sexta-feira, novembro 29, 2019

Meu tu [poema 237]

Devias morar onde mora
o meu eu

Nessa hora sem ponteiros
Nesse mar que não desaparece
Nesse espaço sem medida
Nessa montanha que cresce
Nesse mais íntimo da vida
Que não sou eu senão
Tu
ou Tu e eu

5 comentários:

Anónimo disse...

Devia morar onde mora, o meu tu.

Anónimo disse...

O lugar mais lindo de morar, e no coração de quem nos ama.

Anónimo disse...

essas moradas, padre. Tu gostas muito de falar desta morada que é Deus

Anónimo disse...

Quem és tu, que desnuda-me, os sentimentos e veste o meu coração!?

Ailime disse...

Tão lindo e tão profundo!
Cada vez mais bela a sua poesia.
Desejo-lhe uma boa noite, Sr. Padre.
Ailime