sexta-feira, outubro 27, 2006

Impotente

Não. Não se trata de uma daquelas coisas mórbidas e libidinosas que atraem a leitura e os desejos. É a sensação que ocupa grande parte das horas dos meus dias. Impotente perante tanta situação constrangedora… Gostava de resolver este e aquele problema, a esta e aquela pessoa, paroquiano ou amigo, ou simplesmente pessoa. Gostava de me resolver a mim. Por fora faço um penteado alinhado ou desalinhado conforme a vontade e o sol. Preparo um sorriso trabalhado ou por trabalhar. Visto umas calças e umas peças mais de adornos engraçados ou porque estavam mais à mão. Mas por dentro não há penteado ou sorriso ou calças para aparecer ao outro como algo que se pode olhar. Por dentro faz como o tempo, um solito acastanhado por entre nuvens espessas, umas vezes. Outras o cinzento do nevoeiro. Outras pura e simplesmente a chuva a cair, molhando e constipando. E outras, graças a Deus, mesmo graças a Deus, com o sol sem sombras. Posso dizer que ontem o tempo anunciado pela rádio de manhã era como o meu tempo. Expliquei a alguém que me perguntou do rosto que tinha, que era do tempo. Talvez quebra de tensão. Por isso me sinto impotente. Porque não sei explicar. Sento-me para rezar. Levanto-me para celebrar a Eucaristia. Trabalho, faço ofícios. Mas não sinto que me esteja a resolver ou a resolver os dos outros. Às vezes penso que só conseguirei resolver os dos outros quando me resolver a mim. Às vezes penso que não sou eu que tenho de resolver o que quer que seja, mas Deus. E depois penso que pode ser desculpa minha, para ficar parado, à espera. Mas esta Igreja não devia ser assim. Devia ser de Deus e não dos homens. E eu também devia ser de Deus e não dos homens. Fazer pelos homens o de Deus. Não fazer o dos homens com a desculpa de Deus. Queria ser padre sem usar o poder que me é dado, mas a vida que me é oferecida. Queria ser impotente para ser apenas um braço de Deus, o todo poderoso. Mas sou apenas impotente porque não consigo sentir, como gostaria, que a minha vida e a dos outros estejam bem, sejam de Deus.

24 comentários:

Anónimo disse...

Onde está este homem?

O Sobrinho disse...

Este texto está fenomenal!!!
Apenas quero-lhe falar como mais uma ovelha do rebanho e Deus.Custa-me ver este texto!Eu sinto por vezes isso mas sou apenas um mero leigo!Se este texto aparece-se no Sobrinho eu axaria normal mas no seu?

Percebo cada frase do seu texto e é bom saber que para além d'Aquele que por nós estendeu os braços no cimo de um Madeiro,também temos homens como o senhor que entregam a sua vida pelo rebanho que não é seu mas do Altíssimo!O meu prior diz que os homens que estão ao serviço de Deus são deserdados de todos os bens apenas para estarem ao servoço das suas comunidades!Força nessa missão!

Abraço amigo...

Anónimo disse...

Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.


Sophia de Mello Breyner



teodora

nahar disse...

AO ler este teu texto lembrei-me de um cantico: "Cristo não tem mãos, tem apenas as nossas mãos para abençoar em gestos de bondade e amor."

Usa a tua humanidade e abre teu coração. Não será essa a melhor forma de servir a exemplo de Cristo?

abraço em Cristo

Anónimo disse...

Padre...talvez não o sinta...nem veja...mas o padre tem muita potencia..., muita mesma e já agradeci a Deus por Ele me ter colocado no meu caminho, no meu ecrã...!
Que Deus o abençõe sempre padre. E nem quero imaginar o padre sem um sorriso porque não consigo imaginar.
um beijão e um sorriso :)
Maria João

a. disse...

"agir como se tudo dependesse de mim e confiar que tudo depende de Deus"
palavras santas...

a mim ajudam-me muito.

xana disse...

Diz Varillon :
"Deus não é Todo-Poderoso. Deus é Amor e o Amor de Deus é que é Todo-Poderoso!"
...
por isso, confessionário amigo, tu, não sendo um Deus inteiro, já és um pedaço, uma boa parte de Deus. Tu já és um braço do SEU Amor ..estendido a tantos outros com os quais te vais cruzando e a quem ELE, através de ti, quer chegar!
Pensa nisto: és um braço amoroso de deus, um braço com o poder de tocar, ás vezes em si próprio, e outras vezes, nos outros.
Potente ou impotente, serás sempre um braço de amor.
Um braço de Deus, portanto.;)

elsa nyny disse...

Confessionário!!!

Então??? Mas que estado "climático"...não sejas assim! Ânimo!!! Olha o sol já voltou...deixa ele entrar em ti!!!
Quero que sorrias...que sorrias a sério!
Todos somos impotentes...porque somos apenas pequenos seres frágeis, muito frágeis...e é por isso que: "...O Senhor tomar-te-á na palma das mãos, não aconteça ferires, nas pedras, os teus pés..." (Sal.91,12) e lembra-te que pode cair o mundo...tu fica tranquilo e seguro..."como criança nos braços de sua mãe" (sal.130,2)

Não queiras resolver tudo...deixa que Alguém resolve o que tu não puderes!!!

Muita força!!!

Quero "ver" esse sorriso!!!

Beijinhos!!!!
:)))

Diogo Taveira+ disse...

É o activismo da pastoral, que a degrada...
Faça um tempo de retiro, pare e abrande. Espero que não leve a mal este conselho.
Forte abraço em Cristo,
Diogo

Anónimo disse...

Ai, como eu o compreendo!

Anónimo disse...

A Página em Branco
http://1kualker.blogspot.com

Atenção: fala-se lá de gente conhecida!

Confessionário disse...

"Deus não é Todo-Poderoso. Deus é Amor e o Amor de Deus é que é Todo-Poderoso!"... obrigado Xana

Confessionário disse...

Sobrinho, todos somos homens, e sentimos de forma igual. A diferença só está na forma da entrega. Talverz ainda não tenhas percebido. Outros amigos que apareceram há mais tempo, sabem: este confessionário não é só um espaço de histórias da minha vida, mas da minha história. Um padre é um homem. Não é propriamente Deus.
Como alguém dizia, até pode ser um pedaço de Deus (que todos somos, pelo menos um pedaço no Seu coração). Mas não somos Deus.

Confessionário disse...

"agir como se tudo dependesse de mim e confiar que tudo depende de Deus"... outro obrigado, a.

Confessionário disse...

Obrigado a todos. O sol já raiou...

elsa nyny disse...

Amigo!!!

Passei para trazer uns miminhos!!!
e fiqeui muito feliz porque "...o sol já raiou..."


Beijinhos com sorrisos!!!

Sonhadora disse...

"Mas não sinto que me esteja a resolver ou a resolver os dos outros."

Resolve, Confessionário. E muitos! Mais até do que se calhar pensa...
Só por existir já está a ajudar, mesmo que muitas vezes nem saiba que o faz.
E quando estiver o mais tristonho dos dias dentro do seu coração lembre-se que há outros em que o sol brilha, só porque há um "anticiclone" que impede que as nuvens de se aproximem. É você!

Paulo disse...

Percebo a tua impotência, como nós, meros leigos, por vezes a sentimos. Mas nada como um dia atrás do outro e com a ajuda de Deus, as coisas tornam-se claras aos poucos.

NUNO BRANCO, SJ disse...

Confessionário,
a pequenez é uma oportunidade privilegiada para o encontro com Deus. Se o Zaqueu nao fosse de baixa estatura nunca se tinha aventurado em subir aquela árvore e por isso se fez encontrado com o Senhor. E sabes que a impotência do homem potencia a graça de Deus. E ainda bem que fazes a experiência da pequenez. E mesmo que os sentidos te digam que és impotente, o sentido de Deus diz-te o contrário. O sentir é um critério perigoso para avaliar seja o que for, ainda mais quando somos juizes em causa própria. Olha sinceramente que vou, lentamente, agradecendo ao Senhor as experiências de pequenez e de impotencia. Os frutos nao me pertecem, os homens e o bem deles tb não, portanto eu aventuro-me e atiro-me pra vida como sou e Deus se servirá inteiramente de mim para fazer o que for da sua vontade.
"O barulho não faz bem e o bem não faz barulho"
Um abraço

JCS disse...

Sim padre somos todos impotentes, e nessa descoberta do nada que somos é que a descoberta de jesus nos vem dar tudo, mas o tudo de que necessitamos... é na nossa pequenez e dando-nos inteiramente a Deus, despojando-nos de nós mesmos, é nesse exercício diário, que ele nos dá tudo. Eu tenho essa certeza, "ele" nunca me faltou, nos bons e nos maus momentos, o segredo, para mim, está na entrega, na entegra incondicional. Não é fácil, é muito difícil mesmo, mas como ele diz: Pede e eu te darei... Enfim, é a fé que nos salva
Abraços fraternos e SHALON!

Maria João disse...

Como leiga também sinto esssa impotência. Nos últimos tempos tem aparecido tanta coisa que precisa de ser resolvida... Às vezes tenho a sensação que não vou dar conta do recado.

Mas Deus só nos pede aquilo que conseguimos dar. Essa angústia existe porque se não fosse ela, chegaríamos a um ponto em que as coisas se tornavam robotizadas. Essa tua angústia só revela o teu amor por Deus e por todos nós. Revela também a tua vontade de seguir Deus. Apesar de doer é lindo. Pensa nisso. Doí, é verdade! Mas, ao mesmo tempo, é magnífico, porque mostra esse Amor!

Tenta ver esse lado positivo. Ele é uma realidade!

Confessionário disse...

Admiro-te muito, Nuno.

Confessionário disse...

jcs, é engraçado; essa descoberta tb já a fiz. Quanto mais frágil me sinto, mais próximo me sinto Dele!

Confessionário disse...

Obrigado a todos... em especial por seres a última e me teres dado nova dica, que ainda nao tinha pensado... Maria João.