segunda-feira, outubro 31, 2011

O buraco

Não tenho palavras. Quero encontrar adjectivos para este meu estar, mas não encontro. Quero usar adjectivos suaves ou que me tranquilizem, mas não encontro. Nem sei se me encontro a mim mesmo. Sei apenas que aqui estou, neste meu novo estar. Sinto-me cigano da minha vida, sem casa e sem alimento, sem amigos em quem confiar, a percorrer quilómetros de carro para caminhos que desconheço. Vou e venho, como se ser padre fosse um ir e vir. Como se ser padre fosse um fazer coisas, porque têm de ser feitas. A estrada tem um buraco. Vejo os carros passar-lhe ao lado, como o levita e o sacerdote ao ver a doença prostrada no chão. Também a mim me apetece passar de lado. Mas tenho de tapar o buraco da estrada para ela se tornar aquilo que é, uma estrada. Queria dar um nome à estrada. Mas não sei que nome dar-lhe. Espero, Senhor, nesta minha oração, que me ouças e me dês a pá que preciso para tapar este buraco. Um buraco na minha missão, um buraco na minha vida que não quero que seja da minha fé.

21 comentários:

M.M. disse...

Senhor padre às vezes há coisas que nao compreendemos, mas vamos buscar forças para as ultrapassar... e quando começar a conhecer novas pessoas e a confiar, por muito tempo que demore, vai sentir-se novamente em casa!
Tenha esperança e vá tapando esse buraco aos pouquinhos e quando der por ele já é uma estrada novinha em folha :)

Mafalda disse...

Querido amigo,
Claro que pode parecer fácil escrever, mas acho que todos nós ao ler o seu texto sentimos o coração apertado, muito , muito apertado.
Sabe melhor do que eu que Deus está a trabalhar em si.Adore e confie.Adore e confie.
Nós rezamos consigo e por si.A estrada, não tarda, está como nova.
Abraço amigo
Mafalda

Anónimo disse...

Senhor Padre.
Mais uma vez sinto ouvir as palavras, as dores, os sentimentos e dúvidas daquele meu amigo Sacerdote. Hoje, meses depois, vejo que não haverão pás para tapar tais buracos. Eles serão preenchidos pouco a pouco, em pequenos punhados de terra santa, trazidas pelos amigos que fizeste na antiga estrada e outros que surgirão em seu novo caminho...
Acredito também que surgirão momentos que o melhor será sentar-se a beira do caminho, beber um pouco de água com a Samaritana, ouvir as crianças, perder-se no Templo, abeirar-se da praia.
Não se acanhe, esqueça as pás e busque as mãos estendidas na estrada, atrás de seus ombros ou na próxima curva.
Apenas caminhe.
Maria
Brasil

Filha de Maria disse...

Amiguito;

Não sei... mas parece-me que essa estrada se chama: "Caminho para a Santidade."

Beijinho fraterno :)

P.S.: Oro por si!

Anónimo disse...

Pois é padre conheço a sensação!
Não a vejo como um buraco, mas, como um vazio. Um vazio dificil de preencher, dificil de explicar. Como professora, também eu me sinto um pouco, fora de lugar, sempre de um lado para o outro com a casa às costas. Novas amizades, novos rostos, novos alunos, muitas vezes dificeis de controlar. Com o tempo, vamo-nos habituando, mas é duro, principalmente os primeiros tempos.
Vou deixar aqui o meu testemunho do que tenho por hábito fazer quando o vazio parece maior que tudo, espero que o possa de alguma forma confortar e saber que não está só, nesta caminhada.
Quando sinto este vazio cada vez mais forte, fecho os olhos, respiro fundo, concentro-me nos sons à minha volta, penso nos que amo e nos que me amam, principalmente os meus filhos, deixo rolar uma lágrima, respiro fundo novamente, abro os olhos olho o céu e agradeço a Deus, por me ter proporcionado um momento tão belo, porque me sinto novamente preenchida de forças para continuar.
É essa mesma vontade e força de vencer, que envio para si.
Confie Nele e tudo será mais fácil.

um grande beijinho cheio de coragem para si, continue, não deixe de orar e caminhar.

beijos Raquel Maria!

Anónimo disse...

Sei que não é fácil,mas acredito que não seja impossível você superar mais uma fase difícil.Fases, estas que a vida vai sempre nos desafiar e não nos dá muitas opções(é reagir ou reagir ou desistir).E sei que vc não é de desistir,somos humanos,imperfeitos e de carne e osso.Temos todo o direito de nos sentirmos tristes,termos medo,dúvidas,de vacilar ou vivenciarmos "a noite escura da alma".Mas,é assim que crescemos,que fortalecemos e o que importa é que ELE nos entende.Nos ama e nos aceita como somos,do jeito que somos;com nossos questionamentos,fragilidades,com nosso melhor e pior e não nos julga por isso.A situação se repete,estamos depois de um tempo,questionando esta vida louca ou louca vida,respostas;infelizmente também não as tenho.Mas,desejo e espero que fiques bem e reaja,assim como já fizestes outras vezes.E pode ter certeza,ELE colocará muitos outros anjos de gente em teu caminho.Não serão os mesmos,porque somos únicos.Mas,serão tão especiais quanto,acredite.Você me faz pensar e acreditar mais do que nunca que o que não podemos perder é a fé.Não escrevi antes,porque também estava e ainda estou no meio de muitos questionamentos,mas gostaria que soubesse e pense que tens muitos amigos espalhados por aí afora torcendo por ti e te querendo bem, pra cima(como a tua essência).Fique bem,força e coragem pra todos nós e que o Espírito Santo te ilumine e te guie agora mais do que nunca e a todos nós sempre.Deixo um vídeo que fala sobre chegadas,partidas...e sobre essa loucura que é a vida.Mais, uma vez que estamos aqui;só nos resta encarar e não vão fazer isso por nós e poucos se importam.Um grande abraço.LUZ.

http://www.youtube.com/watch?v=bkbjoxxxu1s

Maria Zete disse...

Caro Amigo Padre.
Eu creio firmemente que nada na nossa vida aconteçe por acaso, tudo tem um porque, tudo tem a mão de Deus. Até mesmo os buracos da dúvida, das incertezas e por que não dizer dos temores? tudo tem um significado, tudo tem uma razão, que de momento foge a nossa compreensão, mas que no momento certo e no tempo de Deus, Ele nos dará as respostas que precisamos. É só confiar, rezar, esperar e seguir tentando fazer menores os buracos da nossa estrada. Fique em Paz.

Moranguitu disse...

Pois é... dói não dói?! Desprendimento! Liberdade apostólica... no fundo "tretas" piedosas que esquecem muitas vezes (quase sempre) a humanidade dos sacerdotes... e agora, imagina que tinhas 64 anos, passaste 3 anos de seminarista numa paróquia, depois de ordenado foste seu pároco e lá passaste 37 como pastor... passados 40 anos és "chamado" a ser pároco doutra comunidade... Que tal? Não é ficção é realidade nua e crua numa das grandes dioceses do nosso país...

Rosa, familia e Leonor e Antonio disse...

Ficaria mais feliz se me tivesse dado os parabens no dia de ontem do que saber que andava a procura de adjetivos
Esse buraco foi um simples temporal ou até por coincidencia uma pequena derrocada que terá que ser resolvida o mais rapido possivel.
A pá hade-lhe ser dada por Deus para superar todas essas dificuldades que por ai o andam a incomodar.

Estamos todos a pensar positivo para que tudo lhe corra da melhor maneira e Deus estará sempre presente nas suas horas dificeis.
Estes amigos do peito nunca o esquecerão e rezam com o terço da terra santa para tudo na sua vida se resolva o mais rapido possivel da melhor maneira.
é so dar um tempo que sera muito curto para encontrar novos coraçoes amigos que lhe darao amor e conforto.

UM ABRAÇO...

Rosa disse...

Trabalhei uma vida inteira,desde miúda ,vi nascer a firma e no fim de muito,muitos anos fui mandada para outro lado,senti-me exactamente assim ,chorei muito ,fiquei deprimida e tudo era escuro,as novas pessoas ,para mim eram diferentes,tão diferentes que nem os nomes, conseguia memorizar,o meu interior esta vazio... ao fim de seis anos, amava-os a todos e fiquei com imensa pena de me ir embora.
Sofri muito,muito e ainda hoje me dói,ao recordar

Anónimo disse...

Olá,

Gostaria de lhe dizer que o compreendo, mas isso não iria aliviar a sua dôr...
Cada um tem que viver os seus vazios e aceitá-los para finalmennte os ultrapassar.

Cigano da vida...

Permita-me dizer que ser padre é também ir e vir... nunca ficar nem permanecer igual.

Quem estagna morre...

E ser padre é também fazer coisas porque têm de ser feitas... muitas vezes sem as sentir, apenas por obrigação.

Um dia alguém me disse e eu digo-lhe hoje a si

"Até os maus momentos passam"

Fique bem,

Confessionário disse...

Ó Rosa... esqueceu-me neste meu muito que tentar amar nesta nova vida.

Vá, nao se aflijam muito... já sabem que eu sou gajo para tapar os buracos da estrada.

Anónimo disse...

Espero que o buraco, seja mesmo só na estrada padre, é que não tenho muita vontade de trabalhar a esta hora e ainda por cima a chover...
Vá lá agarre a pá que tem aí ao lado da sua mão.... (tou a dár-lhe tempo)......
Já tá? Demorou!!!
Porque demorou tanto tempo, se estava mesmo aí ao lado?!
Agora é a minha vez, já a apanhei eu sou mais rápido he,he, é do hábito..
Agora os dois juntos, cada um com a sua pá, começamos a caminhar, você vai à frente, ok, é que eu não conheço lá muito bem o caminho dessa estrada............

ufa!... isto de andar a pé cansa hã?.. Há muito tempo que não fazia uma caminhada destas.........

Já chegámos?!!! :)
O quê padre, chama você a isto um buraco?!!!!

Isto é um buraquinho de nada, nem as pás são necessárias para isso, bastam as nossas mãos trazerem um pouco de terra... e voilá! Buraco preenchido e o melhor de tudo é que nem deu trabalho nenhum...

Moral da história:

Os nossos problemas nem sempre têem a dimensão que lhe atribuímos e muitas vezes são precisos os olhos de outros para nos aperceber-mos da sua real dimensão.. Alguém que nos ajude e apoie, ou simplesmente nos acompanhe com a sua presença e nos dê a mão... Não sei se reparou, eu ajudei-o a tapar o buraquinho, mas você foi à frente e mostrou-me o caminho.... O caminho da fé, que eu não conhecia lá muito bem, mas, que Graças a si aqui conheci....
A caminhada é difícil, dura, não o nego (muito menos eu, que tou em baixa forma física), mas devagar, devagarinho, àgua mole em pedra dura.... Quando chegamos à meta final, é uma alegria e satisfação, pois valeu a pena o esforço e o peso da pá, porque afinal nada disso era preciso, bastaram as nossas mãos e fomoz capaz...

"Se Deus está sempre comigo, que importa o lugar onde estou?"

A Pá (Deus) está sempre ao seu lado, você pega nela (Pá) para se sentir seguro e confiante, mas ao chegar apercebe-se que Ela não é necessária, bastam as suas e as minhas mãos... Mas Ela esteve sempre pronta para dar uma ajudinha, caso fosse necessário..... Percebeu padre?!!!! :)

Um abraço... Luis

HD disse...

Àqueles que se sentem frágeis e sem forças , Deus capacita-os para atravessar os maiores desertos !
E isso só se consegue quando O temos como companheiro de estrada…!!
E Ele permanece através do encontro pessoal …..na oração!
Há que semear, o resto faz Ele !
Toca a subir a Montanha!

Maria disse...

Oh meu querido amigo! deixe que o trate assim, Então que desalento é esse? Vamos lá "arrebitar" e confiar que que em cada buraco Ele está lá consigo. Está consigo nessas caminhadas, está consigo na solidão, mas está. Não meu amigo, não perde a fé, está só a consolidá-la. Imagino como deve ser para si difícil, esta nova adaptação, é uma provação. Peço para si a luz do Espírito Santo e os braços de Maria para lhe pegar ao colo, como fez com Seu Filho. Coragem e fé. Vou rezar por si.
Grande beijinho.
Maria

Rosa disse...

É assim mesmo ,forças para tapar os buracos todos da estrada,daqui a uns meses Olha para trás e não reconhece a estrada antiga...porque vai ficar muito mais lisa, e com muito amor

Anónimo disse...

Numa povoação do interior, todos sabiam que as mulheres que traíam os maridos, ao confessarem-se, diziam que tinham «caído no buraco». Um dia, o velho padre morre e chega um substituto. Sem saber de nada, este diz a todas que cair no buraco não é pecado e vai reclamar com o presidente da Câmara:
— O senhor precisa de cuidar melhor das ruas. Elas estão cheias de buracos.
O presidente, que sabia da história, desata a rir.
— E o senhor ri? — pergunta o padre. — Só esta semana a sua mulher já caiu cinco vezes!

Moçambicano disse...

Olá, Caríssimo Amigo P.e "Confessionário".

Muito Obrigado por esta Partilha tão humana, tão "próxima".
Espero sinceramente que esteja a conseguir "encher o buraco".
Nada de "heroísmos inúteis", OK? Se precisar de "encher" devagar, é assim e mais nada. Um buraco "mal tapado" mais cedo ou mais tarde volta a "esburacar".
Fico muito contente com as demonstrações de solidariedade e carinho que os Comentários expressam. São o sinal de que nos tem "dado" algo de si. Penso que também "por aí" se poderá sentir "realizado" na sua Missão.
Sei que gosta de fazer as coisas, de as viver, em "conjunto". Espero asim que, para além do nosso "apoio on line", consiga que alguém "ao vivo" o ajude a "encher o buraco" - e tenhamos de novo o seu Sorriso (a sua "imagem de marca").
Um forte abraço, com amizade.

Moçambicano

Anónimo disse...

No meu dia-a-dia palmilho vezes sem conta a estrada da vida que me querem dar. Mas a cada novo passo, sinto que avanço em direcção à vida que me querem tirar. Estou numa vida que não é minha. Sou o tapa-buracos. Executo a vida em que me estou a tornar?!

(Esta é mesmo para arrasar!...ih!ih!ih!)

Anónimo disse...

Embora ainda desorientado na estrada da vida a tomar, o tapa-buracos arrasava na estrada de cada vida em que passava, ao resgatar de cada buraco a tapar, todo o papalvo que lá se enfiara!

Confessionário disse...

ahahahah... gostei