sábado, outubro 18, 2014

Os pecados que são sempre os mesmos

Queria confessar-se. Porém, envergonhada, disse-me que trazia os mesmos pecados de sempre. Afinal são sempre os mesmos, padre. Isso, além de a irritar, cansava-a. Por isso nem sabia se devia confessar-se. Ou se era digna de usar a confissão para confessar pecados que eram sempre os mesmos. É que a confissão exige arrependimento, e arrependimento exige o desejo de mudar. Pelos vistos, ela não mudava.
Sentara-se a meu lado, resignada sem querer resignar-se. Ajude-me, senhor padre. O pedido era sincero. Muito sincero. Diga-me lá, disse eu, se nunca, mas nunca mesmo, conseguiu evitar algumas ocasiões desses pecados. Isso sim, senhor padre. Imagine então que de dez vezes que era para cometer os tais pecados que são sempre os mesmos, conseguiu evitar cometê-los duas vezes. O mesmo é dizer que só os cometeu oito vezes. Ora nós também devemos valorizar as vezes que fomos capazes de não cometer os tais pecados que são sempre os mesmos. Foram só duas vezes. Mas foram duas e não foram uma ou nenhuma. Assim, na verdade, crescemos e o perdão de Deus é mais agradável em nós. Deus sabe que foram oito, mas podiam ser dez. Ele sabe que foi fraca oito vezes, mas que também foi forte duas.
Porque nos havemos de amarrar aos pecados que cometemos e não às ocasiões em que fomos mais fortes que eles! Nunca tinha pensado nisto e assim, disse-me. Já aprendi uma coisa nova hoje. E melhor que isso, no final levantou-se mais feliz da cadeira das confissões e dos pecados.

14 comentários:

Anónimo disse...

Porque nos havemos de amarrar aos pecados que cometemos e não às ocasiões em que fomos mais fortes que eles! - Em algumas pessoas este procedimento acaba por servir para perpetuar o comportamento desadequado, pelo que acho que essa "estratégia" deve ser usada apenas nalguns, não em todos, mesmo sob pretexto da caridade e do perdão.

Anónimo disse...


Sempre os mesmos pecados!...
Mas um dia foram menos dois!...
Que bela lição, para o nosso arrependimento, e prepósito de emenda. Deus terá olhado com mais amor e ternura para esses dois, fruto do esforço e fé que os acompanhava, do que para os outros oito. Nas contas de Deus, o que vale é o AMOR...
Boa noite.

Anónimo disse...

Um dia fui-me confessar. Ajoelhei e
disse: Padre, trago aqui novamente os mesmos pecados!... Ele olhou
para mim e disse-me: Mas certamente
o teu arrependimento não é o mesmo.
Tens razão. Deus tocou todo o meu ser. A minha vida mudou. Sinto-me uma pecadora arrependida. Aí, Falei tudo. E o sangue de Cristo me purificou,com a benção do Sacerdote.
Quantas pessoas, se aproximam do Padre, carregadas de pecados,num sofrimento enesplicavél... Saim da confissão aliviadas, alegres, pelo perdão que através do Sr.Padre Deus lhes concedeu! Obrigado Senhor, por todas as vez
que me perdoas-Tes. Obridado Padre, pela tua acção em nome de Cristo.

Anónimo disse...

É verdade, nós estamos sempre a aprender...,e este ensinamento acho que serve para muitos de nós.
Obrigada, por estes pensamentos (ensinamentos), que até são simples, mas que nos passam um pouco ao lado, pois ás vezes esquecemo-nos que Deus dá-nos oportunidades que nós achamos que por serem tão simples (ou pequenos) Ele não os anota a nosso favor.
"Eu acredito, que o Seu amor é infinito..."
bjs
MM

PR disse...

Bom dia!

Faço uso deste espaço para me confessar!
Para confessar o que trago naquele silêncio que falavas num dos teus poemas.

Um silêncio sem ruídos, um silêncio doido pela dúvida da Tua ausência ou da Tua permanência junto de mim.

Todas as dores parecem apagar-se ante a da Tua ausência.

Quem és Tu pergunto eu?
Onde estás quando o meu corpo grita por um gesto de ternura, uma palavra compreensiva.

Onde estás Tu?
Quando chamo por TI?
Quando penso que Te descobri, descubro que me perdi de mim mesma esperando encontrar-me em TI...
Que grande confusão vai no meu interior
Chamo fundo por TI
Responde-me o vento que me fala da fragilidade dos sentimentos...
Responde-me a chuva que me fala da secura dos sentidos...
Respondem-me as ondas do mar que num vai e vem mais ou menos constante e mutável me dizem que tudo se transforma à sua passagem dando origem a diferentes contornos.
Hoje em particular, grito-te a solidão...
E Tu o que fazes?
Respondes-me com o silêncio que rasga e desnuda o meu interior.

QUERO QUERER-TE SEM MOTIVO...
QUERO AMAR-TE SEM MOTIVO...
PERCEBES???

É esse o meu maior desejo... e o meu maior pecado... querer-TE sem motivos e sem prévia intenção...

Hoje digo que Te quero porque preciso de Ti, e o amor não pode ser isso... não pode ser uma necessidade satisfeita ou o desejo de uma paz imposta pela Tua presença... PERCEBES-ME???

Por isso hoje me confesso grande pecadora que te anseia na necessidade e não na plenitude do meu dia que amanheceu tão ventoso tão cinzento e tão molhado...

Anónimo disse...

19 Outubro, 2014 14:29

Embora possa não resultar em todos, a meu ver o importante é a misericórdia de Deus a actuar e não a força do demónio.

No caso descrito, acho muito bem, pois trata-se de alguém que desanima por não conseguir evitar os mesmos pecados!

Acho que resulta em todos os que de facto pretendem arrepender-se! Os outros nem se confessam!

Anónimo disse...

19 Outubro, 2014 14:29

A força do demónio? conceito engraçado no mínimo... se acha muito bem, e se for padre ponha em prática. Poderá é nem sempre ter bons resultados, mas quando se age por convicção confia-se nos resultados, mas não deverá a confissão ser por vezes menos pensar e mais ser canal de Deus?

Febe disse...

70X7....é aí que Jesus nos dá força para que sempre tentemos uma e outra vez recomeçar...

Carla Isabel disse...

É isso mesmo!

Obrigada pela partilha!

Anónimo disse...

quem não se confessa não quer saber se tem pecados ou não, pois não tem se quer conciência deles... O melhor é não ter conciência deles... para não se ter de confessar...

Anónimo disse...

70X7... mas alguém sai da confissão sem ser perdoado? Quase nunca. Fala-se aqui de conceitos totalmente diferentes. Despenalizar em conversa o erro não é o mesmo que perdoar

Anónimo disse...

Confessionário,

Preciso falar e não tenho quem me escute.
Preciso de um abraço de um gesto de ternura e ... de alguém que me escute apenas com serenidade e muito amor.

As forças esvaem-se sem que o consiga evitar... não tenho a quem recorrer.

Estou tão cansada de ocultar a situação que me sinto a desistir.

Antes de vir para aqui passei algum tempo a olhar o mar.. é tão imenso... tão belo... pedi-lhe que acalmasse o meu sentir... ainda estava escuro devia estar a dormir porque permaneceu impenetrável... molhei os pés e o rosto na água fresca e salgada... senti por momentos um alivio e saí para mais um dia mais uma jornada que se afigura igual a tantos outros...

Muita são as pessoas que me rodeiam é certo mas estou tão sozinha... olho as pessoas ao meu redor em especial as mulheres são capazes de brigar (literalmente) por causa de coisas fúteis banais como a roupa mais ou menos atrevida que uma delas vestiu e que despertou os olhares de determinado homem que por sinal é casado... Toda a gente quer ser o centro das atenções despertar olhares atrevidos... talvez para enganar a monotonia da vida.
Adoram falar e julgar as atitudes alheias sem se darem à maçada de conhecer os motivos que determinam as acções...
Também eu sou um dos alvos sei disso e tem dias que não me importo, mas hoje importo-me porque estou farta.
Troçam de mim porque sou catequista e não me inibo de falar naturalmente do facto, acham que se faço algum trabalho de voluntariado é porque não tenho nada mais para fazer... e por aí fora.
Sei que sou diferente,às vezes nem eu consigo explicar as minhas atitudes uma vez que elas brotam naturalmente, ontem contactei com uma associação da escola que o meu filho frequenta e que ajuda discretamente alunos com dificuldades de todos os níveis e perguntaram-me porque o fazia só lhe consegui responder que era uma necessidade...
"Não há muitas necessidades como a sua ouvi como resposta." não consegui apreender a real intenção desta afirmação.
Olho ao meu redor as pessoas traem-se e são traídas, preocupam-se pouco ou nada em não escandalizar os outros com as palavras e atitudes ainda que sejam cruéis e alguma vezes recorram à força física para se imporem... mas são deveras felizes.
Hoje precisava de ouvir alguma palavras de ânimo sinceras... hoje sou eu que preciso receber um gesto de apreço de ternura mas não há por perto alguém capaz de o praticar.

É triste mendigar desta forma e neste espaço que não passa do que é um espaço virtual (do monitor não sai um sorriso ou umas mãos que peguem nas minhas ou um braços que me abracem) é triste e desolador mendigar um gesto de pura ternura que nunca acontecerá.


Confesso o meu pecado sou egoísta e hoje só penso em mim.

Confessionário disse...

anónima de 23 Outubro, 2014 09:07

Tu queres fazer parte desse grupo que quer parecer o que não é? Não será melhor seres tu de forma autêntica? Por isso não te deixes arrastar por esse grupo de pessoas.
Mais, a quem terás de agradar: a Deus ou aos homens/mulheres?
Será que Maria teria aceitado a grande missão de ser a Mãe do Salvador se estivesse preocupada com o que os outros iriam dizer? E que fez Jesus quando tantos o condenavam?

O meu abraço de hoje são estas perguntas que te faço...na resposta que encontrares vai ainda uma pequenina oração.

Anónimo disse...

Bom dia!
Penso que sei qual a tua intenção quando colocaste as questões, também sei que as minhas respostas te serão indiferentes para ti... mas mesmo assim permite-me responder aqui.

Tu queres fazer parte desse grupo que quer parecer o que não é?
É um grupo que é o que parece e da forma como o descrevi... desculpa a expressão são felizes partilhando os prazeres íntimos uns dos outros, pelo menos a sua maioria, e excluem quem não está disposto a agir como tal, mais grave, misturam o prazer com o trabalho, o que dá uma grande trapalhada.
Sei-me diferente e gosto de o ser mas há dias em que as atitudes são de pura maldade, o que me dói é que me deixo afectar por isso e não sou forte para os ignorar.
"Não será melhor seres tu de forma autêntica?" Claro que sim e costumo dizer que se não gostasse da minha essência já me teria suicidado o que não é de todo mentira, mas sou fraca e desanimo com alguma frequência.
Por isso não te deixes arrastar por esse grupo de pessoas, quero ser forte também por isso.
"Mais, a quem terás de agradar: a Deus ou aos homens/mulheres?"
Tenho que agradar em primeiro lugar a mim mesma dessa forma agradarei a Deus... mas há uma questão que se me levanta com alguma frequência, Deus habita hoje no coração dos homens certo?
"Será que Maria teria aceitado a grande missão de ser a Mãe do Salvador se estivesse preocupada com o que os outros iriam dizer?" Não é propriamente o que os outros dizem de mim que me afecta mas a forma cruel como o fazem... tem dias que me dá náuseas...
"E que fez Jesus quando tantos o condenavam?" Jesus tinha dentro dele a certeza de que o Espírito estava com ele eu não tenho essa certeza... verdade que nada faço a pensar em cair nas boas graças d'Ele penso mais na satisfação que sinto ao fazer algo por alguém.

"O meu abraço de hoje são estas perguntas que te faço...na resposta que encontrares vai ainda uma pequenina oração." OBRIGADA! de coração.