sexta-feira, setembro 25, 2015

Primeiras aves [poema 70]

Há aves que não são pássaros
E vão em bando buscar-se

Há pessoas que são aves sem penas
vestidas a ouro e tinta a óleo

Há penas que voam nas árvores
E constroem armas em campos de flores

Há gente que é uma pena e são aves,
aves de rapina

2 comentários:

Raiz Coragem disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

DEBANDADA

Não sei se fique ou debande
Não sei se coma ou debique
Não sei se sou águia ou corcel
Não sei se artilhe o cordel
Não sei se vá ou me fique

Não sei se vá ou me fique
Não sei se fique ou debande
Não sei se vá ou me fique

Tenho penas, tenho asas
Tenho pesos nas asas
Tenho pena, tenho asas
Tenho presos os pés
Tenho pernas, tenho garras
Não sei se solte ou amarre
Não sei se vá ou me fique

Não sei se fique ou debande
Não sei se vá ou me fique
Não sei se fique ou debande

Tenho asas, tenho penas
Não sei se vá ou me fique
Não sei se sou água ou alambique
Não sei se vá a repique
Não sei se vá ou abane
Não sei se fique ou debande
Não sei se aprenda a voar
26 setembro, 2015 14:01