segunda-feira, março 29, 2010

As lágrimas da vida

Há lágrimas que descem do rosto, percorrendo alguns sinais da cara, dos lábios, do queixo. E há aquelas que descem do mesmo rosto, caem na nossa mão, e chegam ao mais íntimo de nós. Há lágrimas que se moldam e nunca as tocamos, por mais que gostemos de quem as deita. E há lágrimas de pessoas que quase nada nos dizem, mas que tocamos como se fossem nossas. Há ainda outros tipos de lágrimas. As que mostram dor. As que escondem emoções. As que são apenas formas de dizer coisas, boas ou más. Há tantos tipos de lágrimas quantas pessoas existem no mundo. E cada lágrima conta uma vida ou uma forma de viver. As lágrimas são a sombra de quem vive. Andam sempre atrás, mais discretas. Têm a mesma silhueta das pessoas. Mas são mais escuras. Só aparecem por detrás do sol ou da luz. Estão sempre lá.
Falo delas porque hoje não as tenho, mas vejo-as. Porque ontem vi-as e fizeram-me pensar na forma como subsistem, como teimam em congelar-se a toda a hora e em desfazer-se nas horas mais partilhadas, nas horas em que se desfazem máscaras de vida, como é o exemplo das horas das confissões, sejam elas da vida ou do sacramento.
As lágrimas mais dolorosas são aquelas que se vêem no rosto de alguém que não a consegue limpar ou de alguém a quem não se consegue limpar. Tenho-me sentido muito tocado com dezenas de lágrimas que não consigo limpar do rosto de muitas pessoas que tenho confessado. Há dias foi-me mais fácil contabilizar as pessoas que as conseguiam suster do que aquelas que não o conseguiram. Senti cada uma delas, impotente, tocando-me o mais próximo possível do coração. Como se me restasse apenas beber cada uma delas, participar delas, e não pudesse secar a fonte de onde elas brotam. Quisera eu ser uma outra fonte ou ser sinal de outra fonte, a Fonte da Vida. Há tanta gente que precisa dela. Porque fizeste as lágrimas, meu Deus?

31 comentários:

D. R. disse...

As lágrimas não são mais que o transbordar da alma.
Quem não chora é frio, cruel, está cheio de si.
Chorar de arrependimento é de uma humildade sem fim, chorar de alegria é não conter em si aquele contentamento insustentável, chorar de dor, de perda... bem, isso é outra história.

Só desejo que toda a gente seja capaz de chorar, de mostrar que a sua alma não é pequena e também tem lugar para a sinceridade, para Deus.

Chorar, às vezes, é bom. Alivia.

Moçambicano disse...

Olá a Tod@s!

Chorar é um acto libertador.
Sobretudo quando se te um Ombro Amigo onde recostar a cabeça.

Penso que Deus "fez as lágrimas" para que, vendo-as no nosso Semelhante, o nosso coração endurecido "amoleça" de Compaixão...

Um abraço

Moçambicano

Canela disse...

Porque também fez o amor...

Maria disse...

Que bom é ser padre! Que o Senhor o abençoe e ponha em sua boca as palavras certas. A paz do Senhor e uma Santa Páscoa.
bjs
Maria

Luis Carlos disse...

Olá,

E que tal um abraço silencioso a quem verte as lágrimas?

É de abraços que as pessoas necessitam nesses momentos, não é de distanciamento e frieza.

E porque não chorar com elas nesses abraços?

Um abraço,
Luís Carlos

Anónimo disse...

ola sr.padre confessionario se Deus fez as lagrimas ainda bem que o fez , eu que a tanto tempo nao me confessava antes do natal senti nessesidade de o fazer e digo-lhe que chorei como a tanto tempoo nao fazia e senti-me melhor so podia ser o Senhor que voltou a minha vida , essas lagrimas dei-as por bem enpregues e sinto-me mais em paz comigo propria .

maria disse...

O Senhor fez mais do que explicar as lágrimas: chorou por nós, chorou connosco. Choremos nós também com Ele, que todos os dias é insultado, sobretudo nesta altura em que o mundo o ataca, de forma tão feroz, na Sua Igreja...

Fernando Gonçalves disse...

Em homenagem às mulheres que aqui depositam deliciosos comentários, peço licença ao Sr Padre para partilhar uma bonita menssagem que hoje recebi e de alguma maneira foca o tema central do post.
"O DEFEITO DAS MULHERES"
Quando Deus fez a mulher, já estava a trabalhar há seis dias consecutivos.
Apareceu um anjo que lhe perguntou:
"Deus, porque estás a perder tanto tempo com esta criação?"
Ao que Deus respondeu:
"Já viste a minha lista de especificações para este projecto? Ela tem que ser completamente lavável, mas sem ser de plástico, tem mais de 200 partes móveis, todas substituíveis, e é capaz de sobreviver à base de coca-cola light e restos de comida, tem um colo capaz de segurar em quatro crianças ao mesmo tempo, tem um beijo capaz de curar qualquer coisa desde um arranhão no joelho a um coração ferido e faz isto tudo apenas com duas mãos."
O anjo ficou estupefacto com estas especificações.
"Só duas mãos!? Impossível! E esse é apenas o modelo normal? É muito trabalho só para um dia. É melhor acabares só amanhã."
"Nem pensar", protestou Deus. "Estou quase a acabar esta criação que me é tão querida. Ela já é capaz de se curar a si própria quando fica doente e consegue trabalhar 18 horas por dia."
O anjo aproximou-se e tocou na mulher.
"Mas fizeste-a tão macia e delicada, meu Deus".
"Sim, mas também pode ser muito resistente. Nem fazes ideia o que ela pode fazer e aguentar."
"E ela vai ser capaz de pensar?" perguntou o anjo.
"Não só é capaz de pensar como é capaz de negociar e convencer"
O anjo então reparou num pormenor e tocou na cara da mulher.
"Ups, parece que tens uma fuga neste modelo. Eu disse-te que estavas a tentar fazer demais numa criatura só."
"Isso não é uma fuga, é uma lágrima."
"E para que é que isso serve?" perguntou o anjo.
"A lágrima é o seu modo de exprimir alegria, pena, dor, desilusão, amor, solidão, luto e orgulho."
O anjo estava impressionado.
"És um génio, Deus. Pensaste em tudo."
E de facto as mulheres são verdadeiramente espantosas. Têm capacidades que surpreendem os homens. Carregam fardos e dificuldades, mas mantendo um clima de felicidade, amor e alegria. Sorriem quando querem gritar. Cantam quando querem chorar. Choram quando estão felizes e riem quando estão nervosas.
Lutam por aquilo em que acreditam e não aguentam injustiças. Não aceitam um "não" quando acreditam que existe uma solução melhor. Prescindem de tudo para dar à família. Vão com um amigo assustado ao médico. Amam incondicionalmente. Choram quando os seus filhos são os melhores e aplaudem quando um amigo
ganha um prémio. Ficam radiantes quando nasce um bebé ou quando alguém se casa. Ficam devastadas com a morte de alguém querido, mas mantêm a força além
de todos os limites. Sabem que um abraço e um beijo pode curar qualquer desgosto. Existem mulheres de todos os formatos, tamanhos e cores. Elas conduzem, voam, andam e correm ou mandam e-mails só para mostrar que se preocupam contigo. O coração de uma mulher mantém este mundo a andar. Elas trazem alegria, esperança e amor. Dão apoio moral à sua família e amigos.
As mulheres têm coisas vitais a dizer e tudo para dar.
NO ENTANTO, EXISTE UM DEFEITO NAS MULHERES...
* É QUE ELAS SE ESQUECEM CONSTANTEMENTE DO SEU VALOR! *

Maria Zete disse...

Querido Padre!

Com as lágrimas, lavamos um pouco das dores, angústias, tristezas, arrependimentos que nos vêm da alma. Bendita sejam as lágrimas!

Avozinha disse...

Permita, padre, que esta protestante meta aqui a sua colher:
pouco haverá de mais belo que as lágrimas que tenho testemunhado na minha igreja quando um pecador se encontra pela primeira vez com o seu Deus. Lágrimas de arrependimento e, ao mesmo tempo, de alegria pura dela descoberta de Cristo.

Maria Zete disse...

Querido amigo Padre.

Comentei o post mas esqueci de te desejar uma santa e abençoada semana Santa e uma linda e feliz PÁSCOA DO SENHOR para você e todos os amigos(penitentes) deste Confessionário.Abraço em Cristo.

Anónimo disse...

Olhem: Uma boa Páscoa para todos.Eu não vou ter Páscoa, porque nunca tive Páscoa nenhuma.É um dia normal de cozinhar, lavar,tratar da casa. Tudo como sempre. A única coisa que tinha de diferente é que dantes eu ia à missa nesse dia.Desta vez não vou! Tive um azar sabem. Tive o azar de me casar com um malandro que pegou na mala e se pôs a andar com uma galdéria, depois de eu ter aturado muitas galdérias. Sempre fui à missa e sempre comunguei depois disso: havia aqui um padre que percebia que eu não tinha tido culpa nenhuma.
Agora encontrei um senhor de quem gosto muito e que gosta muito de mim. pela primeira vez na minha vida senti-me amada, mas tinha que ter um senão...fiquei em pecado mortal.Como a ideia era deixar de pecar e ficar infeliz (como sempre fui) para poder fazer parte desta igreja, então prefiro ficar feliz e fazer parte da igreja de Cristo sozinha.Vou fazer as máquinas de roupa do costume, cozinhar, arranjar a casa e depois conversar com o meu namorado. Vai ser a minha Páscoa. Foi o senhor padre que me confessou que escolheu. Não ponho lá os pés!
E não me venham com sermões as ditas bem casadas. O que me aconteceu a mim, pode acontecer a qualquer uma. Eu também me casei para a vida toda, só que tive azar. agora atirem lá as pedras...assim como assim, já estou habituada. Também não gosto deste Papa. tem afastado gente da igreja que se farta, principalmente os divorciados como eu.
Rezar eu rezo a Deus e Deus que me julgue. Confessar-me nunca mais!
Quanto ao meu namorado que foi mulher que o deixou (também há galdérias) está muito felz. Se Deus quiser vamos casar pelo civil e ter alguma paz. se a Igreja não gosta olhem, paciência, rezamos os dois...em casa!
Santa Páscoa.
Talez quando os padres se puderem casar consigam preceber os problemas das pessoas. Até lá, é mais teoria

F.

Confessionário disse...

Ó F, eu se fosse a ti, iria à Missa. Só que mais não fosse para visitar o Teu amigo.
Eu dou-te este conselho: Podes não precisar do padre ou disto ou daquilo; mas precias de certeza alimentar a tua fé com a Eucaristia.
E acredita que um dia esta situação dos recasados ainda vai ter muitas nuances. Por mim, já deves saber como procedo. Por isso te digo: vai lá à missa, aproveita e sente a Ressurreição junto com outras pessoas. vai-te saber bem!
O resto é o resto!
E não é por causa de um padre que se põe em causa a Igreja, a fé, ou Deus. vai lá, vai!

beijocas

Moçambicano disse...

Cara Amiga "F.":

Estou totalmente de acordo com o nosso Amigo P.e "Confessionário".

Vá à Missa. Tem tanto direito de entrar na Igreja como os/as outros/as - os/as "bem casados/as" (e será que todos/as o serão mesmo, ou andarão a representar uma farsa?).

E se no seu coração continuar a acolher a Jesus, ainda tem mais direito. Porque na realidade não nos dividimos entre "bons" e "maus", mas sim entre "pecadores que acolhem" e "pecadores que não colhem" - os ensinamentos de Jesus. Venha o teólogo "mais pintado" contradizer o que acabei de escrever...

Desejo-lhe,a si e ao seu namorado,
Uma Santa Páscoa!

Moçambicano

Anónimo disse...

Moçambicano e Caro Padre,

Se calhar até vou à missa. Até metia uma anulação de casamento que é uma coisa impossível para quem não é princesa. Para quem é Princesa não é assim tão difícil, é claro.
O meu namorado meteu.Perdeu umas massas e depois veio um padre dizer que não, que é o costume. Outro,a dizer que sim( a lei de Deus é diferente consoante o tempo, se calhar não estava a chover em Braga e estava no Porto) que também é o costume.E agora, vai desempatar tudo em Roma daqui a de dez ou vinte anos, ou sessenta e se calhar alguns dos intervenientes(ou todos) até já morreram, que também é o costume.
Eu vou à missa e fico lá com as outras a olharem de soslaio.(é com cada cristã que até doi)E, o malandro do padre,comigo fisgada para ter a certeza que não lhe como a hóstia. Pode estar descansadinho que não lha como.Se quisesse, bastava-me escolher outro padre.
Mas estou aborrecida com isto tudo.
Tenho um amigo a quem aconteceu o mesmo e mandou tudo às ortigas.Até vos conto, que foi do melhor:casou-se pela igreja, nos jesuítas, pelo ritual ortodoxo. isto faz algum sentido?
Os Jesuítas emprestaram a Igreja, veio um padre de barbas compridas e casaram-se.Pronto: assunto resolvido.
É uma hipótese a ter em consideração, desde que a coisa não tenha muita reza para decorar.
E já que estamos em maré de confissão também disse ao tal padre a quem me fui confessar que não rezo pelo Ratzinguer. Naquela parte de pedir pelo Papa, peço sempre pelo João Paulo, quero lá saber do chato do alemão bota de elástico. Pronto, já disse. Claro está que não fui absolvida. Só era absolvida se nunca mais visse o meu namorado e rezasse pelo Papa certo (isso é que era bom)...e mesmo assim, devia ser com cento e cinquenta avés Marias, coisa a contar por baixo.
Vou saber desses padre ortodoxos.
Não é que saia da Igreja romana,até porque só a maçada de aprender tudo outra vez, mas ficava na romana e casava-me pela ortodoxa...vou pensar. Depois digo-vos.

Boa Páscoa e comam muitas amêndoas.
F.

Canela disse...

Á F.;

Peço desculpa pela minha ousadia, mas ninguém a informou, de que a Igreja Católica Apostólica Romana, dispõe de uma Pastoral dos Casais Recasados?

Creio que deve ler um artigo escrito por um Bispo Italiano, que a ajudará a aceitar o SEU lugar na Igreja, envio-lhe o respectivo endereço: http://www.padreleo.org/?p=479 - aqui deve abrir o artigo que diz: O-sehnor-esta-proximo-de-quem-tem-o-coraçao-ferido.

Não desista de JESUS Cristo, pois ELE morreu por si porque a ama!

Fá disse...

Tive curiosidade e fui a ler o documento que a Canela recomendou à F.. Mais uma vez fiquei decepcionada com a posição da Igreja. Afinal sempre há cristãos de primeira e cristãos de segunda. Esta organização piramidal dá-me volta à cabeça… À luz da Bíblia não encontro, para ela, qualquer fundamento. Jesus escolheu uma manjedoura para nascer e uma cruz para morrer. Durante a vida preferiu os humildes e os desprotegidos do mundo. É Nele que acredito e, por isso, continuo caminhando. Bom seria que, nas nossas igrejas, o seu exemplo fosse tomado a sério. Haveria mais verdade, mais amor, mais perdão, mais dádiva desinteressada, mais paz, mais RELAÇÃO.

A F. está zangada. Tem motivos que compreendo mas não gosto da superficialidade com que fala do sagrado. As nossas mágoas devem ser apenas mágoas. Quando se transformam em rancor então, nada feito. Reserve um pouquinho do seu tempo para fazer Páscoa dentro de si, F.. Vai ver que será muito bom…

Bjinho

Moçambicano disse...

Na nuvem do silêncio…
sinais de Páscoa

Tu, Senhor, que sofreste a atrocidade do martírio físico,
Tu, que Te queixaste do abandono do Pai,
Tu, que saboreaste o travo amargo da “solidão do Condenado”,
Tu, que experimentaste o sarcasmo dos algozes,
Tu, que sentiste repercutirem-se em Maria as sinistras marteladas do Calvário,
Tu, que conheceste a linguagem das lágrimas,
Responde aos que, abatidos pela dor, deixam escapar um lamento que é,ao mesmo tempo, um grito de revolta: “eu não merecia isto!”;
Responde aos sobreviventes dos cataclismos que enlutam os povos;
Responde à pesada solidão dos carecidos de alegria, de carinho e de conforto;
Responde às vítimas inocentes da guerra, da fome, do ódio, da injustiça e do amor egoísta;
(*Responde às vítimas de um casamento desfeito ou da perda de um filho;)
Responde às lágrimas sufocantes daqueles que, amarfanhados pela angústia,
Te acusam de insensível e inerte perante a dor humana,
envolta na nuvem fria do silêncio;
Responde aos que deixaram de acreditar na tua bondade,
porque não encontram explicação sobre a Terra;
Responde aos que negam a realidade do pecado e desconhecem o mistério
da dor que o redime;
E a nós, Senhor, responde-nos também e faz-nos instrumentos da tua Resposta!

Fátima Malça, in “Voz Portucalense”, Ano XLI – N.º 13 – 31 de Março de 2010

(*) Versículo da minha responsabilidade

Moçambicano, Páscoa do Senhor de 2010

Alma peregrina disse...

A água é fonte da Vida. Quando se procura vida noutro planeta, vai-se sempre em busca de água. Sem água não há vida, há apenas o deserto...

Para que servem as lágrimas?

As lágrimas são água...

Servem para nos lembrar que os nossos sofrimentos não são estéreis.

Dos nossos sofrimentos brota a vida...

Das lágrimas de Jesus Cristo e da Virgem Sta. Maria brotou Vida em abundância para todos nós.

Uma Boa Páscoa a todos.

Anónimo disse...

Cara canela,

Conheço a pastoral e não me revejo nela. A pastoral a que se refere, trata os divorciados todos por igual e com "benevolência".Ora eu estou naquele caso, em que além de ter engolido umas quantas galdérias ainda fui tratar da reconciliação através do padre que nos casou, só que não tive êxito.Dispenso, portanto, a "benevolência".

Cara Fá, Não há aqui nenhuma superficialidade em relação ao sagrado. Sou licenciada e estudei teologia q.b.Graças a Deus com um excelentes professores: Dom José Clemente,entre outros. O que há é tratar os boizinhos pelos nomes e pôr a nu a hipocrisia da Igreja numa linguagem crua que é a linguagem da vida.
E,faço a Páscoa dentro de mim, pois claro. Aliás não poderia ser de outra forma. a "Páscoa fora de si" está reservada aos "eleitos".

Tenham todos uma boa Páscoa e parabéns a este padre que não tem medo que lhe encham o confessionário com os espinhos, as mágoas e as revoltas da vida. Gostei muito e vou voltar muitas vezes.
Se conseguir a anulação do casamento com o malandro, aviso. E, espero que não vos toque a voçês, mulheres, um deste calibre.

A Igreja está numa fase de viragem e tem que ser questionada. os jesuítas estão a perceber isso, rapidamente.Outros, nem tanto.
Haja coragem de sermos católicos interventivos.
abreijos
F.

Anónimo disse...

Perdão que me enganei em relação aos nomes dos meus professores: Dom José Policarpo; Dom Manuel Clemente, Dr. Costa Freitas...uma oração pelo último, grande professor, que nos deixou recentemente.
F

Zé Gusmão disse...

ALELUIA! CRISTO RESSUSCITOU!

Morte e Vida combateram um duelo prodigioso, mas o Príncipe da Vida reina vivo após a morte!

UMA SANTA PÁSCOA!

Maria disse...

O meu comentário, se o fizesse escrevia um livro. Mas fiquemos por aqui. A fnalidade deste post é desejar uma Santa Páscoa, na alegria da Ressurreição do Senhor, ao Confessionário.
ALELUIA!
Maria

Canela disse...

Cara F.;

As suas palavras parecem-me cheias de mágoa e revolta.

Ninguém aqui se julga acima de si, qualquer mulher, corre o mesmo risco que vc. Eu não posso impedir o outro de pecar, não posso impedir o outro de me tratar mal, mas posso rezar por ele (parece loucura, mas sei o que lhe digo).

Não se revolte com a Igreja, sabe... também não gosto de ouvir "comer a Hóstia", prefiro o termo "tomar o Senhor".

Não há ninguém acima de si, nem abaixo. Só JESUS Cristo está acima de todos nós, se o Pe. não a admite á mesa da comunhão, vc sabe o porquê, porque tem formação nesse sentido.

Contudo, reze... reze muito e perdoe, perdoe muito. Pois foi isso que Jesus nos ensinou ao ser Crucificado.

Rezo por si.

gralha disse...

E por que é que sempre que me confesso o meu coração se enche de lágrimas? Acho que é a proximidade de Deus.

Ailime disse...

Lindo o que escreveu e apesar de por vezes não conseguir segurar as lágrimas que rolam pelo meu rosto considero-as como pérolas que Deus me ofereceu para aliviar as minhas dores.
Um abraço fraterno.
Continuação de uma Santa Páscoa.

MAC disse...

É um tempo muito conturbado este que vivemos. Como me dói a alma ao saber pela comunicação social o que se está a passar actualmente com alguns padres e outras entidades mais altas da igreja. Como Jesus Cristo deve sofrer! Penso que do Seu rosto as lágrimas de sangue continuam a cair, a cair, a cair... sempre, sempre, sempre...

MAC

Bicodepato disse...

Sublime testemunho dum padre!....
Obrigado

Anónimo disse...

Cara Canela,

Antes de mais obrigada pelas suas orações.
"Comer-lhe a hóstia" foi obviamente dirigido a alguém de concreto.
Cada vez gosto mais de Deus e menos da Igreja.
O que os padres admitem ou não, se quer saber, já pouco me importa.
Estou de consciência tranquila, pode crer.
Padres para mim, são homens. Ponto final parágrafo. Podem ser melhores ou piores, mas são homens. E pena é, que não sejam mulheres também, que sempre estavam mais próximas dos problemas das mulheres.
Agora essa ideia de perdoar...é que já não se consegue tudo. Enfim, sem desejar mal a ninguém, prefiro ignorar. Não nasci para mártir. Gostava muito, mas não chego lá.

Pois eu sou um bocadinho revoltada, tem toda a razão. Chama-se: sobrevivência!

F.

Anónimo disse...

Felizes os que choram. Felizes os que têm lágrimas, ainda, para chorar.
Há muitos que já não choram. Desaprenderam de chorar.E não têm tempo, sequer.
É um luxo poder chorar já pensaram nisso?

F

Moçambicano disse...

Olá a Tod@s!

Aconteceu-me um pequeno "acidente" quando estava a escrever o Comentário, mas espero que desta vez saia bem...

Cara Amiga "F":
- Não desista desse dom - as Lágrimas / o Chorar -, que Deus deu em especial às Mulheres (mas felizmente também deu aos Homens com "H" grande).
Não desista. Não se "feche" na sua dor e na sua revolta.
Tenho a certeza de que há muit@s Amig@s que visitam este Blogue e estão solidári@s consigo, para além das normas do Direito Canónico.

Relembro as palavras de Johann Baptista Metz (2005): "É preciso passarmos de uma Teologia do Pecado para uma Teologia da Compaixão"...

Continuação de Bom Tempo Pascal!

Um grande abraço para Tod@s!

Moçambicano