quarta-feira, dezembro 05, 2012

Mais uma estrela no presépio deste Natal

Neste preciso momento as lágrimas correm-me pela face sem dó nem piedade, donas de mim e donas deste momento só meu. Estou confuso e elas não estão a limpar nada. Correm-me pela pele sem caminho. Limpo uma, mas depois vem outra, como duas amigas que para onde vai uma vai também a outra. Uma atrás de outra, porque querem contar uma história e não lhe querem dar um fim ou colocar-lhe um ponto final. Estou aqui sozinho com as minhas amigas lágrimas, porque hoje faleceu um grande amigo e não sei como lhe dizer que não queria. E não sei como lhe pedir que volte um dia atrás e me diga a certeza de que o Pai o queria chamar porque neste Natal precisava de mais uma estrela no presépio. Tinha sido meu aluno no Seminário. Tinha sido meu companheiro de lides pastorais. Tinha vinte e sete anos e nada fazia prever que seriam só vinte e sete. Não tinha doença aparente. Só tinha vinte e sete anos. Tão poucos anos para serem, apesar disso, uma grande vida. Muito mais novo que eu. Mas com uma vida muito mais bela que a minha. E digo-o envergonhado, às escondidas, porque um dia me disse que me devia muito da sua vida. Disse-o repetidamente, em várias ocasiões, como se quisesse dizer-me que, acontecesse o que acontecesse, a sua vida foi um pouco da minha. E agora não consigo sequer gritar. As lágrimas não deixam. Tenho as veias por cima das faces a rebentar porque não consigo perceber o que o Senhor me quer dizer desta vez. Andei todo o dia como se não estivesse nem lá nem cá, até que me sentei depois da comunhão, na missa da minha paróquia, e me lembrei do que ele me disse tantas vezes e que agora não entendo, porque não sei o que é dever muito numa vida que só teve vinte e sete anos e que ainda tinha tanto para partilhar, mesmo na Igreja e para Deus. Ou o que significa ajudar alguém a ser como é para que isso dure muito menos que a minha vida. Ou se o Senhor me quer recordar que não devo correr na vida, de trás para a frente, porque ela é que corre. Ou se me quer ensinar a valorizar cada segundo e cada amigo da minha vida. Ou se me quer dizer que os meus são mais dele que meus. E apesar de toda a minha fé e da certeza que tenho na vida eterna, não consigo limpar todas as lágrimas, pois são muitas. Quero pensar que o meu amigo de vinte e sete anos está no céu a rir-se comigo e para mim. Porque ele era assim. Um jovem que dava importância a cada coisa bela da sua vida na certeza de que Deus estava por detrás delas. Porém, neste ponto desta história, não consigo senão chorar e querer que não tivesse sido assim.

16 comentários:

Anónimo disse...

Queria enxugar-te as lágrimas… mas as minhas também não param com a tua dor aqui expressa em palavras que jamais trarão até mim a outra dor real que só o teu coração que foi abraçado por ela sabe dizer e sentir…

Possa, hoje estou mesmo magoado com tudo… vou mas é deitar-me antes que diga alguma asneira... mas um homem também não é de ferro…

...olha amigão, perdoa-me por não ser ajuda… um abraço ainda que confuso e perplexo por tanto deserto e tantas provas...! Misericórdia…

Anónimo disse...

Meus sentimentos .Não entendemos muitas vezes .Mas,é muito bacana qdo alguém que parte deixa saudades .Sinal que foi alguém que fazia sentido e nos ajudava a encontrar mais sentido .E este sentido vc guarda no coração e usa como seta na continuação desta trilha misteriosa que é a vida .Devemos seguir ,mas podemos e devemos sentir sim as partidas.Somos humanos e não máquinas.Fique bem.LUZ.

https://www.youtube.com/watch?v=OKriLX4r_DY
Enya-Long long journey

Filha de Maria disse...

Padre amigo, ou amigo Padre (um dia descubro)...

Foi um "filho" que lhe morreu! Padre é pai, e os filhos devem sempre a sua vida aos pais. Deixe correr as lágrimas, elas lapidam as arestas aguçadas da dor!

Agora tem um "filho", a interceder por si, junto do Pai Celeste.

Beijinho fraterno

Vilma Correia disse...

Agora, vemos como num espelho desfocado. Um dia, veremos face a face e tudo compreenderemos!
Um abraço em Cristo, que nos une e nos consola!

Anónimo disse...

Chorei ao lê-lo.
Comecei a chorar quendo li esta frase "...não consigo perceber o que o Senhor me quer dizer desta vez. ... "
Queria dizer qualquer coisa mas não encontro nada.


Adalberto Macedo disse...

Confessionário,
No ciclo da vida há partidas e chegadas! O anunciar dum casamento, dum batizado, o som alegre dos sinos ameniza o choro triste do enterro que passa…
O asfalto, que torna seguras as estradas, é o mesmo que rouba o cheiro precioso da terra molhada. Pior do que a tristeza por uma jornada que termina a meio é o desalento para iniciar outra, que um dia também acabará, não sabemos quando ….
Não são as pedras do caminho, que deves temer; mas o medo de percorrê-lo. Outros caminhantes encontrarás, que feridos como tu, estão à espera da tua mão para caminharem juntos e alcançar o sonho que está para além das pedras … para além do cansaço …

Maria disse...

Meu amigo, queria dizer-lhe qualquer coisa de diferente, mas não consigo. Sinto a sua dor. Também eu fiquei chocada, uma vida que o Pai levou na flor da idade...porquê? os desígnios de Deus são insondáveis.Que o Senhor o tenha no céu, será certamente mais uma luz no seu presépio deste ano.
Beijinho
Maria

Ana Melo disse...

Aperta-se-me o coração. Também por um pai uma mãe e o padre da minha paróquia adoptiva, Cantanhede, onde ontem uma criança foi atropelada, quando atravessava a estrada. Ia para a catequese. (no garoto os ferimentos são graves, para o pai que assistiu ao atropelamento a dor será enorme). Sofro/Rezo convosco. Também pela pessoa que atropelou. Não estamos livres de uma situação destas.

Anónimo disse...

Quando realmente a dor é maior que tudo o resto, fica tão pouco :( É tão solitário e absolutamente tristes essas parcas vezes que nem sequer se põe nada em causa, ao contrário do que muitos pensam. Procuramos ser confortados, apenas. É mais profundo, deixa-se de procurar a causa e apenas se desejava que as coisas não tivessem sido da forma que o são. É nesses momentos de Morte fisica, emocional ou espiritual, que a esperança não cumpre o seu compromisso de não nos abandonar e morre. Quanto mais pensamos que entendemos da Vida,menos entendemos. Mas não será essa a lição, que só temos o presente e temos que o cuidar o melhor que conseguirmos de nós e dos outros? O seu Amigo, pelo seu testemunho,nos seus poucos anos conseguiu deixar uma memória Presente no dia a dia dos Outros. (tal como o Padre, sem nos conhecermos pessoalmente, deixou na minha vida) Bem hajam

Maria Oliveira

Joana ;) disse...

Padre amigo;

Ninguém parte na véspera, todos temos o momento certo para partir. Sei que às vezes a morte não parece justa, no entanto o mundo em que vivemos, está cheio de injustiças.
Agora com certeza, não saberemos o porquê da partida, é apenas o momento de chorar, de sentir saudades, de lembrar o que foi dito e não dito.
Mas, temos de continuar, pois tal como este seu amigo que partiu, também nós um dia havemos de embarcar e mais estrelas brilharão no céu para outros.
Tenho a certeza absoluta que neste momento, ele está muito melhor que todos nós...

Um grande bjinho de ânimo!

Moçambicano disse...

Olá, Caro Amigo P.e "Confessionário".
Olá a Tod@s quant@s por aqui passam.

Antes de mais, o meu Abraço solidário ao nosso Amigo P.e "Confessionário".
Também eu choro, nestes dias, a Partida - deveria dizer a "Páscoa" -, de uma querida Amiga, que apesar dos seus 79 anos ainda tinha muito a dar à Família - especialmente ao Marido e à Filha, aos Amigos, à Igreja, a Deus e ao seu Reino.
Mas quero procurar continuar a pensar que tenho mais uma Santa junto do Pai, a velar por mim...
E por isso agradeço-Vos a Tod@s que comentastes, o "tom geral" de Solidaridade e de Esperança. Como disse um teólogo: "A Esperança do Outro activa a minha Esperança".

Sem menosprezo pelos restantes comentários, destaco um trecho do "Adalberto Macedo":
"Não são as pedras do caminho, que deves temer; mas o medo de percorrê-lo. Outros caminhantes encontrarás, que feridos como tu, estão à espera da tua mão para caminharem juntos e alcançar o sonho que está para além das pedras … para além do cansaço …"

Isto faz-me pensar: "O que deve ser Um Padre?"
E fico contente por o nosso Amigo "Confessionário" também neste "post" nos mostrar "o que também deve ser Um Padre":
- "Um Irmão na Fé e na Esperança", com "feridas" como nós, mas que "nos estende a mão", de "igual para igual", para Caminharmos Juntos na busca do SONHO que Deus "plantou" nos nossos corações. Um Sonho com sabor a Comunhão Plena (logo eterna)...

A Tod@s desejo
A Continuação de
Um Bom Advento!

Um forte abraço.

Moçambicano

Moçambicano disse...

Olá de novo a Tod@s.

Partilho convosco um Pensamento da Mística - e Mártir (foi morta a 09 de Agosto de 1942, aos 50 anos, no campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau)-, EDITH STEIN:

«Perante a inegável realidade de a minha existência ser fugaz, prorrogada, por assim dizer, de momento em momento e sempre exposta à possibilidade do nada, está outra realidade, igualmente irrefutável, que me diz que, não obstante esta fugacidade, Eu sou, e que, momento após momento, sou Conservado no Ser e que, neste ser fugaz, colho algo de Duradouro. Sei que sou conservado, e, por isso, estou Tranquilo e Seguro: não que esta segurança me advenha por virtude própria; antes, é a doce, feliz Segurança da Criança segura por um Braço Forte, segurança que, objectivamente considerada, não é menos da ordem da razão. Ou seria “da ordem da razão” a criança que vivesse com um medo permanente de que a sua mãe (DEUS) a deixasse cair?».

Outro forte abraço a Tod@s.

Moçambicano

Anónimo disse...

Olá Amigo!

Como é habito, vim visitar-te. E dou contigo a chorar...as mesmas lágrimas que todos choramos. Os olhos fizeram-se também para chorar...fonte de amor...Palavras?...sobem no ar e vão-se. As lágrimas são quentes e consolam o c coraçãoe saram..., principalmente, quando a dor é enorme. Um grande abraço
Joaquim

Ruth Bassi disse...

Padre,e sempre com angustia que se recebe a noticia da morte dum familiar ou amigo, principalmente se o sao do coracao. Nao entendemos porque, mas temos de aceitar a vontade de Deus e pensar que, estando junto dELE, irao interceder por nos e um dia os voltaremos a encontrar. Exige algum esforco mas, com o tempo, a dor dara lugar a saudade e a esperanca do reencontro.
Beijinho
Ruth

José Cabral disse...

Jesus chorou frente à pedra tumular de Lázaro... As tuas lágrimas também são para a maior glória d'Ele...

Luz disse...

Boa noite padre.
Ao ler, este seu desabafo fiquei comovida e com vontade de lhe enxugar essas lágrimas de sofrimento e dor.Como uma mãe abraça o seu filho, quando o vê triste e amargurado...(
Apesar de sabermos que a doença e a morte fazem parte da nossa vida de seres mortais é sempre doloroso perder um amigo, o que nos vale é a esperança na vida Eterna.
A morte biológica é uma realidade mas acreditamos que na outra margem da vida está DEUS de braços abertos a acolher e a dar uma vida nova aos seus filhos.
O seu amigo será uma luz no seu caminho.
Um grande abraço amigo.