terça-feira, maio 11, 2010

Se eu fosse Papa

Não me perguntem se a pergunta tem alguma pretensão, porque não tem. O barro com que se fazem os Papas não é de certeza o barro de prato onde como ou onde comi. Não me perguntem se é uma pergunta, pois pode ser apenas uma afirmação.
Quando era pequeno, aí com os meus oito anos, imaginava que os Papas e os bispos não podiam senão ser santos. Hoje sei que é a missão de cada cristão. Imaginava-os sem limitações, defeitos ou pecados. Hoje sei que não há ninguém no mundo que não os tenha. Há apenas aqueles que se esforçam mais para alcançar a santidade, aqueles que não estão para aí voltados, aqueles que não se esforçam e aqueles que se esforçam, mas não conseguem. Sem dúvida que faço parte do último grupo. Vale-nos o Amor de Deus que será bem maior que a nossa vida. Quero crer que os bispos e os papas fazem parte do primeiro grupo. Mesmo que, muitas vezes, pense diferente do que creio ou quero. Mas isso é a Igreja de Cristo, santa e pecadora, feita de humanidade. Mas isso somos todos nós, homens que não somos deuses. Mas isso faz parte do sonho de Deus que nos ama acima de tudo nas limitações e fragilidades. Mas isso faz parte das afirmações de Jesus que disse vir para os pecadores.
Por tudo isto sei que os Papas são como os outros seres humanos. Por isso sei que os bispos são como os outros seres humanos. Por isso sei que os padres são como os outros seres humanos. Por isso sei que somos Igreja. Por isso sei que os Papas não são mais do que eles próprios. O que os faz diferentes não é a vida, mas a missão. O que nos faz diferentes não é a vida, mas a missão. O que nos faz de Cristo não somos nós, mas é Cristo. O que nos faz cristãos é Cristo.
Por isso se fosse Papa, era apenas eu.

28 comentários:

Maria disse...

Gostei do seu texto, dá para reflectir e muito. Esse caminho da santidade Meu Deus, ele é pedras soltas que nos fazem tropeçar, ele é espinhos nas bonitas roseiras plantadas à beira da estrada, ela é uma estrada por vezes, muito luminosa e outras em que as nuvéns tapam as estrelas. É aquela que temos que percorrer cada um de nós independentemente do seu status quo.
Abraço fraterno
Maria

D. R. disse...

"O que os faz diferentes não é a vida, mas a missão."

É uma grande verdade, amigo Confessionário. :)

E cada missão é diferente porque todos nós temos características diferentes e, por isso, cada um é chamado a uma missão também ela diferente. Cada um tem a sua missão, diferente, distinta de todas as outras. Faz parte da nossa individualidade.

Beijinho*

Jorge Oliveira disse...

Ora nem mais, caro amigo.

A massa é toda a mesma. Por isso acabe-se com o endeusamento papal e toda a idolatria subjacente.

Um abraço.

Vilma disse...

Gostei muito.

Moçambicano disse...

Olá, Caro Amigo "Confessionário".
Olá a Tod@s!

Também eu pensava - até aos meus 17 anos -, que os padres (e bispos, etc.), tinham todos, pelo menos, fé.
A minha estadia de 6 anos em Roma desenganou-me quanto a isso.
Então por aquelas bandas do Vaticano, a falta de fé - daquela com "F" grande" -, é uma coisa assustadora. Carreirismo, isso sim...
Vai-nos valendo a Igreja "da periferia", a Igreja "do serviço", para aí reencontrarmos o verdadeiro rosto de Cristo.
Por tudo isto, eu não queria ser Papa. Livra!!!

Um forte abraço para Tod@s!

E já agora, que a estadia entre nós de Bento XVI corra efectivamente bem. O povo português está a fazer a sua parte...

Moçambicano

Anónimo disse...

(...) Foram apresentadas várias propostas de decoração da cabine do helicóptero. E a Santa Sé não esteve com meias medidas_ escolheu VVIP (very very important person).
(...)Antes de embarcarem, o Papa e o seu séquito vão subir por uma rampa colocada a 25 centímetros do solo, apoiada por dois degraus vermelhos- uma exigência do Vaticano.
(...)a cabine tem ar condicionado e 16 cadeirões de pele branco pérola, emprestados à F.A.
(...) no entanto só irá transportar 12 passageiros.
Quatro das poltrona têm braços de descanso e o chão foi forrado com alcatifa cinzenta.
(...) O Papa terá ao lado um cadeirão vazio,só para apoiar um par de auscultadores.
(...)até os auscultadores são diferentes do habitual. Normalmente são construídos em esponja, mas os de Bento XVI serão de silicone para aumentar o conforto.
(...) Para o caso de alguma coisa falhar, a F.A. preparou uma réplica do helicóptero com interiores exactamente iguais.
in "I" de 12 de Maio 2010.

as viagens são: Lisboa Fátima. Fátima- Porto. Porto-Lisboa.


Não estão em causa as honras devidas a um chefe de estado e ao sucessor de Pedro, que lhe são, obviamente, devidas.
Mas o que pensaria Pedro disto? Como se sentiria?

F.

Teodora disse...

Quando eu era criança e passava o Verão todinho na praia divertia-me fazendo castelos na areia e os seus arruamentos eram amplos e circulares. Eram da largura do meu antebraço. Com ele terraplenava os acessos ao castelo por onde iria passar o exército do inimigo.

O antebraço do meu colega de serviço também terraplenava. Desta vez o exército inimigo era composto por padres. Todos guerreiros, armados, poderosos, manhosos, astutos, argutos, manipuladores, vis, gananciosos, dados ao ócio e aos prazeres da vida. Tudo homens excelentemente bem remunerados e todos, sem excepção, têm ficha de cliente na Mercedes Benz . O dinheiro das missas é todo para eles. Ora olhemos, se a missa é por alma de dez pessoas, faz lá as contas?

E tudo isto porque o dito colega estava incomodado com o facto de todo o dia ouvir falar da visita do Papa a Portugal.

Eu lembrei-o que não gosto de futebol, pago os meus impostos e toda as segundas-feiras ligo a televisão e só tenho futebol nos 6 canais nacionais.

E o dinheiro que se gasta para o Papa cá estar?! Ai meu Deus que lá se vão as cuecas!

Eu recordei-o que a maior parte dos bens são oferta de entidades particulares e quanto a todo o plano de segurança ele também é feito quando um governante de uma superpotência cá vem. Um mês antes as equipas de segurança instalam-se nos locais a percorrem-nas para detectar pontos frágeis e minorá-los. Só que dessas vezes talvez não interesse muito falar do assunto. Porquê tanto frufru?

Quanto a gastos, ninguém se choca com o que se gasta todos os dias do ano, polícia nos campos de futebol, estágios das selecções de futebol, parcerias público-privadas, assessores e assessoras (que como dizia o Pinto da Costa, no meu tempo tinham outro nome!), os contratos com a Mota Engil, directores de piscinas municipais a ganhar 3000€ mês, o João Pinto (homem de grande cultura que levou Portugal além fronteiras com a sua produção literária e artística) que presentemente preside Gaia Nima, instituição cultural, gente que diariamente nada faz nessas autarquias, fundações (fuga ao fisco), institutos públicos, empresas públicas…

Sim, tens razão! Mas os padres têm muito poder. O que eles querem é manipular o povinho. Os padres na missa fazem a cabeça às pessoas. Eles queriam criar um estado sobre o seu domínio. Não estou a ver onde. Se assim fosse, alguns valores morais que por aí se amplificam não tinham ganho raiz! Então não vês?! Eu não acredito em Deus, não tenho que pagar para isto. Respondi-lhe que teríamos de voltar à questão do futebol. O facto de tu não teres uma concepção divina da criação do Mundo não impede que outros a tenham. Ah, a ciência explica as coisas! Sim, pois, até parece que todos os investigadores das mais variadas áreas são todos ateus. Não é bem isso que eu tenho lido. Então não é?! Eu não. …

Prefiro um estado católico com todo o seu folclore, a ser demasiado tolerante com os outros e as raparigas do meu país terem de usar burka dentro de um par de anos. Uiiiii, onde foste buscar isso? Sim, já reparaste que o catolicismo, apesar dos seus pecados, sempre defendeu mais as mulheres e as crianças do que o islamismo?!

A Igreja quer controlar a mente das pessoas. Perguntei-lhe onde leu ele aquilo. Dá-me a sensação que estás preso a uma visão socialista do mundo. Essa já foi há uns 20 ou 30 anos. Já tentaste ler alguma coisa do Ratzinger? Eu não!! Mas li outros como Nietzsche! O braço esvoaçava para reforçar a absoluto paradigma do pensamento filosófico. Sim certamente, Ratzinger leu Nietzsche e este que eu saiba não era teólogo, logo não é porta-voz da Igreja.

Depois ainda há aquele aspecto do Papa anterior ser muito afável do que este, muito querido, logo é melhor pessoa (talvez tenha sido!), melhor Papa melhor tudo. É a treta da gaja com um par de mamas jeitosas e um belo traseiro e da outra que pouco tem disto, mas tem outros atributos, talvez mais elevados (sem querer minurar tudo o que o Papa anterior era e simbolizava) mas que ninguém liga. Afinal as gaijas obedecem à mesma lógica dos gaijos.

Anónimo disse...

Se eu fosse...
Mas não sou...
Brilhante conclusão " era apenas eu "

Anónimo disse...

Olá,
Ao ler este post uma ideia curiosa, relacionada com a sua conclusão.
Se o padre fosse Papa, seria apenas você mesmo.
Concordo, é por isso mesmo que o Papa, porque é ele mesmo, veste Prada...
Até,

Teodora disse...

pe.

não sei muito bem como pôr a questão, mas há algo que não me parece lá muito correcto, leal, justo, agradecido. acima de tudo coerente.

corro o risco de estar a pecar, mas eu que estou de fora não acho bonito.

acabo de encontrar um conhecido que é professor de EMRC (talvez esteja mal escrito, nunca me entendi com esta sigla) e quando questionado por não assistir à missa do Papa no Porto, o homem diz-me com ar de quem nem se lembrava: AAAAhhhh! Sim, mas não. eu vejo aqui, na televisão. mas nem para a televisão olhava. tipo deixa lá o tipo pra lá que tenho mais o que fazer. a minha vidinha é que me interessa.

eu olhei para ele e disse-lhe que ontem à noite ponderei faltar para ir à missa, mas como não gosto de mentir e se dissesse a verdade eram capazes de me achar pouco responsável, optei por não ir.

ora esta gente estuda nos seminários de borla, depois aparecem as gaijas, ou a crise de vocações como lhe chamam, e como o celibato é só exigido no final, no problem, disfarça-se até a hora de dizer o não e está feita a coisa.

enquanto contratados lá vão retribuindo de algum modo, apanhados no quadro, é mais ou menos como carimbar papel.

outra lefebriana cá da aldeia também, apanhou-se no lugar e zás... nadinha, espera pelo fim do mês em casa.

Bispos

há que começar a pôr esta gente no sítio.

desculpem mas acho que isto não é de um cristão. anda muita gente a viver da Igreja.

Moçambicano disse...

Cara Amiga "Teodora":

"Anda muita gente a viver da Igreja." Mas que grande Verdade!

E toda essa "gentinha" - leigos/as e consagrados/as -, tem um medo que se pela quando aparece um Profeta... que interpele o "status quo".

É que é muito mais fácil ficarmo-nos pelas devoçõezinhas, pelas "publicas virtudes" - nem que escondam vícios privados (que o dinheiro possa remediar) -, do que Comprometer-se, "meter a mão na massa".

Não sendo un fã incondicional de Bento XVI, procurei estar atento ao que ele disse. E parece-me que ele apelou a um renovado Testemunho de Vida... Cá fico para ver...

"Os Homens precisam, mais do que Professores, de Exemplos que os mobilizem. Se esses Exemplos também forem Professores, tanto melhor" (Paulo VI)

Um abraço.

Moçambicano

Teodora disse...

Olá Moçambicano

"Os Homens precisam, mais do que Professores, de Exemplos que os mobilizem. Se esses Exemplos também forem Professores, tanto melhor"

eu acho que Paulo VI disse isso porque à data ainda não havia fotos de profs na Playboy! hihihi!

Teodora disse...

Ouvi na Renascença a Mrs Cavaca a adjectivar o antes e o depois de Bento XVI. Eu acho que a senhora deveria ser mais criteriosa na escolha dos adjectivos; estava a falar para o país e não num almoço de amigos. Não é por nada, mas a Mrs Cavaca é primeira dama e Bento XVI é o actual Papa.

Gostei bem mais da fatinha mais dos prós do que dos contra, que optou por uma singela frase: "veio Ratzinger e ficou Bento XVI", a moça sempre é mais terra-a-terra, e eu gosto de tudo que está ligado à terra. é mais puro. Afinal Deus é Amor, num é?! Amai-vos uns aos outros como eu vos amei - eu sei que é um pouco radical, mas fiquem pela metade que eu acho que Ele fica satisfeitíssimo.

Hadassah disse...

É mesmo isso...

Pergunto porém, onde estará a Glória de Deus, nesta pompa e circunstância? Revêr-se-à Deus nesta veneração colectiva a um homem?

Fico por um lado satisfeita por ter um país ainda fortemente cristão, mas por outro receosa de existirem muitas pessoas que se esquecem de Deus nestas ocasiões em que se exaltam homens (de barro, como eu e como o amigo Padre confessionário).

Deus seja glorificado acima de todas as coisas.

Amén.

Hadassah

Teodora disse...

ai pe.

eu sei que hoje estou numa de teclar. desculpe.

Acabo de ouvir Frei Bento Rodrigues e subitamente tive uma ideia: por favor sugira ao seu bispo que recorde os cardeiais para a importância de campanhas promocionais do Papa. Deste e de futuros!

Passar a imagem de um Vatico aberto e moderno, sensível aos novos ventos de mudança. (Eu sinto que vou fazer mudança na Igreja!)A juventude actual já não é igual à anterior.

Como?! É simples: fazer secções fotográficas do Papa a fazer jogging nos jardins do Vaticano; o Papa no Spa - terapia das pedras quentes; O Papa às compras na Dolce Gabbana de Florença; nas festas in de St. Tropez; a jogar na roleta do Casino do Mónaco; a acelarar num Aston Martin pela média corniche; O papa a fazer jet-ski no Lago di Como; a comprar crucifixos na Tiffany de Roma, a fazer Ski em St Moritz - talvez seja melhor snowboard, é mais confortável para a sua idade!

Mas havia muito mais! Depois divulgar nas revistas de maior tiragem - claro todas muito católicas - Caras, Nova Gente,Happy (esta todos os meses é um manancial de artigos de cariz sexual digo religioso, perdão - tenho feito longas viagens ao mais profundo de mim! É uma busca constante! Tudo graças a esta bíblia. Cresci! O mundo cresceu, A juventude cresce todos os dias. - Não percebo por que não faz parte do Plano Nacional de Leitura. Pode ser que seja integrada no Programa de Educação Sexual a abordar em todas as disciplinas (o meu sobrinho não mente) conforme determina a nossa santa isabel alçada - são rosas senhor, são rosas. eu acho que ela usa lingerie vermelha!


No final do ano lectivo, aula prática - todos vão fazer o sexo e no fim preencher uma grelha para avaliar as competências adquiridas e grau de satisfação. Com direito a recurso hierárquico.

A Lili Caneças e amigas, todas voltadas para uma vida comtemplativa, vão todos os anos a pé a Fátima e também lêem estas publicações cristãs.

Moçambicano disse...

Cara Amiga "Hadassah":

Concordo consigo quanto à pompa.

Se consultarmos as Actas do II Concílio do Vaticano, lemos: "Luzam os Ritos, não pela sumptuosidade, mas pela nobre simplicidade".

E penso que, nesta Visita do Papa, tal foi conseguido, pelo menos em parte, sobretudo na Missa em Lisboa (já no Porto foi mais "pomposa", nomeadamente no que se refere ao altar).

Mas sabemos que a "pompa" é uma das marcas de Bento XVI - e da sua "entourage". É assim. Pessoalmente não me agrada, mas há quem goste...

E é por issso que por vezes, no meu entender, as palavras de Bento XVI quanto a uma vida maia "frugal", mais sóbria, soam "estranhas" aos ouvidos das pessoas...

Quanto ao "endeusamento" de um homem - feito de barro como nós -, também concordo. Se tenho um carinho especial por alguns Papas - nomeadamente João XXIII -, também o tenho por Bispos como D. Óscar Romero ou D. António F. Gomes - que como sabe até tiveram os seus "quid pro quos" com João Paulo II...
E também tenho carinho por "simples" Padres e Freiras - nomeadamente Missionários -, porque esses "falam pouco" e "fazem muito".

Um abraço.

Moçambicano

Anónimo disse...

o que importa é como tocam a vida do outro e fazemos com que esse outro sinta Cristo. Que sinta o seu amor, que escute a sua mensagem. Cristo chegou a mim num momento onde ninguem conseguiu chegar, por meio do Senhor. Papa...Bispo...naquele momento eu agradeci por ter sido o Padre. O Padre que me ouviu e me aconchegou a alma.
Que consiga sempre chegar ao Próximo, afinal não será esse a missão
Obrigada
I.O.

Fernando Gonçalves disse...

Quando o Papa João XXIII foi eleito, disseram que nada de novo era expectável na Igreja por ser um papa de transição. Foi ele que pôz em andamento o Concílio Vaticano II.
A eleição de Bento XVI foi uma decepção para muitos fiéis, atentendo à comparação, inevitável, com o seu antecessor, na figura enorme que foi João Paulo II.
Com os escândalos verificados no seio da Igreja, este Papa, foi posto à prova e está a dar uma resposta inteligente, adequada e nova.
O que nenhum Papa antes disse, sobre o sacramento da Confissão, Bento XVI vem afirmar que o segredo que obriga o confessor/confessado não é total. Para determinados pecados, a penitência tem de ser espiritual e temporal.
Lembremo-nos do martírio de S. João Nepomuceno (Praga) que sofreu por recusar o levantamento do segredo da confissão.

Anónimo disse...

Não gosto deste Papa.
A mensagem foi clara: a Igreja não vai mudar. Será só dos "eleitos". Poucos mas bons. Foi essa a mensagem.
A missa em latim também achei muito linda.
Bento XVI levou o povo à rua. Mas está a tirar o povo das Igrejas. Essa é a verdade e verdade é para ser dita.
Sou da geração de João Paulo II e dos encontros de juventude. Tenho filhos adolescentes e olhos na cara para ver a diferença.
A maioria das pessoas não gosta deste Papa. Nem os padres gostam deste Papa.

Maria

Anónimo disse...

Olá,
Este último comentário da "Maria", foi bastante forte.
Não temos que gostar ou desgostar do "Líder" máximo da igreja católica, também não simpatizo com este homem que assume o papel de sucessor na Missão de "Pedro".
Sei também que tal como em qualquer organização, a igreja católica é composta por homens e mulheres, que também eles têm as suas simpatias.
É também um facto que, a igreja católica como organização, é semelhante à organização politica.
Não é à "toa" que o estado do Vaticano é um dos mais ricos monetáriamente, e como consequência o mais influente, a todos os níveis.
Detém o poder que vem do dinheiro.
Algumas pessoas afastam-se exactamente porque a Mensagem que Jesus nos deixou associada ao Consolador, é tão grande e diferente do poderio de determinadas organizações religiosas, que os Cristãos começam a sentir e a praicar a mensagem nas suas vidas por vezes muito muito humildes.
Vêm que o pouco que Deus lhes confiou ao ser partilhado com outros se multiplica vezes e vezes sem conta.
Lamento a depêndencia de determinados Sacerdotes, verdadeiros Pastores humanos, da organização católica.
Para terminar, de uma coisa tenho a certeza, as pessoas mais dificeis, são os nossos melhores mestres...
Até sempre,
Meus amigos em Cristo,

Anónimo disse...

Olá
Este último comentário da "Maria", foi muito forte, sou solidária dessa opinião.
O eleitos de Deus, não são os eleitos dos homens.
Este papa foi eleito por um grupo de homens pertencentes à organização católica, que detém um Património inigualável a nivel mundial, logo quem manda em quase todas as áreas são os chefes do Vaticano.
A missa em latim... será que vamos voltar ao antigamente em que a missa era em latim, supostamenten ninguém do humilde povo entendia nada do que os sacerdote dizia?
Como poderia a Palavra de Deus entrar no coração do pobre de bens materiais, que raramente era instruído!?
Lamento sinceramente a dependência da organização católica de muitos e muitos Sacerdotes, verdadeiros Pastores Humanos, que se debatem com a obrigação de obedecer às Leis da Oragnização católica, qunado têm no Coração a Palavra Viva de Deus Vivo dentro do Coração.
Resta-nos a consolação da certeza de que os nossos lideres mais dificeis, são na realidade muitas vezes os nossos melhores Mestres.
Até sempre Amigos em Cristo,
Paula

Teodora disse...

Na sequência destes dois últimos comentários, estou para ver o dia em que o padre da minha paróquia, pe. Narciso, um Fred Aster da nave central, irá montar uma banquia de venda de produtos à porta da igreja e fazer bailes ao sábado à noite para angariar jovens.

Desculpem a brutalidade do meu comentário, mas do pouquíssimo que tenho visto, faz-me pensar que a maioria dos jovens que pululam nos grupos ligado a actividades paroquais estão lá para o convívio. Se assim não fosse, a atitude deles no seu dia-a-dia seria outra, a forma como se apresentariam nos encontros seria outro, nas missas não seria preciso pedir silêncio... não sei... no geral teriam uma atitude mais respeitosa.

A propósito do convívio lembro-me de numa conversa acerca dos maridos marretas de algumas raparigas (só pode ter sido para provar que alguém casou com elas!) o meu colega conta-me a anedota: olha é mais ou menos como aquele tipo a quem se pergunta: gosta mais de sexo a sós ou em grupo? Em grupo, claro, é pró cumbibio! Tem mais cumbibio!

Anónimo disse...

Olá Teodora
Existe uma grande diferença entre ficar feliz ao Celebrar a Festa do Pai Nosso, de falta de respeito, para com Deus.
Deus está na alegria e não no silêncio hipócrita dos que olham para o sacrário e pensam em fazer mal ao próximo.
Não existe comparação possivel com determinados actos respeitante à vida sexual de cada um, ou promiscuidade, na alegria de um Sacerdote de sessenta e muitos anos, que fala para crianças, e desce ao nivel do raciocinio de crianças de 7 e 8 anos.
O que pretendo dizer é que:
Jesus Cristo foi em tudo o exemplo que devemos seguir:

Teve:
Humildade sem subserviência
Dignidade sem orgulho
Devotamento sem apego
Alegria sem excesso
Liberdade sem licensa
Firmeza sem petulância
Fé exclusivamente em DEUS
Raciocinio claro sem aspereza
Sentimento sem pieguice
Caridade sem presunção
Generosidade sem desperdicio
Conhecimento sem vaidade
Cooperação sem exigência
Respeito sem bajulice
Valor sem ostentação
Coragem sem temeridade
Justiça sem intransigência
Admiração sem inveja
Optimismo sem ilusão
Paz sem preguiça

Até sempre,
PAula

Teodora disse...

PPaula

Concordo na íntegra com o que diz. Eu devo ter-me esquecido de dizer que não me refiro ao sorriso e aparência feliz. Refiro-me a coisas que estão para além disso, quanto a mim um pouco excessivo.

Nem sequer pretidia dizer que o pe. tem comportamentos indignos. é apenas um homem feliz. Centrado no Eu quando Cristo era centrado no vós. Eu simplesmente não gosto de pessoas vaidosas. É só.

Nunca assiti a comportamentos indignos por parte de padres. Ou melhor, se numa outra altura a litúrgia não seguia o "guião" e o discurso era fórex, sempre atribuí à idade, cansaço ou qualquer outro tipo de debilidade. Nunca porque achasse que estava com os copos. Mas há quem o diga e reza reza.

Eu também não suporto gente falsamente católica conservadora que são Opus qualquer coisa ou Pio qualquer coisa, por exemplo, e depois são duma sobranceria, simpáticos quando lhes interessa, depois de servidos, ignoram quem os ajuda... e comportam-se como modelos de moral e quem não é da casta deles tem pulgas.

Mas também há quem queira ver-se associados a estas criaturas porque acham que ganham pedigree. olhe às vezes mais parece um carnaval.

Só acho que todos nos devemos "vigiar" para não cairmos nesse tipo de erros.

é só.

a segunda parte do seu comentário diz tudo. tudo. E é esse tudo que deveria estar presente em nós. E não está. Está em alguns, poucos. eu sei seríamos todos santos. mas falhamos tanto. uns mais do que outros, mas falhamos...

P.S Refleti agora, e lembro que Narcisos há muitos e narcisos também. Meras coincidências de nome. Por favor.

Anónimo disse...

Teodora
Admirável o seu comentário.
Vigiai e orai... É mesmo isso devemos vigiarmo-nos para não nos deixarmos cair em certos "erros", que com alguma cautela serão evitáveis.
Plena concordância.
Gostei da sua observação.
Paula

Anónimo disse...

Ó Teodora,

E se a riqueza do Vaticano fosse um bocadinho distribuída pelos pobres. Só um bocadinho...nada que afectasse a roupa intima de ninguém. Sim, porque não é só o Papa que veste Prada. Todo o Vaticano veste Prada.
Claro que os jogadores de futebol também, mas esse não fizeram votos, pelo menos que se saiba.
Achei graça ao seu comentário. Longo, como que a auto explicar-se e também achei graça ao dia e ao horário em que foi feito.
Não gosto do Papa.
Sou católica praticante. Também sou divorciada de um malandro, mulherengo e bêbado, graças a Deus! E vou-me casar. Ai isso é que vou! Vou-me casar aos olhos de Deus. Nesta Igreja, se esta Igreja quiser. Se esta Igreja não quiser, a ortodoxa quer e Deus, calha mesmo bem, não é, que é o mesmíssimo?! Coincidência bestial!
Primeira novidade: Porto-zero! Segue para Braga.
O meu pedido de nulidade de casamento de um mulherengo, bêbado e adepto da estalada, não foi aceite. Foi tudo provado. Os factos foram todos dados como provados, mas não foi aceite. É que à data do casamento estávamos "conscientes do acto". Pois estávamos. Era giro. Era namoro. Era festa. As estaladas só começaram depois. Que eu saiba, nunca começam antes...mas os senhores do tribunal eclesiástico acham que sim.
P.S. Se eu me quiser casar pelo rito ortodoxo, os Jesuítas emprestam a capela. Nice! Vou começar é a pensar no dress...

F.

Teodora disse...

Olá F.

Eu não sei se todo o Vaticano veste Prada, mas, se assim é, só revela que são homens com um bom gosto irrepreensível. Talvez sejam patrocinados.

Relativamente aos jogadores de futebol duvido que vistam Prada, pois na sua maioria mais parecem macacos. Os macacos são mais bonitos e decentes do que eles.

Sei que há congregações que fazem votos de pobreza, se o Papa e seus cardeais o fazem desconheço. Talvez sim. Qua alguns aspectos deveriam ser moderados, digo-lhe que sim, mas não é por aí que vem mal ao mundo.

Quanto ao dia e à hora a que circulo na net ou faço comentários é um e uma hora. Não tenho de me auto-explicar porque não pertenço a nenhuma ordem religiosa. Parece-me que faz muitas contas de cabeça. Às vezes a vida é bem mais simples.

Julgo que está a viver um momento de alguma eufuria e a euforia nem sempre faz-nos refletir com clareza.

No que se refere ao seu desejado casamento, espero que case como quer, no dia e hora que deseja, com o vestido que sempre sonhou e que este rapaz seja aquele que sempre desejou ter e na igreja que desejar.

Quanto à celebração, nada entendo sobre esse assunto, mas sei que se desejar e pode ter missa e não sei se outro tipo de "bênção" no local do seu casamento (quinta/casa etc.) Quem entende disso é o nosso padre. É assim padre?

Não vale a pena sentir revolta. Só lhe faz mal. Viva a vida sem grandes stresses e sorria.

Um abarço e desejo-lhe sinceramente as maiores felicidades.

Moçambicano disse...

Olá a Tod@s.

Nem todo o Vaticano veste Prada - ou outras marcas do género.
Mas "veste muito mais", desde que Paulo VI morreu - e João Paulo I teve um estranhamente breve papado.
Digo "estranhamente" porque eu na altura trabalhava na Rádio Vaticano - e sei o que ouvi por lá. E o mal que fez à minha fé.
Os nomes Marcinkus, Licio Gelli, IOR, Banco Ambrosiano, dizem-vos alguam coisa? Senão dizem, leiam o o artigo "O Padre Espião", do P.e Anselmo Borges, publicado no DN.
E informem-se...
E talvez cheguem à conclusão que o Espírito Santo "sopra" muito mais "na periferia", na "Igreja do Serviço", do que propriamente em Roma. É pena que a Congregação para a Doutrina da Fé pense o contrário.

Quanto aos Jesuítas, pois... graças a Deus, parece que continuam a "puxar o carro".
Grande Pedro Arrupe!
Grande Carlo Maria Montini (pena não ter sido Papa)!
Honra aos mártires da UCLA (São Salvador)!
E muitos outros...

Um abraço para Tod@s

Moçambicano