sábado, junho 25, 2016

A justiça de Deus

Estava em pausa para um delicioso café com uns paroquianos quando da mesa ao lado e em tom de meter-se com o padre, se ouviu um Deus devia ser mais justo. O senhor que proferira a frase explicou depois, dirigindo-se na minha direcção, que achava que Deus deveria ser igual para todos. E que deveria fomentar na terra a igualdade de oportunidades. Porque é que alguns tinham tanto e outros tão pouco! E porque é que os maus eram os que mais sorte tinham na vida! 
A ocasião deu-me a oportunidade de abordar o assunto da forma como o tenho pensado muitas vezes e que agora resumo. Nós estamos embrenhados na justiça dos homens, num tipo de justiça que trata ou quer tratar todos por igual. Basta imaginar o que numa empresa fabril é considerado como igualdade de direitos e de remunerações. Deus não funciona assim. A justiça dos homens também é costume traduzir-se no tratamento por merecimentos, isto é, uma justiça que opera segundo se merece. Deus não funciona assim. A justiça de Deus não é como a justiça dos homens. 
A justiça de Deus não é fazer igual aquilo que não o é, porque completamente distinto e único, nem fazer como se merece. A justiça de Deus é fazer como se precisa. Como cada um precisa. Nem sequer é como cada um quer. É como Deus entende e sabe que cada um precisa. Não é tratar por igual, mas com o mesmo amor. A justiça de Deus é a justiça que ama.

7 comentários:

Anónimo disse...

Depois de uma resposta desta...Eu enfiava a cara na terra e sumia. Se fosse o velho. Nossa! Kkkkk. O sr é fraco não.

Anónimo disse...

Existe uma expressão popular, que hoje em dia sou incapaz de ouvir sem chamar a atenção de quem a profere: "Deus não dorme". Simplesmente porque ela é sempre proferida com a conotação do castigo. E se asim fosse, eu e pior ainda, as minhas filhas duas crianças inocentes, teríamos com certeza cometido pecados gravíssimos para sermos merecedoras da cruz que carregamos.

Este argumento deixa normalmente as pessoas, a quem chamo a atenção e que usam e abusam do Deus não dorme, a reflectir.

"A justiça de Deus é fazer como se precisa. Como cada um precisa."

Sem o tom desafiador do senhor que te interpelou, até porque conheço o "colo de Deus", ainda assim ouso perguntar-te, porque é uma questão que me inquieta. Uma mãe "precisa" ficar viúva com filhos em idade de colo? Um pai "precisa" de ver um filho a sofrer e a morrer?

Eu Eu disse...

Graças a Deus que a justiça de Deus não é igual à dos homens...

Anónimo disse...

Que bom seria, se muitos pudessem ouvir, ou ler esta explicação.
porque quando se fala de justiça, é mais aquela justiça de que "não vemos uma trave nos nosso olhos, mas vemos um cisquito nos olhos dos outros".
Obrigada.
Bj

Confessionário disse...

26 junho, 2016 23:54

Não é uma mãe que "precisa" ficar viúva ou um pai que "precisa" ver o filho sofrer e morrer. Deus deu de certeza algo nessa ocasião, porque esse pai e essa mãe precisavam desse algo, embora se calhar agora não saibas bem que Deus te deu nesse momento e que precisavas.

De qualquer modo, o que tu me perguntas vai noutro sentido, que é o da fragilidade humana. Nós somos frágeis. Por isso nos ocorre, indiferentemente de quem sejamos, coisas como as que imagino que descreves. Até nisso se poderia ver a justiça de Deus (digo eu) que não selecciona quem sofre ou quem morre. Simplesmente acontece independentemente dos nossos merecimentos (sejam de fé sejam de situação de vida).
Tens de ver essa situação neste prisma e descobrir que, apesar de ser difícil, provavelmente tens Alguém a teu lado a dar-te a força que precisas... É isso que nestas circunstancias Ele faz: não nos resolve os problemas, mas dá forças par os resolvermos.

Febe disse...

É justiça de Deus a redistribuição equitativa dos bens da terra com igualdade de oportunidades...sim a justiça de Deus também passa por aí...mas ela é maior e melhor...porque se junta à Sua misericórdia .... que não altera a ordem da fraqueza da nossa humanidade mas fica connosco nas horas amargas e duras em que a sua Paixão se faz nossa.

Anónimo disse...

eu não gosto de ver ninguem falar assim para provocar o "Padre"
mas a revolta dos pobres hoje é tão grande , tão grande
depois temos os mídea a mostrarem nos a toda a hora que a vida só Sorri para quem é´gatuno e bigarista--

Beli