quinta-feira, abril 24, 2008

Os maus é que deviam morrer

Os maus é que deviam morrer. Estava revoltada, dizia-me. Só por dizê-lo eu intuía que não era revolta. Era dificuldade em entender, em aceitar. Já viu, padre. Tinha apenas 32 anos. Tinha duas crianças. Morrer assim de repente. Sem explicação. Os médicos falaram em infecção. Mas nunca justificaram. Foram dois dias. Em dois dias foi. Não é justo, padre. Deus não foi justo. Ela era boa pessoa. Tinha razão neste ultimo comentário. Reconheço que o que conheço dela fazia dela uma pessoa boa. Mas não tinha razão no penúltimo. A justiça de Deus não tem qualquer semelhança com a justiça que usamos os homens. Quem merece ou não o amor de Deus? A quem é justo Deus amar? A quem é justo Deus chamar? Porque havia de chamar apenas os maus? E o mundo ficava a abarrotar dos bons até se tornarem maus?
É maravilhoso Deus amar, não porque se mereça, mas porque quer. É assim o amor no matrimónio também. Ama-se como a pessoa é, independentemente dos seus defeitos ou fraquezas. Ele ama porque ama. Não ama porque tenha de amar. Por isso a sua justiça é diferente da dos homens, que dão consoante o que o outro merece. Que julgam consoante méritos ou deméritos. Será que Deus não poderia ou deveria amar indistintamente? O nosso problema não será a inveja da justiça de Deus, porque não conseguimos amar como Ele? Porque é que só os bons deveriam viver? E porque havemos de fazer distinções numa hora tão bonita como é a entrega total a Deus da nossa vida? Um dia, num funeral duma amiguinha jovem, disse que Deus gosta de ter o seu vaso cheio das flores mais belas. Quando encontra uma quere-la o mais depressa possível. Deus é justo porque nos sabe amar a cada um como cada um precisa. Deus é justo porque na Sua balança pesa a pessoa e mais nada.

31 comentários:

Anónimo disse...

Na minha humilde opinião....

não é injustiça.

Apenas e tão sómente a hora marcada... o apeadeiro onde subimos na esperança... de nos encontrarmos com o PAI!

O luto... esse será sempre vivido, pela marca profunda do nosso egoismo... o egoismo que nos prende aos outros, querendo-os só para nós!

Sem mais delongas...

Kalos

Anónimo disse...

"O nosso problema não será a inveja da justiça de Deus, porque não conseguimos amar como Ele?"

Esta frase saltou-me à vista...É sem dúvida uma grande verdade!

Anónimo disse...

Olá!

Às vezes dá uma vontade de voltar ao passado e viver tudo outra vez. Onde tudo era tão belo… junto das pessoas que gostamos e por quem nos sentimos acarinhadas. Mas por vezes a vida prega-nos partidas e enche-nos de ses… se eu tivesse feito aquilo, se eu tivesse dito isto, se eu…arrependemo-nos de coisas que não fizemos nem dissemos e depois já é tarde de mais. Nesses momentos devíamos ter feito aquilo que realmente queríamos. Como não aproveitámos cada momento que a vida nos proporcionou intensamente então tudo passa depressa e o que fica é o arrependimento de não ter vivido aqueles pequenos momentos ao máximo. As pessoas são obrigadas a separar-se pois a vida assim o proporciona e a única coisa que fica é a saudade…pois a saudade é a maior prova de que o passado valeu a pena…mas não conseguimos aceitar que essas pessoas partiram…por vezes a vida é muito dura mas temos de conseguir seguir em frente e a única coisa que não nos podemos esquecer é que essas pessoas ficaram no nosso coração para sempre…
O tempo de Deus não é o nosso tempo... para os bons e para os maus... e a morte, para os que acreditam realmente é a festa da VIDA!!!!!! A Ressurreição!!!
Que todos nós saibamos aceitar, não a nossa vontade, mas a vontade de Deus... Só Ele sabe o que precisamos; só Ele nos pega ao colo nas maiores tribulações...

Desculpem o que escrevi, nada ter a ver com o post, mas hoje foi o que senti... a saudade bateu com força...

Beijinhos para todos, em especial pr o Kephas,para a Filó e um abraço especial par si meu querido Amigo Confessionário...
MJG

Mariana disse...

A única injustiça:
Nós, que ficamos, termos que esperar tanto tempo para entrar no Reino de Deus.

Mariana

Anónimo disse...

...

Olhando o Infinito disse...

"Que todos nós saibamos aceitar, não a nossa vontade, mas a vontade de Deus... Só Ele sabe o que precisamos; só Ele nos pega ao colo nas maiores tribulações..."

A cada palavra que lia da MJG as lagrimas começaram correr pelo rosto...ainda não pararam...
consegui passar para palavras muito daquilo que sinto, senti...
tantas vezes achei injusta o que a vida me trouxe, reclamei com Ele..
espero perceber a vontade d'Ele, acredito que Ele me tem trazido ao colo.
Obrigado pelas suas palavras
um abraço amigo

Anónimo disse...

Olá,

Desculpe, meu Amigo Confessinário, mas esta é para a "Olhando o Infinito"

PEGADAS NA AREIA

A vida é um sonho permanente...
Sonhei, um dia, que caminhava sobre um areal escaldante.
Olhei para trás e vi, marcadas na areia,
Duas pegadas longas, ao lado das minhas.
Não vi ninguém. Não ouvi ninguém.
Apenas me entrou na alma a voz do Senhor
Dizendo-me que as pegadas eram Suas,
Porque seguia comigo em todas as horas.

Continuei caminhando, ora sorrindo, ora chorando.
Numa hora extremamente difícil, senti-me só,
Porque olhei para todos os lados
E vi apenas um par de pegadas...
- Senhor! – gritei com aflição.
Porque me abandonaste?
Mas o Senhor respondeu-me com amor:
- As pegadas que faltam não são as minhas, mas as tuas,
Porque te levantei ternamente em meus braços,
Para aliviar teu sofrimento e enxugar tuas lágrimas...

E eu continuei a caminhar confiadamente...

Força, Amiga!!!
Bjinho
MJG

ana maria disse...

Fico com um nó na garganta, nem sei dizer nada... Penso nas crianças que ficam sem mãe...

Alecrim disse...

Sobre a morte nada sabemos.
Eu perdi um irmão com 24 anos, sofri muito, mas nunca isso me afastou de Deus. E sim, antes de acontecer, pensava que uma coisa dessas era bem capaz de me afastar de Deus.

Mas não gosto da imagem das flores. Não gosto da imagem de Deus a "roubar-nos" as flores do nosso vaso. E bem sei que "roubar" é uma palavra mal escolhida.

Olhando o Infinito disse...

Muito obrigado MJG
é o meu poema preferido, e que recordo várias vezes, ás vezes precisamos que nos voltem a recordar :)
um abraço amigo

Maria João disse...

Estou a lidar com uma situação semelhante na catequese. A pai de uma criança de 6 anos faleceu de repente....

Rezemos por casos como este. Que as pessoas vejam que o fim é um começo, apesar da dor e da consternação que é normal quando amamos alguém.

beijos em Cristo e Maria

figlo disse...

"no matrimónio ama-se a pessoa como ela é".Só queria acrescentar que essencialmente se ama a pessoa como ela será,porque a pessoa que somos hoje, será diferente amanhã...essa perspectiva torna consistente e "pacífico " o amor que vivo...se calhar mudei o tema...desculpa

Anónimo disse...

olá!

Confessionário, querido Amigo, permita-me voltar a escrever neste post, apesar de mais uma vez as minhas palavras nada terem a ver com o que está escrito...

Mas, mais uma vez a saudade bateu forte e nada melhor do que a partilhar...

PARA OS MEUS PAIS

Hoje, sentada no cantinho do meu quarto, penso em vocês… Tanta falta me fazem… tanta vontade que tenho de vos abraçar…
Mas sei que não posso viver “agarrada” a recordações… Tenho que “cortar” o cordão umbilical… Tomar consciência que já não estão cá e seguir em frente… Enfrentar os meus medos e os meus fantasmas… Reaprender a VIVER! Recomeçar, mesmo que sozinha… Não desistir nunca mais…
Apercebi-me que o tempo não espera, tenho que o enfrentar já… Não posso perder tempo, no tempo que passa por mim…
Há algo que tenho que fazer…
Por mim…
Por vocês…
Pela primeira vez, nestes anos todos, esta tarde, levar-vos-ei ao cemitério, duas rosas e lá, simbolicamente de mãos dadas com vocês, vou rezar em silêncio: “Pai-Nosso…”
Sem vontade, ou pressa de vos dizer Adeus, aproveito o tempo que o tempo ainda me permite e faço silêncio…
O silêncio é o estado de alma que mais nos ajuda, é a maneira certa que encontro para vos dizer:
O vosso lume brilha dentro de cada uma das pessoas que tocaram durante a vossa vida e por isso, enquanto eu for viva para perpetuar o que colhi de vocês, nunca poderão realmente morrer!!! Estão junto de Deus a velar por mim…
Meus querido Pais,
“Quando, sentada nas margens da minha vida se deslumbra a imensidão do vazio no meu horizonte, vocês serão sempre a ponte que vejo ao longe e que me permite o contacto com o maravilho das pequenas belas coisas que carregam a sabedoria da vida!
Aí sinto a harmonia e a alegria de viver. Ressurge, então, a criança que há em mim. Sei que esteja onde estiver nunca estarei só.
Amar-vos-ei, por isso, para toda a eternidade!”

Com muita saudade e Amor…

30.01.08

Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós..."

Bjinhos para todos...
MJG

Alecrim disse...

A propósito dos vasos: http://queaquiloquenossepara.blogspot.com/2008/04/faz-me-tristeza.html

Lua dos Açores disse...

Nunca entendi bem essa do chamamento de Deus para a morte. Para mim a morte tem a ver com o estar vivo e com a finitude da vida. Quem nasce, morre. A hora da morte tem a ver com a conjugação de vários factores. É q se morrer fosse assim tão bom andavamos todos aos empurrões para morrermos primeiro, eramos todos a favor da eutanásia. Agora eu não duvido que quando morremos passamos, como diz um querido amigo, "para os braços do Pai Abraão" e que no dia em que Ele voltar estaremos, finalmente, no Reino que fomos construindo ao longo da vida e que Ele vem restaurar. Não sou "letrada"" nestes domínios, apenas penso que a imagem do roubo das flores é infeliz. A criança morreu porque sofreu um acidente, teve uma doença incurável, o senhor teve um colapso...etc e o Pai está de braços aberto à sua espera para o acolher e é isso, juntamente com a certeza da ressurreição que nos ampara na hora da dor da partida dos que amamos...

Como diria Agostinho:

"Não chores se verdadeiramente me amas

Se conhecesses o mistério imenso do céu onde agora vivo.
Este horizonte,esta luz que tudo reveste e penetra,
Não chorarias,se me amas!
Estou já absorvido no encanto de Deus
Na sua infindável beleza.
Permanece em mim o teu amor
Uma enorme ternura
Que nem tu consegues imaginar.
Vivo numa alegria puríssima
Nas angústias do tempo
Pensa nesta casa onde um dia estarems reunidos para além da morte.
Matando a sede na fonte inesgotável da alegria
E do amor infinito.
Não chores,se verdadeiramente me amas!

Abraço fraterno

Anónimo disse...

Para a MJG
Depois de te ler, é difícil segurar as lágrimas. Fui à varanda...corria uma brisa. Mandei através dela um grande beijinho para ti. Portanto, quando sentires uma aragem no teu rosto é ele a chegar e a brisa fez bem o seu trabalho.Deus esteja sempre contigo, minha querida.
Filó

Kokas disse...

Antes acreditava em tudo isso. Aos 18 anos fui para a catequese para me baptizar. Fi-lo com 23. Hoje... virei as costas à igreja e centrei-me no MEU DEUS... que não julga as minhas opções sexuais, como as beatas e aqueles senhores que lá estão no vaticano!

Aquele abraço

joaquim disse...

Muitas vezes nos nossos conceitos humanos estabelecemos uma espécie de justiça estranha.
Se entendemos que não é "justo" Deus chamar a Si uma pessoa boa e ainda nova, acharemos então que é "justo" chamar uma "má" e também nova.
Então mas se a pessoa é boa, até mesmo no nosso conceito humano do que é ser boa, acreditamos, (aqueles que acreditam, claro), ou devemos acreditar que ela vai para a plenitude da vida, que vai para a vida melhor, para a vida que não tem fim, na glória de Deus.
Mas aquela que não é "boa", ou que é "má" no nosso conceito, deveria, deverá então precisar de mais tempo para encontrar o caminho que a leve a emendar aquilo que em nosso entender está mal para poder então ser chamada à Casa do Pai.
Tudo isto são conceitos humanos e Deus, que é o Justo, sabe bem como fazer e o que fazer, e faz tudo muito bem feito, como um dia, por Sua graça haveremos de saber.
Há uns dias atrás dizia-nos o Evangelho:
«Se me tivesseis amor, havieis de alegrar-vos por Eu ir para o Pai, pois o Pai é mais do que Eu» JO 14,28
Neste determinado contexto podemos perceber aqui o "egoismo" dos Apóstolos que não se queriam ver afastados do Mestre, que não se queriam ver "sozinhos", mas era preciso que Ele partisse para que algo de muito bom fosse acontecendo.
A saudade é grande mas alegria do reencontro será bem maior!

Abraço amigo em Cristo

Anónimo disse...

Olá!

Filó, querida amiga,

O teu beijo acaba de chegar.... e sabes???? Na hora em que mais precisava dele!!!! OBRIGADA!!! Retribuo-te com todo o carinho...

Confessionário, meu grande AMIGO, um bjinho especial com um Pai Nosso...
MJG

Anónimo disse...

Desculpa lá, Confessionário, mas este teu post deixou-me bastante eriçado...
Sem pôr minimamente em causa a nobreza dos teus sentimentos e das tuas intenções, aquilo que acabas por dizer acerca do vaso de Deus é terrível.
(Há um teólogo, que muito respeito, que fez um dos seus cavalos de batalha alertar para os perigos de uma linguagem teológica incorrecta.)
Primeiro, porque confirma, ab contrario, o argumento da senhora que consideravas errado. Se a morte não deve ser vista como castigo dos maus, também não (e menos ainda) pode ser justificada como meio usado por Deus para "premiar" os bons ou os inocentes.
Segundo, porque dá a ideia de um Deus egoísta, que, para ter as coisas/pessoas para Si, as têm de tirar de nós, levá-las deste mundo.
(Já outros comentários sublinharam isto.) Ora, é precisamente o contrário: o vaso de Deus é este mundo, esta vida. É aqui que ele coloca as suas flores, as mais belas e também as menos bonitas, é aqui que Ele as junta e as rega e delas cuida. Este é que é o mundo de Deus, não outro.
E, no entanto, há algo de muito errado neste mundo. As flores são arrancadas, são destruídas. "Não é justo", dizia a senhora, e com razão.

JS

Paulo disse...

Os maus, são aqueles que não ouvem ou não quiseram ouvir a voz de Deus...digo eu.

Anónimo disse...

"A justiça de Deus não tem qualquer semelhança com a justiça que usamos os homens". Mais uma vez, percebo a intenção mas discordo da formulação.
(Temos de conseguir evitar a equivocidade na linguagem, senão nãos nos conseguimos entender.)
Aquilo que dizemos da justiça, dizemo-lo da nossa e da de Deus. (Da de Deus, de forma perfeita.) Não há duas justiças. O que podemos dizer é que a acção de Deus vai para além da justiça, através da sua generosidade, liberalidade e misericórdia. Enfim, do seu amor. Mas sem faltar à justiça, sem a negar. (Lembre-se a parábola dos trabalhadores contratados para a vinha.)

Portanto, se não é justo que morram os bons, não é justo para nós nem para Deus.
E se não seria justo se só morressem os maus, não seria justo para Deus nem para nós. Aos nossos olhos, faria da morte algo mais tolerável, mais aceitável. E saciaria (?) a nossa sede de vingança. Mas não seria justo. Por isso é que abolimos a pena de morte. A vida é simplesmente demasiado preciosa para ser tirada a alguém. Infelizmente, ainda nem todos nós, seres humanos, estamos de acordo nisto...

JS

Anónimo disse...

"Deus não foi justo", dizia a senhora. E terá razão, se se vir em Deus o responsável, o culpado pela morte, o dador da morte. Mas um Deus assim não mereceria o nosso amor.
Por mim, recuso-me a acreditar num Deus que não grite de revolta sempre que um dos seus filhos morre, que não vomite de repugnância perante a destruição de uma vida, que não fique com o coração desfeito ao ver como se perde tanta coisa linda.
Por mim, vejo Deus surpreendido, escandalizado perante algo que invade o seu projecto de amor, a sua criação, a contamina, a corroi e a destroi. Vejo Deus impotente para evitar que os seus filhos sofram, padeçam, morram às mãos de uma força contrária a tudo o que Deus sonhou e deseja. Vejo Deus abraçado a este ser humano que é sobretudo vítima do poder maligno, mesmo que, por vezes, o homem seja também dele cúmplice na sua acção destruidora. E vejo Deus que sai, Ele próprio, para o combate contra este Mal, que o enfrenta e o confronta, mesmo no seu último reduto.
E vejo Deus que vence. Mesmo que a guerra esteja longe do fim. E espero.

JS

Confessionário disse...

JS
tens alguma razão, porque Deus ama todos... Essa do vaso pode servir na hora da dor... mas numa hora normal pode dixar a desejar.
Obrigado plea recomendação

Mas nao te erices!! hehehe

Lisa's mau feitio disse...

Padre do meu coração!

vim apenas e com pressa desejar-lhe um bom início do Mês de Maria!

Logo voltarei para comentar como é suposto e como gosto! :)

Beijão grande em si, meu querido:)

Lisa

O Micróbio II disse...

Recordas-me a canção dos Trovante... "só Deus tem os que mais ama"...

ana maria disse...

Padre:
Um pedido: ore a Deus por uma das minhas irmãs...
Obrigada!

elsa nyny disse...

Felizz dia da Mãe pa tiiiiiiiiiii!!
Que a MÃE te cuide muitooooo!

bjtsss no teu coração lindo

osperegrinos disse...

Olá!!!

Difícil o tema da morte, né!?!

Mas não acredito em "hora marcada"! Isso dizem os defensores do destino! Eu acredito é na gratuidade, no livre arbítrio!

Foi isso que o senhor disse (muito bem, por sinal) no começo do texto! Não foi??? E eu concordo!!!

Só achei incoerente o que o senhor disse, depois, sobre o funeral da menina jovem! Um Deus que colhe as flores mais belas e deixa as ruins... Não condiz muito com o conceito de "gratuidade", não é!?!

Pior de tudo, sabe... Outro dia ouvi um padre dizer, numa homilia: "é de se perguntar... Por que 'fulana', QUE ERA BOA, tinha que morrer? Tanta gente que rouba, mata, comete tanta injustiça e nada acontece..."

Sei que padres são falhos também! Mas uma homilia é uma responsabilidade e tanto! O padre é um formador de opiniões! Usar esse poder de forma leviana é um crime!

Mas enfim... Vou levar comigo uma frase do teu texto: "E o mundo ficava a abarrotar dos bons até se tornarem maus?" Não havia pensado por esse lado...

Ah... Além do "peregrinos", tô escrevendo em outro blog agora! Se quiseres conhecê-lo:

< brasilfranciscano. blogspot. com >

Paz & Bem!!!

Zé Luiz.

Fa menor disse...

"E o mundo ficava a abarrotar dos bons até se tornarem maus?"

Um dia ouvi a alguém que às vezes Deus leva os bons mais depressa, para que não venham a tornar-se maus, porque o perigo poderia estar eminente...

E todos corremos riscos...

Boa semana

Jole disse...

Olá! Eu só queria dizer que seu blog é muito legal e que vou virar mais uma penitente.
A propósito, faz pouco tempo Deus chamou a pessoa mais próxima da santidade que eu conhecia. Sinto saudades, mas sei que ela está no lugar certo.