quinta-feira, setembro 08, 2011

(in)completa 2

Seriam umas dez da manhã. Estava sentado à secretária, descalço. De manhã ando descalço dos pés. Às vezes ando descalço da vida. Não era o caso. Rezava as Laudes. Mas quando a campainha tocou, senti-me mais descalço ainda. Desprevenido. O toque fora muito subtil, mas sonoro o suficiente. O tempo de me calçar foi insuficiente para pensar quem estará à porta. Não me penteei, que estava penteado. Não são horas de direcção espiritual, desabafos ou parecido. Enquanto atravessei o corredor, pensei nalguma santa com um saco de pêssegos. Encostei a mão à chave e a cabeça à porta. Abri com um sorriso de acolhimento. Depressa se transformou em sorriso de admiração e surpresa. Ou constrangimento. O meu bispo. Era o meu bispo...

Se queres ser tu a decidir o rumo desta história, então o "(in)completa 2" é para ti. Tens oportunidade de imaginar o final do texto e seres o seu autor. O melhor final será publicado como post. As regras são simples:
1. Para participar, deves enviar o teu texto como "coment"
2. deves dar um nome ao texto (com maiúsculas)
3. deves repetir a última frase na íntegra, retirando as reticências.
4. deves assinar no final, mesmo que seja com pseudónimo
5. deves esforçar-te por não alongar muito o texto (no máximo 600 caracteres, isto é, cerca de 125 palavras)
6. deves respeitar o espírito e personalidade do "Confessionário dum Padre"
7. se o texto for, de alguma forma, abusivo, não será publicado
8. podes participar com o máximo de 3 textos


N.B. Também poderás comentar nos coments os textos dos participantes; se achares necessária mais alguma regra, informa-me!

16 comentários:

Confessionário disse...

Olá, amigos

Vou fazer uma viagem de sonho às raízes da fé. Rezarei por vós. Até breve.

Maria disse...

Não vou comentar como o senhor padre pede, pelo que não conta para o efeito pretendido.
Oh! my God!...
Beijinho
Maria

Anónimo disse...

O ENVIO

Era o meu bispo. Senti medo quando o olhei directamente nos olhos. Ele deviou o olhar, como se estivesse envergonhado."Desculpa"
Senti, como o senti varias vezes durante estes ultimos anos . Aquele apertozinho no coração.
Aquela sensação do fim, do fim da etapa .
"Preciso de ti"
É nestas alturas que eu coloco em questão este meu caminho...
Porque não me deixam terminar esta etapa! Ou talvez a etapa não tenha fim...
Fechei os olhos. Tudo me passou pelo pensamento. Apeteceu-me dizer que não, que chama-se outro, que não me tira-se dali, que eu não queria ir, que não me dava jeito.
Mas surgiu no meu pensamento outras palavras.
As palavras do profeta Isaias. Abrindo os olhos e sorrindo disse-lhe: aqui estou, envia-me.

ALEXANDRA

HD disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
HD disse...

E ”PEDRO” BATEU-ME Á PORTA….
Fiquei surpreendido, pois já há algum tempo que estou na paróquia e nunca tive a honra de uma visita pessoal do meu anterior Bispo. Sim eram sempre oficiais e sempre com muito intermediário pelo meio, tudo muito asséptico e neutro.
Com a mudança de Bispo , alguns colegas tinham comentado, que este era diferente. E nunca entendi ,nem liguei aos comentários de sacristia….
“Posso entrar? Dás-me de beber, caro amigo?”- numa cara bonacheirona, vinha em calças de ganga, camisa, cabeção e…sandálias e pequena mochila a tiracolo.
Sorri e escancarei a porta. Cumprimentou-me com um abraço forte, como se fossemos íntimos há anos.
” Que a Paz esteja contigo, irmão em Cristo!”
“Olha neste primeiro mês, quero conhecer a diocese . E antes de me afundar em gabinetes, longínquos da vida, Deus pediu-me que vos visita-se e aqui ando eu….comecei por ti.”
Bebendo um copo de água fresca que lhe ofereci, atarantado, não sabia o que fazer, como apresentar a paróquia…o nervosismo apoderava-se de mim ” Não te assustes, não vim policiar, mas quero antes que fales da tua paróquia, mostra-me a tua igreja de pedra, mostra-me quem é o teu Povo de Deus, leva-me a casa de alguns paroquianos, quero orar e celebrar contigo, hoje ou amanhã”
Mas vai cá ficar , perguntei atónito?
“Não posso? Não te preocupes, fico em qualquer canto e ajudo-te no que for necessário”
E durante 3 dias decorreu a visita pastoral mais profunda e mais informal, á minha paróquia , que alguma vez eu vivi…
Juntos visitamos famílias, doentes, encontramo-nos com os grupos da paróquia, tivemos 2 encontros e um jantar com os jovens , oramos e celebramos juntos, andamos a pé, visitamos as capelas , falamos muito e sim durante a sua estadia foi um bom ouvinte , fazendo muitas perguntas.
Estive com o meu Pastor que me ouviu…e na ultima noite, quando a conversa já ia bem longa e profunda, deu-me conselhos de irmão mais velho. Por fim deu-me a absolvição…
Partiu hoje, com um sorriso e disse-me: “ continua, quero que dês esperança em Cristo a este povo, sempre que precisares, tens aqui o meu contacto e-mail e o telemóvel, em breve conto ver-te. Acredita, a Igreja de Jesus está viva, disposta a novos Caminhos”
Deu-me um abraço e repetiu :” Que a Paz esteja contigo, irmão em Cristo!” e entrou no velho carro…
Meu Deus, 3 dias alucinantes, mas como eu estava necessitado desta visita ….obrigado!
Era o meu bispo.
H.DIAS
(será que vai ser publicado?)

Anónimo disse...

Um bêbado foi a um culto religioso e ouviu o padre a pregar:
— Deus virá, etc...
— Mentira! — disse o bêbado.
— Jesus vai voltar, blá blá...
— Vai nada! — disse ele novamente.
Então o padre perdeu a paciência e gritou:
— Vou chamar o polícia!
E o bêbado:
— Agora vou-me embora, porque esse vem mesmo!

Anónimo disse...

Boa Viagem !!!

Quanto ao texto... exige alguma inspiração e tempo, ambos deficitários por estes lados !!
Cumprimentos de Evora

Elsa Sequeira disse...

Boas férias pa ti :)
Há muito que não deixava por aqui a minha marca, apesar de passar por cá :), hoje apeteceu-me! Ora aqui fica então a minha história:


CHEGOU A HORA!
Era o meu bispo que estava ali. O assunto é sério, ia eu pensando. Ninguém aparece a estas horas se não for coisa séria, que se passa? Demorei tanto tempo nos pensamentos, que ele teve que me perguntar se não o convidava a entrar. E rimos, como que para desanuviar o ambiente.
Deu-me então a conhecer a razão da sua vinda: Padre x, chegou a hora de partires, para outras gentes, vais para outra paróquia, vai ser bom… O meu bispo continuou a falar, penso eu, mas eu deixei de o ouvir. Um turbilhão de sentimentos inundou-me. O silêncio fez-se presente. Agarrei-me à cadeira, como que não querendo ir, mas, no mesmo instante levantei-me e com firmeza disse: Senhor estou aqui, envia-me.

Teresa disse...

Encontrei, esta manhã, este blog: http://theosfera.blogs.sapo.pt

Achei interessante. Fica á consideração dos leitores. Bom fim-de-semana
Teresa

Anónimo disse...

Será que a conversa mais dos bispos com os párocos é sobre o local para onde vão ou deixam de ir? Acho que isso devia ser resultado da vontade de ambas as partes. Quando não há vontade não há nada.

Há bispos com o perfil de HD?

Bfs

Filha de Maria disse...

Era o meu bispo... também ele me acolheu com um sorriso generoso.
Acabei por rezar as Laudes com o meu Bispo... senti um misto de orgulho e receio... afinal o que o meu bispo me quereria?

Ao sabor de um chá de erva cidreira, disse-me que se sentia preocupado... não comigo, não da forma como conduzo os meus paroquianos, mas com algo que me apoiara desde o inicio - este blog.

Foi franco comigo. Alguns textos têm provocado comentários... menos contidos, em assuntos tão diverssos e alguns bem polémicos (nisso não foi muito claro). Pediu-me para continuar a provocá-los, mas exigiu-me para conduzi-los a JESUS. Que não os deixe perdidos nos seus comentários tantas vezes repletos de angustia, dor... mágoa.

De seguida abençoou-me e partiu... agora sim, estava descalço... não só dos pés...

-----------

Espero que a sua viagem de sonho às raizes da fé, tenha sido um verdadeiros sonho.

Abraço fraternal em Cristo

Angel@ disse...

Olá! Gostei muito do seu espaço: repleto de sabedoria, sensibilidade e fé. Que Deus continue te inspirando sempre mais!
Abraços fraternos,
Angela

nospassosdejesusamor.blogspot.com

D. R. disse...

HD... Eu não sei não... Mas porque estarias tu em dúvida da publicação do teu texto??!
Quero dizer-te que adorei o teu texto... (Infelizmente), Essa imagem não parecia a de um Bispo mas sim do próprio Jesus Cristo. Maravilhoso. Seria bom que algum Bispo assim fosse... Simples de coração, plenamente unido a todos e disposto a visitar os mais pequeninos. Não é uma crítica. Mas é um desejo que trago dentro de mim... Que os maiores da Igreja sejam os mais pequeninos do Mundo... Para que, dando o exemplo, mostrem que Jesus se faz presente em cada um de nós.

Abraço fraterno para ti, HD. (Estou a torcer por ti)

Dulce disse...

O COMPANHEIRO
Era o meu bispo. Sem as vestes eclesiásticas, envergando apenas umas calças de ganda e uma simples camisa de xadrês. O rosto, esse, vinha iluminado pelo seu habitual sorriso. Gosto do meu bispo. Sempre gostei, porque no fundo dos seus olhos quem olhar com atenção avista um garoto irrequieto e terno.
Convidei-o a entrar, tinha café ainda fresco e sentámo-nos como velhos companheiros a quem também o silêncio sabe a comunhão.
- Então o que traz por cá? - perguntei-lhe.
- O que me traz por cá? E se eu lhe disser que venho à procura de um pouco de companhia?
- Sente-se só, senhor bispo?
- Nem por isso. Mas de vez em quando gosto de estar por perto dos meus irmãos, gosto de não ser o senhor bispo, de ser apenas este homem que anda pelos caminhos à procura, como os outros. Gosto de me sentar na beira do caminho, e é mais agradável ter com quem partilhar a paisagem.
Eu olhei para ele.
Gosto do meu bispo, já disse.

Anónimo disse...

EUPADRE

Era o meu bispo, sempre alegre e bem disposto como sempre o conheci! Convidei-o e levei-o até ao eu escritório. Falamos de coisas correntes durante uns breves momentos mas a minha curiosidade aumentava cada vez mais: o que afinal o trás aqui?
Não sei se pensei alto, porque o meu pensamento foi interrompido com as palavras: bem padre, o que me trás por aqui hoje é outra coisa, o seu confessionário. De momentos pensei na minha paróquia, nos momentos de reconciliação com os meus paroquianos…que teria acontecido? A minha expressão de admiração fez soltar uma enorme gargalhada do bispo que me deixou alegre mas por outro lado cada vez mais curioso: mas o que se passa?..não entendo?!
Sabes padre, descobri o teu blog à uns tempos, não foi difícil perceber que eras tu o “eupadre” mas nunca te disse nada, para te deixar à vontade na tua escrita e reflexões, que te digo já que aprecio imenso. Gosto dos teus post e de ler todos os comentários e confesso que como anónimo tb eu comento alguns mais pertinentes. A verdade é que o teu ultimo post me deixou preocupado em perceber que não foste capaz de responder com mais convicção e fé a um dos comentários. Queria apenas te perguntar se andas bem ou se achas que precisas demais apoio espiritual?
Ouvi o bispo com mt atenção e sem o interromper…mas a verdade é que no final não me contive e quem soltou uma enorme gargalhada fui eu…o eupadre.

Mjoão

Anónimo disse...

Era o meu bispo.... logo de seguida, ouvi um barulho; ao de leve, pelo início, ensurdecedor depois. Era o despertador.
Levantei-me e pensei: que palerma! Há cinco anos que estou perdido nestas aldeias e serranias... o bispo enviou-me para cá com a carta de tomada de posse na mão... nunca me telefonou a saber se eu estava bem ou se precisava de alguma coisa.
Vir visitar-me? Só em sonhos mesmo... ou então morri e não sei, e ele veio para as exéquias. E as tantas foi a minha almas que lhe abriu a porta!