terça-feira, fevereiro 07, 2012

Que pensas sobre a atitude do pároco extorquido por prostitutas?

Ao ver as notícias de hoje, saltou-me à vista a notícia do padre que tinha sido extorquido por prostitutas com as quais teria mantido algum tipo de relacionamento sexual. Depressa a notícia me saltou ao pensamento. Como deve ter saltado a muitos dos nossos padres ou dos nossos leigos. É sempre uma notícia que vende. Achei, no entanto, que havia por detrás desta pequena história, que em nada deve abalar a nossa fé e o nosso amor a Deus, motivo de reflexão. Por isso surgiu esta sondagem. Não quero que a usemos para fazer um qualquer tipo de julgamento do padre em causa, mas uma reflexão sobre a atitude e sobre o caso em si. Peço o favor de não pensarem no padre tal, mas no caso. Peço o favor de não utilizarem o caso senão para reflectirmos e meditarmos estes assuntos tão melindrosos.
Como seria difícil escolher apenas uma opção, nesta sonsagem é permitido escolher mais que uma.
Podem, como é hábito, expor aqui, nos comentários, a vossa opinião.

25 comentários:

Filha de Maria disse...

Amigo Pe. Conf.;

Digo antes o que pensei quando li a noticia, e já foi há alguns dias.

"Bolas... como se chega até aqui?"

Acrescento hoje;

como chegamos "nós" até aqui? Votamos a referendo a vida; aceita-se a união homossexual como "familia" e iremos ter em discussão o direito a adopção, pelos "casais" gays...

Talvez à primeira vista, nada tenha a ver... mas tem tudo! Os valores morais, deixaram de ser o que eram... tudo se mistura, tal e qual a poluição. O pior... é que tudo se apresenta como "normalidade" e como "tenho direito a..."

Não li a noticia toda, não senti que isso me fizesse mudar de opinião.

O que penso então? É tempo de "recomeçar"!

M.M. disse...

É sempre um assunto delicado, mas acho que devemos pensar que antes de ser padre, é homem e, como tal, tambem erra.
É um assunto polémico e muitas vezes é usado para denegrir (mesmo que nao seja de forma intencional) a Igreja, mas acho que o que importa realmente é Deus e, por isso, a nossa fé não é abalada. A nossa fé é baseada em Deus e na Sua mensagem e não no padre X ou Y, apesar de procurarmos sempre nos padres um exemplo a seguir.

JS disse...

Atenção: é preciso que fique bem claro que o que está em causa neste caso é, em primeiro lugar, um crime de extorção.
É muito importante não perder isso de vista: independentemente do que pensemos sobre a atitude do tal padre, ou a sua pessoa, a verdade é que ele foi vítima de extorção.

Artigo 223.º do Código Penal:
Quem, com intenção de conseguir para si ou para terceiro enriquecimento ilegítimo, constranger outra pessoa, por meio de violência ou de ameaça com mal importante, a uma disposição patrimonial que acarrete, para ela ou para outrem, prejuízo é punido com pena de prisão até 5 anos.
Se a ameaça consistir na revelação, por meio da comunicação social, de factos que possam lesar gravemente a reputação da vítima ou de outra pessoa, o agente é punido com pena de prisão de 6 meses a 5 anos.

Só depois de se perceber isto é que vale a pena avançar para a sondagem proposta. Isto, se se quiser ser minimamente justo.

Celina disse...

É mais um caso que vem a público escandalizar os mais conservadores e incentivar os críticos. Como dizia num texto anterior, esta igreja (repare-se no uso da minúscula) a que nos associamos vive dos costumes e das aparências num esforço ridículo de esconder os erros que só são erros porque a própria o decidiu. Nesta tentativa de chegar ao céu esquecemo-nos que foi o próprio Cristo que se aproximou de nós, que se tornou carne connosco, isto é, de que a verdadeira mensagem de Cristo está entre a natureza do Homem. A negação da sexualidade nos padres é a negação da sua própria humanidade. A minha opinião sobre isto é muito simples: os padres devem estar o mais inseridos na comunidade possível (e isso inclui, caso haja essa vontade, o casamento) pois só vivendo a mesma realidade poderão ser vistos como exemplos; já os Irmãos, que se pretende que vivam em comunidade, é uma questão mais complexa porque já iria englobar não um grupo de pessoas que pretendem viver em comunidade mas um grupo de famílias dentro das quais uns optaram por essa vida e outros a quem esta foi imposta por isso neste caso sou a favor do celibato não como uma medida imposta mas como opção pessoal de compreender a impossibilidade de ambas as realidades subsistirem. Agora isto é uma falsa questão porque havendo esta aproximação entre a Igreja (maiúscula) e as pessoas, a existência de comunidades de Irmãos deixaria de fazer sentido já que todos viveríamos como uma grande comunidade em que o serviço em nome do Amor seria uma constante. Resumindo e concluindo: desta notícia fica me só o pesar de a Igreja Católica não ser capaz de se repensar e de se actualizar afastando-se por isso das pessoas e perdendo credibilidade. Eu cresci rodeada por costumes católicos (andei na catequese, estudei numa escola (por acaso) fundada por Irmãos...) e apenas por esta conotação histórica me mantenho ligada à Igreja Católica (dou catequese, participo na Eucaristia, faço voluntariado numa Instituição católica, participei nas JMJ2011...) porque ideologicamente já cortei com o Vaticano há muito, simplesmente continuo a acreditar em Cristo e nos valores que levaram à fundação da nossa Igreja e por isso, ainda que não concordando com o caminho que a mesma seguiu, fico e procuro dar o melhor testemunho que sei na esperança de que um dia deixemos de ser a juventude do Papa - como se incentivava nas JMJ - e passemos a ser a juventude de Cristo.

JS disse...

Apenas para pedir desculpa pela minha asneira ortográfica no comentário anterior: extorsão, com "s".
Tenho de cortar na cerveja...

JS disse...

Mais uma coisa, depois de ler os outros comentários: acho que o caso não tem directamente que ver com a questão do celibato ou a vivência da sexualidade por parte dos padres.
Se os clientes das prostitutas fossem apenas padres ou frades, parece-me que o negócio andaria muito fraco. É minha convicção que a maior parte dos clientes são homens casados...

Maria de Fátima disse...

Eu ainda não vi a versão do Padre. Cuidado com os julgamentos a partir de notícias de jornais que querem vender. Não podemos assumir que seja verdade, desde logo ...
Afinal que espécie de cristãos/católicos somos nós ... ?
Sejamos a luz do mundo.

Porthos disse...

Meu caro:

Mais uma reflexão como só as que tu sabes pôr.

A meu ver, foi um homem que falhou... Como todos os homens falham, como eu falho muitas vezes!

É certo que este homem tem a responsabilidade acrescida de ser um farol e exemplo de valores... humanos, acima de tudo. Mas a nós cabe-nos apenas ajudar os outros a ser melhores, que mais não seja pelo exemplo, e nunca pelo julgamento.

Rosa disse...

O Padre é sobretudo um ser humano,como nós e essas notícias são sensacionalistas para desacreditar a Igreja,mas a Igreja é Cristo e somos todos nós que a compomos com muitos defeitos, e sempre prontos à critica.Deus põe-nos a todos à prova uns deixam-se abalar,outros a sua fé é bem maior e resistem ás coisas do mundo ,que é tão ingrato.
O que é necessário e o que votei foi,Deus é que importa e todos precisamos da oração uns dos outros para que seguimos no caminho de Deus rumo à Santidade.

JotaCê disse...

Cada um de nós carrega o peso dos seus actos. Não podemos ver os actos de um membro do Clero (com maiúscula porque merecida por milhares de anos de trabalho e luta pelas boas causas), como representando os valores de toda uma Igreja, da qual eu também faço parte. Do mesmo modo que aquele homem errou, eu também erro diariamente. A luta dele, é também a minha. Tentar ser cada dia merecedor do sacrifício do Cristo por mim.
Quem não tiver pecados que atire a primeira pedra... é tão simples quanto isto. A mim, pelo contrario, cumpre-me analtecer a coragem daquele homem, que também é Padre, em reconhecer o seu erro e em procurar ajuda. Imagino a luta interna por que passou. Ficou certamente mais forte, graças a Deus.

Maria disse...

E Jesus começou a escrever no chão, e um a um todos se afastaram
ficou só a pecadora. Eu também não te condeno, vai e não peques mais...
Para esse irmão a nossa oração.
Paz e bem,
Maria

Jose Guimaraes da Siva disse...

Por vezes a vida levamos por caminhos que nada teem a ver connosco.
E o professor que não gosta de dar aulas, o bombeiro que ateia fogos, é o padre que não se comporta segundo as regras que aceitou.
Há uma grande crise de identidade e de respeisto pelas regras.
Muitos acham que é moderno alterar as regras, mas o que é facto é que corromper os valor morais.
Há um premiar da mediocridade na nossa sociedade.
Ele é Homem tem faltas, nós perdoamos mas não de via ser Padre.

Mercês disse...

No mundo podre em que se vive, tudo e todos são alvo de especulação.Não há valores morais (o que é isso para tais pessoas?) Deus perdoou à maior pecadora... Quem não tem quedas pela vida fora??? Mas nós somos IGREJA e como tal teremos que encarar a falta do Irmão e continuarmos a ser"FIRMES NA FÉ".

Teodora disse...

bem... pelo menos desse não andam a dizer que é gay!

Joana disse...

Este assunto, tem muito pano para mangas, pe.

Não quero de todo julgá-lo, não sou ninguém nem nenhum exemplo de vida para isso, pois todos já cedemos a tentações, sejam elas de comida, vestuário, amor, saídas, relações, etc.
Neste caso acho que ele foi fraco, pois a carência de afectos, deve tê-lo levado a esta situação, cá está o velho ditado "a carne é fraca, ninguém é santo." E para quem tem a idade dele 60 anos creio,acho que a solidão e a falta de afecto fica mais difícil de suportar.

Devemos reflectir sobre estas situações, quantos casais juram amor e fidelidade eternos frente a Deus na Igreja e ao menor dos problemas, são infiéis com o cônjuge ou pedem o divórcio?
Nesta situação tudo é normal, pois é o pão nosso de cada dia e já ninguém estranha nem julga, mas quando são os outros a cometer falhas, são os primeiros a apontar o dedo.

Devemos rezar, não só pelo padre que cedeu à tentação, mas por todos nós, que todos os dias cedemos e somos fracos na fé e nos ensinamentos de Deus. Por isso todos procuramos o perdão, não só de Deus mas também das pessoas com quem falhamos.
É difícil aceitar os erros dos outros, mas nós também não somos perfeitos, nem nenhum modelo a seguir.
Se todos aceitássemos esta realidade, seriamos muito mais tolerantes e compreensivos com as falhas e os erros dos outros :)
Bjs Joana

peregrino disse...

Pois… as PEDRAS continuam e continuarão infelizmente na mão de muitos… por isso a dureza de Jesus sobre os juízos alheios…! Calhou agora a vez de ocupar o LUGAR da “pecadora” a este homem, e a nós todos o lugar dos que levam as pedras nas mãos…! Terrível o caminho que todos temos que fazer… Precisamente no post anterior creio...discutia-se a validade e a autoridade das posições de homens sobre questões que tinham a ver com o cumprimento de VALORES que alguns dizem serem imutáveis…! Felizmente que a misericórdia de Jesus ultrapassa todas as imutabilidades dos homens, senão, pobre homem e pobres de todos nós… não chegariam todas as pedras do mundo para atirarem-nos no rosto das nossas justiças e moralidades…! Fico a rezar por ele e peço-lhe a esse homem frágil e pecador como eu que reze também por mim, para que ambos caminhos sejam menos feridos de amor, de compreensão e de perdão…!

"Assim, pois, quem pensa estar de pé, tome cuidado para não cair" ICor 10,12

Abraço aqui esse querido Irmão que agora caminha ferido...!

Anónimo disse...

E não há ninguém a mostrar compreensão pelas senhoras prostitutas, ou a oferecer-se para rezar por elas?...

Anónimo disse...

Jose Guimaraes da Siva disse:

" Ele é Homem tem faltas, nós perdoamos mas não de via ser Padre."

Permitam que pergunte: "E Pedro devia ser Papa depois do que fez?
É que se não devia, então Cristo errou...

JotaCê disse...

Caro Anónimo, o tema em debate nunca foi, directamente, a atitude das mulheres. Debatemos a relação entre o pároco e a sua humanidade. Certamente que o que eu, e outros, afirmamos se aplica a todos os demais humanos. A consciência do erro e o arrependimento podem ser o fermento para uma renovação de qualquer vida.
Quanto à escolha de Pedro não poderia ser a mais acertada. A Igreja é composta por muitos Pedros. Brutos, inconstantes e ao mesmo tempo capazes de se superar nos piores momentos. Que mérito teria um ser absolutamente perfeito em ser bom? Jesus desceu da Sua divindade para nos mostrar que é possível ascender a um patamar melhor que este lodaçal em que tornamos a nossa vida. Só se ganha a Vida perdendo-a, doando-a ao serviço do irmão e da fé. Esse é o grande exemplo de Pedro que se supera no fim e constrói sobre o seu erro passado sem medo ou dúvidas.

Anónimo disse...

Posso perguntar o que pensará Deus ,se é que pensa,acho que não.Mas se assim for,o que pensará Ele,sobre muito(as) que a Igreja afastou,porque os seguidores d'Ele não souberam comportar-te à altura do seu desempenho e,viraram as costas vitimas dos juízos e da moral ,à tal dita Igreja formada por homens e interesses!.... (A.R.)

Anónimo disse...

Carissimo Pe Conf., e comentadores, este é um assunto pertinente que deveria ser discutido, não aqui mas entre as varias classes do clero, nem sei bem se é assim que se chamam. Porque nos dias de hoje, todos sabemos que a sexualidade é uma necessidade fisiológica do homem, tal como a sede, a fome, etc. A igreja em outros tempos até permitia o casamento dos padres, mas devido ao património que detinha, não fosse para os filhos, herdeiros, dos mesmos, proibiu tal sacramento. A igreja, não Jesus. Pois isto são leis dos homens não de Deus. Acabem com essa hipocrisia, ou como justificam a permissão de actos religiosos, por homens casados como por exemplo os diaconos. Então esta figura serve para quê!? Continuar um serviço de Deus por falta de padres, de uma maneira "soft". E é por serem casados, terem uma familia e uma relação conjugal que evengelizam com menos capacidade? Lembrem-se o clero, que aquela piramide - Nobreza - Clero - Povo, ainda existe, mas o poder já há muito que deixou de existir. Sou catolica, tenho muita fé em Deus, mas a "conversa" dos padres (alguns) começa-me a desiludir. É que as tecnologias de informação, permitem-nos além de tudo, ter conhecimentos que outrora eram inacessiveis, por isso desconhecidos. A titulo de leitura, se gostarem de ler, aconselho por exemplo: "As sandálias do Pescados", A Santa Bala", "Os Segredos da Capela Sistina", "Os Palhacinhos de Deus", e irão entender tudo o que digo. Srs PADRES façam o favor de serem felizes, aí cada um saberá qual a melhor forma,que também melhor servirao a Deus e aos Homens! Lutem, que o povo é muitas das vezes tem atitudes ridiculas por falta de conhecimento e egoismo. Olhem para as vossas igrejas e vejam quem ainda as povoa, os mais idosos. E não é porque os jovens são maus ou mal formados, não se identificam com as regras da antiguidade. Estamos no sec XXI. Dizem que há falta de padres. Eu diria que daqui uns anitos há excesso, os idosos vão-se e ficam sos com as igrejas vazias. A "velha guarda" que pense no que quer para o futuro da igreja, caso contrário passam a ser monumentos ao abandono. Perdoem-me se me alonguei, tinha que dizer o que digo e repito muitas vezes quando o assunto e no contexto me é possivel expressar!

Anónimo disse...

Ainda e quanto à questão em si, a extorsão é crime e é isso que deve ser julgado, não o homem ou as mulheres que sabe Deus, o caminho que seguiram, o porquê de o terem feito! Tentem um dia sair à noite, do conforto de vossas casas e dar um pouco de apoio a uma dessas mulheres! Acreditem vêm arrasados com as verdadeiras histórias de dramas familiares que ouviram. Não estou a dizer que vêm a aprovar a prostituição, essa continua reprovavel. Mas ficaram a pensar em como auxiliar, alguma das situações. O trabalho d voluntariado permite-nos contactar com realidades bem diferentes e concebermos a nossa opinião de forma a melhor ajudar e trabalhar em prol do outro, SEM JULGAR! Não me identifico porque não faria qualquer diferença, não tenho nenhum blog, mas por vezes passo por aqui e gosto de ler muitas das passagens, esta obrigou-me a comentar.

Anónimo disse...

Concordo com a Joana, pois acho que devemos compreender e não julgar. Afinal o padre pagou um preço bem alto pela sua fraqueza pois aquelas duas devem-lhe ter feito a vida negra.
Mas ele ainda foi forte o suficiente para as denunciar e acabar com a situação e essa atitude tambem não deve ter sido facil de tomar.
Tenho pena dele.
Todos temos um senão nas nossas vidas, nada nem ninguem é perfeito.
Abraço
Luis

JotaCê disse...

Será que a Igreja se afastou ou mantém um contínuo caminho de aproximação? Porque insistimos em olhar para o erros e não para as virtudes?

Anónimo disse...

Acho que não devemos julgar, mas rezar para que o Senhor ilumine a sua Igreja e ajude os seus filhos na fidelidade!...
Criticamos um sacerdote, porque devia ser fiel aos seus compromissos, mas quantos homens casados não têm as suas falhas e infidelidades e desejam a mulher do seu próximo, vivendo no casamento.