quarta-feira, junho 20, 2012

A chorar durante a missa

Acabei de desligar o telefone a um colega que me marcou com a sua conversa. Primeiro disse-me que não devia andar bom. Ao que eu perguntei Porquê. A sua resposta fez-se esperar, como se a estivesse a conter. Trocámos mais três ou quatro dedos de conversa antes de voltar ao assunto. Não ando bom, repetiu. Então não é que na missa de há pouco, a missa do Sagrado Coração de Jesus, a determinada altura dei por mim a chorar! Ele fez ponto de exclamação e eu também. Ao que perguntei de novo Porquê. Pensei para os meus botões que ou andaria cansado, ou teria preocupações grandes, ou tinha acontecido algo grave, ou alguém estava muito mal, ou estava frustrado com a vida de padre. Em apenas uns cinco segundos, não queiram saber o que me passou pela cabeça. Por isso, qual não foi o meu espanto quando o meu colega me diz que, durante a celebração da missa, se tinha emocionado por sentir que tem Alguém que o ama muito, e muito além do que consegue amar. Sem me deixar respirar, continuou. Eu não sou merecedor do Amor de Deus. Mas este amor é tão grande, tão grande, que ainda nos faz sentir mais pequeninos na nossa forma de amar. E já não é a primeira vez que deixo cair umas lágrimas no meio da missa ao pensar nestas coisas, ao pensar na forma como Deus me ama. Emociono-me e nem sequer sei como agradecer-Lhe o Amor que me tem.
Fiquei quase sem reação. E ainda dizia que não andava bom. Tomara eu. Tomáramos nós, padres, que as nossas eucaristias nos fizessem sentir o mesmo. Era destes padres que as nossas eucaristias precisavam. Não a chorar. Mas a sentir verdadeiramente o amor de Deus.

26 comentários:

Rosa disse...

É verdade... sentir verdadeiramente o amor de Deus... é esse sentir,é esse tocar de Deus, que toca,que faz vibrar e desejar transmitir tudo o se sente,também existe esse amor em tudo o que expõe e o modo como o faz faz-nos sentir todo o amor de Deus que à em Si confessionário,porque o modo de sentir e de o comunicar pode ser diferente ,mas o amor é igual.

Ana Melo disse...

Pensei!! Que em vocês Padres, esse sentimento, fosse muito recorrente!

Mas continuem a Pregar:

-Livrem-se/afastem-se do supérfluo, (quantas vezes a n/ família e o n/ grupo de amigos, estão cheios deste supérfluo).

-Livrem-se do correr atrás “do possuir” (bens materiais principalmente recorrendo a crédito)

Vivam nos dias de hoje, ao jeito de Jesus Cristo (percam o medo, ponham Amor nas actividades e nas relações de todos os dias).

Assim até “nós”, os que não fizemos “votos de sacerdócio ou religiosos”, se atrevemos a sentir esse amor de Deus por nós muito frequentemente. (assusta-me! só um pouco, que neste entusiasmo, que nos faz estar normalmente feliz, possamos em alguns momentos, Olhar e Não Ver…)

Eu não devo andar boa!

Anónimo disse...

Ana Melo, peço desculpa, mas penso que poderia ter sido mais abrangente. Estilo:
--Livrem-se/afastem-se do supérfluo. TODOS: pades, religiosos e leigos, porque todos baptizados.
- Mas continuem a Pregar.TODOS: pades, religiosos e leigos, porque todos baptizados.
-Livrem-se/afastem-se do supérfluo. TODOS: pades, religiosos e leigos, porque todos baptizados.
-Livrem-se do correr atrás “do possuir”. TODOS: pades, religiosos e leigos, porque todos baptizados.
- Vivam nos dias de hoje, ao jeito de Jesus Cristo. TODOS: pades, religiosos e leigos, porque todos baptizados.
Assim todos nós que fomos batpizados nos sentimentos igualmente enviados e edificados. Como casados, como solteiros, como consagrados, como padres, como leigos.
Zé Almeida

Moçambicano disse...

Olá, Caro Amigo P.e Confessionário.
Olá a Tod@s.

Tem razão, precisamos muito de Padres assim. E Monsignori, e Bispos, e Cardeais... e de Cristãos em geral.
O seu Colega não sabe como agradecer a Deus o Amor que sente que Ele lhe tem? Permito-me avançar uma sugestão, que decerto ele já pratica: mostrar através do seu Testemunho, da sua Proximidade o Amor de Deus pelos Homens/Mulheres, sobretudo por aqueles / àqueles a quem o "inferno em vida" impede tantas vezes o sentirem esse Amor. "Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei".
E como dizia o poeta, "É urgente o Amor".

Um forte abraço.

Moçambicano

Anónimo disse...

Esse padre seu colega também deve ser "fantástico"!

Concordo que devíamos sentir o Amor de Deus em todas as Eucaristias

Filha de Maria disse...

Glória a Deus!

Porque N. Senhor revela a este seu colega, um pouco mais do que é o Mistério do Amor de Deus, por cada um de nós.

Glória a Deus! Cada um de nós também se comoverá, quando lhe for revelado igualmente esse Mistério...

Beijinho fraterno

Clara disse...

Hmmmmmmmm. Esta do "Tenho um colega que..." soa muito parecida à clássica "Tenho um amigo que...". Será que o Confessionário tem vergonha de dizer que é ele que chora na Missa?

Confessionário disse...

ahahah, Clara
Já chorei nalgumas missas, mas por outros motivos. Por este não lembro. Mas gostava de sentir sempre em cada missa o que o meu colega sentiu!
Até acho que não seria vergonha nenhuma... heheh

Anónimo disse...

Pois e também há padres que pela forma que nos mostram o amor que Deus tem por nós, nos fazem chorar, a nós leigos! Agradeço ao sacerdote que me faz chorar na eucaristia, infelizmente só conheço um com esse dom. Agradeço a Deus por ainda haver, na minha zona, pelo menos um padre assim. Obrigada meu Deus

Rosa disse...

E eu também tinha esse privilégio como o anónimo do comentário das 13.44,hoje não tenho infelizmente,com muita saudade minha.

Clara disse...

Claro que não era vergonha nenhuma! Dá para ver nos comentários que toda a gente achou lindo (eu também).

Mas é engraçado como as pessoas às vezes se envergonham dos seus sentimentos mais bonitos, por receio que isso as faça parecer fracalhotas ou tontinhas.

just disse...

É que não é para menos...
Estar ao colo do Senhor que se inclina para me dar de comer... e saborea-Lo... percebo como o meu coração é minúsculo perante a imensidade do Dele.

Anónimo disse...

Anónimo
Querido confessinário
Gostei muito da abertura do teu colega. ! ter chorado na Eucaristia por se encontrar com o amor do Senhor.É maravilhoso. Oxalá que todos os sacerdotes sentissem este amor.E assim acabariam as solidões o desencanto na sua vida sacerdotal. Eu também já chorei, mas foi por chegar ao fim da Eucaristia e não me ter encontrado verdadeiramente com ELE.
Porque estive distraído
, e fico tão envergonhado da minha tibieza do meu pouco fervor.Depois peço-lhe deculpa e prometo reavivar o meu amor.Mas volto a recair.Ainda bem que são coisas que ninguém dá conta só sabemos os dois ELE e eu.
Que o Senhor faça renascer a fé que recebemos no batismo.

Anónimo disse...

O amor de Deus faz-nos realmente chorar. Abençoado Santo sacerdote que não consegue esconder os seus sentimentos e partilhar tão grande amor por Aquele que escolheu.

Anónimo disse...

Respondendo a Zé Almeida, concordo plenamente consigo, todos somos chamados à união com Deus, na intimidade do nosso coração, mas, também, digo que para mim é tão edificante ver um sacerdote unido Àquele que escolheu, a alegria que sinto ao ver um sacerdote que reza. Somos todos responsáveis pela salvação uns dos outros, mas um sacerdote santo que santifica o povo de Deus é um exemplo acima de qualquer outro! Claro que muitas vezes ele próprio não verá os frutos, vê-los-á apenas na eternidade, mas o reino de Deus cresce em silêncio....

D. R. disse...

Há dias despedimo-nos do nosso pároco. Há dias levámo-lo a uma paróquia que fica a uns 50 km daqui. Há dias chorámos. 10 anos de vida partilhada. E, agora, uma distância assim.
E, repito o que muitas vezes disse: não é a distância dos 50 km que me entristece. É, sim, a distância na hora da celebração da Eucaristia.
Esse pároco era desses que choram durante uma ou outra leitura, durante um salmo, durante uma homilia de um funeral até (se fosse impossível conter a emoção ao contar um ou outro episódio passado ao lado daquela pessoa que agora jaz morta)... É um bom padre. E não duvido que os paroquianos reconhecem essa humildade dos padres perante o amor de Deus. E os paroquianos gostam e aprendem muito com isso.

Anónimo disse...

Só não concordo com uma coisa. Quando diz: "Era destes padres que as nossas eucaristias precisavam.". Creio que está enganado. Não há diferença nenhuma entre esse padre e o Sr Padre, é que não é ele que se diferencia dos outros. E as manifestações de Deus, também não pressupõem obrigatoriamente uma qualificação entre melhor e pior. Apenas Deus manifesta-se quando e onde quer. Os méritos não são do seu colega padre, são todos d'Ele. E (_na Eucaristia_), Deus ama-o tanto a ele, quanto a si!

Anónimo disse...


Já me aconteceu chorar na missa várias vezes, como a muita gente. Também já chorei porque Deus é Bom, sim, não porque eu sou boa! Um dia no entanto dizia-me a mim mesma, este padre é santo. Sim, ele é muito bom. E de repente assalta-me à mente uma série de ideias perturbadoras que me diziam, não, ele não é bom, queres ver como ele não é bom? Como ele não é generoso, como pensas? Então um mendigo que estava nos bancos, subiu ao altar e abeirou-se do padre. Não sei o que lhe disse, mas o padre tinha pelo menos na cara estampada uma certa fúria. Certamente lhe ordenava que descesse do altar. Depois parecia que algo me dizia, vês como ele não é nada bom, como ele maltrata os mendigos… como estás enganada. Desatei num pranto sem parar. O que o padre pensou não sei, mas ele não parecia nada contente, nem com o mendigo e quase parecia que nem comigo!

Anónimo disse...

Eu pensei que todos os padres sentiam isso. Pensei que era a normalidade

Confessionário disse...

Anónimo de 09 Fevereiro, 2014 19:25

Eu não quero julgar se sim ou não. Quereria eu que todos fossem assim, pelo menos eu.

Anónimo disse...

como se sente esse amor?
nos estamos habituados a afirmar que amamos e que cremos em DEUS!
QUE AMOR É ESSE?
as vezes...tantas!
nao é que nao tenha fé e que nao ame mas como?? como se sente todo esse amor??
quando em silencio me isolo e falo com ele,sim eu falo nao sou la mt de oraçoes feitas...
as lagrimas correm sem que as controle
o coraçao acelera, as maos suam...
ha um arrepio trémulo...
mas diga.me padre
como tem certeza desse AMOR?

Confessionário disse...

04 setembro, 2016 22:26

a certeza desse amor vem de Deus... nao vem das nossas certezas!
Não sei se está casada(o), mas a experiência de amor com uma outra pessoa ajuda a entender essa forma de sentir o amor de Deus...

E já experimentou não falar nada e só escutá-lo... senti-lo?!

Anónimo disse...

senti-lo??
como?
tem sinais?

Confessionário disse...

O que se sente não precisa de sinais, pois acontece dentro de nós!

Anónimo disse...

la na minha terrinha onde moro...
ja aconteceu uma amiga minha passar diante do sacrario e chorar! pensei pata comigo mesmo é tola!
ou tem mts pecados!
que pateta fui!
tolo sou eu nao deixar-me tocar!
digamos que sou ainda um viajante na caminhada da fé...
cheio de duvidas e indecissoes!

Confessionário disse...

mas nao tem mal... pois todos somos caminhantes... entrega-te e deixa-te tocar!