sábado, novembro 15, 2008

O meu retiro

Estava no meu décimo segundo ano, prestes a ingressar em teologia. Um passo decisivo. Éramos mais que dez, mas não lembro o número ao certo. Não foi isso que me marcou. O nosso Director Espiritual agendara um retiro a que chamava de decisivo. A entrada em teologia era um passo importante. Modelo de Santo Inácio. Pequena introdução à reflexão com os passos a seguir. Depois uma hora de meditação individual. Foi uma semana de grande silêncio. Ainda recordo o tinir dos pratos às refeições e o chilreio dos pássaros. Passei uma tarde sentado no monte, apenas com Deus, uma sandes e uma maçã. Conversei muito com Ele e comigo. Às tantas o padre pregador ensina uma técnica. Desenhem numa folha duas colunas. Na primeira enumerem as razões pelas quais devem ir para padre. Na segunda as razões para não irem. Foi um grande debate interior. Enchi a folha, tanto de um lado como do outro. Penso agora que escrevi mais na primeira que na segunda. Mas às tantas, parei bruscamente. Assaltou-me um pensamento. Melhor, um sentimento. Deus ama-me tanto! E repetia-o. A repetição não saía de dentro de mim. Recordo que estava na Capela, sozinho, a um canto. Era um final de tarde. O lusco-fusco salientava a luz que alumiava o Santíssimo. Atirei a folha ao chão. Não havia necessidade dela. O amor de Deus bastava. Fiquei a olhar a luz que pousava na folha. Era a luz que vinha do sacrário. Deus ama-me tanto! Uns anos mais tarde, antes da minha ordenação, ainda sentia esta repetição. Hoje ainda vou buscar forças a este retiro, a esta repetição. Engraçado como não foi amor a Deus que me tornou sacerdote, mas o amor de Deus.

32 comentários:

elsa nyny disse...

Muito lindo!
Adotei!!
és mesmo tu!!!

beijinhossssssss

Anónimo disse...

E como por vezes sentimos falta desse Amor!

Nada como deixar a alma falar... ou será melhor... o coração!
Um bom silêncio faz-nos ouvir o mais profundo de nós!

Beijinho sereno
Samantha

Teodora disse...

Ora bem padre...sem querer pôr em dúvida a sua experiência, eu dir-lhe-ei que quando olho para o meu querido lindo sobrinho penso que Deus existe. Se estiver em plena paisagem alentejana digo, Deus existe; se estou num sitío isolado em Trás-os-Montes digo, Deus existe... Na cidade digo o Inferno existe!

Eu só não entendo é a necessidade de abdicar de muitas coisas para ser-se padres.

Penso que há coisas que não são ditas. ??????

Anónimo disse...

"...não foi amor a Deus que me tornou sacerdote, mas o amor de Deus..."

Achei genial a tua partilha.
É um bonito testemunho.
Faço votos de que outros momentos te recordem esse "Amor de Deus".

Ele continua a amar-te,
a amar cada um de nós.
Obrigado!
Tomás

Anónimo disse...

Ola padre...

Parabéns este é um dos textos mais lindo que alguma vez li. Nota se bem o amor que Deus tem por si mas também o amor que O padre tem por Deus..

Sabe padre muitas vezes dou comigo tambem no meu retiro a pensar e a pedir a Deus que de força a todos aqueles que se sentem tocados mais profundamente pela palavra de Deus, e a tantos e tantos jovens que tem medo de assumir que Amam Deus, Ohhh Padre como e triste ver jovens da minha idade negarem Deus mas ao domingo como k escondidos la estao eles na missa. (Deus deverá sentir se tao triste). Mas realmente as vezes o melhor e pararemos e teremos uma boa conversa uma conversa entre nos e Deus e e tao bom... Pois acabamos sempre por encontrar a resposta que queriamos. Deus nos ama...

Deus o portege padre, e pf nao deixe de escrever a tanta gente a precisar das suas palavras.. OBRIGADO por tudo padre.. Deus o Abencoe



Abraco

"Es o meu caminho Senhor"

Clara Margaça disse...

Simplesmente fantástico!
Uma repetição que nunca será ... repetitiva!

Canela disse...

"...não foi amor a Deus que me tornou sacerdote, mas o amor de Deus..."


Esta singela frase, encerra muito.
Diz-nos tudo...

Digo apenas....

Graças a Deus.

O Raio disse...

"apenas com Deus, uma sandes e uma maçã"

Se bem me recordo da Bíblia esta mistura não me parece muito própria... sempre pensei que Deus não rimava com maçã...

Lord of Erewhon disse...

Ele não conversou consigo. Não seja vaidoso.

LuisMiguel disse...

Olá Padre
Já há algum tempo sigo atentamente o seu blog... mas este texto não pude deixar de comentar...
Nesta semana em que o nosso olhar e as nossas orações se dirigem aos seminários, deixou cá o fundamento, a base de uma escolha, também da minha escolha...
Agradeço pelo seu testemunho, foi marcante para mim que me preparo para uma entrega assim!
Um Grande Abraço!

ainat1987 disse...

Simplemente fantástico!!! O texto mais fabuloso que li até hoje....

"...não foi o amor a Deus que me tornou sacerdote, mas o amor de Deus..."

Deus o proteja padre, nao deixe nunca de escrever.

Obrigada,

Vilma disse...

Então foi a motivação certa! :)

Pramos disse...

olá...
Medico, padre, professor, engeheiro, agricultor, etc, em qualquer das áreas do saber temos de adicar de algumas coisas, isso é inevitável se nos dedicar-mos de corpo e alma ao que fazemos...
Há certamente coisas que nunca são ditas.
Fazem parte daquele grupo de coisas que estão num cantinho dentro de nós que é único e exclusivo do Criador e nosso.

Ainda bem que existem pessoas capazes de abicar de algo em função de outros horizontes.

Permita-me que aqui deixe o meu testemunho.
Desde a minha infância que eu sentia o apelo de Deus, cheguei à juventude com esse mesmo apelo, fiz um retiro, foi magnifico, sentir-me parte da essência que emana de Deus e está onde quer que estejamos.
Não tive coragem de seguir em frente, pois havia uma coisa que eu queria muito, muitisssimo, era ser Mãe.
Seguindo uma vida religiosa, isso seria impossivel, além de que não poderia conciliar as duas situações, ser mãe de corpo e alma, e ser missionária de corpo e alma.
Sabem, hoje sinto-me comum no meu corpo fisico, mas diferente no meu espirito, sei que Deus me ama e respeitou a minha decisão.
No entanto, nunca, deixei de reverenciar o Espirito que em mim habita.
O meu cumprimento para todos os que lerem esta mensagem:
"Namasté"
Pr

Anónimo disse...

Adorei...
Foi Lindo....
Força para continuar sempre assim...

Maria Zete disse...

Caro Padre.
Muito lindo esse post, muito lindo seu amor a Deus, é por essa e outras razões que amo esse blog.
É um refresco em minha vida tão corrida.
grande abraço.

Anónimo disse...

Começo a perceber o que é Teologia ...

Anónimo disse...

Los hombres se excitan con el té, el tabaco, el opio, el whisky y la religión.

joaquim disse...

Tocante e profundo, Padre amigo!

Deus inscreve no nosso coração, nas nossas vidas momentos que vão ser alimento de fé e de amor ao longo de toda a vida.

Quando ao fim de 27 anos de afastamento me "reaproximei" de Deus, ou Ele me "re-tocou", vieram ao meu coração momentos marcantes de retiros e catequeses "domésticas", que ainda hoje me alimentam a perseverança quando os maus ventos sopram com força "quase" demasiada.

Abraço amigo em Cristo

cainanan disse...

Parabéns pelo post!!! Deus nos basta para sermos felizes e para seguirmos seu caminho! Obrigado por colocar seu exemplo de seguimento aqui na internet! Abração!

mvs disse...

Se ao menos todos acreditássemos nisso!...

Maria Zete disse...

Amei esse post, lindo o seu amor a DEUS, por essas e outras razões amo esse blog. É como um refresco em minha vida tão corrida. Isso é também evangelizar, levar a mensagem do Senhor JESUS.
Abraço fraterno.

Alecrim disse...

Um dia gostava de fazer um retiro...

Smily disse...

...o amor de Deus! =)

Se muitos pensassem assim de forma tão humilde, tão inocente este mundo era tão melhor!!!

o Amor de Deus é verdadeiro e insubstituível!!! Não há amor igual e tão incondicional quanto esse... Ás vezes consegue ser mais verdadeiro que o nosso por Ele... É por isso que é ÚNICO!!! =)


Beijinho*

Anónimo disse...

Olá!

Existem palavras que sem querer tocam profundamente nos nossos corações.
Existem atitudes que nos deixam sem palavras.
Existiu este texto que me deixou silênciosa durante alguns dias.

Mas confessionário não se esqueça que para um bom casamento, não pode existir amor só de uma parte.

Tem de existir o amor de Deus, assim como o nosso amor a Deus.

Um abraço!

Alexandra.

Jorge Oliveira disse...

Belo poste.
Precioso retiro.
Que grande e amoroso Deus.

Abraço

Anónimo disse...

POis mas se o amor não fosse recíproco, seja em k quantidade for, ninguém ficava com Ele, só pr ficar!

Se fosse uma relação carnal, ainda se poderia dizer pr pena ou tdo mais k passe pla cabeça, neste caso... não. Até pk Dele só sabemos "coisas boas" e, à partida, se escolhemos ficar com Ele é pk o amamos, seja de que forma for... algo tem que ser para nos dar força. (Isto, claro, continuando na ordem dos sentimentos)!!!

Um beijo!

Ni disse...

Lindo! Lindo o retiro... o que faz recordar sempre. Lindo o resultado... Um padre capaz de O dar entre palavras que tocam a tantos. Lindo o seu amor a Deus que O faz amá-lo tanto.

Fez bem lê-lo.

Obrigada.

Anónimo disse...

O texto é de facto duma singela emocional. Belo, é de menos !
Fernando Gonçalves

Renata Cavanha (Bambu Amado) disse...

"Deus ama-me tanto!!!"
Que lindo padre, tenho gostado muito de suas partilhas, é tão bom quando encontro blogs que anunciam o Senhor!!! Gostei deste, pois tem me deixado com mais sede de Deus, e esta postagem me deu saudade de uma semana que fiz aqui na comunidade que faço parte, Comunidade Beatitudes do Coração de Jesus, subindo a montanha...uma semana só eu e o Senhor!!! Quantos frutos de oração...
Como é bom ouvir o Senhor!!!
Deus abençoe padre na evangelização...
conheça nossa radio...www.radiobeatitudes.com
a paz

Maria disse...

Padre,
Obrigada, por ser, por existir, por nos ensinar a amar. Sempre que posso passo pelo seu blog, saio mais rica em fé, caridade. O que existe em si é puro, é verdadeiro é sentido.
Quando era jovem queria ser freira, para dedicar a minha vida a Deus. Depois casei e queria ter um filho padre, não aconteceu uma coisa nem outra. por isso achei muito interessante a ideia de um seu colega que deviamos adoptar um padre, e porque não? Rezar, fazer um sacrífio por esses a quem o Senhor chamou, para ajudarem na nossa salvação.
Continue a evangelizar padre, essas
palavras de sabedoria, que dá em geito, de deitar para fora o grande Amor que há em si, quantas pessoas não foram já tocadas pela graça através do seu blog.
Que o Senhor esteja sempre consigo porque é um padre abençoado
Abraço
Maria

Joana ;) disse...

Gostei muito e entendi!
Amor puro e sublime, que só os escolhidos sentem.

Aqueles que convivem consigo de perto, seja amigos, paroquianos ou familiares, teem muita sorte.

Sinceramente, sinto-me uma sortuda por ter encontrado este blogue.

Obrigada pela partilha, quem me dera poder sentir o mesmo.

Bjs

Confessionário disse...

ò Joana, não exageres... O importante é Deus