sexta-feira, junho 29, 2007

Quem é que Deus quer salvar?

Um dos malfeitores que fora crucificado ao lado de Jesus dizia: “Senhor, lembra-Te de mim quando estiveres no teu reino”. E a resposta veio pronta: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso”. Mas ele não tinha sido um criminoso?! Um pecador?! O que ele não deve ter feito durante a sua vida!!! Mas a resposta é rápida. Não tem hesitações. “Hoje hás-de estar lá”. Pufa, suspirei. Ele quer mesmo salvar todos. Não exclui ninguém.
E ouço uma voz ao meu lado. Já tinha chegado uma penitente ao confessionário. Ainda teve tempo de se arrepender. Que lindo! Resmungo dizendo que não é disso que se trata. Este raciocínio é redutor. Senão teríamos a gentinha toda fazer o que apetece e depois a pedir perdão na hora H. Ou então, não sabendo da hora H, vivendo com o medo próprio de quem pode ser apanhado nas suas tramóias.
O meu raciocínio é outro. O de Deus também.
Basta que abramos as portas do nosso coração a Deus. Quando as abrimos estamos a mostrar que sabemos quem Ele é: “Senhor, lembra-Te de mim”. Quando o abrimos, estamos já a amá-l’O. E está sempre na hora de o abrirmos. Amar é mais importante que tudo. Mesmo quando erramos ou somos pecadores. Jesus não afastou nunca os pecadores. Até disse que veio para eles. Mas condenou os hipócritas. Os que parecem os mais santos, bondosos, certinhos, mas por dentro não têm espaço para o amor. É engraçado que, geralmente, os mais frágeis, os que se reconhecem mais pecadores, costumam ter o coração mais simples e disponível para amar! Porém, que isto não seja desculpa para as nossa falhas e pecados, tipo: estou descansado porque amanhã o gajo perdoa-me.
Por mais pecadores ou frágeis que sejamos, há sempre uma esperança… se O soubermos amar.
O que conta não é a quantidade de pecados, mas a quantidade de amor!

27 comentários:

Anónimo disse...

Este malfeitor para além das suas quedas, tinha de verdade um coração humilde, bondoso, e naquele momento, no seu intimo já se achava perdoado pelo seu Deus,ao reconhecê-Lo a seu lado.

Mesmo nos minutos restantes, antes da Sua morte de cruz, conheceu o coração e o arrependimento deste seu acompanhate.

Reconheça-mo-nos também pecadores sempre ao lado de Alguém que nos ama, nos perdoa e que veio para a nossa salvação.

Um abraço padre
J

Paula disse...

"Os que parecem os mais santos, bondosos, certinhos, mas por dentro não têm espaço para o amor."

"Amar é mais importante que tudo."

Algumas pessoas ainda não descobriram
como é maravlhoso amar e ser amadas, existem cursos para quase tudo.. Curso sobre o AMOR..é o que todos nós precisamos, mais não seja uma reciclagem; porque amar significa perdoar, respeitar, compreender, ouvir....

Bom fim semana
beijinhos :)

Anónimo disse...

oi confessionário,
amar até acho fácil o pior é perdoar, quer dizer eu até vou perdoando..."a quem me tem ofendido", palavras até são fáceis de perdoar...agora qd quase nos kerem tirar a vida...ai ai...o padre tá sempre a dizer..."o perdão é o termómetro do amor.." e eu digo que é ao contrário, ou seja o amor é que é o termómetro do perdão, porque se amamos é que conseguimos perdoar...mas há coisas que não dá para perdoar,há pessoas dificeis de amar... eu cá prefiro continuar a amar, a amar...depois se Jesus perdoa os criminosos...não achas que mais fácil perdoa á pessoa que não perdoa a quem lhe fez uma maldade muito grande??Mas muito mesmo!
È assim que eu penso, porque Jesus pediu-nos para amarmos e perdoarmos, ok!Mas não pediu para sermos tonhinhos....(desculpa a expressão!)

1 beijo
mariana

Anónimo disse...

esqueci-me de uma coisinha, que os padres têm hábito de dizer sempre..."...mas Jesus também perdoou a quem o matou´...e nós devemos seguir o Seu exemplo...etc etc etc..." HELLOOOOOO!!! E desde quando é que nós nos podemos equiparar a Cristo??? È sempre esta a minha pergunta/resposta...

Anónimo disse...

Vocês todos...de cima abaixo...já pensaram bem na coisa séria que é amar?...
Sim. Amar não é andar , de manhã à noite, a cantar blah!blah!blah!...amor p'ráqui...amor p'rácolá...mas quando chega aquele momento concreto, com uma cara de irmão igual à minha, pela frente...que sofre por isto ou por aquilo...a precisar de minha ajuda e...qualquer pretextozinho serve para me sossegar a consciência...porque não lhe acudi...

elsa nyny disse...

Mais um bom tema, pois o amor e o perdão, o acto de amar deve ser um acto verdadeiro,basea-se pois em algo que sentimos, não uma suposição ou uma ideia, e deve ser assim em todos os tipos de amor, aliás em tudo na vida...ou se sente ou não existe...posto isto como amar aqueles que sem razão cometem horrores contra nós? Sim! Porque temos sentimentos, não somos o vazio...vamos finjir que os amamos? Pois a mim não me convidem para fingir, não entro nesse jogo...estarei errada,mas todos erramos...prefiro passar ao lado...Jesus também o fez...e limpar o pó dos meus sapatos, quando não sou bem recebida...Jesus também o mandou fazer...
Se todos somos imperfeiros e nos fartamos de errar...acho que não perdoar algo grave que nos tenham feito sempre será um mal menor
que fazer alguma maldade a alguém...ou não?

Anónimo disse...

Pois claro que erramos, pois claro que perdoamos sempre que possivel, mas eu não me preocupo muito com isso, e tento sempre que os meus erros nunca magoem ninguém, gosto de amar, amar amar e amar ajudar, e todos que me conhecem sabem que é verdade, ajudo até ao limite, isso é amor...perdoe muita coisa, fecho muitas vezes os olhos,mas também tenho coisas que me são dificeis de perdoar...e também acho que Deus me perdoa por isso, não me preocupo muito com isso...desde o dia que ouvi um padre dizer-me..." a ela não lhe perdoe!..." ok! sosseguei o meu coração, o padre é como eu pensei...e o mnotivo do não perdão também não era a ssim tão grave...enfim como ele diz "...somos todos muito imperfeitos...", mas o pior não é não perdoar é magoar e saber que se magoa, isso é o pior, de resto todos os dias deito a minha cabeça para o sono dos justos, nada me pesa na consciência.

beijo


Luisa oliveira

DairHilail disse...

Deus quererá salvar todos...alguns é que se calhar preferem ignorar isso...é mais fácil não amar do que amar, é mais fácil não "ver" do que ver...

omecomhpequeno disse...

Eu não devo ter lugar no Céu, tal é a minha falta de amor!Sou egoísta, pior, egocentrista, não há mundo para além de mim, como poderei ganhar o Céu?
Rezo,bastante até,mas acho-me muito fariseu.
Peço a vossa oração amiga.

ana maria disse...

Amar e perdoar são duas faces da mesma moeda... e, de facto, o "gajo" ama-nos mais do que conseguimos imaginar!

deprofundis disse...

"Ele quer mesmo salvar todos"
Até aqui, tudo bem, para quem acredita nestas coisas. Resta-me porém uma duvida: salvar de quê?

elsa nyny disse...

Amigo!
O teu blog foi distinguido...
"BLOG MARAVILHA"!
Vai lá receber a nomeação!
Beijitos!

Confessionário disse...

DEprofundis, não é preciso salvar de nada, mas em si.

No entanto sempre te direi, apesar de não achar (não leves a mal) grande sentido a essa pergunta, mas porque tb me fizeste pensar numa possível resposta, que nos vai salvar da morte terrena!

Maria João disse...

Não somos Cristo, mas podemos ser como Ele. Falta-nos a perfeição, mas podemos seguir o SEu exemplo de Amor e de Perdão. Quantos já não o fizeram? Olhem o caso da Madre Teresa de Calcutá. Era humana e imperfeita, mas seguiu o exemplo de Cristo.

O problema é que achamos que conseguimos chegar ao amor e ao perdão por nós. Mas, não é verdade! Jesus é que nos dá essa capacidade de amar e perdoar sem limites. E para nos dar essa capacidade, basta dizermos que a queremos. Pode levar tempo para a termos, por causa dos nossos defeitos, mas é possível.

beijos em Cristo

Hepta disse...

Deus criou-nos livres e pensantes; deu-nos a faculdade de pensarmos e fazermos as nossas escolhas.

Resumindo e concluindo, não precisamos de grandes dissertações teológicas para sabermos que Deus só salva quem quiser ser salvo.

Luis Carlos disse...

Olá,

Tal como o deprofundis disse: Salvar de quê?

Então deus manda-nos para a piscina sem sabermos nadar e depois vem-nos salvar? (Estou a dizer estas coisas em sentido figurado). Eu não acredito num deus assim.

Estou mesmo a ver deus a olhar para a lista dos humanos que ainda vivem no planeta terra, e a dizer "Humm!!! Hoje vou salvar este aqui, e amanhã vou salvar aquele". Continuo a dizer, não acredito num deus assim.

Confessionário, a tua resposta ao deprofundis deixou-me a pensar, surgindo as seguintes questões: "Por que raio havias de não querer morrer fisicamente? Qual é o teu problema com a morte física?"

Até já,
Luís Carlos

Confessionário disse...

Luís, eu não tenho problema nenhum com a morte física.... exactamente pelo que disse!

Catequista disse...

De facto se não sentirmos arrependimento como poderemos ser salvos? Só pode sentir-se arrependido que tiver um coração limpo, repleto de amor.
Um coração frio não pode ter sentimento algum que lhe permita reconhecer os seus erros...

Um abraço

Kephas disse...

Deus quer salvar-nos a todos, sim. Salvar-nos da Morte. Salvar-nos do Pecado. Salvar-nos do Mal.

Vamos comportar-nos como adultos... nós não somos propriamente idiotas incapazes de distinguir o Bem do Mal. O Homem não é alguém que "não sabe nadar" e que foi "lançado à piscina" por um Deus sem misericórdia e absolutista.

Deus não nos criou para sermos robots que obedecem cegamente à Sua vontade. Não nos criou para sermos servos acéfalos. Pelo contrário... criou-nos como filhos. Como tal, deu-nos razão e liberdade para escolher o nosso caminho. O nosso problema é precisamente não sabermos usar essa liberdade...

O Seu Amor por nós é tal que Ele respeita todas as nossas opções, mesmo aquelas que Lhe são contrárias.
Se dissessemos a Deus: "Resolve todo o Mal do Mundo!", Ele fulminaria com um raio não só quem provocasse Guerras e Fomes, mas também quem atirasse um pacote de lixo para o chão ou quem atravessasse um sinal vermelho. Nós, como seres imperfeitos, estaremos mesmo preparados para tal Justiça?
Eu, que me insiro na categoria dos "certinhos", não estou... prefiro um Deus que me perdoe a um Deus-ditador que resolve tudo sem me consultar. Assim, pelo menos, sei que tenho possibilidades de me redimir. Mesmo que o não consiga, posso empenhar-me nesse auto-aperfeiçoamente e isso já será bastante bom. É por isso que a desculpa "Ninguém pode ser como Jesus" não é válida... resta-nos sempre a opção do "empenho", mesmo que os resultados não sejam animadores.

A analogia correcta não é a de "alguém que não sabe nadar e que é atirado à piscina". A verdadeira metáfora é a de um filho a quem o pai disse "Não vás nadar para aquela zona, que é perigosa"... filho esse que teima em ir nadar para aquele lugar proibido e depois, quando se vê a afogar, amaldiçoa o pai por ter sido demasiado permissivo. Não faz sentido!

Claro que se pode argumentar que o dever de um Pai é educar. Pois, mas é por isso é que Deus encarnou em Jesus... para nos ensinar o Caminho para a Salvação de tudo o que é mau.

É por isso que Deus não é Alguém com uma lista a dizer "Hoje salvo este mas não aquele". Deus deu-nos a liberdade e deu-nos as instruções. Agora se nos salvámos ou não, depende somente de nós.

Jesus na Cruz mostrou-nos o horror dos nossos pecados. Essa imagem é um grito desesperado de uma divindade misericordiosa: "Vede aonde vos trouxe o caminho que escolhestes... com a liberdade que vos dei, mataram-Me! Na vossa sede de ser auto-suficientes, matastes o Vosso Pai, o Vosso Irmão e o Vosso Espírito!" É claro que Jesus teria de ressuscitar, senão o poder de Deus seria inferior ao do nosso Pecado e aí teríamos ficado orfãos e todas as nossas acções poderiam seguir impunes.

O Bom Ladrão percebeu tudo isto. Admitiu o seu erro, arrependeu-se e foi salvo. Mesmo no meio de um sofrimento atroz.

O Mau Ladrão, apesar de estar a sofrer o mesmo castigo que Deus, mesmo tendo-o merecido, continuou no caminho da auto-indulgência. Exigiu que Jesus Se retirasse da Cruz e a ele também. Quis que Deus resolvesse todos os seus problemas. Tal como o filho ingrato que se afoga...
Por isso não se salvou...
Mas a culpa não foi de Jesus...

A Salvação é, como o próprio nome indica, uma boa notícia. Não é o reverso da medalha de um horrendo Juízo Final. É, isso sim, sabermos que nós somos capazes, que somos livres e que temos um exemplo/modelo a seguir. Que mais poderíamos desejar?

Caro Confessionário.
Doravante deixarei de lhe perguntar se disse alguma asneira, porque ficará implícito no meu comment. Se há coisa que eu não quero é dizer asneiras.

Cumprimentos a todos.

Flôr disse...

O amor de Deus... é pela humanidade.... foi por ela... que nos deu o seu Filho Jesus....

se amamas verdadeiramente.... perdoamos.....

se perdoamos.... é porque já estamos a amar de verdade....

Beijinho e uma brisa suave com cheirinho a marezia Algarvia. :)

Abraçinho na luz de Jesus

Flor
:))

Confessionário disse...

Ai Kephas, gostei tanto do que li!!!

Anónimo disse...

Depois do comentário de Kephas, nada mais há a dizer senão um bem haja. Enchamos o nosso coração do amor divino e desfrutemos da beleza e da verdade em todas as situações. Abraço
Filó

Hadassah disse...

Confessionário,

Passa por favor no meu blog...foste o escolhido para passagem de testemunho.

Hadassah

Vilma disse...

Acima de tudo, Deus mandou o Seu filho ao mundo, não para o condenar, mas para o salvar da condenação.
Esse é o principal propósito divino em nos salvar. Da condenação eterna. De vivermos eternamente sem a Sua presença.
Haverá algo de pior para nós?

Lua dos Açores disse...

Fiquei sem fôlego ao ler o coment do Kephas...

Tudo isto me faz lembrar o livro sobre o inferno de Queiruga... acho q o título é "O que quero dizer quando digo inferno" ou parecido

confissões disse...

Não interessa a quantidade mas sim a qualidade da pessoa.. se é verdadeira aquilo que sente.

Beijinhos e reza pela minha mãe..

confissoesdeumasurda.blogs.sapo.pt

Mafalda disse...

Olá Confessionário!

Este tema fez-me lembrar a minha mãe, que faleceu há um mês.. a minha mãe era muito assídua na Igreja, porém, nestes últimos anos, devido aos problemas de saúde, deixou de ir á missa aos domingos. Continuava a rezar e falar com Deus, todos os dias em casa.

Estes últimos meses, reparei nela que estava muito cansada e senti que ela estava a perder a fé, senti nela uma angústia enorme..

Tentei lembrar-lhe que Deus estava sempre com ela e para não deixar que o mal invadisse a sua mente..

Com isto tudo, tenho fé que a minha mãe está bem.. finalmente sem sofrimentos.. :-(

confissoesdeumasurda.blogs.sapo.pt