sexta-feira, novembro 23, 2018

Os coitados

O território da paróquia tem poucos habitantes. A paróquia tem ainda menos. A maior parte tem debandado em busca de novas oportunidades. As poucas crianças e os jovens aparecem muito pouco. O pouco é sempre o que mais habita aquela terra e aquela paróquia. Mas naquele dia a Igreja estava quase cheia, e na frente destacavam-se dois adolescentes. Um no início da sua adolescência e outro no final dela. O primeiro era um rapaz, e o segundo uma rapariga. Por sinal sua prima. A meio da homilia, que vinha a propósito das vocações e que se adaptava perfeitamente à Semana dos Seminários, pois a missa ocorria nesse período, dirigi-me ao primeiro adolescente. Dirigi-lhe também as minhas palavras. Tu. E apontei para ele, que estranhando a direcção do meu dedo e das minhas palavras, se mexeu no banco. Tu é que podias ir para o Seminário. Tu é que podias ser padre. Na verdade, fui aprendendo com a vida que o convite tu a tu é o mais oportuno. No entanto, a prima agarrou-o com força, e disse. Coitado. Porque fora audível, sorrimos todos. A população em geral. Os que estavam mais ao fundo da Igreja e os que estavam mais junto do altar. O rapaz. Ela própria. E eu. 
E foi assim que percebi que os padres são tidos, afinal, como coitados. Fazemos parte daquele grupo de pessoas que é olhado com pena. Como se o destino tivesse destruído os seus sonhos. Tivesse destruído a possibilidade da felicidade.

16 comentários:

Anónimo disse...

Assim que tu sentes padre? Mas a felicidade podemos vivemos em vários estágios com quem amamos junto ao Cristo. Quando sentimos a presença Dele diante de várias formas é maior ainda. O coitado deves ter sido do atual momento da vida deste. Bem lembrado essa situação.

Confessionário disse...

Não é que eu sinta assim. É antes o que eu sinto que as pessoas (ou algumas) sentem...

Anónimo disse...

ah sim entendi...

Anónimo disse...

mas é isso mesmo... mesmo a maioria das pessoas vão a missa ....querem o padre para os funerais ..repito funerais ...aqui del rei se não houver padre.. ou em festas da aldeia ..mas os filhos ou os netos Padres .Credo senhor jesus virgem santisssima...isso so para os ditos Padres



que raiva

Ailime disse...

Boa noite Sr, Padre,
Pessoalmente não penso assim. Tenho muito respeito pelos senhores padres e admiro-os imenso pela sua capacidade e coragem de terem dito sim ao chamamento do Senhor!
Conheço alguns padres jovens amigos de um dos meus filhos que foi seminarista e dou comigo muitas vezes a pensar como não deve ter sido nada fácil a decisão de se entregarem a Deus, deixando o mundo cá fora, abdicando de constituir família ou carreiras,etc. É de enaltecer e agradecer por tão grande dádiva.
Ailime

Confessionário disse...

Ailime, eu imagino que assim seja da tua parte.
Mas o que pensa o comum (eu diria mesmo: o comum dos cristãos)?
É que mesmo apreciando os padres, a sua vocação e entrega, quando se trata dos filhos ou dos familiares, se calhar a figura muda bastante. Ou estarei errado e foi só um pensamento meu?!

Unknown disse...

Boa noite sr padre, não está errado e sim tem direto de pensar e analisar bem o que ocorre por diante da visão dos que estão de fora da tua realidade. Nada fácil a vida que levam muitos achavam que todos padres só rezava a missa e iam embora e no entanto é totalmente diferente tem muitos afazeres mais que os políticos que prometem e não cumpre e vcs fazem sem prometer nada faz no qual possível tempo cabivel por causa das mais variadas comunidades que encontram e ainda tem uns que se dizem cristãos falando que nada foi feito. Bom digo isso para aqueles que são comprometidos com o trabalho e sua missão que pode ser relativo às vezes. Tudo depende do amor ao próximo. O que mais me dói e saber da cobrança da igreja aos fiéis padre pra meu ver é injusto. Abs

Ailime disse...

Sr.Padre, é assim mesmo e senti isso na pele. Continuo a falar por experiência própria. Muitos dos "cristãos" da minha paróquia, a maioria com filhos homens, inquiriam o meu filho por ter deixado o Seminário. Tantas vezes que me perguntei em silêncio:"E os vossos que nem sequer tiveram a experiência"?
Difícil ser igreja...
Ailime

Anónimo disse...

Não podemos saber mas podemos adivinhar...
Para algumas pessoas certamente há um certo "coitado" nos padres porque não vão constituir família, ter filhos, não vão construir riqueza, não vão ter uma "profissão" da qual os seus familiares poderiam falar com orgulho (se fosse esse o caso). Por isso são "coitados", preocupam-se com essa coisa "Deus" que não se vê, não se pode provar que existe, que faz com que as pessoas tenham moral e princípios a seguir... que chatice ter de bater a bota com a perdigota. Enquanto são os coitados , já não é mau...

E depois para aqueles familiares que faz sentido, novamente é capaz de ser perturbador, afinal porque é que aquele teve coragem de se entregar e eu não? Que chatice novamente, esta pessoa padre que põe em evidencia aquilo que eu não sou.

Anónimo disse...

Se os fiéis acreditassem que o Padre o é por Vocação (assim como um profissional de qualquer área também o é) ou que, está respondendo à um chamado do Divino, jamais duvidariam da sua felicidade. A mesma felicidade permeada de reveses que qualquer outra vocação, em qualquer outra pessoa, confere.

Anónimo disse...

Melhor resposta.

Paulina Ramos disse...

Acho que os padres são olhados não propriamente como os coitados como tu descreveste mas como coitados que a partir do momento em que entram no seminário começam a "aprender a arte de bem falar"
Expressão usada pelo pai de um ex-seminarista.
Pelas realidades que conheço particularmente, e aquelas que todos conhecemos, a figura do padre não abona muito em favor daqueles que ainda desempenham essa função com alguma seriedade!

Servir com Alegria disse...

Pobres Coitados, não só Padre, mas catequistas, acólitos, Ministros Extraordinários da Comunhão, e todos os grupos que pertencem ao grupos dos servidores de Cristo, os apóstolos. Se tivessem mais que fazer não andavam nesta vida!!!. Enfim que Jesus Cristo tenha compaixão de toda a humanidade que anda sedenta destes pobres coitados que ainda têm AMOR para dar ao próximo, e sabem escutar, e saber ser amigo, mas sem valor monetário.

Anónimo disse...

*revezes (desculpe, estou corrigindo).

Unknown disse...

Já vai a algum tempo que não passo por aqui,nem comento tão pouco,mas até já publiquei poemas no Facebook hoje resolvi ler e gostei do termo coitadinhos, é realmente o pensamento de algumas pessoas...Nas procissões da cidade Braga partecipam vários seminaristas e diáconos e os comentário são .: que pena ,tão jeitoso e vai para padre...numa dessas vezes não exitei e respondi.: ainda bem com a sua juventude mostrar que trocaram a sua vida para seguir Jesus como padre.A Igreja renova-se com estes padres novos e cheios de vontade.FORÇA E CORAGEM M.Luz

JS disse...

Imagino os "coitados" a usarem as mesmas palavras de Jesus: "Não choreis por mim. Chorai antes por vós mesmas e por vossos filhos..."