quinta-feira, junho 07, 2018

A Igreja das mulheres

Na verdade era uma missa da semana, e como todas as missas da semana, os seus participantes são na maioria mulheres, sobretudo as que estão reformadas. Entrei na Igreja, como faço quase sempre, lançando gestos de saudação e murmurando olás, boas tardes, coisas assim. Quando cheguei junto do altar, ajoelhei. Conversei um pouco com o de lá de cima, e de repente dei por mim a constatar que as cerca de vinte pessoas que estavam na Igreja eram exclusivamente mulheres. O único homem ali era o padre que ia celebrar a missa. E isto levou a minha oração para outras bandas. De facto, olhamos para o grupo de catequistas e são, na maioria, mulheres. Olhamos para o grupo dos ministros extraordinários da Comunhão e são, na maioria, mulheres. Olhamos para os diversos serviços, eventos paroquiais, e constatamos mais do mesmo, que, na maioria, são sustentados por mulheres. Bem vistas as coisas, só a hierarquia da Igreja é que não é composta por mulheres. Bem vistas as coisas, são elas que fazem caminhar a Igreja. Ou então experimentem acabar com a sua participação ou deixar de contar com elas nas comunidades paroquiais e logo verão que acontece. Eu sei que não é fácil imaginar estas comunidades sem padres. Mas também não é fácil imaginá-las sem mulheres que, tão generosamente, as fazem caminhar.

13 comentários:

Zilda Carlos de Souza Carlos de Souza disse...

Adorei. Isoo mesmo bem lembrado aas participações das mulheres em tudo.e muitas ainda não sabem bem como lidar com suas vontades próprias.

Anónimo disse...

Resumindo: o que era este mundo sem as mulheres?? eheh

Anónimo disse...

Curioso...À mulher é vedado o sacerdócio. Ao sacerdócio é vedada a mulher. E no entanto o peso que ela tem na evangelização é brutal...

Anónimo disse...

ainda tem muito... para organizarem...mulheres para liderarem...somos seguidoras de maria.

Febe disse...

O cerco a Jesus era tremendo... se ele tivesse escolhido mulheres para o seu grupo de apóstolos...o seu tempo teria ficado mais reduzido ainda... mas é esse o argumento para o não acesso a um dos sacramentos, o só ter escolhido homens.

Anónimo disse...

Mais um motivo pra padre casar.
O senhor não acha?
Cassi

Confessionário disse...

12 junho, 2018 01:36

Não me parece um raciocínio muito bem feito. Não me parece uma grande razão para acabar com o celibato. Nesse sentido, mais lógica teria a ordenação de mulheres.

Anónimo disse...

eu acho que muitas delas até mandam mais que os padres, ou mandam nos padres... ahahahahah

Anónimo disse...

Claro que não é apenas esse motivo, padre. Mas pq o padre tbém não pode ser um homem com esposa, filhos? Não teria maior conhecimento e experiência sobre a vida matrimonial e de família?
Com todo o conhecimento que vcs tem é mais essa experiência não poderiam instruir e aconselhar melhor os fieis? O matrimônio nao é amor? É o amor não é o que nos move?
O celibato não foi "criado" pelo homem?
Cassi

Ailime disse...

Boa tarde Sr. Padre,
Uma grande verdade que constato também aqui na minha Paróquia.
No fundo as mulheres, apesar dos seus múltiplos afazeres, mostram-se mais disponíveis.
Ailime

Confessionário disse...

Cassi, continuo a pensar que não é propriamente um motivo para que os padres se possam ou devam casar. Agora o que escreveste às 16h28 é outra questão, outro assunto, outra reflexão...

Anónimo disse...

Estimado padre,
Naquela hora minha reflexão já era essa, mas tentei resumir e nao me fiz entender. Na realidade minha reflexão e um tanto quanto maior que isso, mas esse nao e o sentido desse post, não e mesmo?
Então deixemos por isso!!
Cassi.

JS disse...

"A Igreja das mulheres": uma das grandes desgraças da Igreja actual.
É preciso mudar.