sexta-feira, novembro 11, 2011

Queria uma missa no dia tal

Entrou despachada com uma amiga. Na sala de atendimento da nova paróquia estava uma funcionária que perguntou o que desejava. Eu entrei entretanto. Ela queria uma missa no dia tal. E a amiga três dias depois. A funcionária informou que ainda não sabia que missas havia por essas datas, porque o senhor padre entrara há pouco na paróquia e ainda estava a organizar as coisas e as datas. Ela insistiu que queria uma missa no dia tal e que a amiga queria três dias depois, dado que fazia anos que alguém importante para elas tinha falecido. Interrompi para explicar que já não era possível celebrar em todas as datas que as pessoas quisessem porque os padres eram cada vez menos e as vidas paroquiais tinham de se organizar. Mais ainda, que teria de marcar em data aproximada na qual houvesse missa na paróquia. A funcionária apresentou-me dizendo que era o novo pároco. Não conhecia ainda. Não sabia. Não imaginava. Olhou para mim com espanto e com ar desconfiado. Não discutiu muito, embora torcesse o nariz. De qualquer maneira perguntou como é que poderia ela saber a data da celebração da missa. Expliquei, com alguma matreirice, que essas informações eram dadas na Missa da paróquia. E tão pronto como expliquei, ela explicou também. Eu não vou à missa e reticências, que não quis dizer mais nada que isso. Sorriu engasgada com a minha matreirice, mas não ficou incomodada. Pronto, está bem, disse. E saiu, tão despachada como entrou.

11 comentários:

Filha de Maria disse...

Não pude deixar de sorrir... pela "malandrice" da matreirice.

Perdoe-me a franqueza... acho que o caminho, não é por aí...

Porthos disse...

E para quando outra folha paroquial?

Facilita, para quem não vai e para os que não são assíduos, ou que vão, de quando em vez a outras paróquias ;)

Abraço

Anónimo disse...

A questão não é essa...
Agora respondam-me: que sentido tem pedir para rezar uma missa e não se ir á missa? Quero marcar 1 missinha para ficar descansada mas não vou muito a essas coisas!
Acho que mais 1 vez o padre Conf. esteve bem. Muito bem!

Maria disse...

Olá, temos de volta o "nosso" confessionário. Gostei do texto, é o seu estilo...continue e daqui a pouco está entrossado na nova paróquia.
Beijinho
Maria

Maria Zete disse...

Olá Padre.
É, as vezes até mesmo um Padre precisa usar de alguma matreirice, para sair de situações um tanto inusitadas. Gostei Padre, deu-lhe uma pequena lição.

Patrício disse...

O Camarada Anónimo das 13:50 tem razão... E a folha paroquial também não ajuda muito, porque é distribuída na missa.. quem não vai habitualmente não leva.
Infelizmente esta situação acontece muito. Entram como se fosse um supermercado, a fazer exigências como numa repartição de finanças, e nem conhecem o padre, que está na paróquia à um ano... A pergunta é pertinente: para quê marcar uma missa se não se participa habitualmente? Como dizia um amigo: "hipocrisia?"...

Filha de Maria disse...

Ao anónimo das 13h50;

Conheço algumas pessoas que não vão á missa semanalmente, mas que em datas de aniversário da falecimento dos entes queridos, vão ao cemitério e rezam, mandam rezar a missa pelas suas almas e rezam!

Rezar pelos defuntos é uma obra de misericórdia!

Se não vão semanalmente á missa, de nada devemos acusá-los! Talvez os seus caminhos sejam o do "Filho Pródigo", o nosso papel de bons cristãos, não será nunca acusar, apontar o dedo... mas sim ACOLHER! ACOLHER! ACOLHER! E REZAR! REZAR! REZAR! Para que estes irmãos tenham o seu encontro pessoal com JESUS!

Só porque vamos á missa assiduamente, o que faz de nós melhores do que aqueles que não vão?!

Foi isto que quis dizer, ao nosso estimado Pe. do Conf.!

Fabiola disse...

Pois é, aqui no Brasil também tem muito dessas coisas.

Agora, é sério que não tem missa todos os dias? Eu não poderia morar aí. Aqui não tem nas segundas-feiras, é folga do padre,(de manhã tem, de noite não, eu frequento a missa da noite, por causa do horario do trabalho), e eu fico triste toda segunda porque não fui na missa. São 2 missas por dia, e várias nos finais de semana. Temos 2 padres na paróquia e sempre tem padre visitante, pois é cidade turistica e sempre tem algum de férias por aqui. Quanto a isso, graças a Deus, não temos do que reclamar. Eu ouço falar dos lugares que não tem missa, inclusive aqui no Brasil, mas não consigo imaginar como é. Deve ser muito ruim.

Rosa disse...

As Senhoras, ainda admitiram que não iam à missa ,outros fazem bem pior,vão e quando saem esquecem toda a Palavra de Deus e ,vão contentes na sua vida,até à próxima semana, porque cumpriram a obrigação, como o afirmam.
É tão pobre, quando isso acontece, em que Todo o amor de Cristo, fica reduzido a pouco,muito pouco...

Joana disse...

"Olhou para mim com espanto e ar desconfiado..."
Gostava de o conhecer pe, para saber se tambem eu ficava espantada :)hi,hi, é brincadeirinha ;)
Mas concordo com o anónimo do dia 11 Nov. das 13:50, que sentido faz marcar uma missa, para depois não se ir, estranho.
So se é daquele tipo de pessoas que não acredita em Deus, mas pelo sim, pelo não, deixa lá mandar rezar a missa, não se vá dar o caso de Ele existir mesmo e nos castigar, por não rezar.
Será que foi este o pensamento?!
Existem certas atitudes que escapam á minha compreensão e conhecimento de Deus, pois provavelmente esta srª necessita mesmo ir á missa, para conhecer Deus e saber como Ele nos ama acima e apesar de tudo.
Esteve bem pe e acho que ela deve ter pelo menos pensado um pouco no assunto e quem sabe não estará na igreja na proxima missa, nem que seja so para saber a informação de que precisa :) mas, já terá valido a pena.
Beijinho. Joana

Anónimo disse...

Há muitas vezes crises de fé. Sobretudo em alturas complicadas da vida.
Eu estou a viver uma.
Não vou à missa.
Acredito em Deus mas estou longe do mundo.
Uma relação com um homem casado afastou-me...não o vou perder. Isso não vou. Ele não me vai perder, isso não vai. A mulher não o quer. O casamento está desfeito. Eu sou divorciada há muitos anos...enfim...Deus não aprovará nada disto...eu sei. Mas eu gostava de ser feliz.