sábado, abril 09, 2011

Gostava de esvaziar a minha igreja

Gostava de esvaziar a minha igreja. Ela está tão cheia de retábulos pincelados a ouro, altares laterais e centrais, santos de madeira, pedra ançã ou simplesmente barro, flores naturais e de plástico, velas de cera e de promessas. Tem candeeiros a mais para os rituais que tem. Tem pessoas a mais para a verdade que nela entra. Tem um sem número de sacramentos, missas, exéquias, devoções, tradições, e que tais. Diria que faz colecção de muitas coisas, consoante as novidades da época. E se há jornadas, encontros, fóruns, conferências, reuniões, ela tem sempre um cantinho para acolher de boa fé. É muito boa a minha igreja. Tem espaço para tudo e todos. Só que, às vezes, não tem espaço para Deus.

18 comentários:

Jorge Oliveira disse...

Muito bom.
Tenho a convicção que não é só a tua igreja que não espaço para Deus.

Abraço

concha disse...

Gosto de ver dourados,velas e santinhos como obras de arte.Na igreja de preferência prefiro-a despojada,mesmo pobre.Conheço uma igreja que tem uma grande parede desprovida de tudo, por detrás do altar.E quando lá vou aquele deserto de parede confronta-me com os meus.Quanto às pessoas,por vezes estão mesmo a mais,mas é nelas que eu tenho de ver Deus.E é tão, mas mesmo tão difícil vê-lO em algumas!
Abraço na Paz

Maria disse...

Pois...sem comentários meu caro padre, está tudo dito...
Grande abraço
Maria

Filha de Maria disse...

Ainda assim, sabendo de toda a nossa imperfeição, Ele amou-nos até ao fim... até á Cruz!

Não deseje que a "sua" igreja se esvazie... peça antes que ela se encha, que se encha do Espirito Santo, assim como aconteceu aos Apóstolos na companhia de N. Senhora...

A Paz de Cristo

Anónimo disse...

Felizmente que a sua Igreja ainda tem "muita coisa" sinal de que não foi assaltada e que faz memória da vivência de alguma fé. Agora cá para os meus lados já não se encontra facilmente quem vá colocar uma flor na Igreja, limpar os espaços, tirar as teias de aranha dos cantos e a sujidade de ratos e outra bicharada dos paramentos...concordo que continua a haver espaço para tudo na vida e no coração dos homens, menos para Deus.E temo que virão tempos piores, em que as portas de algumas Igrejas vão ser fechadas por ausência de fiéis. Só o Espírito Santo nos pode valer...

Anónimo disse...

Olá
Então caro amigo em Cristo, já deu o primeiro passo... desejou.
Um passo de cada vez, e muita prudência, não se esqueça que está ligado a uma organização (igreja católica) milenar.
Fiquei muito feliz ao ler o seu post...
Senti uma lufada de ar fresco, tal como nesta semana que passou, nas celebrações da semana das missões na minha paroquia...
Fique bem

maria disse...

é. perdeu-se o sentido de "onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome estarei no meio deles." E isso não acontece inevitavelmente nos templos.
E da sacralidade da pessoa humana.
Como disse Jesus a Nicodemos: "é preciso nascer de novo". Mas quem quer passar pelas dores do parto?

Beijinhos

Anónimo disse...

Olá
Maria,
Gostei do seu comentário.
Sou mãe de um menino de quase 9 anos, e digo-lhe que agradeço a Deus por me ter permitido conhecer as dores de um parto natural. Essas dores são muito fortes é certo são inevitáveis, são belas.
Não teria tanta beleza ser mãe se não tivessemos dores, e digo isto de coração sincero.
Portanto a nossa igreja católica romana só conseguirá seguir em frente se der à luz uma geração de cristãos capazes de falar da FÈ sem vergonha e sem medo, Falar de Jesus como o Caminho a Verdade e A Vida, Tal como um sacerdote dizia a semana passada. Dizia ele o sacerdote...Pedi a Deus, falai-lhe em nome do seu amadao filho, Homem e Deus, e ele vos atenderá... Podem não ter sido as palavras utilizadas mas foi esse o sentido que ficou dentro de mim.

Maria Olívia disse...

Ola
As suas mensagens são sempre tão actuais, tão realistas...
Cada vez se nota mais de que o espaço para Deus vai diminuindo, não só nas igrejas,mas também nas famílias, nos empregos, nas escolas...

maria disse...

sinto-me no dever de esclarecer o meu comentário:

eu não vejo beleza alguma na dor. Seja a dor de dentes ou a dor de um parto. Nem no sofrimento!Mas ele faz parte da vida.

A nossa adesão a Jesus implica que morra em nós o que nos limita a que a mesma aconteça. Isso pode configurar sofrimento, mas não é fim em si mesmo.

"Os bons cristãos" não nascem de geração espontânea. Nem da nossa vontade.

E cabe-me perguntar: o que é um bom cristão?

Alguém daria alguma coisa por um Zaqueu?

Isto de andarmos à procura de "bons cristãos" não uma forma de nos sentirmos compensados de algum "investimento" que fazemos?

O Deus em quem cremos (o de Jesus)diminui alguma coisa pela igreja cheia de santinhos, dourados, devoções e de cristãos da "treta"? (serei a primeira a assumir-me)

Anónimo disse...

Ainda ontem fui a missa, e mal saí pela porta pequei ao me perguntar a mim propria o que estava uma "uma certa pessoa" la dentro a fazer quando lá fora só pratica o mal! Mas mesmo pecando...pois poderia estar sendo injusta visto que ela tem tanto direito quanto eu, volto a perguntar...que estava ela ali a fazer?E que faz ela ali todos os dias quando a missão de Deus é o bem..e ela só faz o mal...

Anónimo disse...

ao anonimo das 14.32
eu responderia com uma frase do evangelho:a quem muito pecou muito lhe será perdoado, por isso na igreja de DEUS ou melhor no coraçao de DEUS há lugar para todos e um cantinho especial para os mais pecadores
por isso julgar os outros nao faz parte dum bom cristao, pois se estivermos atentos nenhum de nós é perfeito...
peço desculpa,não quis ofender ninguem.

JS disse...

Acho que vale a pena lembrar duas parábolas que aparecem encadeadas num dos evangelhos.
A primeira fala de um banquete e dos convidados de honra, que tratam de rejeitar o convite para a festa. O anfitrião decide então chamar todos os miseráveis para o banquete.
Mas logo a seguir se conta que o anfitrião confronta um dos convivas, que não se apresenta devidamente trajado. E este acaba por ser expulso da festa.

Anónimo disse...

A Eucaristia é um habito social para muitos e apenas isso.Tanto importa que o evangelho seja de São Lucas ou Mateus, porque no final já ninguém se lembra. Lembram-se da criança irrequieta, da gaffe do coro, mas poucos se lembram da palavra de Deus. Tudo nos distrai.
Deus está na igreja, esteja ela despojada de obras de arte ou não, nós é que não queremos vê-lo.

Anónimo disse...

Deus está em cada um de nós. Somos o mais precioso sacrário. Quando O virmos naquele que está ao nosso lado seremos Igreja.

Padre, eu também gostava de poder esvaziar a minha igreja e fazer nasce-la de novo mais arejada, mais luminosa, mais viva, mais autêntica.

D. R. disse...

Pena... Mas realmente, já pensei muitas vezes que precisamos que Jesus volte para derrubar tudo... Para nos expulsar do seu templo...

Nem sempre Lhe prestamos a atenção que deveríamos... :(

Perdoa-nos, Senhor...

Eu* disse...

Todos teem direito sim a igreja...mas a questão não e essa..se sao perdoados ou nao...a questao é: que vai na cabeça dessa pessoa que só faz mal e depois vai para a igreja???? e k eu nao entendo! Deus perdoa sim...mas se ela se arrepende..porque repete o mal????? :-S estranho não???

Sara disse...

Ola! Desde já muito obrigada pelo blog e pela sua disponibilidade:)
Eu muitas vezes pergunto-me quando é que a minha igreja é despojada. Estou eu na missa e não me consigo concentrar com tantos acontecimentos barrocos à minha volta, que podem já ter sido apropriados, mas que neste momento me deixam pouco a vontade dentro da própria igreja. E para que se perceba o que os de fora pensam, um dia uma amiga, testemunha de Jeová, contou-me que as igrejas católicas lhe parecem antros de rituais duvidosos... E o que outros dizem: parece que adoramos os santos! Uma ideia seria mover as celebrações para os centros paroquiais e deixar os "monos" para os turistas, estes que também só gostam de entrar e sair.
Quanto às pessoas que estão como decoração não acredito que o padre esteja a falar dos pecadores, esses que devem ser mais do que bem-vindos!
Um abraço!