quinta-feira, janeiro 16, 2014

Numa palavra [poema 2]

Amas-me tanto
Que eu não sei quanto

Olhas para mim e dizes:
Amo-te tanto
Que até Eu não sei quanto

E ficamos os dois neste tanto e quanto
Como se não tivessem peso, medida, tempo
Este tanto e quanto

Amas-me tão só, numa palavra
Portanto

20 comentários:

Anónimo disse...

gostava imenso de conseguir sentir o mesmo... Não que não sinta o amor Dele, mas às vezes não o entendo...

SL

Anónimo disse...

Fantástico poema
Simples e tão rebuscado ao mesmo tempo
Profundo e tão cheio

Obrigada

Confessionário disse...

SL, eu às vezes tb não o entendo!

Silvia Lourenço disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Belíssimo.
Sentir dessa forma é o tão almejado pedacinho de céu dentro de do que se sente amado.
"Olhas para mim e dizes Amo-te tanto que até Eu não sei quanto"
"Portanto"
Magnifica esta conjugação de palavras.
Este poema fez a diferença no dia de hoje.
Obrigada!
Vou partilhar.

Anónimo disse...

(Que até Eu não sei quanto)Tu é que não sabes quanto, Ele sabe, porque só Ele a noção de infinito.

Confessionário disse...

anónimo de 17 Janeiro, 2014 10:17

A poesia tem destas coisas, e não se explica.

Porém, gostava de te dizer-te ou perguntar-te, para poderes entender: a pessoa que mais amas consegues dizer-lhe quanto a amas? isso é infinito

Confessionário disse...

SL, temor a Deus tem mais a ver com respeito de amor do que com medo

Anónimo disse...

Lindo...
Eu sei, que o Amor de Deus está presente em "quase" todos os momentos da minha vida... Eu é que muitas vezes não tenho capacidade suficiente para o "sentir" e acolher da melhor maneira, mas não desisto de tentar.
Obrigada por estes belos momentos, que nos ajudam a reflectir...
MM

Anónimo disse...

"Adivinha quanto eu gosto de ti" um livro infantil que espelha de forma tão simples, acessível a qualquer criança, esta infinidade do amor que temos pelos nossos. Uma mãe e uma filhota lebre tentam explicar uma à outra o quanto gostam uma da outra. Para tentar exprimi-lo utilizam distancias... gosto de ti até aquela casa ao que a outra responde e eu até à outra mais longe... Acabam por ir e voltar à lua vezes sem conta e não conseguem arranjar uma distância que consiga mensurar o amor que sentem uma pela outra. Uma boa forma de introduzir o conceito de infinito a uma criança...

sl

Anónimo disse...

"a pessoa que mais amas consegues dizer-lhe quanto a amas? isso é infinito"
Portanto que eu tenha a coragem de TE amar assim também, sem limite e sem fronteiras, sem qualificar sem medir sem quantificar um sentimento imensurável.
Um sentimento INFINITO.

Ana disse...


Conf... sou a anónima de 17 Janeiro 2014 10.17, há vários anónimos por aqui como o das 12.17)

Dizes-me: “a pessoa que mais amas consegues dizer-lhe quanto a amas? isso é infinito” (poderá sê-lo, também podem ser outros os motivos…), mas supondo que é como dizes, que de facto eu não consigo dizer-lhe (se é que amo assim), mas Deus consegue dizer-me o quanto me ama. Quando li a tua frase: “Olhas para mim e dizes: Amo-te tanto, Que até Eu não sei quanto” , a nível de expressão poética posso entender, mas pensei no que afirmavas… e depois veio-me à mente que Ele tem à Sua disposição todo o material que Lhe permite mostrar-me a infinidade do Seu Amor por mim, por ti neste caso, não só mostrar-mo como sabe-lo, como quantifica-lo. Porque Ele ao dizer-te... ao inspirar-te “Que até Eu não sei quanto” achei que é a tua própria percepção humana e por isso limitada do ilimitado Amor de Deus que o diz e não Ele nem uma verdadeira impossibilidade d’Ele, para que o pudesse afirmar fora do contexto poético.
Uma vez que Ele, por ser Deus, e não homem, sabe tudo sem mistérios ou incógnitas, e que o Amor de Deus não é a expressão de algo externo a Ele, mas d’Ele próprio, para mim, esse Amor de Deus, sendo infinito, não ultrapassa contudo o Seu domínio, nem a sua quantificação. Deus é infinito, esse Amor é Deus, o infinito para Deus, é finito no sentido em que o conhece, mas não no sentido de um limite de Amor.
Resumindo, visto que encontrei dificuldade em expressar-te a minha ideia, li e pensei que Deus Ele mesmo talvez não dissesse taxativamente isso, (era uma divagação minha) senão numa base de expressão, mas não de conteúdo à letra… depois interpretei a tua frase, como um reflexo da incapacidade humana de poder percepcionar o Amor de Deus que ao procurares expressar a grandeza infinita de Deus, O Amor, tivesses usado da a fala através do Seu Eu, mas que de facto era o teu que o sentia e não o d’Ele. Bom, mas tudo é relativo, acho que me enrolei aqui a explicar, assim seja…

Confessionário disse...

Gosto do teu ponto de vista, Ana. Mas repito que os poemas não se explicam... e na minha opinião, um poema tem sempre a perspectiva com que cada um o lê.

Anónimo disse...

Começo a gostar muito dos seus poemas

Anónimo disse...

Gostava de saber se tem algum post sobre a homossexualidade e ainda qual a posição da igreja sobre a coadoção.

Ana disse...

17 Janeiro, 2014 22.04
Eu fiz um comentário a respeito da frase "Amo-te tanto que até Eu não sei quanto" parece-me que por vezes com os comentários acabas por desviar-te do que se discutia inicialmente. Eu não pedi uma explicação e tu falavas de infinito... em relação ao que introduziste agora, claro que tudo depende da perspectiva de quem lê, e não poderá não ser fiel à tua intenção.

Confessionário disse...

Anónimo de 18 Janeiro, 2014 14:08

Não me parece. Não recordo.Mas não me parece.
Embora desviado do tema em concreto deste post, posso informar que pode sempre procurar no sidebar, na pesquisa possível do blogue, lá quase ao fundo.

Quanto ao pedido que faz sobre o assunto da coadoção, não existe de todo. Para saber a posição do Magistério quanto a este assunto, deve haver na Internet muitos locais onde o fazer. Pessoalmente ainda não me ocorreu abordá-lo.
Abraço amigo

Confessionário disse...

Ana, eu tb não estava a justificar nada. Estava somente a dizer que geralmente um poema se interpreta de acordo com a pessoa que o lê e raramente de acordo com a pessoa que escreve.
E gostei mesmo do teu ponto de vista, ou se quiseres, daquilo que te ocorreu perante aquela frase!
E quando falei de infinito era exactamente porque essa frase queria falar desse amor que se calhar, por indefinição, nem se consegue definir por infinito!

beijito

Ruth Bassi disse...

Padre, o teu poema é lindo e perspectiva um amor infinito.
Paradoxalmente, por vezes, sentimos esse amor, que já será paixão, por alguém mas, esse mesmo sentimento e com essa intensidade, dirigidos a Deus nem sempre é conseguido.
Enfim, são as nossas fragilidades com um toque de incompreensão pelo Seu infinito Amor...
Um abraço
Ruth

Anónimo disse...

apeteceu-me postar aqui(hoje noutra linha diferente)

O padre

O padre ouviu
O padre consolou
O padre pediu
O padre ligou
O padre compreendeu
O padre riu
O padre brincou
O padre contou
O padre pediu
O padre abraçou
O padre beijou
O padre rezou
O padre celebrou
O padre apaixonou
O padre aspirou
O padre chorou
O padre partiu.
O padre esperou
O padre trabalhou
O padre orou
O padre celebrou
O padre enterrou
O padre sentiu
O padre escreveu
O padre tremeu
O padre adoeceu
O padre recuperou
O padre voltou
O padre saudou
O padre abraçou
O padre chorou
O padre sentiu
O padre arriscou
O padre desejou
O padre mentiu
O padre ficou
O padre jurou
O padre amou
O padre negou
O padre rezou
O padre abençoou
O padre agradeceu
O padre confessou
O padre perdoou
O padre correu
O padre esperou
O padre amou
O padre temeu
O padre ouviu
O padre cegou
O padre conturbou
O padre ajoelhou
O padre deu
O padre apertou
O padre desesperou
O padre sofreu
O padre desistiu
O padre deprimiu
O padre esqueceu
O padre adoeceu
O padre sangrou
O padre amaldiçoou
O padre…
O padre ligou
O padre chorou
O padre silenciou
O padre ouviu
O padre sofreu
O padre odiou
O padre amou
O padre odiou
O padre enfureceu
O padre negou
O padre recalcou
O padre gritou
O padre sofreu
O padre riscou
O padre lidou
O padre recuperou
O padre não morreu
O padre voltou
O padre cresceu
O padre comeu
O padre riu
O padre sugeriu
O padre amou
O padre banalizou
beijou
deitou
magoou
sonhou
chorou
O padre partiu
O padre escreveu
leu
atendeu
O padre percebeu
adoeceu
mudou
não mudou
O padre ... chegou
Não ligou
Lamentou
Não curou
Combinou
O padre Amou…