segunda-feira, junho 30, 2008

Todas as semanas têm um Domingo

Todas as semanas têm um Domingo. Óbvio. Isso significa levantar a trouxa e levar armas e bagagens pelas estradas da zona. Levantar cedito. O suficiente para uma boa higiene, que o dia merece, umas pequenas fatias de qualquer coisa, umas orações rápidas, uma vista de olhos pelo esquema da homilia. Sim, que preparo sempre a homilia. Faço um esquema bem completo. Para evitar fugir do assunto e para atingir bem os fins propostos. Propostos por mim e pelo Evangelho. Sempre com referência neste. Melhor, sempre a beber da fonte que este é. E toca a marchar. Cheio de sono. Olhos semi-abertos. Primeira estação. Já está tudo mais ou menos pronto. Tenho grupos corais muito bons. Por esta banda abundam bandas. E ajuda. Os acólitos. Os Ministros. Entro pelo fundo. Sorrio. É costume meu. Mesmo com sono, sorrio. Nem que seja para disfarçar as olheiras. Saudação. Se possível, faz-se com que todos se sintam bem. Final. Desejo bom Domingo. Segunda estação. Entrei, andei e saí do carro aceleradamente. O senhor padre anda sempre a correr, dizem. Quando há baptizados então. Sim. Só os celebramos na eucaristia, com a comunidade presente, com a comunidade a acolher, a receber. Nessas ocasiões, voo. A homilia já sai melhor. Se é incisiva, saio de encontro pelo meio da assembleia. As histórias só de vez em quando, para não gastar todos os trunfos. Quase não olho para o papel, mas está presente para alguma correcção. Há sempre um ou outro que boceja. Não dormiu bem, justifico para meu bem. Eucaristia arejada. Participação de muitos. De vez em quando os da catequese. Fazem-se sinais interessantes. Um dia destes, a propósito do evangelho da multiplicação, distribuímos um pedaço de pão que foi partilhado por uns e outros. Chegou e sobrou. Só falta a chouriça, disse alguém. O momento da consagração é muito especial para mim. O tom de voz muda. Sem hipocrisia. Muda porque assim o sinto. Não há como celebrar eucaristia! Terceira estação. Sai tudo muito melhor. Só que a intensidade da cerimónia começa a pesar. O pessoal diz que sorrio muito. Se não sorrio, alguma coisa está mal por dentro. De vez em quando o Pai-nosso reza-se de mãos dadas. Uh… que grande novidade. Todos o fazem. Se for necessário há palmas. Acólitos e acólitas. Ministros e Ministras. Leitores organizados. Temos Folha Paroquial em todas as paróquias. Lá estão todos os que têm serviços na semana seguinte. Contém todos os avisos e até as intenções de missa. Um texto de reflexão. Evito perder tempo no final com avisos.
De vez em quando há quarta estação. Um desvio no calvário. Alguma Procissão. Ou reunião. Ou encontro. Ou festa. Ou, sei lá. Geralmente termina ao findar do dia. Todo roto. Amanhã tenho mais ainda que fazer. Não é Domingo, mas é dia de trabalho. Porém celebrar a eucaristia com os meus é bom! Hoje estou aberto a sugestões. Como celebrar ainda melhor?! Quem dá sugestões!?

69 comentários:

Anónimo disse...

Penso que melhor será difícil. E então sempre de sorriso na cara!!!
Pelo que leio deve ser um bom padre. Graças a Deus!

Anónimo disse...

Com todo o amor que Cristo mereçe.
Sou padre há poucas horas, e é assim que eu quero celebrar as minhas eucaristias... com Amor!

Obrigado padre, pelas suas partilhas...

Pe.HL

Anónimo disse...

É verdade. Para mim, também. As semanas têm o domingo, e têm os dias feriais... todos passados na igreja.
Estava a ver o meu e-mail, lembrei-me de dar a um dos padres da paróquia o endereço correcto dos "Padres Inquietos" e vim dar a este blog. Li o que havia a ler sobre a avaliação de um padre, os comentários todos, e quando voltei à mensagem original, tinha aparecido esta mensagem sobre a vivência do padre "residente" do blog sobre os seus "trabalhos" do domingo.
Eu não sou Padre, nunca o serei (para além da eventual falta do chamamento de Deus para essa missão, há a problemática genética do duplo X, se bem me entende...), mas vivo igualmente os domingos em cheio, na Igreja, e os outros dias também, muitas vezes.
Numa paróquia que não é a da minha residência, mas a do meu coração, uma grande parte do que lá se faz tem a minha marca: o atendimento às pessoas, antes - e depois - das missas, para acrescentarem mais uma intenção de última hora (ou não), para perguntarem que padre virá celebrar, se poderá confessar ou não, se poderá benzer tal imagem ou tal terço, além de perguntas sobre baptizados, casamentos, pagamentos de promessas, de quotas, aceitar donativos... Etc., etc. e mais etc., como sabe...
As escalas de leitores dominicais, de Mec´s e de leitores feriais, passam igualmente pelas minhas mãos, assim como colocar o que é necessário na credência para a celebração da missa, distribuir os sacos para o ofertório, ver se os leitores e os Mec´s estão presentes, colocar as intenções no altar, acender as velas...
Tento, e penso que geralmente consigo, fazer tudo isso sempre com um sorriso nos lábios para todos os que vêm ter comigo, mesmo que o meu coração esteja, por vezes, muito triste, com assuntos que prefiro manter privados.
Apesar do muito trabalho - porque ainda faço muito mais coisas na igreja do que aquelas que aqui menciono - sinto que sou uma privilegiada, que, embora sem mérito algum da minha parte, pelo meu trabalho e doação do meu tempo, das minhas capacidades, da minha disponibilidade, - de toda a minha vida, enfim, - também eu participo nas Eucaristias, torno-as logisticamente possíveis. A escolha do Senhor é sempre uma surpresa, um mistério. Porquê eu? Por um lado sou muito tímida, embora a idade me tenha ido "soltando" aos poucos; por outro, há gente na paróquia muito melhor do que eu, e digo-o sem falsa modéstia.
Pelo que escrevi, parece que sou uma açambarcadora, mas não é verdade. Acredite que tento agregar pessoas ao meu trabalho, convido, insisto, rogo, peço... O Pároco, esporadicamente, também o faz. Os convites para leitores não são muito bem aceites pelas pessoas novas; os que vão entrando no "quadro", a ritmo lento, em geral já não jovens de idade. Para as outras tarefas estão igualmente quase todos muito ocupados... Como não sou muito expansiva, aproveito estas linhas para render homenagem aos poucos disponíveis, para que saibam que aprecio deveras a sua colaboração se, porventura, alguém identificar a proveniência deste longuíssimo comentário...
Termino dizendo que o jugo do Senhor é suave e Seu fardo, leve. E de que vale a nossa vida, se não for para a gastarmos por Deus e pelos outros, nas tarefas em que as circunstâncias dos nossos dias nos colocarem?

Sílvia disse...

Também me parece que melhor do que isso é bastante difícil...
Também dá para perceber, pelos seus testemunhos, que tem toda a gente das paróquias a apoiar... e isso é do melhor que há.
E como eu gostava que a minha filha fosse baptizada na eucaristia dominical... não, terá de ser no final da eucaristia...
São coisas que alguns ainda não conseguem mudar... ou inovar...

Magnolia disse...

Ao domingo, quando entro na igreja,vou logo directa à Capela do Santíssimo. Nem que sejam só 2 ou 3 minutos , permaneço ali como que a preparar-me para os momentos altos que vem a seguir.Sem dúvida, que a consagração me diz muito,mas também é muito importante a homília.Esta é também o alimento para a semana que se inicia.
Há cerca de 3 anos quando regressei à igreja,uma das razões que me fiz voltar, foi quando por razões que ainda hoje desconheço resolvi ir à missa no local onde passava férias.A homília foi de tal modo, que parecia feita só para mim.No sábado seguinte lá estava eu novamente na missa da tarde.E foi assim até ao fim das férias,deixando mesmo uma vez de ir à praia porque primeiro estava a missa.
Quanto ao confessionário...que mais poderia fazer!Já faz tudo, quando se entrega naquilo que faz.
Concha

Teodora disse...

Se declara que "Porém celebrar a eucaristia com os meus é bom!" é porque está no caminho certo e deve variar esporadicamente para não espantar a caça.

Digo eu que nada entendo das regras do funcionamento de missas e restantes actos litúgircos.

Desconheço o tipo de pessoas que constituem as suas assembleias. No entanto, apercebo--me que há pessoas que não apreciam quando o padre daqui faz alguma referência, ainda que esta seja brevíssima, a algum acontecimento que possa estar a decorrer em simultâneo à missa. Por exemplo, o simples facto de ele agradecer no final da missa a presença daqueles que apesar do jogo de futebol que decorre há já alguns minutos estarem presentes na igreja e que ele promete não demorá-los muito mais. Há sempre alguns que entreolham-se com a expressão "o que tem ele a ver com o futebol!".

Portanto padre, julgo que o melhor mesmo é não se afastar do tema da missa e não arriscar muito.

No caso de ter missa dinamizada pelos mais jovens sempre pode ir mais longe. Para além disso é correr o risco de ser alvo de comentários.

Só gosto da sonoridade do órgão numa missa, não gosto de coreografias dentro da igreja, nem powerpoints na missa, nem de acólitos a realizar actos que devem ser realizados pelos padres. Padre é padre, acólito é acólito!

Apesar de não gostar não critico que elas ocorram, simplesmente opto por ir "à missa dos adultos".

Às vezes leio coisas muito estranhas nos jornais relativas à existência de acções de formação para padres cujo objectivo é a adopção de abordagens litúrgicas mais ajustadas aos nossos dias.

Isto faz-me sempre pensar que há quem queira tornar a missa uma espécie de assembleia de venda de tupperwars.

Felizmente o Norte é mais conservador.

penelson disse...

O que mais me deixa saudades... é estar desse lado do Altar! Ainda hoje quando me sento na Assembleia, a cada Domingo, sinto-me um 'estranho'...

Fui pároco aos 28 anos. O pároco mais jovem da Diocese, à altura. Nunca fui de me comparar com os meus 'antecessores', mas tenho consciência de que a minha chegada foi um 'choque' para aquela Comunidade 'acomodada' ao seu Padre há 30 anos.

O que mais marcou aquela gente?
Ainda hoje mo dizem: o sorriso! a palavra em jeito de humor! a proximidade com as crianças e os jovens sem deixar de saber falar para gente adulta e amadurecida! o fazer festa quando é dia de festa (e todos os Domingos o devem ser!), mas também as muitas lágrimas choradas no Altar defronte ao féretro de uma criança, de um jovem ou mesmo de um idoso mais 'querido'... ou quando a alma estava trespassada pela dor da 'traição' de alguns e que eu precisava de desabafar!

Se me perguntarem o que mais me deixou saudade desse tempo, dir-vos-ei sem hesitar: as missas de sábado às 18,00h (com toda a Catequese e o Grupo de Jovens a animar - com órgão e violas porque a tradição não tem de ser um antónimo de modernidade). Sim, era uma verdadeira FESTA!!

Parabéns Padre.
Só tem de continuar a ser como é... e como os «seus» o aprenderam a conhecer e a amar.

E... quem sou eu... quem é qualquer um de nós, para lhe dizer a si como celebrar melhor??
Só UM lhe pode responder: AQUELE que o escolheu, chamou, ungiu e enviou. Pergunte-Lhe a Ele... (embora creia que já o faz!)

Anónimo disse...

Todos temos dias menos bons, uns mais cansados do trabalho, outros com soninho... Mas com uma força interior forte conseguimos ultrapassar tudo, e se for sorrindo ainda melhor...

Tudo depende da vontade e, essencialmente do que queremos, a partir daí, fazemos tudo, ainda q com algum esforço...

Um bjinho em Cristo

SL

joaquim disse...

Ufa que fiquei cansado com o Domingo...

Nem tenho forças, para já, para responder ao que sugeres...

Abraço amigo em Cristo

abelhinha disse...

Hoje é terça feira, meio da semana e a abelhinha por aqui andou a recolher algum nectar,para digerir e fabricar os favos que irá distribuindo pelos amigos…
bzummmzummmm

Anónimo disse...

Nota-se muito voluntarismo, mas alguma falta de espiritualidade.
Reze mais, padre. Os leigos precisam de sentir a oração do padre.

Magnolia disse...

"Ainda hoje.....sinto-me um estranho".Palavras de penelson,que me incomodaram.
Pelos seus comentários,percebo que só pode ter sido um bom padre.Passou para o outro lado,o que não significa que deixe de continuar a ser quem era.Já pensou no bem que pode fazer a tantos, com os conhecimentos que adquiriu nos acessos que teve?
Já pensou que do outro lado do altar também se serve a Deus?
Estou há pouco tempo na igreja,mas já percebi que tudo vai dar ao mesmo..."amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos".O resto são tudo formas de aprendermos a amar.
Nota-se uma certa nostalgia, naquilo que diz,que o poderá impedir de viver o hoje.
Olhe à sua volta e de certeza vai perceber que Ele o quer onde está.
Se fui longe demais, as minhas desculpas.
Concha

bunny disse...

siga em frente.....seguindo o ex d'Ele....precisam se mqais padres assim....

Anónimo disse...

Caro Sr. Padre,

gosto muito de ir à Missa. Na Paróquia onde vou à Missa temos um sr. Padre muito novo mas que nos fala directamente para o coração! Por outro lado, outra Paróquia tem um Padre que usa o papel, não como auxiliar de memória, mas para ler toda a Homilia...a verdade é que fica difícil de nos concentrarmos o tempo todo na Missa. Sim, o sorriso é importante!
Além disto, admiro-vos vocês Padres, que vão de Paróquia em Paróquia pregar, levar-nos a Palavra de Deus. Obrigada e que Jesus e Maria olhe sempre por si.
JB

Anónimo disse...

Melhor celebração só a do proprio Jesus Cristo, com os apostolos...Mas Jesus também quer os Sacerdotes calmos e de vez em quando que parem e subam á montanha. Quando os discipulos chegaram junto de Jesus de um dia cheio como o seu, e pensando que Jesus lhes ia dar muito louvor e atenção e até lhes dizer "Que bom ter gente assim trabalhadora", Jesus em silencio olhou e disse-lhes subam até á montanha e recolham-se em oração. Sim porque hoje em dia a oração para estarmos a ouvir aquilo que Deus tem para nos dizer em silencio, aonde está?...Boas eucaristias, não gera por vezes bons cristãos activos, primeiro fazer entender á assembleia, o que é a Eucaristia, como ela é composta porquê os rituais utilizados, naquele momento e não noutro...Sim porque a assembleia"grande parte" vive de tradições que vêm de pais para filhos e se pergunta porque te ajoelhas agora?!... não sei já via os meus pais fazer o mesmo...Padres ajudem a compreender o valor da Eucaristia,desse alicerce que Jesus nos deixou, e aonde o podemos encontrar, para nos darmos com AMOR uns aos outros.Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo.Para sempre seja louvado e sua Mãe Maria Santissima.Amen!

Anónimo disse...

"Aprende-se a amar a Deus amando homens e mulheres." Charles de Foucauld

Esta é tb para mim uma verdade irrefutável. Nos dias de hoje a espiritualidade se for só contemplativa não vai longe... O testemunho tem que existir e obriga a agir em conformidade... Agradar a "gregos e troianos", impossível!:)

Paulo disse...

Realmente, todas as semanas têm um Santo Domingo.

BLUE LADY disse...

Gostei do texto e dos comentários.
Se todos os padres fossem como o senhor, o catolicismo não estaria a perder tantos crentes.

Parabéns pela sua maneira de viver a vida, consigo e com os outros.

Olhando o Infinito disse...

"porque te ajoelhas agora?!... não sei já via os meus pais fazer o mesmo...Padres ajudem a compreender o valor da Eucaristia,"

Concordo com o que escreveu o anónimo das 17h48 de 2 Julho;
É importante, na minha opinião, que pessoas percebam melhor o porque dos rituais, para além ouvirem palavra de Deus..perceberem o porque, e fazerem-no com verdadeiro sentido, não fazer por ver os outros.
Explicar um bocadinho de cada vez destas pequenas, mas grandes coisas, creio ser importante.
um abraço

Anónimo disse...

Padres expliquem ás vossas comunidades a estrutura da Missa, porque se senta porque se ajoelha, porque se diz aquela oração naquele momento e não noutro...As missas são tradição que vêm de pais para filhos, e tem que ser assim e mais nada...Sou catequista e muitos jovens me dizem que não entendem a Missa, e por isso ser uma "Seca", porque não a Amam, não entendem que podem estar com Jesus em cada consagração e comunhão. Ajudem as comunidades a AMAR a Eucaristia, mesmo nas procissões em que vai O SANTISSIMO SACRAMENTO, o povo tem as mesmas atitudes que teriam com uma procissão normal do Santo "A", "B"...Ninguém AMA aquilo que não conhece...Deixem que o Espirito Santo actue mais em vós Padres, e não andais tão Stressados, subi á montanha e estai em silêncio para escutardes o vosso Mestre Jesus, seu Pai Deus...Um abraço em Jesus Cristo. Amen

Carla Isabel disse...

Deve ser delicioso assistir a uma missa "tua"

Bjs

Confessionário disse...

Carla, achas?! nah, diria o outro, népia.

É como todas as outras porque todas são presença de Deus. havias de ver-me quando estou csnsado... e nem forças tenho para esboçar um sorriso. Uma eucaristia amorfita... O que vale é a Presença de Deus na eucaristia.

Anónimo disse...

Por aqui vai uma sombra de fazer tiritar...Esta árvore tem folhas a mais..muita passarada e frutos nenhuns.
Ali, faz uma tineira de rachar!...
Deixa que o sol se ponha e tudo ficará melhor.
Acabou o recreio. Vamos todos para dentro.
Não faz sentido?...
Este post também não faz sentido nenhum. É ocioso.

Um abraço muito anonimo.

Fá disse...

Este post faz todo o sentido! De uma vez por todas, entenda-se que a Eucaristia não é para "assistir". É para ser celebrada, participada e vivida intensamente... Nela, Cristo se oferece ao Pai por cada um de nós com o intuito de, a cada momento, nos renovar interiormente. A efectivar-se, uma tal mudança transbordar para a vida e para os outros tornando-nos dignos instrumentos do Seu Amor. A ressurreição -que cada domingo convida- acontecerá se entendermos o autêntico significado dos vários momentos da Eucarístia, soubermos identificar e quisermos aceitar o caminho que através Dela nos é apresentado. Promover e facilitar esta dinâmica espiritual -nada simples aliás- é dever dos sacerdotes. Exige deles muito entusiasmo, muita alegria, muito saber, muita dedicação, algum esforço,... acrescidos, nos dias de hoje, de uma boa dose de criatividade e perseverança. Pelo que sei, o "nosso" Confessionário "veste a camisola". Não se poupa e coloca-se inteiramente ao serviço das comunidades que serve. Contra ventos e marés. Que Deus lhe continue a dar força bastante para prosseguir e, diariamente, lhe faça sentir a Sua presença.
Rezo por vós e convosco. De uma forma muito simples, como se fala com um Pai que sabemos ser infinitamente compreensivo e misericordioso

Um abraço amigo

Anónimo disse...

Para celebrar melhor teria de mudar a mentalidade da propria igreja, pois só assim todos poderiam estar juntos sem que os olhares de outros perguntassem em surdina o porquê do casal que ali não vai, pois ele é considerado pecador por não se entender com a mulher e ela é considerada promiscua por se ter apaixonado por aquele homem.
Quando essas e outras questões forem ultrapassadas pela igreja talvez então se consiga celebrar a eucaristia perfeita, sem que ninguem aponte o dedo ao proximo.
"Quem nunca pecou, que atire a primeira pedra!"

Anónimo disse...

Ora se nem Jesus agradou a todos. Foi insultado, flagelado e morto. Mas não foi vencido.
Parabéns Padre e continue a ser como é!

Grifo disse...

Um sorriso vale sempre mais que mil palavras...
bjs
MJoão

Anónimo disse...

O Espírito Santo está nessa alegria, nesse cansaço, na seara que é grande e os braços poucos.
Faz muito bem à nossa Fé o seu testemunho.Bons novos Paulos/Pedros graças a Deus. Bons domingos de generosa Alegria. JP 05.07.08

Anónimo disse...

Olá!

Neste momento, se pudesse, voava só para assistir a uma Eucarístia sua... Para me confessar consigo... OH! Meu Amigo!

A todos os "penitentes" eu desejo as maoires felicidade e agradeço as palavras amigas, de força, coragem, carinho que tiveram comigo ao longo deste tempo... As orações...
Kephas, Filó, Olhando o Infinito, Alecrim, Ni, Osátiro, Kalos, Joaquim... e muitos outros...
Um bem haja!
Adeus Amigos!
MJG

Anónimo disse...

Melhor?? Se todos os padres fossem como o senhor é... iam todos à Missa todos os dias só para sentir o que o senhor padre sente.

Bjs

Sofia

joaquim disse...

Ó MJG por mim não tens nada que agradecer, eu é que agradeço o teu testemunho.

Agora, ou eu ando distraido e já aqui disseste alguma coisa de que não me lembro ou então pergunto:
O que é que quer dizer este "Adeus amigos"!

Que o Senhor te abençoe,

Para ti e para o Padre amigo um abraço amigo em Cristo

Anónimo disse...

Com a devida permissão do nosso caro Pe. C.;

MJG!!!!!!

O que queres dizer com o "Adeus a todos?????"

1º Não tens nada a agradecer!
2º Nunca se diz adeus, e, sim até breve.
3º Ninguém se foi embora.... da minha parte é mesmo falta de tempo..
4º LEMBRA-TE TODOS OS DIAS QUE ÉS UM(A) FILHO(A) MUITO AMADO(A) DE DEUS!!!!!!
5º Tens que ter disposição, para sentir o que está no 4º!

Vá lá explica-nos melhor essa do ADEUS!

Caro Confessionário;

Para melhor Celebrar? Só mesmo com muita oração, e, muita força do Divino Espirito Santo.... ninguém aguenta tamanha canseira (digo eu)!

A Paz de Cristo

Kalos

Kephas disse...

Olá MJG.

Como eu também já te tinha dito (por aquele conto que te escrev) não tens nada que me agradecer, eu é que tenho de te agradecer.

De facto, esse "Adeus" poderá parecer um pouco preocupante. Passa-se alguma coisa? Podes sempre desabafar com a gente, já sabes...

Estamos aqui para ti e estás sempre nas nossas orações.

Abraços em Cristo





Caro Confessionário:

Como celebrar melhor?
Fácil!
Quando estiver a celebrar a Missa, entregue totalmente o seu coração a Deus! E depois siga o seu coração (é cliché, mas resulta).
Mas acho que isso você já faz...

Cumprimentos

Confessionário disse...

CAROS AMIGOS, TENHO PENA DE NÃO PODER VIR MAIS VEZES E ESCREVER MUITO MAIS.
A MINHA VIDA SACERDOTAL NESTE MOMENTO NÃO ME DÁ TEMPO SUFICIENTE PARA ME DEDICAR AO BLOGUE. EM BREVE VIREI COM FORÇA. SE TIVER UMA PAUSA ESCREVO MAIS QUALQUER COISA. MAS NAO SE ADMIREM SE DEMORAR. ESTA ÉPOCA ESTÁ DEMASIADO CHEIA.

ABRAÇOS E BEIJOS PARA TODOS

Ni disse...

Confessionário... deixe-me falar com a MJG.

Sim, disse falar porque nos podemos ouvir. Acredito que o silêncio das orações acorda o nosso coração com sussuros de mimos.
Não me agradeças... Aprendi tanto contigo. Podes não acreditar, porque não soube ter palavras que o dissessem, mas deste-me a certeza do que quero ser e são pessoas como tu que me vão tornar sempre mais feliz.

Vou continuar sempre a lembrar-me de ti, a ler-te e reler-me e sei que Ele vai continuar a abraçar-te...

Anónimo disse...

Estimado Pe. C.;

lá porque tem falta de tempo..."não é preciso gritar-nos"... ouvimos todos muito bem obrigado.

Não celebra assim aos gritos pois não?????!!!!

Desta vez está desculpado, pela sua falta de tempo....

... olhe que o prometido é devido!!! Hum!!!

Kalos

abelhinha disse...

"Como distinguiremos o que é bom no prazer do que é mau?
Ide, pois, aos vossos campos e pomares e, lá, aprendereis que o prazer da abelha é sugar o mel da flor,
Mas que o prazer da flor é entregar o mel à abelha.
Pois, para a abelha, uma flor é uma fonte de vida.
E para a flor, uma abelha é uma mensageira do amor.
E para ambas, a abelha e a flor, dar e receber prazer é uma necessidade e um êxtase."
KG
Bom fds
bzummzumm

Ana Saavedra disse...

A falta de vocações sacerdotais não permite que um padre possa ter apenas uma paróquia e, portanto, mais disponibilidade para acolher os seus paroquianos. Assim, cada padre terá de encontrar novas formas de estar presente, em cada uma das suas paróquias, de forma mais criativa, mas sempre com Amor!

Ana

zeca gallo disse...

Gostei imenso de o ler.
Neste mundo de muitos enganos (e enganadores e enganados) sinto que cada vez mais são precisos homens honestos como o senhor. Para além disso você prestigia a Igreja, agindo como age, evitando que se aprofunde a crise que parece envolve-la.

BOM DOMINGO e seja feliz, cada vez mais.

Anónimo disse...

Queremos mais um post! Queremos mais um post! Queremos mais um post! Ui,desculpe:( Já me estava a esquecer de que o povo deixou de ter poder reivindicativo:)))

Um abraço e votos de BOM TRABALHO

Anónimo disse...

Não quero propriamente deixar um comentário (até porque já comentei..., mas sim sugerir ao Confessionário algo sobre S. Paulo. O quê, propriamente?
Também não sei, mas que tal trocar opiniões, discutir sobre a actualidade (ou não...) da doutrina expressa nas suas cartas?
Sim, agora são as férias, já sei!! Mas e se for lá para Setembro?
Bom descanso. ANA

Fa menor disse...

Passo sempre por cá, embora não comente habitualmente. Gosto muito de o ler!
Muita força para si, padre amigo, e muita graça de Deus nesta época assim cheia!

Bjs

Anónimo disse...

Padre, deixe-me aproveitar a boleia, por favor.

MJG-Cada pessoa que passa na nossa vida é única. Algumas nos deixam felizes pelo simples facto de existirem. Há os que levaram muito, mas não há os que não deixaram nada. No teu caso, amiga, deste-nos muito de ti e levaste um pouco de nós. Cruzaste os nossos caminhos e nos deixaste momentos maravilhosos de partilha. Para continuar a percorrer a teu lado, meu e-mail é: filu.gomes@gmail.com.
Beijo no teu coração
Filó

Abraço para si, padre.

Anónimo disse...

As Missas na Espanha também aumentaram. Mas de 6 para 8 euros. Será que os cristãos espanhóis têm menos posses ou é a Igreja de Espanha que está mais atenta e é mais solidária e despojada?

Teodora disse...

Senhor padre

Acabo de chegar e vejo que o senhor anda muito ausente. São os casamentos, baptizados, procissões e romarias?

Ou também participa em algum acampamento junto dos seus escutas? É que o meu padre numa dessas experências campestres mais recentes acordou com os passarinhos e no meio do milho.

Eu adoraria ter partilhado aquele momento de exponencial máximo da natureza.

Não me refiro ao acordar, claro! Eu sou uma rapariga que cumpre todos os preceitos da moral cristã.

Eu sou uma açussena no altar de S. José!

Portanto referia-me ao canto dos passarinhos e à observação do milho. Tudo isto foi-lhe útil para a explanação da sua homília.

Neste preciso momento estou a pensar arranjar forma de participar no próximo acampamento de escutas.

Irei disfarçada de arbusto frondoso. Colocar-me-ei num ponto muito central (à porta da tenda do senhor padre; lugar sagrado; não vá alguma alma perdida entar na tenda errada) para que nenhum cavalheiro se lembre de me regar.

Anónimo disse...

Amiga Teodora

Os seus comentários só servem para denegrir a Igreja e quem a serve. Todos sabemos que nela há mais pecadores que santos. O pecado é inerente à condição humana e por isso está em todo o lado. Insinua que o padre da sua paróquia se excedeu num acampamento. Se é verdade, fez mal. Sobretudo por ser num acampamento. E, cara Teodora, se tem a certeza do que fala e discorda dessa conduta diga-lho directamente; se não sabe, o melhor que tem a fazer é calar-se... Acabe com as insinuações. As linguas de víbora têm dado cabo da vida a muito boa gente.
E já agora, pense bem, não seria melhor ser uma açucena? Sempre era qualquer coisa real, palpável... Açussenas, eu não conheço:(

ana maria disse...

A minha modesta e franca opinião:
por tudo o que aqui tenho lido, parece-me que as eucaristias a que preside devem ser excelentes para todos os que nelas participam, se de facto delas participam.
Creio, porém, que algum dia cairá para o lado de cansaço. Sei que há falta de trabalhadores para a messe, cada vez mais!Mas essas correrias...humanamente, deve ser um esforço dos "diabos"!
Precisa de férias, Padre!

Teodora disse...

Amigo anónimo

Parece-me que já se dirigiu à minha pessoa noutro blog e em ambos comentários fê-lo optando pelo anonimato destas vezes e não em outras.

1. Julgo que tem problemas de compreensão, caso contrário teria percebido que eu nunca atribuo comportamentos errados ao meu padre.

2. Começo a pensar que é obsessão sua. Não há nada a fazer quanto a isso.

3. Não é meu denegrir pessoas ou instituições. Não sou "rato de igreja", mas julgo que não é preciso andar por lá para se ter princípios morais; tenho família que me soube transmitir regras; Não sou filha de pais modernaços!

4. O MEU PADRE NUNCA, JAMAIS, SE EXCEDEU QUER EM ACAMPAMENTOS OU EM QUALQUER OUTRO SÍTIO; SEMPRE DEMONSTROU RESPEITO PELA INSTITUIÇÃO A QUE PERTENCE E CREIO QUE EM TODOS OS SEUS JURAMENTOS!

5. Não costumo falar do que não tenho a certeza. E mesmo quando tenho a certeza nem tudo é para comentar. No caso em apreço não tenho nada para lhe dizer porque simplesmente o homem não fez nada de errado;

6. Não é, não são insinuações! Já que não quis perceber, eu explico-lhe. O homem além de giro é interessante! SOU EU QUE ACHO! EU!(Agradeço que releia estas maiúsculas)

7. Penso que o senhor (e digo senhor porque acho que é um senhor)tem problemas de convivência e de boa vivência, caso contrário teria logo percebido que o meu comentário não pretende denegrir ninguém. Ando de bem com a vida e não fico feliz por criar problemas aos outros.

8. Se o senhor em tempos teve problemas com alguma paroquiana tarada, não veja o mundo inteiro dessa forma. Ou então gostava de ter tido e não teve?! Descole-se dos seus fantasmas.

9. Obrigada por esclarecer o erro ortográfico cometido pela minha pessoa e que tanto prazer lhe deu fazê-lo. Fez bem mas teria sido mais coerente...

O MEU PADRE NÂO TEM PROBLEMAS DE CONDUTA! EU, REPITO, EU É QUE O ACHO INTERESSANTE!

Agradeço que não volte a fazer confusão onde ela não existe!

Teodora disse...

Apre ...o homem só acordou com o som dos passarinhos num acampamento e dizem que o rapaz excedeu-se?!

Se isto não fosse um blog católico eu até diria um palavrão!

Além de celibatários têm de ser surdos e cegos?

pe.maiato disse...

Durante os seis anos de seminário, pensei algumas vezes em desistir!

Ora pela dificuldade que tive nos estudos, ora por outros motivos menos relevantes.

Nesses momentos o que me fez ficar foi o meu sorriso, porque para muitos que me acompanharam no discernimeto, falava-lhes de Deus.

Foi dificil aceitar que as minhas capacidades ou incapacidades de pouco valiam, o mais importante era o que Deus fazia em mim e o mais significativo para muitos era apenas o sorriso...Deus serve-se de tudo!

Hoje sou padre hà um ano e uns dias. Ao domingo também precoro tres ou quatro estações e procuro levrar sempre o sorriso que Deus me deu, já que ainda hoje continua a ser para muitos outros um sinal amoroso de Deus.

Abraço em cristo!

Anónimo disse...

Já aqui vim algumas vezes mas confesso nunca escrevi nada.
Hoje entendi dizer algo.
Só porque há uma pequena diferença no que diz respeito à minha vida.
Para mim há sábados e Domingos e as estações são 10 ou 11 e se há algum casamento, alguns já são por vontade dos próprios na Missa paroquial, os baptizados são todos nem havia tempo para o contrário.
Cada eucaristia é melhor que a anterior, e no final do Domingo que termina pelas 19.30 digo aos jovens que vão jantar comigo, vamos a outra? E eles embora saibam que já não vai haver outra dizem, e daí? Até era bom.
É que, alguns deles enquanto eu celebro Missas eles fazem celebrações dominicais na ausência do presbítero.
Temos aqui apenas 16 comunidades com 17 celebrações todos so fins de semana.
Que ninguém se assuste, não é demais... eu estou animado... e com força... e feliz por ter muitas eucaristias e muitas comunidades.
ABC

manecas disse...

Não costumo comentar aqui neste blog. Não sei quem são as pessoas em causa, mas parece que se conhecem pelo menos na maioria. Há opiniões de todos os feitios. Isso é bom, mas às vezes revela uma total falta de senso...

Bom eu não tenho 3 estações por domingo e as minhas semanas não têm apenas domingos têm sábados também. Faço 9 estações todos os fins de semana, alguns 10 estações e se há casamento lá vão 11 ou 12.
São 16 comunidades, 17 celebrações.
Calha-me a maior parte, o leigos fazem as restantes.
Não me parece cansativo, não me parece esgotante. Faço com gosto e com alegria e descubro em cada eucaristia um sabor novo como se fosse a primeira, como se fosse a última.
Isto não é poesia nem sequer é meritório porque o faço naturalmente e sem esforço, embora cada Eucaristia exija um esforço para ajudar as pessoas. São todas tão diferemtes, tão novas, com gente diferente.
Recrio-me cada fim de semana para o trabalho da semana.
No final do domingo, às 19.30 digo aos jovens que vão jantar comigo, então celebramos outra? E eles, claro, sabem que não celebraremos mas dizem logo, "vamos a isso". É que alguns deles também tiveram a MIssa da sua comunidade e fizeram uma celebração dominical na ausência do Presbítero e ainda lhes apeteceu ir comigo a alguma celebração.
Já sei que muitos padres se queixam de muito trabalho e isso vê-se nos comentários deste blog.
Celebrar Missa não é um trabalho é um prazer.
Felicidades

Anónimo disse...

Caro irmão no Ministério,
as vezes as dores infligidas ao sacerdote parecem lhe tolher a alegria do serviço, mas outras vezes, sinto, na Graça do Espírito, o consolo da presença do Senhor ao meu lado.
Temo que minhas forças faltem diante das exigências, e, não poucas vezes, preciso mesmo apoiar-me, ou talvez lançar-me inteiramente, no colo de Maria, como o Senhor declinado sobre a Piedosa (Pietá).
Oremus e Labutemos!
Pe. Thiago
luzianol@terra.com.br

Anónimo disse...

Olá confessionário..
À muito k vejo um amigo meu cm falta dessa tal força, com o brilho k antes havia dado aos outros através da celebração, com aquele sorriso capaz de contagiar as pessoas, não só pelo k diz nas homilias, mas pelo seu alegre espirito, capaz de mover pessoas... de lhes dar a força suficiente, mas depois de certas situações vejo-o sem forças, cm o rosto cansado, com akele brilho triste e não sei o k fazer perante tal situação...
Pimeiro rezava "N" missas e continuava a sorrir, hj em dia não o vejo assim...
nao vou dizer agora as indicações, mas muitos são os factos k me faz levar a pensar k está de certa forma cansado de algo...

Bjinhoo
luninha

Anónimo disse...

Sugestões ? Para quê ? Pede ao Bom Deus que não te deixe perder o sorriso. Eu também tenho uma, duas e três estações. Numa redifinição hipotética, apontam para 5 ! Parece-me melhor reduzir a estações e deixar que os passageiros se vão auto-organizando, animados pelo mesmo Timoneiro...
J

Maria João disse...

E como é bom correr por Cristo...

O cansaço físico pode ser grande, mas a Paz que Ele nos dá e o Amor que Lhe damos, valem por tudo...


beijos em Cristo e Maria

sentinela disse...

Faz hoje, 25 de Julho, 40 anos que foi promulgada, por Sua Santidade o Papa Paulo VI, a encíclica «Humanae Vitae».
Como se sabe, qualquer encíclica é para ser seguida e aplicada por todo o católico.
Como se pode aceitar, então, que um sacerdote «católico», director-adjunto da Faculdade de Teologia da Universidade «Católica», se atreva a censurar o documento do Santo Padre num artigo inserido na agência de notícias da Igreja «Católica» (http://www.agencia.ecclesia.pt/noticia_all.asp?noticiaid=62110&seccaoid=8&tipoid=212)?
Ninguém diz nada? Ninguém faz nada?

fotógrafa disse...

“A cantiga é uma arma…
e eu não sabia…
A cantiga é uma arma…
Contra a burguesia…
Tudo depende da raiva,
E da alegria!!!”…rsrs

Hoje é sexta feira…BFDS!!!

Abraço

Casa do Povo São Roque do Faial disse...

Graças a Deus que existe o Domingo, dia de oração e partilha, dia de recuperar forças para continuar a nossa Caminhada até Cristo...
Bom fim de semana

José disse...

Interessante este blogue..aqui está um homem que acredita e tudo faz para merecer a confiança dos fieis..
bem haja quem assim procede

Anónimo disse...

Olá!

28 dias sem escrever? Não acha que já passou tempo demasiado!
Vá lá... qualquer coisinha... mas com garra...

Um abracito bem pequenito...

Alexandra

marazul disse...

E já lá vão quatro, Domingos, sem um novo post. Faz falta!

Daniela Vilaça disse...

Olá. Gostei imenso deste blog.

Parabéns pela iniciativa e pela desinibição.

Todas as semanas têm um domingo, graças a DEUS! Força.

Um abraço em Cristo.

Maria João disse...

Esta semana que vem, vou em missão para junto dos sem-abrigo. Reza por nós e por todas as missões.

beijos em Cristo e Maria

Anónimo disse...

Gostava de ver a celebração da Missa com mais seriedade e recolhimento, expurgada de todo, de fantochadas, shows e patetices.

Anónimo disse...

Olá senhor Padre

Realmente um mês inteiro sem escrever é muito tempo,arriscaria mesmo dizer que é quase 'demasiado tempo' (no bom sentido!) para aqueles que visitam este blog frequentemente à procura de uma palavra, um pensamento, uma ideia com os quais de possam reflectir e reflectir em Cristo.
Digo 'demasiado' porque a espera é algo que tende a ser difícil de suportar. É como esperar por alguém de quem gostamos e que nos faz falta mas que não sabemos quando volta...
Nós gostamos do senhor Padre (pelo menos eu gosto e, pelos comentários, acho que os outros também) e sentimos a sua falta, por isso quando quiser voltar sabe que estaremos aqui à sua espera.

Bjs

Sofia

Magnolia disse...

Caro/a anónimo/a
Permite que diga o que pensei, quando li o seu comentário? Obrigada
Independentemente de algumas alterações no celebrar a Eucarístia , não celebramos sempre?
Quero eu dizer que a Eucarístia para nós católicos, tem um significado .Ao celebrarmos, estamos sempre a participar na paixão, morte e ressureição de Cristo . Tudo depende do que colocamos de nós nessa ceelbração.
Se estiver errada desde já aceito a correcção.
Concha

Ovinho Estrelado disse...

Padre tão querido!

vim acusar o mail que recebi da sua parte.
Obrigada por tão parcas, mas fortes palavras.
E sim. Eu estava a precisar delas. Como adivinhou?

Fique bem, meu padre querido.

Beijos em si.

(Deixo tb um beijinho ao Kalos e à Teodora - tempos difíceis me "levaram" daqui)

Anónimo disse...

Todos os sacerdotes nos falam de Deus e nos levam até Ele. SE tivessemos a coragem de seguir o Evangelho os nossos padres teriam menos problemas.
Há uns anos atrás converteram-me aos padres, uma senhora que dedicou a sua vida ou quase toda ao seminário e faleceu junto de nós com um grave cancro. O seu testemunho de vida valeu-me por muitas pregações.