sexta-feira, fevereiro 02, 2018

"best post" 2017

Embora sabendo que não é o mais importante, parece-me que esta é uma forma de revermos textos, pensarmos de novo, e ajudarmos o autor deste blogue a verificar caminhos. Assim, peço a vossa ajuda para seleccionar aqueles textos/prosa que considerais ou considerastes como os melhores, os mais tocantes ou interessantes em 2017. Indiquem nos comentários o título ou títulos dos vossos preferidos. Agradeço desde já a vossa participação e colaboração.
Como nas outras ocasiões, tenciono posteriormente colocar os melhores à votação. Podem sugerir outros que não estejam nesta selecção. Foi uma selecção elaborada com base nas visitas e comentários específicos, e na minha opinião pessoal. A mim fez-me bem relê-los. Pode ser que faça bem a mais alguém. 
Dado que este ano foi um ano com disponibilidade diminuta, não foi possível fazer este exercício no que se refere ao ano de 2016, mas em breve, encetarei essa proposta. 

8 comentários:

Anónimo disse...

Ó padre, estes são os meus textos preferidos; gosto de muitos outros, mas assinalo estes… ah e obrigada pela hipótese de os reler e recordar

Os quatro primeiros apóstolos
Os seres perfeitos dos padres
ter uma fé pequenina
Tenho uma espiritualidade queixinhas
Mais um colega sacerdote foi levado pelo Senhor
Ser padre ou ser Igreja?

Anónimo disse...

gosto especialmente destes: Um Deus que se ama ou que se acredita; Eu na periferia; Igrejas a fechar; Tenho uma espiritualidade queixinhas; Será o padre um homem como os outros?.

Espero ter ajudado
bjs

Anónimo disse...

ó padre, eu já li (embora a correr) quase todos os posts de 2017 que colocaste aqui... mas este ano não sei se há algum que se destaque muito.
Queria mesmo ajudar... vou voltar a ler

Sofia Antunes disse...

Padre ainda vou a tempo desta sondagem??espero que sim...

gostei de reler alguns dos posts que relembraste e nos quais "voto":
-Ficar horas por ali;
-Tenho uma espiritualidade queixinhas;
-Um dia 13 de Maio muito especial;
-Será o padre um homem como os outros?;
-Ser padre ou ser Igreja?;
-Os nadas do padre João

;)

francisco disse...

O que gostei mais foi do «Eu na periferia» e o seu comentário nesse post "Mais, queria dizer que as periferias não são apenas as que se referem à pobreza. Há tantas periferias hoje que precisam de nós todos!".

A meu ver «periferia» é aquela ovelha perdida, que não está acolhida no amor de Deus, não recebeu a boa-nova da salvação ou ainda não a compreendeu, que nas dificuldades da vida não sente o amor de Deus e do próximo ou que nas seduções e ocupações da vida se esqueceu de onde veio e de ver para onde vai.
"Digo-vos Eu: Haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não necessitam de conversão." (Lc 15,7)

E o que levar para bater nessas portas? A Esperança de que o horizonte não é apenas o sofrimento e dificuldades desta vida mas também a alegria do amor de Deus e do próximo e de que o Pai tem um lugar para nós no Seu Reino. E que Ele dá-nos a ajuda para seguir esse caminho.

francisco disse...

O post «O sonho de ser padre e paróquia de outra maneira» parece-me o sonho de vivermos no puro amor de Deus já aqui na Terra.

Lendo as cartas de São Paulo, São Pedro, São João vemos bastantes certezas, dogmas e doutrinas, organização, sacramentalização e hierarquia.
Basta ler a Didaqué, que é do tempo dos Apóstolos, para ficarmos com a ideia de que esse sonho não existiu.

Sermos melhores, mais misericordiosos e justos acho que é sempre importante mas não poderemos cair no erro de achar que os nossos antepassados estavam errados ou termos falta de humildade?

Um exemplo em que podemos reflectir para não deixarmos de ser humildes ao mesmo tempo em que procuramos o que podemos fazer de melhor com o que temos:
A partir de que ano é que foi tecnicamente possível usar microfone e altifalantes na igreja?
Sem microfone e altifalantes de pouco nos valeria ter a missa em português e ter 3 leituras. Por vezes mesmo com o microfone e altifalantes se o leitor se afasta um pouco já se torna dificil ouvir.
Se calhar os outros não são assim tão maus e nós assim tão bons e lá teriamos de usar o pulpito lateralmente colocado sobre os fiéis para a homilia, não porque os sacerdotes são melhores do que os fiéis mas para os fiéis os ouvirem.

Ângela disse...

Acho que noutros anos tive menos dificuldade em escolher porque havia claramente alguns posts "melhores" do que os outros. Neste ano, dentro desta lista, não consigo mesmo. Não me parece que esteja aí algum dos "melhores". Sim, eu sei que poderia escolher outro fora desta lista. O:)
Gosto mais das histórias passadas com outras pessoas e da reflexão que se faz a partir daí.

Confessionário disse...

Ângela, vou-te ser muito sincero: também a mim, depois de ler de novo os textos deste ano, me pareceu que seria difícil destacar algum. E é engraçado, porque foi um ano particularmente especial no sentido em que fui obrigado a fazer muita reflexão.

Agradeço muito a tua última frase. Foi sempre esse o meu mote, mas se calhar no último ano ou nos últimos tempos, as histórias apareceram menos. Mas também é curioso que, depois de visitar os "best post" de outros anos, pareceu-me que a maioria não faziam parte desse grupo das histórias. Muito curioso, mesmo. Mas fez-me bem ler essa tua frase como um incentivo.

bj