quinta-feira, julho 31, 2014

Os Ses do caminho

Às vezes dou comigo a morrer e pergunto-me que deixo ou que levo comigo. Parece-me pouco. E questiono-me de Ti e de mim, Senhor. E se Tu não existisses! E se eu fosse apenas isto porque sim e não por Ti! E se vivesse dentro de outra vida! E se tivesse construído um lar habitado por uma mulher e filhos! E se fosse mais novo e de novo me fosse dada a oportunidade de escolher outra estrada! Há dias fui entregar os meus fracassos na confissão. Saí de lá mais leve e mais eu. Mas os Ses permaneceram intrinsecamente no âmago de mim. Mesmo sem o peso dos fracassos, o peso das perguntas estão cá. E sei que o tempo não volta atrás e o que não dissermos ou não fizermos hoje, deixa de existir ou não existirá nunca. Hoje vou fazer esta estrada ao volante. Nunca saberei se é este o melhor caminho. Mas sei que a algum lado chegarei.

16 comentários:

Anónimo disse...

Os "ses" permanecem sempre e na vida de todos. Quem escolheu "outro caminho" também se pergunta se fez a escolha acertada. Refiro-me a mim. Não há vidas perfeitas. A única certeza (e mt felizes somos se a temos) é de que o Senhor caminha connosco. Conheces as "Pegadas na areia"?
Um abraço.
CG

Paula disse...

ler-te hoje foi das melhores coisas. trouxe-me paz. a paz de Deus.

Abraço,
Paulita

Anónimo disse...

Ao ler e meditar nos seus "Ses" fiquei perturbado!...
Pedi a Deus por si...
Mas ao reler, Se eu fosse mais novo e me dessem oportunidade de seguir outro caminho, outra estrada!...
Aí encontrei a sua fé viva como sempre. Porque se arragou ao volante
e segui a estrada trassada por Deus.
Ela o levará onde Deus quer que vá morrer, mas morrer de Amor por Ele, e não por...
Linda mensagem!... Que Deus Te ajude a vive-la até à morte.
Obrigado. Boa noite.

Anónimo disse...

Olha Padre conf. Os teus ses. me fiseram arrepiar!...
Já não sei se falas com palavras ou com o coração...
Pelo teu coração vejo que és um homem crente, agarrado a Deus. Pelas tuas palavras por vzes duvido
Então vou rezar muito por ti, para não ficares na estrada errada, mas naquela que te leva ao bom termo.
Bjs.

Confessionário disse...

"Nunca saberei se é este o melhor caminho. Mas sei que a algum lado chegarei."

Anónimo disse...

Os "ses" fazem parte da vida de todos nós. Rezo por si, Sr. Padre, para que este momento de dúvidas se suavize e para que (re)encontre o caminho. Que o Senhor guie os seus passos nesse caminho que, nas palavras de António Machado, se faz ao caminhar. Permita-me recordar um excerto do salmo 22(23):

"Ele me guia por sendas direiras
Por amor do seu nome.
Ainda que tenha de andar por vales tenebrosos, não temerei nenhum mal, porque Vós estais comigo:
O vosso cajado e o vosso báculo me enchem de confiança."

Anónimo disse...



Padre, desculpe-me, mas fiquei assim com a ideia que o que se passa consigo é o seguinte: está a atravessar uma crise de meia-idade! Sente o tempo fugir-lhe e refugia-se nos "anos dourados", como se apenas estes fossem os anos das grandes decisões, susceptíveis de influenciar toda a sua existência. Queria recuar no tempo e alterar as escolhas que fez de acordo com a experiência e sabedoria que tem hoje? Não pode. Aproveite é esta experiência e sabedoria para viver cada dia da sua vida com coragem, sem medos, e sem adiamentos, para que mais tarde não se arrependa do que agora não fez, nem viveu. É tudo uma questão de perspectiva, mais tarde, irá olhar para o tempo de agora e pensar: Era tão novo! Ia tão a tempo! Porque não disse, não fiz, não agi??? Viva plenamente e não apenas "porque sim"!

HELEN SAO PAULO disse...

Entendo vc...Acho um absurdo a igreja impor o celibato...vocação para servir a Deus nada tem com celibato...Se Deus permite que um padre ame uma mulher ao meu ver é porque é de sua vontade esse sentimento...Não podemos controlar o amor...

Febe disse...


Hino da oração das Completas

"Luz terna, suave, no meio da noite,
Leva-me mais longe…
Não tenho aqui morada permanente:
Leva-me mais longe…
Que importa se é tão longe, para mim,
A praia aonde tenho de chegar,
Se sobre mim levar constantemente
Poisada a clara luz do Teu olhar?
Nem sempre Te pedi como hoje peço
Para seres a luz que me ilumina;
Mas sei que ao fim terei abrigo e acesso
Na plenitude da Tua luz divina.
Esquece os meus passos mal andados,
Meu desamor, perdoa o meu pecado.
Eu sei que vai raiar a madrugada
E não me deixarás abandonado.
Se Tu me dás a mão, Senhor, não terei medo,
Meus passos serão firmes no andar.
Luz terna, suave, leva-me mais longe:
Basta-me um passo para a Ti chegar".

Abrigamo-nos dos inevitáveis " ses" na terna luz do Seu olhar.

Confessionário disse...

Os "ses" são eternos, vindos de todos os lados e de todas as bocas, e de todas as vidas. Se não houvesse "ses" nas nossas caminhadas, poderia eventualmente ser sinal de que não nos perguntávamos a vida. Eu pergunto, e muitas vezes. Essas perguntas ou esses "ses" não significam que a gente queira deixar de caminhar. Significa antes que a gente quer ter certezas do caminho. Quer acimentar que este tem de ser o caminho.
Eu não tenho dúvidas de fé nem da minha missão. Mas de vez em quando a gente põe-se a pensar que tudo poderia ser diferente, e quanto mais o tempo ou a idade avançam, mais a gente coloca "ses". Eu penso que deveremos ser todos iguais nisto.

Por isso reescrevi as duas ultimas frases, que são o centro deste texto: “Nunca saberei se é este o melhor caminho. Mas sei que a algum lado chegarei.”

Anónimo disse...


Nisto da vida, não sei se é mais importante a meta do que o percurso. Se nos fixarmos na meta, desprezando o percurso, corremos sérios riscos de ficar desiludidos: chegámos mas não alcançámos. Se nos fixarmos no percurso, sem estabelecermos uma meta, nunca saberemos quando chegámos apesar do que alcançámos. O melhor caminho é o que nos permite chegar ao que queremos alcançar.

JS disse...

Confessionário, lembra-te da mulher de Lot...

HELEN SAO PAULO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HELEN SAO PAULO disse...

Lot???

PR disse...

Quando eu partir não quero levar bagagem.
Quero deixar tudo de mim, em cada sorriso em cada olhar em cada gesto que me foi dado viver...
Para onde vou de nada preciso ecepto da essência do AMOR.

Não vim a este mundo
Para desafiar a mente.
Vim para tocar o coração.
Não sou artista,
Mas tento compor a minha própria sinfonia.
O gesto é o meu único instrumento
O "toque" a minha sinfonia.

Deixar-se tocar em silêncio,
Será o melhor aplauso
De quem se sentiu tocado
pela minha sinfonia.

"o tempo não volta atrás e o que não dissermos ou não fizermos hoje, deixa de existir ou não existirá nunca."
Acredito que o que deixamos de fazer tendo a consciência de que precisaria ser feito será o que nos impedirá de chegar a algum lugar chamado PAZ.

"Parece-me pouco." tal como a mim me parece miserável porque sou apenas o que sou porque sim e não por "TI".
PR

JS disse...

Para a Helen paulista:

Nas bíblias em português de Portugal, "Lot" é a grafia normalmente usada.

Abraço.