quinta-feira, janeiro 04, 2007

Se foi a direita ou a menos direita

É saboroso acordarmos e avistarmos algo estranho do lado de lá da porta da entrada, abrirmos a porta, abrirmos o saco e darmos de caras com uma prendinha de alguém anónimo, alguém que sabemos ser da paróquia, que sabemos amar-nos, mas que cumpre aquilo do dar sem que saiba a esquerda. Foi assim no dia de Natal. Mais tarde, tal como um ou dois dias antes, outros embrulhos com nome. A Maria, O António, A Dolores, o António outra vez, entre outros. Claro que são nomes fictícios, porque é mais importante o dar com a direita sem que saiba a esquerda. Para mim contam, mas para o caso não contam os nomes. O gesto diz deles o que o amor diz de Deus. E o que me traz aqui estas palavras nem é esta questão. São as questões das prendas. Imaginem que oitenta por cento das prendinhas amigas que recebi dos meus paroquianos foram garrafas e garrafas, bebidas finas, coisa e tal, vinhos do Porto, Whisky, Licores, Vinho de mesa, champanhe. Tenho uma série delas por arrumar em cima da mesa da cozinha. E não percebi o que me quiseram dizer. Precisas de outra cor? Precisas tornar-te um homem? Não sei que hei-de dar, por isso dou algo que os padres devem gostar? Ele junta-se muito com os amigos? Queremos vê-lo alegre? A vida do padre não tem sabor? É uma boa companhia? Não vai precisar de sair de casa para a apanhar? Queremos que ele nos faça as vontades e é meio caminho andado? Ou Somos tão amigos seus que lhe damos o que para nós seria a melhor prenda? Ou ainda, é apenas um gesto, se fosse roupa não tínhamos medidas e certeza de gostos, se fosse biblot não fazia falta, se fosse comida, não é tempo disso, se fosse um livro, deve ter muitos e não sei escolher, se fosse… o que é certo é que tenho gente que me ama, sem que para mim interesse se foi a direita, se há-de ser menos direita a que me mostra o seu amor!

Mesmo assim gostava de saber...

14 comentários:

melinha disse...

dar sabe melhor k receber, mais ainda qd fora da época natalícia, q nao é o caso mas n interessa...
lindo! amei!

Anónimo disse...

Fartei-me de rir!!!!!

Leonor

Sandra Dantas disse...

Ha, ha, ha!!!;)
Eu diria: "Veja lá, senhor padre, o que faz com elas"!!!

Desculpa a brincadeira, mas não resisti!!!

Um abraço amigo em Cristo Mestre!

elsa nyny disse...

Olá Amigo!!!
Pois as prendinhas que oferecemos a quem amamos, são isso mesmo...prendinhas, coisinhas! Valem não tanto pela sua parte material, mas acima de tudo pela parte afectiva! Já reparaste concerteza, que às vezes recebemos coisinhas pequeninas, que aparentemente não têm grande valor, mas tornam-se para nós verdadeiros tesouros! È assim, as prendinhas são gestos de amor!!!
E fico muito feliz de teres assim tantas pessoas que te amam!E Tu mereces!!!
Ah! E porqure nunca é demais recordar...hehehe...bebe com moderação!

beijinhos!!!

:))

Someone disse...

Talvez a questão tivesse sido "será que vai partilhar com quem deu???"
lol

Falando agora mais a serio, esta "coisa" do Natal materialista nõ é tão ridiculo quanto isso... Exagero é mau, como é lógico!!! No entanto, se esse materialismo tiver peso e medida acaba por ser bom...
EU aproveito a altura do Natal para dizer o que sinto a quem amo e dar o meu presente*... escolho com cuidado e dedicação e penso sempre se é algo k se identifique com a relação que tenha com a pessoa... que seja especial..
Eu também recebo muitos presentes e sei que tantos deles, provavelmente tão caros, foram comprados à pressa, no dia anterior, talvez até pela empregada... No entanto, lembro-me tão bem dos meus presentes preferidos em 16 anos de existencia... Tantas vezes foi algo tão simbólico, de quem não esperava... e, sem dúvida o melhor presente, foi no ano passado, quando pelos dias antecedentes ao Natal me chateei com o meu melhor amigo e tendo sido tocada pelo espirito do Natal, pelo espírito de Jesus, senti que Amigos como aquele não existem por acaso e resolvi "fazer as pazes" com ele e comprar-lhe 1 porta chaves muito simbólico... Então recebi a minha melhor prenda de Natal quando ele me abraçou e, ao fim de uma longa e Bonita conversa me disse, com um sorriso rasgado e orgulhoso: "EU TMBÉM TENHO A CERTESA QUE ÉS A MINHA MELHOR AMIGA".. sei k foi sincero e ainda hoje o sinto, embora com restrições à amizade k entretanto surgiram (se surgir oportunidade partilharei mais tarde)...
Mas tudo para dizer que o presente tem o seu maior valor no sentimento, no gesto.. e tantas vezes nem é preciso gastar dinheiro...

* sei k devemos dizer sempre o que sentimos, pelo menos a quem amamos, mas ao longo do ano prefiro mostrar esse amor(também com palavras, as vezes). E também sei que não é por ser Natal que se dá um presente mas é talvez a altura onde se percebe melhor o sentimento...

Obrigada, muito obrigada por este momento... que foi também um presente!!

Beijinho...

Anónimo disse...

olá!
passei e como não te posso dar uma garrafa de safari, de frangélico ou outra,deixo-te também uma prendinha - um beijinho - pois, já gosto muito de ti!

Anónimo disse...

Pois é... Falo por mim: nunca sei o que hei-de oferecer a um homem e, então, ou são garrafas (neste Natal foram umas quantas...) ou livros (caso conheça bem a pessoa)! Mas não são prendas, são presentes... É uma maneira de dizer obrigada por seres meu amigo. Conta comigo eu estou aqui!
Um abraço

mi disse...

bom dia!

eu tenho a "teoria" que as pessoas oferecem aquilo que querem receber... mas é só uma teoria :-)

Anónimo disse...

ODE AO VINHO

Todos sabem que eu nunca murmurei uma oração
Todos sabem que nunca tentei dissimular os meus defeitos.
Ignoro se existe uma Justiça e uma Misericórdia...
Entretanto, tenho confiança, porque sempre fui sincero.

(..)

Considera com indulgência aqueles que se embriagam.
Lembra-te que tens outros defeitos.
Se quiseres conhecer a paz, a serenidade, debruça-te sobre os deserdados da vida,
sobre os humildes que gemem sob o infurtúnio
e irás sentir-te feliz.

Procede de molde a que a tua sabedoria
não cause sofrimento ao teu semelhante.
Domina-te sempre.
Nunca te abandones à cólera.
Se quiseres encaminhar-te para a paz definitiva,
sorri ao Destino quando te ferir e não vás ferir ninguém.

(...)

Toda a minha juventude refloresce, hoje!
Vinho! Vinho! Que as suas chamas me abrasem! Vinho!
Não importa qual!... Não sou exigente.
O melhor - acreditai - achá-lo-ei amargo como a vida.

(...)

Para além da Terra, para além do Infinito,
eu procurava avistar o Céu e o Inferno.
Uma voz solene disse-me:
«O Céu e o Inferno estão dentro de ti.»

(...)

Já nada me interessa. Levanta-te e dá-me vinho!
Esta noite, a tua boca é a mais bela rosa do universo...
Vinho! Que ele seja rubro como as tuas faces
e os meus remorsos tão leves como aneis da tua cabeleira.

(...)

Vinho! Vinho a jorros!
Que ele palpite nas minhas veias!
Que ele fervilhe na minha cabeça!
Taças... Não fales! Tudo é mentira.
Taças...Depressa! Eu já envelheci...

(...)

Não pedi para viver.
Esforço-me por aceitar sem espanto e sem cólera
tudo o que a vida me oferece.
Partirei sem ter interrogado ninguém
sobre a minha estranha estada na terra.

(...)
Senhor, ó Senhor, responde-nos.
Deste-nos olhos e permitiste que a bleza das tuas criaturas nos deslumbrasse!
Deste-nos a faculdade de sermos felizes
e querias que renunciássemos a gozar
os bens deste mundo?
Isso, porém, é tão impossível como voltar uma taça sem derramar o vinho que ela contém.

(...)

Podes sondar a noite que nos rodeia.
Podes aprofundar essa noite... Não sairás de lá.
Ó Adão e Eva, como deve ter sido amargo o vosso primeiro beijo,
para que nos gerásseis tão desesperados!

...
Omar Khayyam

Desculpem, lembrei-me deste livro que li há uns anitos.

Teodora

deprofundis disse...

Questão pertinente. O que é que se pode oferecer a um sacerdote católico?
A um homem a quem os prazeres (não espirituais) mais intensos e gratificantes lhe estão vedados, só lhe restam as bebidas. Especialmente as espirituosas...

Maria João disse...

Pelo menos bebes? Se fosse eu, estava tramada. Não bebo. Por acaso já reparei que se costuma dar bebidas aos homens. Às vezes no Natal, quando peço conselhos para dar qualquer coisa ao meu irmão, dizem-me logo: "Uma garrafinha de vinho do Porto! Fica sempre bem. Nem que seja para dar às visitas!"

Mas, pronto, fica a intenção e o carinho. Isso é que conta.

beijos em Cristo

Ver para crer disse...

Às vezes dizemos mal das prendas mas o que é certo é que elas revelam amizade.
Bom ano

Confessionário disse...

Mi, gostei dessa tua suposição. Vou seguir o conselho e a quem me oferecer bebidas, oferecerei bebidas. Até fica mais fácil decidir. hihi

Avozinha disse...

Em casa do meu pastor deve ser parecido e mais ele até tem mulhar e filhos!