segunda-feira, janeiro 07, 2019

ser o mar [poema 200]

Apetecia-me abraçar as ondas
Com as minhas penas
de pássaro sem asas,
Penas carregadas,
molhadas,
sem mar

Apetecia-me mergulhar
nas ondas, e voltar
à praia, com elas regressar
Ao fundo do mar

Como elas, ser
o mar

9 comentários:

Ailime disse...

Belíssimo poema, Sr. Padre!
Adoro poesia e sua é linda e profunda.
Ailime

Anónimo disse...

Sou entre flor e nuvem,
estrela e mar. Por que
havemos de ser unicamente
humanos, limitados em chorar?
Não encontro caminhos fáceis
de andar. Meu rosto vário
desorienta as firmes pedras
que não sabem de água e de ar.

Cecília Meireles
chm

Anónimo disse...

Aceito ir para um lugar em que o único barulho seja do vento e do mar.

Anónimo disse...

E foi nas ondas do mar que entreguei os meus problemas e aprendi a confiar.

A cura pra tudo é sempre água salgada: O suor, as lágrimas ou o mar.

Quem anda no mar, aprende a rezar.

chm

Anónimo disse...

belo poema

Anónimo disse...

Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota.

Madre Teresa de Calcutá

Anónimo disse...

Um livro deve ser o machado que quebra o mar gelado em nós.

Franz Kafka


Nada melhor que a água do mar para afastar todos os males que impedem qualquer forma de te alegrar.

Anónimo disse...

...tudo me alegra vindo de ti padre...bj

Anónimo disse...

Belo poema...já tardava!!