sábado, junho 26, 2010

Hoje entrou Deus em minha casa

Sacudi a lama das botas no tapete da entrada. E a porta abriu-se, apressada, para que eu entrasse. A filha mais velha de dez irmãos procurara-me na noite anterior para dar lá um salto a casa. O pai estava de cama, a última cama que o vai receber, de certeza, padre. Está deitado nos últimos lençóis que vai usar. Pressinto-o. Pode lá dar um salto? As palavras não eram directas, porque não queriam ser assumidas. Não queriam ser verdade no seu coração. Por isso dizia o que queria dizer sem que dissesse o que pensava dizer.
Seriam umas dez horas quando bati à porta. Sacudi a lama porque o tempo na rua nunca é igual ao tempo por dentro da nossa casa. Ela não tinha avisado o pai, para que ele não pensasse que ela pensava que ele precisava. Recordo que na rua estava frio e escuro. Nublado. Mas em casa havia um ambiente quente, claro, terno. Entrara noutra realidade. Olhe, pai. Disse a filha. Olhe quem o veio ver. Abriu os olhos, vivos, ao contrário de quase todo o corpo. Olhe. Olhou. Sorriu e disse Hoje entrou Deus em minha casa.
Não consigo descrever-vos o que senti, porque as emoções fortes, mais do que escrevê-las, vivem-se. Porém, posso garantir que naquele dia senti que valia a pena ser padre. Nem que só por uma vez na vida reconhecessem que nós éramos um caminho que Deus atravessa para chegar ao homem, já valia a pena. Não estava em causa ser confundido com Deus, porque de Deus não tenho senão o que Ele quis. Esteve em causa sentir que, independentemente do barro com que somos feitos, Deus usa-nos e molda-nos para se manifestar ao homem.

22 comentários:

Clara Margaça disse...

Faz-nos de barro e convida-nos para O levarmos dentro de nós, com toda a nossa frafilidade. Linda a sua história. Um beijo para si

Maria disse...

Olá Senhor Padre,
Li como sempre costumo os seus textos, não resisto a dar uma olhadela sempre que posso à espera de um novo texto. Graças a Deus que mais uma vez escreve mostrando, quanto é bom sentir que é amado e recebido como Apóstolo de Cristo. Vale a pena padre, vale a pena tão sublime vocação. Por muito que às vezes a cruz pese em favor dos irmãos, meu amigo, Ele está sempre lá. Padre, Jesus não o abandona nunca e Maria vela por si também. Estou a escrever este post já bastante tarde, mas não podia deixar de o fazer. Até eu fiquei comovida ao ler o seu post. Eu tenho um respeito enorme, e uma enorme admiração pelos sacerdotes. Nem todos conseguem chegar ao fim, mas também nós leigos temos um pouco de culpa nisso, porque não rezamos por vós, porque não vos acolhemos melhor e porque alguns de nós pensam que um padre só serve para dizer missa, celebrar casamentos e baptizados e encomendar defuntos. Quando temos diante de nós um apóstolo de Cristo. Que contudo, também é de carne e osso, sujeito a fraquezas humanas.
O senhor é um abençoado eu já lhe disse outro dia. Não é por acaso que o seu blogue tem tantas pessoas a visitá-lo e a comentá-lo
E ainda arranja tempo para evangelizar pela intert e ajudar.
Que Nossa Senhora o cubra de bençãos.
Beijinhos
Maria

teresa disse...

que linda partilha , ...
abraço amigo , e uma boa semana ..

Anónimo disse...

Padre, acho interessante este seu testemunho, de muitos outros que já deve ter,e como ainda existem pessoas que na sua ultima hora conseguem ver Deus. Sim existem muitos seres humanos que quando estão numa agonia de ultima hora têm um encontro com Deus, na terra ainda com Deus, e então a sua conversão muitas vezes, mesmo aqueles que se dizem "Ateus", é uma realidade. Porque todo o homem tem sede de Deus, seja ele de que religião for, mesmo os ateus, diz a filisofia que o Homem busca Deus, não sabe muitas vezes é de que maneira.Ainda no sabado me contaram um facto verdadeiro que eu partilho:- um senhor que nada queria com Deus, e era contra a religião catolica, era bombeiro, e foram chamados para apagar um incendio, a certa altura o incendio tomou medidas drasticas, e coeçou a pegar fogo as roupas desse bombeiro, tendo a sorte de um colega conseguir apagar o fogo e salvá-lo, embora ficando com muitas queimadura e algumas com gravidade mas salvou-se. Então ele comentou com esse seu colega, "sabes na hora em que me encontrei todo em chamas eu esqueci-me da toda a minha familia(mulher e filhos), só me lembrei de Deus e nesse momento eu tive um encontro com Ele, e nada senti, porque me senti envolvido pela compaixão Dele, e o perdão de Pai, foi por isso que nada senti, porque Deus estava comigo"... este encontro com o Pai, esta salvação deste filho que andava perdido, fez a conversão daquele Homem, que hoje vive inteiramente para Deus...Louvado Seja N.Senhor Jesus Cristo...

Anónimo disse...

ola.carissimo padre esta sua historia faz-me lembrar uma coisa passada comigo , eu sempre fui da igreja , masha uns anos atras resoltei-me com um padre e a pesar de nunca deixar de ir a missa , nunca mais me confessei , mas o Senhor pos aqui por dois anos uma pessoa que me levou a confissao , eu que me sentia perdida , e va ele para onde va , eu nunca o deixarei de ver nem que sija so uma vez por ano , para me confessar porque e ele e mais ninguem que sabe tudo de mim, so ele e que olhou para mim sem me julgar e nem me condenar , leva-me todos os dias a ser melhor , e o senhor que entrou mais na minha vida atravez dele .

B disse...

E que bom que seria se todos nós pudessemos na nossa vida sentir, pelo menos uma vez, nem que seja às portas da morte, que Deus realmente pode estar presente na figura orientadora de um Padre. Como seríamos tão felizes nesse momento e como iluminaríamos com a nossa Fé aqueles que nos rodeassem...!

Ilma disse...

Olá padre!!!
Penso que esse sr.doente teve a certeza de ter Deus em sua casa pelo bom odor que nela se espalhou pois, o sacerdote carrega o "perfume de Deus"... tanto, que até nós que lemos seus textos, sentimos..., padre...como esse cantinho é booom!!!
A paz de Jesus e o amor de Maria!!!!!
Ilma pj

Anónimo disse...

Peço um PAI NOSSO e uma AVÉ MARIA pela Alma da minha mãezinha - Maria dos Prazeres -, que faleceu repentinamente, a 5 de Junho.

Que Deus Abençoe a todos vós por essa acção caritativa.
Helena

Emilia disse...

Bastante linda a sua historia.

Maria Zete disse...

Querido Padre, tenha certeza que não apenas dessa vez, mas, em muitas e muitas outras,você é o Deus Vivo que chega na justa hora necessária, que seja em momentos de alegria, que seja em momentos de dor e com toda certeza vale a pena ser Padre sempre. Abraços em Cristo.

Confessionário disse...

Maria Zete, são um pouco mexageradas as tuas palavras. mas agradeço na mesma. Sobretudo pensar que vale a Pena

disse...

Vale sempre a pena quando a alma não é pequena, caro Confessionário! E penso que a sua não é... acho eu...

Abraço amigo

Maria Zete disse...

Caro Padre, quando no meu coment me referi que você era o Deus Vivo foi no sentido usado pelo próprio Cristo "minha imagem e semelhança" ou seja, nesses momentos você é a imagem e semelhança do próprio Deus. Grande abraço.

D. R. disse...

Cá está respondida a última sondagem. :)

Para mim, não há melhor descrição.
Os padres são mesmo imprescindíveis.

Têm capacidade de mostrar o que está oculto, de levar esperança aos corações.

Beijinho e tenha uma boa semana. *

Anónimo disse...

O Senhor deixou-nos o Espírito Santo... Penso que os padres são um dom do Espírito Santo. Hoje ainda fazem falta os dons do Espírito? Obrigada, Padre, por entregar a vida ao Senhor, para nós.
just

Anónimo disse...

Então Padre, está de saida? O blogue vai manter?

Um sorriso

Confessionário disse...

Olá, amigo/a

N~´ao vou sair, não. Só quer ando mais ocupado e nao tem dado tempo. Aguardem, por favor.

Beijos e abraços

Ilma disse...

Beijos e abraços para o senhor também! Que Deus o abençoe!

JS disse...

Para o doente, a vinda do sacerdote significou-lhe entrada de Deus na sua casa.

Para o padre, era Deus que estava naquela cama à espera dele.

JS disse...

E Deus estava também naquela filha, a cuidar amorosamente do seu pai e a acompanhá-lo nos últimos dias de vida terrena.

Confessionário disse...

Exacto, JS. Era Deus que estava à minha espera naquela cama!

ARMINDO disse...

PADRE, LI E TOCOU-ME BASTANTE, TENHO A MINHA AVÓ COM ALZHEIMER, NUM LAR , LEMBRO-ME QUE CADA VEZ QUE A VOU VER, PODERÁ SER A ULTIMA, CONFUNDE-ME COM O MEU PADRINHO MUITA VEZ, MAS DEPOIS DE INCISTIR RECONHEÇE E SORRI E CHAM MINDÉ, DIMINUTIVO NA FAMILIA, JÁ LHE LEVAMOS A EXTREMA UNÇÃO HÁ TEMPOS NO HOSPITAL, FELIZMENTE RECUPEROU, DENTRO DO POSSIVEL, AFINAL SÃO 88 FEITOS DE SOFRIMENTO MUITA VEZ, MAS DEUS AINDA A MANTEM ENTRE NÓS
REZEMOS POR ELES PADRE
ATÉ UM DIA
ARMINDO
MARINHA GRANDE