quinta-feira, junho 07, 2018

A Igreja das mulheres

Na verdade era uma missa da semana, e como todas as missas da semana, os seus participantes são na maioria mulheres, sobretudo as que estão reformadas. Entrei na Igreja, como faço quase sempre, lançando gestos de saudação e murmurando olás, boas tardes, coisas assim. Quando cheguei junto do altar, ajoelhei. Conversei um pouco com o de lá de cima, e de repente dei por mim a constatar que as cerca de vinte pessoas que estavam na Igreja eram exclusivamente mulheres. O único homem ali era o padre que ia celebrar a missa. E isto levou a minha oração para outras bandas. De facto, olhamos para o grupo de catequistas e são, na maioria, mulheres. Olhamos para o grupo dos ministros extraordinários da Comunhão e são, na maioria, mulheres. Olhamos para os diversos serviços, eventos paroquiais, e constatamos mais do mesmo, que, na maioria, são sustentados por mulheres. Bem vistas as coisas, só a hierarquia da Igreja é que não é composta por mulheres. Bem vistas as coisas, são elas que fazem caminhar a Igreja. Ou então experimentem acabar com a sua participação ou deixar de contar com elas nas comunidades paroquiais e logo verão que acontece. Eu sei que não é fácil imaginar estas comunidades sem padres. Mas também não é fácil imaginá-las sem mulheres que, tão generosamente, as fazem caminhar.

20 comentários:

Zilda Carlos de Souza Carlos de Souza disse...

Adorei. Isoo mesmo bem lembrado aas participações das mulheres em tudo.e muitas ainda não sabem bem como lidar com suas vontades próprias.

Anónimo disse...

Resumindo: o que era este mundo sem as mulheres?? eheh

Anónimo disse...

Curioso...À mulher é vedado o sacerdócio. Ao sacerdócio é vedada a mulher. E no entanto o peso que ela tem na evangelização é brutal...

Anónimo disse...

ainda tem muito... para organizarem...mulheres para liderarem...somos seguidoras de maria.

Febe disse...

O cerco a Jesus era tremendo... se ele tivesse escolhido mulheres para o seu grupo de apóstolos...o seu tempo teria ficado mais reduzido ainda... mas é esse o argumento para o não acesso a um dos sacramentos, o só ter escolhido homens.

Anónimo disse...

Mais um motivo pra padre casar.
O senhor não acha?
Cassi

Confessionário disse...

12 junho, 2018 01:36

Não me parece um raciocínio muito bem feito. Não me parece uma grande razão para acabar com o celibato. Nesse sentido, mais lógica teria a ordenação de mulheres.

Anónimo disse...

eu acho que muitas delas até mandam mais que os padres, ou mandam nos padres... ahahahahah

Anónimo disse...

Claro que não é apenas esse motivo, padre. Mas pq o padre tbém não pode ser um homem com esposa, filhos? Não teria maior conhecimento e experiência sobre a vida matrimonial e de família?
Com todo o conhecimento que vcs tem é mais essa experiência não poderiam instruir e aconselhar melhor os fieis? O matrimônio nao é amor? É o amor não é o que nos move?
O celibato não foi "criado" pelo homem?
Cassi

Ailime disse...

Boa tarde Sr. Padre,
Uma grande verdade que constato também aqui na minha Paróquia.
No fundo as mulheres, apesar dos seus múltiplos afazeres, mostram-se mais disponíveis.
Ailime

Confessionário disse...

Cassi, continuo a pensar que não é propriamente um motivo para que os padres se possam ou devam casar. Agora o que escreveste às 16h28 é outra questão, outro assunto, outra reflexão...

Anónimo disse...

Estimado padre,
Naquela hora minha reflexão já era essa, mas tentei resumir e nao me fiz entender. Na realidade minha reflexão e um tanto quanto maior que isso, mas esse nao e o sentido desse post, não e mesmo?
Então deixemos por isso!!
Cassi.

JS disse...

"A Igreja das mulheres": uma das grandes desgraças da Igreja actual.
É preciso mudar.

Anónimo disse...

nossa fiquei triste explique melhor desse estou saindo fora,pesou apalavra,amigo

Anónimo disse...


"A Igreja das mulheres": uma das grandes desgraças da Igreja actual. lolol

Não pude deixar de me rir e concordar até certo ponto, se me reportar às pequenas comunidade de regateiras! Mas não se pode misturar tudo no mesmo saco.

Há sacerdotes que cheiram a podre, nesta Igreja Universal. Criminosos e fariseus

Confessionário disse...

27 junho, 2018 14:31

Creio que o JS não se referia a esta Igreja das Mulheres nesse sentido, mas sim que é uma desgraça não se terem mais em conta as mulheres na Igreja. Mas ele dirá!

JS disse...

Este fim-de-semana teremos oportunidade de ouvir uma história bem forte de mulheres. Deixemos os seus ecos trabalharem-nos e voltarei depois à carga para aliviar a minha dor de cotovelo.

Confessionário disse...

he lá, fiquei curioso, JS

JS disse...

A pergunta impõe-se: nesta Igreja hodierna, onde páram os homens? Como é que chegámos a uma Igreja (quase só) das mulheres? É o grupo coral a pedir recorrentemente que mais vozes masculinas apareçam, é o desfile das acólitas com um rapaz perdido no meio delas, é a estranheza de se encontrar um catequista, é as mulheres a queixarem-se de que os maridos preferem saltar duma ponte que acompanhá-las à missa, é não haver homens para pegar nas bandeiras e andores nas procissões...
Será que o problema é os homens serem menos religiosos? Mas outras religiões não têm grandes dificuldades em captá-los e contar com eles....
A verdade é que fomos fazendo da Igreja um lugar super atraente para mulheres (e velhos). A maioria dos homens olham-na com indiferença e até com repulsa. Templos cobertos de flores e toalhas rendadas são um paraíso para as mulheres; um Jesus apresentado na catequese como alguém que põe flores no cabelo e adora brincar com os passarinhos é coisa mais ternurenta do que um peluche; celebrações em que as pessoas se dão as mãos enquanto cantam cantigas melosas, capazes de pôr os (poucos) cabelos do Tony Carreira em pé, são um bálsamo para os corações femininos.
"A Igreja das mulheres" é de facto uma Igreja abandonada pelos homens, incapaz de os congregar, de lhes dar lugar.

Confessionário disse...

Ufa, JS, deixaste-me sem palavras!
è verdade que as mulheres devem ter uma presença meritória na Igreja, mas tu levantas o outro lado do vèu: porque é que a Igreja é das mulheres e os homens querem pouco com a Igreja!?
Olha que eu vou mesmo pensar nisso. Deixaste-me a pensar e a remoer o pensamento. É nestas ocasiões que me sinto pequenino. Nunca me tinha ocorrido pensar a questão por este prisma.