quinta-feira, fevereiro 06, 2014

Há-de ser o que Deus quiser

Os oitenta e quatro anos da senhora Lucília usam lenço preto na cabeça coberto com um gorro da mesma cor. Bengala na mão. Botas até aos joelhos que o frio chega ao coração. Veio ao meu encontro falar por entre os poucos dentes. Os olhitos apagados falavam da doença. Custa muito, senhor padre. E no meio do que dizia, acrescentava e repetia. Há-de ser o que Deus quiser. Falava da dor que a solidão lhe trazia, e dizia Há-de ser o que Deus quiser. Contava-me da família que está longe, e dizia Há-de ser o que Deus quiser. Voltava sempre à doença num tom que misturava melancolia com doçura. E dizia Há-de ser o que Deus quiser. Dizia-o de uma maneira que entrava cá dentro como se fosse a certeza mais certa que alguém consegue afirmar. Por mais que a motivasse com palavras bonitas, ela repetia Há-de ser o que Deus quiser, e eu desarmava a beleza das minhas palavras para me encantar com as dela. Não eram palavras soltas ao vento. Não eram palavras ditas por dizer. Não eram palavras resignadas. Eram palavras de quem já se entregara no colo e no aconchego de Deus. A despedida dela foi Há-de ser o que Deus quiser. Retirei as minhas mãos das dela, uma foi-lhe no encalço do rosto e, com a mesma vontade com que ela repetia Há-de ser o que Deus quiser, eu chamei-a de Linda.

18 comentários:

Paula disse...

mas que muito boa história. enterneceu o coração. Abraço

Anónimo disse...

Sabes que a idade amadurece em nós a firmeza da fé. E tenho a certeza que essa firmeza não a começou a cultivar apenas na terceira idade. Já vem de nova.
É caso para me questionar: e eu? Tenho confiança no que Deus quiser... ou peço sempre que seja o que eu quiser?!

LPS

Confissões a Jesus disse...

Há dois dias escrevi também sobre este o assunto:
http://confissoes-jesus.blogspot.pt/2014/02/o-fim-so-deve-ser-mesmo-quando-e-o-fim.html

Anónimo disse...

Que acolhimento tão querido, padre.
É assim mesmo, precisamos todos de afecto e os mais velhos ainda mais.
Escreve tão bem. Parabéns!

Anónimo disse...

"...eu desarmava a beleza das minhas palavras para me encantar com as dela. Não eram palavras soltas ao vento."
Quando as palavras são certezas, a sua beleza é indescritível.
Quando nos deixamos tocar pela essência acontece a Beleza.
Gostei muito deste texto.
"...chamei-a de Linda. Este remate final é LINDO.

Anónimo disse...

Há-de ser sempre o que Deus quiser, se nós também quisermos, não?!

Anónimo disse...

Há-de ser mesmo o que Deus quiser..., tenho plena consciência disso, mesmo que ás vezes tentemos passar um pouco ao lado, mas vai sempre de encontro ao que Ele quiser.
Para variar mais uma linda, e principalmente bem contada,história.
Mesmo que a história não tenha um assunto por "ai além", a maneira como o sr. o descreve faz-nos pensar e meditar, e agradecer a Deus esse seu dom. OBRIGADA

Confessionário disse...

anínomo de 07 Fevereiro, 2014 17:00

Achei interessante a tua observação (aliás, praticamente todas as observações que têm deixado até agora têm sido muito interessantes e, claro, agradáveis de ler). Refiro-me à observação "a história não tenha um assunto por "ai além", a maneira como o sr. o descreve faz-nos pensar e meditar". Digo-o porque é mesmo isso que se pretende: com e em coisas simples, meditar e podermos encontrar-nos com Deus.

Confessionário disse...

Anónimo de 07 Fevereiro, 2014 15:05

Há-de ser o que Deus quiser e nós quisermos, de facto. Mas há-de ser muito mais do que Deus quiser do que do que nós quisermos! Não achas?

Anónimo disse...

07 Fevereiro, 2014 17:25
Meto a colherada... Confessionário, nem sempre é mais aquilo que Deus quer, comparativamente ao que queremos. Daquilo que nos diz respeito, é muito mais o que queremos do que o que Ele quer. Não é a opção nossa? Pois apesar do seu poder, o que prevalece em nós é a nossa escolha ser ou não ser... (eis a questão).. mas se dissermos sempre "Há-de ser o que Deus quiser" será certamente mais a D'Ele, cremos nisso.

Confessionário disse...

Anónimo de 07 Fevereiro, 2014 20:27

Sim, tens razão. De facto nós temos de querer... mas que o nosso querer seja o querer de Deus!

Anónimo disse...

Assim Seja!!! ("Mas há-de ser muito mais do que Deus quiser do que do que nós quisermos! Não achas?" Falando de ti próprio, sim, tens razão!)

Confessionário disse...

Anónimo de 08 Fevereiro, 2014 10:58

Tens razão, pois falando de mim próprio assim será... sempre.
Mas tu não te incluis? Não te queres incluir? Ou estás a excluir-te? Não percebi muito bem.

Anónimo disse...

Quando respondias ao anónimo de 07: “Há-de ser sempre o que Deus quiser, se nós também quisermos, não?!” dizendo “Mas há-de ser muito mais do que Deus quiser do que do que nós quisermos! Apesar da concordância de que “temos de querer” pareceu-me que a tua primeira afirmação não estava totalmente errada, pois pareceu-me que ecoava na tua pessoa em particular, mas não no geral. Desejaste que o nosso querer seja o querer de Deus! Respondi “ Assim Seja!!!”. Eu quero incluir-me, mas não sei se me estou a excluir francamente, tomara que não!… Agora esta tua frase está-me a dar volta à cabeça: “Tens razão, pois falando de mim próprio assim será... sempre”. Bem como o teu poema que me anda às voltas tendo levantado outras questões. Há digestões mais difíceis. Tenho de pensar, para melhor entender, ou tentar… Mas entretanto como sabes que fazes a vontade de Deus, como tens essa certeza?

Confessionário disse...

Como sei?
Sei-o porque me esforço por escutá-lo, porque aceitei o Seu chamamento, um chamento que sinto todos os dias. Sei-o porque o leio na Sua Palavra Revelada e escrita...
E tb sei que nem sempre consigo fazer-lhe a vontade. mas tento.

Anónimo disse...

Boa tarde,
muito bem, uma resposta á altura.. pois como sempre, tem uma palavra certa, para o hora certa.
Obrigada.
Bjs

Anónimo disse...

Bom a autora da pergunta ainda não comentou, talvez porque não soube se comentar sobre o assunto e o padre ou sobre o padre e o assunto...* Deixa-me dizer-te contudo que essa tua confiança na certeza do discernimento da vontade de Deus, inspira-me precisamente maior dúvida.
(* antes de questionares: Passou-me a propósito pela cabeça um assunto pessoal)

Anónimo disse...

Anónimo(a) 10 Fevereiro, 2014 18:25. A resposta certa para si!