quente.
Mas não é.
Oh! Deus!
Quem és TU?
Porque parece que te escondes?
E se não te escondes porque não Te mostras então?
"Sou tudo o que te rodeia.
Sou a lenha que arde e sou o fogo que a queima.
Sou árvore e sou cinza.
O teu coração é o solo onde eu espalharei as tuas próprias cinzas.
Achas neste momento que não consegues mais... Eu o Senhor digo-te que ainda não chega.
Não basta ainda.
E nunca bastará até ao dia em que me entregares essa tua existência em holocausto sobre o meu altar.
Quero-te só para mim..."
Senhor!
Senhor!
Não tenho palavras.
Entrego-me nas tuas mãos.

Anónimo disse...

“Mas hoje descobri que Tu não és o Deus que eu quero, mas o Deus que Tu és. Eu não posso limitar-te. O Deus que Tu és é demasiado grande para caber na minha cabeça. E a chuva continua lá fora e a lareira à minha frente.”

Que dizer perante esta oração tão humana e ao mesmo tempo tão marcada pelo divino que aqui partilhastes…

“Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer. Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros.” João 15,15-17

Nunca desistas do AMOR… por Jesus, por Ti e por todos os que te procuram… e saibas que este teu espaço já foi e continua a ser outra fogueira que também vai aquecendo o meu coração nas minhas noites mais frias de esperança e da Fé… obrigado…

vp

joaquim disse...

Pois é meu amigo

estes nossos sentimentos de "posse"!

A minha casa, a minha igreja, a minha mulher, os meus filhos, o meu trabalho, os meus amigos, os meus problemas, as minhas alegrias, os meus e as minhas até culminar no "meu" deus!

E quando Deus é o "meu" deus, então não é deus, mas eu a fazer-me de Deus.

E que bem que to o mostraste assim com toda a simplicidade.

Obrigado porque mais uma vez reflecti se servindo a Deus ou se vivo para o "meu" deus!

Um abraço amigo em Cristo

Joana disse...

Apenas possso dizer, Lindo!!
Bjs

Anónimo disse...

Quando li este post a 1ª vez havia algo que tentava recordar-me outro episódio dessa busca de Deus desse tentar VER-compreenderDeus partilhado agora nessa experiência que viveste ao pé dessa fogueira…

Só depois de ter escrito o meu 1º comentário é que consegui recordar-me! Trata-se de um vídeo no youtube que descobri em tempos quando procurava um material…

Para quem tem mais dificuldade com o inglês, é sobre um miúdo autista e cego filho de uma mão toxicodependente em heroína que acabou por falecer e por isso foi adoptado…. pena ser em inglês mas creio que não será problema!

ESCUTA-O… não é a história dele, mas um CÂNTICO que ele canta com o mesmo SABOR desta tua oração…

Aqui vai: http://www.youtube.com/watch?v=H8PZgJRQJ9o

vp

Joana disse...

vp;

Vi o video que recomendou, sabe que quando vejo este tipo de coisas, ainda me sinto mais mal comigo mesma?

Porque muitas vezes penso que tenho um corpo são e sou ainda mais miserável que aqueles que teem alguma deficiência física.

Porque não dou valor ao que sou e ao que tenho devido à minha infelicidade, quando há tanta gente a querer ter só uma oportunidade de ter os meus olhos, braços e pernas saudáveis.

E isso ainda me desanima mais, porque me interrogo, porque sou eu assim tão miserável?
E isso ainda me faz sentir mais culpada e ingrata...

Bjs

Ruth Bassi disse...

A tua reflexao,Padre, nesse ambiente para tal propicio, leva a querer acompanhar na introspeccao que periodicamente tao util e fazermos.
E verdade que muitas vezes idealizamos um Deus a nossa medida e disponivel para nos servir ao contrario do que e suposto acontecer.
Chegamos a "humaniza-lo" a nossa medida. E um cair e levantar ate nos consciencializarmos que temos de caminhar com ELE e para ELE.
Beijinho
Ruth

Anónimo disse...


Muito boa a dica do vídeo,vp.
Encontrei outro vídeo da mesma canção com legenda (tradução).E deixo pra partilhar tbém .Canta com o coração (realmente emociona-sobre o vídeo do garoto,indicado por ti).LUZ.

PS : estava vendo umas músicas antes e tem sentido ,achei até um pouco de coincidência...sobre reflexões a respeito do teu texto,amigo padre.E vou deixar pra partilhar. À amiga luz,dedico a ti tbém.

http://www.youtube.com/watch?v=zt1R8LQ5-LI

LUZ (Brasil).

Anónimo disse...

LUZ deve existir algum erro pois o videoq ue indica não é dessa música que partilhei antes...!

Aqui vai com a tradução em potuguês do autor (Michael W. Smith) da música que o miúdo canta...

http://www.youtube.com/watch?v=Ok5AGV6d0H4

Obrigado

Adalberto Macedo disse...

Confessionário.
As deceções e as esperanças são sentimentos que germinam com nossas lágrimas e as labaredas do nosso AMOR. Cada deceção é o prólogo de uma nova esperança! É deste ABSURDO que nos doe e nos dá prazer que somos feitos. O ABSURDO, é como a caricatura que nos realça o que é na verdade importante.
Albert Camus, de uma forma magistral demostra como o ABSURDO nos questiona sobre o que é na realidade o mais importante: “ Tem um homem o direito de ser feliz numa cidade assolada pela peste ?” – Responder que não é trágico, responder que sim é egoísta! Então? … Sim, apostemos na felicidade porque é um direito inalienável, com uma vantagem: ao sermos felizes melhor podemos ajudar o nosso irmão, em vez de sermos mais um infeliz no meio de tantos outros.
A felicidade não absorve, irradia, é como as pequenas labaredas que saem da lareira, que aquecem, enquanto lá fora a chuva cai …

Anónimo disse...

...à Joana .. 23:10...

Joana, eu percebo a sua inquietação…

… pois… infelizmente, quase sempre, eu até diria sempre, o nosso olhar fixa-se apenas nas coisas menos boas…

Mas olhe, Joana, com este vídeo que agora já coloquei com a tradução em português… peço-lhe que agora fixe apenas o seu olhar físico e sobretudo o seu OLHAR INTERIOR sobre o testemunho e a postura desta criança perante a vida…

… OLHE A ALEGRIA QUE ELE “TRANSPIRA”…… numa vida que para nós seria como uma espécie de “vale de lágrimas"...

… e tente BEBER do conteúdo das palavras do cântico que ele canta… e deixe que o seu coração as escute totalmente…

Era isto que quis transmitir ao Confessionário sobre a sua oração tão bonita… duas orações de filhos de Deus tão longe mas tão perto nessa comunhão do santos que já acontece aqui neste “canteiro” do firmamento chamado Terra…

Bjs em Cristo…

vp

Joana disse...

vp;
Eu entendo o que quis trasmitir com o vídeo e adorei apesar de ter parecido o contrário, com o meu comentário anterior...

Na verdade, são pessoas extraordinárias e estão de certeza absoluta mais perto de Deus e conhecem-nO mto melhor que eu, por isso me sinto ingrata, por mtas vezes ( a maioria diria eu), não dar o devido valor à minha vida.
Mas fez-me bem ver, ouvir e sentir esse video, acredite.

Tenho lido e acompanhado todos os seus comentários e tenho gostado muito das suas intervenções.
Bjs

É verdade, padre confessionário, também adorei o seu novo vídeo do dia. Demonstra as verdadeiras vocações sacerdotais, imagino que deve ter sido um pouco daquilo que sentiu, e por isso, ainda o admiro mais!
Bjinhos

Anónimo disse...


Peço desculpas ,amigo vp ,padre e aos demais participantes.Era exatamente este vídeo que encontrei e autor ,só que esqueci de colocar e postei apenas o outro da música que tinha visto anteriormente e havia comentado.E gostei de conhecer letra e autor da mesma e vou ver com mais calma depois ,as outras letras dele.Obrigada pelo retorno.LUZ.

Anónimo disse...

"e a chuva continua lá fora"