sábado, junho 11, 2016

A Igreja da senhora Matilde ou não

A senhora Matilde teve a coragem de me dizer que não precisava da Igreja para nada. A mesma Matilde que marcara reunião com o pároco, isto é, comigo, por causa de um baptizado que queria da Igreja. Faz parte, por conseguinte, daqueles meio cristãos que se dizem inteiramente cristãos e que vão em busca da Igreja quando sentem necessidade, cultural ou festiva, específica da Igreja. Uma necessidade que lhes vem dos seus antepassados e não provavelmente de Deus. Continuava a senhora Matilde a conversa, olhando o relógio do telemóvel, porventura com medo que o tempo corresse atrás de si, dizendo que acreditava em Deus e isso bastava. 
Perguntei-lhe então se tinha fé, e repetiu o que afirmara antes, que acreditava em Deus. Com três ou quatro observações desconstruí e desarmei as afirmações da senhora, mas a ocasião fez a reflexão, e da reflexão vieram as perguntas sobre quem fez a Igreja ou quem a fundou, e qual a sua necessidade verídica. Essa reflexão acabei por fazê-la em casa, no meio dos meus papéis. 
Jesus não fez uma Igreja. Não encarnou para fundar uma Igreja. A Igreja é de Cristo. Mas o que fez a Igreja foi o impacto que Ele teve nas pessoas. Podemos dizer que houve dois impactos. 
O primeiro tratava-se do impacto que a pessoa fascinante de Jesus provocava. Uma pessoa, como alguém dizia, com uma harmonia, equilíbrio e personalidade fora do mundo habitado. Foi este impacto que originou os discípulos, isto é, aqueles que seguiam Jesus como um mestre. 
Depois veio o impacto da ressurreição que provocou nos discípulos a necessidade de serem missionários, isto é, de partilhar a graça que haviam testemunhado. Este foi o impacto genuíno da fé. O impacto que originou aquilo que hoje chamamos fé. Foi ele que, com o tempo, gerou a Igreja, o conjunto dos discípulos missionários que não podiam mais calar a vida que os habitara após o encontro com Cristo. Foi esse impacto, a que a Igreja dá o nome de Espírito Santo, que, embora não fundando propriamente, gerou no coração dos discípulos a necessidade prática da Igreja como instrumento para continuar a missão do próprio Jesus. 
Que pena que tantas vezes pareça ainda não termos tido esse impacto em nossas vidas e que pena ainda confundirmos a Igreja de Cristo, que é humana, com uma instituição meramente de homens.

5 comentários:

Sofia Antunes disse...

A Igreja é feita de Homens e estes podem professar de diversas formas a ideologia/Fé que Cristo deixou.
Cada Homem tem uma forma diferente de viver e transmitir a Fé e, às vezes, a forma de comunicar/transmitir essa Fé cria sentimentos diferentes nos outros homens!
A palavra que Cristo deixou e foi transmitida pelos primeiros Apóstolos é profunda. Mas as "actualizações" e "adaptações" feitas aos tempos modernos, para que chegue mais além, nem sempre surtem os efeitos pretendidos.
O impacto provocado há 2000 anos ainda existe!
Falta, na minha opinião, a alguns dos actuais discípulos a paixão sentida pela palavra que foi deixada por Cristo. A paixão pela palavra para tocar os outros, a paixão que transformou os discípulos em missionários, a paixão que transforma a palavra em Igreja, a paixão de se permitir tocar para mudar e criar impacto. Porque a Igreja é feita de Homens e edificada por homens para dar corpo à Fé!
Nem todos têm o dom da palavra, mas a verdade é que nem todos estão disponíveis para ouvir a palavra... infelizmente!
Mas podemos tentar manter e alimentar o impacto deixado por Cristo! Depende de cada um de nós deixar-se cativar...

JS disse...

Alguém dizia que a verdadeira fé começa quando não precisamos de Deus, quando Ele se torna um luxo nas nossas vidas. Poder-se-ia dizer o mesmo da Igreja...

Por outro lado, também se poderia dizer que o que a senhora Matilde precisa (devia precisar) não é da Igreja, mas de ser Igreja. Ou, melhor, que quem realmente precisa somos nós: nós é que precisamos da senhora Matilde na Igreja, para fazermos Igreja.

Mas, sobretudo, Deus precisa da senhora Matilde. Dentro ou fora da Igreja.

Anónimo disse...

"o conjunto dos discípulos missionários que não podiam mais calar a vida que os habitara após o encontro com Cristo."
É isso mesmo...esse impacto faz muita diferença nas pessoas que realmente o sentiram, uns com mais intensidade do que outros, mas faz sempre a diferença, e principalmente nestes momentos...
Obrigada por esta bela reflexão.
Era bom que muitas pessoas a pudessem ler, acredito que lhes faria muito bem.
Bj

Paulina Ramos disse...

"Jesus não fez uma Igreja. Não encarnou para fundar uma Igreja. A Igreja é de Cristo. Mas o que fez a Igreja foi o impacto que Ele teve nas pessoas."

Magnifica esta afirmação!

Anónimo disse...

Padre, também adorei a frase que a Paulina salientou. Fantastica