sexta-feira, janeiro 20, 2017

O “Silêncio” de Deus

Há dois dias tive oportunidade de assistir ao filme de Martin Scorsese, o “Silêncio”. Não vou fazer uma análise do filme, nem algo que se pareça a um comentário. Não costumo usar este espaço para fazer este tipo de considerações. 
Mas sinto necessidade de dizer que, quase ao final das duas horas do filme, a minha vida estacionou. Ficou literalmente bloqueada, no sentido positivo, num diálogo que o actor principal tem com uma voz ausente, isto é, com Deus. O filme, para mim, poderia ter terminado naquele momento. 
O diálogo pode resumir-se nisto. Depois de ter apostatado, depois de tantas buscas de Deus, sem o conseguir escutar, depois de ter caído na conta de que Deus, afinal, estava em silêncio, ele faz aquela que foi a minha grande descoberta no filme. Afinal Deus não estava em silêncio. Ele estava no silêncio.

6 comentários:

Anónimo disse...

Agora fiquei com mais vontade ainda de ver o filme.

Revi há pouco tempo um filme do Malick, um filme que também dá muito que pensar...

SL

Anónimo disse...

Fiquei curiosa. Lemos tantas coisas sobre este filme, mas hoje é que fiquei com vontade de o ir ver!

Anónimo disse...

Esqueci-me de referir o nome do filme :-) "A arvore da vida"

Anónimo disse...

Iria gostar de ver...

PR disse...

Deus está no silêncio, sem dúvida!
E o silêncio onde Deus habita está ao alcance de todos nós!
No entanto é preciso coragem para escutar os sons do silêncio, o que ele tem para nos dizer.

Anónimo disse...

chorei...