quinta-feira, abril 02, 2009

sondagem_ “Preocupas-te em cumprir ou viver o que é aconselhado na Quaresma?”

Passado que vai mais de um mês da última sondagem, bem como mais de 400 votos, e quase a aproximar-nos da Páscoa, chegou a hora de avaliar a sondagem que estava no lado esquerdo, no sidebar. A questão era:
“Preocupas-te em cumprir ou viver o que é aconselhado na Quaresma?”

E os resultados são:
1. sou indiferente _ 34 %
2. sim, mas a 50 % _32%
2. sim, a 100 % _23%
4. pouco, 25% a 50% _4%
5. o que é isso? _ 2%
_________________________
pequenas considerações:
  1. Suponho que para a escolha da opção mais votada devem ter contribuído alguns penitentes que não são católicos nem se sentem obrigados a viver a Quaresma. No entanto, e já o previa, devem existir muitos católicos para quem a vivência da Quaresma é algo indiferente. Não acrescenta nem tira nada à sua fé. Das duas, uma: ou deixaram de se interessar pela vivência apenas tradicional de alguns preceitos da Igreja, ou tencionam viver uma forma de cristianismo longe de algumas vivências úteis e se calhar imprescindíveis à fé. Independentemente desta consideração, o facto desta opção ter sido a mais votada deixa-me alguma preocupação. Até que ponto as propostas da Igreja são válidas ao caminho de fé daqueles que pretendem fazer uma caminhada quase individual e onde o relativismo se torna norma?
  2. A segunda opção não me faz pensar em nada a não ser que desejava que tivesse sido a mais votada. Perguntar-me-eis porquê e eu responderei que no meio está a virtude. Ou dito de outra forma: quase ninguém consegue ser a 100 % e seria normal a escolha; e o patamar dos 100% pode parece que já não há necessidade de fazer caminho.
  3. Apesar da afirmação que fiz na anterior consideração, é óbvio que me congratulo imenso com aqueles que conseguiram votar na opção "a 100 %". Perguntar-me-eis se não estou a entrar em contradição, e eu direi que uma coisa é aquilo que eu acho mais plausível e outra o ideal de vida. Quem conseguiu chegar a este patamar, está de parabéns.
  4. Aos que escolheram a 4ª e a 5ª opção, remeto-os para um post anterior que responde à pergunta “Para que foi inventada uma Quaresma?”.

Com os olhos postos na Páscoa e naquilo que deve ser a raiz da nossa fé, hoje surge nova sondagem. E a pergunta é muito simples e directa:

Acreditas na Ressurreição?

15 comentários:

sónia disse...

Eu creio que o problema se resume ao facto de as pessoas regerem muito os seus hábitos e modos de vida por influência da colectividade contemporânea..

Se a religião não está "na moda" a maior parte é indiferente às suas tradições...o que é triste, de facto.

Para mim, a Quaresma é sem dúvida um excelente período de reflexão..

Miki disse...

Ainda hoje, nem de propósito, tive uma discussão (no sentido de troca de ideias, apenas) no trabalho, por causa da sexta-feira Santa...
E isto a propósito de eu ter afirmado que, dê por onde der, não trabalho nesse dia. A resposta não se fez tardar: "se todos pensassem assim ninguém trabalhava" ou "gostavas que não houvesse médicos de serviço se precisasses de um nesse dia?". Por muito que tentasse, não consegui fazer passar a ideia principal: que uma coisa é "poder" guardar o dia, outra é o "querer". Não é grave não guardar por não poder, o grave é não querer guardar...

Já agora, uma pequena pergunta para muitos dos que se dizem católicos e, podendo, não guardam a sexta-feira Santa: há pouco menos de 2000 anos, alguém morreu por nós, para nos salvar. Será assim tão descabido deixar de trabalhar um único dia, em memória de tão grandioso acto?

Canela disse...

Pe. amigo já votei, é secreto!

Deixo-lhe apenas uma dica; irei "gastar" uma semana das minhas férias, para melhor viver a Semana Santa!

A Paz de Cristo.

P.S.: Gostava que desse lá um "saltinho"...

Teodora disse...

Quanto à sua mais recente pergunta, sinceramente sinceramente... tem dias.

No que se refere à sondagem anterior votei sou indiferente, porque acho de pouca eficácia a existência "do dia do... ou da...". Ou efectivamente se mudam atitudes ou então é perda de tempo.

Não adianta a existência do dia da alimentação se nos restantes não se criam as condições/não mudamos as atitudes para uma nova e melhor vida.

As pessoas têm que se "autovigiar"
o ano todo a todos os níveis.

Não adianta irmos ao domingo cheiinhos de boas intenções à missinha, ajoelhar, comungar dar esmolinha e depois são só cenas tristes.

Anónimo disse...

Olá.

Acredito na ressurreição.
Mas muitas vezes, naqueles momentos mais maus, pergunto-me: o que é isso. Talvez nesses momentos era quando eu deveria ter mais fé...

Um abraço

Alexandra

idalina disse...

Nesta sondagem não votei. Não o fiz porque penso que a resposta à pergunta não é, em consciência, quantificável. Eu preocupo-me em viver (acho que a palavra cumprir não se adequa, soa a obrigações) o que é a Quaresma, do mesmo modo que o faço ao longo de todo o ano, de acordo com o que sinto enquanto católica e a quadra em que nos encontramos. Se o consigo plenamente, não sei, em termos percentuais muito menos, mas tento...

Vida disse...

Olá!

"Quem crê em Mim, jamais morrerá".
Acredito que a morte é a festa da Vida! Apesar de ser tão difícil aceitar a morte e compreende-la.
MJG

Moçambicano disse...

Bom Domingo de Ramos a Tod@s!
Caro Amigo Padre Confessionário, os resultados da sondagem "Acreditas na Ressurreição?" não são muito animadores...
Se calhar é porque temos andado - e parece que continuamos a querer "ir por aí" - numa de Teologia do Pecado (abordagem "canonista" do aborto, preservativo, divórcio,... fechando os olhos a outros pecados), e pouco numa de Teologia da Esperança.
Não sei, isto sou eu só a alvitrar...
Mas penso que era urgente o meu caro Amigo "vir a terreiro" animar um bocadinho as hostes.
É que a Páscoa é daqui a uma semana... e arriscamo-nos - pelo menos alguns -, a ficar pela "6.ª feira santa".
Um grande abraço!
Boa Semana Santa!
Moçambicano

Antonio Valerio, sj disse...

Foi um óptimo exercício para ver como a Quaresma na prática está a ser vivida por mim, obrigado! Fiquei surpreendido com um bon número que poe 100%, é estimulante.. Quanto á primeira, acho que muito disto passa por ser mm indiferente, no caso de não se ser praticante, ou porque os sinais exteriores não estão a ajudar ou não são bem percebidos ou comunicados. São desafios para todos nós! Obrigado e boa semana santa!

sónia disse...

Alexandra,

É nesses momentos que a fé ajuda-nos a «ressuscitar» a alma!
Pois por mais maus momentos que passem por nós a vida reserva-nos sempre novas oportunidades...
Acredita em mim!

Beijinhos

Anónimo disse...

Olá conf.

Mas afinal o que é que os 25%,50% e 100% dos penitentes que votaram sim, fazem mesmo na quaresma?

CUMPRIR ou VIVER ?

CUMPRIR a sexta feira Santa, porque é mesmo feriado e não se trabalha. Mas o que se faz mesmo nessa sexta feira? Vai-se as compras,vai-se até á praia, descansa-se?

Ou VIVER a sexta feira santa, porque foi nesse dia que Jesus morreu. Viver como? Refletir, procurar as varias celebraçoes religiosas, participar nelas se for possivel.

E o resto da quaresma? O que é que fizeram? Viveram-na, ou cumpriram-na?

Se só a cumpriram porque estava no calendario, isso é muito pouco.

Lanço o desafio aos penitentes deste confessionário, como é que vocês estão a VIVER este tempo da quaresma?

Um abraço.
Alexandra

sónia disse...

Olá, Alexandra,

Eu sou da opinião da Teodora..
As boas acções não se devem dividir no ano por épocas próprias para o efeito. Devemo-nos lembrar de Deus e dos outros todos os dias e não sermos cristãos só 'de vez em quando'!

Por isso, como deves calcular, o meu calendário nesta época não muda muito nesse sentido..

Contudo, não esqueço que é um momento do ano especial para reflectirmos sobre o mistério da fé de uma maneira subjectiva.
É assim que eu vivo a Páscoa..

Beijinhos e uma boa Semana Santa para todos

Confessionário disse...

Moçambicano, tnho pensado muito no que disseste e tenho feito uma revisão à minha vida, aos meus pensamentos, homilias e escritas...

... e torna-se muito interessante verificar em que direcção faço, escrevo, penso, falo: quase sempre numa teologia de esperança, confiança, amor de Deus. Ainda há dias alguém dizia que eu escrevia muito sobre a força e onde encontrá-la. Na altura fiquei a remoer essas palavras e, depois de te ler, reforcei esses pensamentos.

Nunca me imaginei adepto de teologias. Só quero ser adepto de Deus.
Mas ultimamente tenho pensado no "porque escrevo, penso e falo assim???!!!"

PS. Mas há dias fui confrontado com essa do preservativo e assim que tiver tempo vou escrever o que aconteceu. lol

Confessionário disse...

INFORMO QUE RETIREI 750 VOTOS DA SONDAGEM QUE ESTÁ NO SIDEBAR, PORQUE EM APENAS UM DIA ESTA SUBIU ESSE NÚMERO SEM JUSTIFICAÇÃO APARENTE.
ASSUMO A RESPONSABILIDADE DESSE ACTO: 750 VOTOS NA 4º OPÇÃO

sara disse...

eu acredito na reencarnação e não na ressureição, a ressurreição é um absurdo, a alma (espirito) é imortal e reencarna tantas vezes kuantas forem precisas até ser um espirito puro isto é um anjo.