terça-feira, fevereiro 13, 2007

Evidência de Deus

No Domingo, dia mundial do Doente, houve cerimónia comunitária da Unção dos Enfermos nas minhas paróquias. Ela também queria. Inscreveu-se, mas não podia deslocar-se. Não estava em condições físicas. Só espirituais. Combinámos encontrar outra ocasião. Certo. Ela desejava a presença de Deus através deste sacramento. Não queria morrer em pecado, dizia. E o telefone, ontem, segunda, tocou já tarde. Curioso é que costumo ter reunião neste dia da semana a cerca de setenta quilómetros. Esta semana não. Por isso me convidaram para um jantar de colegas. Fraternidade sacerdotal. Boa companhia. Não sei porquê, mas respondi que não. Não sabia explicar. Mas era um não. Cheguei após 20 minutos, já com a respiração ofegante. Muito mais que a minha. Não reagia nem às palavras nem aos meus gestos de carinho. Sou eu, o senhor padre. Uns cinco minutos de conversa com quem a acompanhava. Cristãos de verdade na sua entrega gratuita ao outro, sobretudo o mais só, esta. Resolvemo-nos proceder à unção. Abriu então o olhito, como se tivesse percebido, e fechou-o. Percebeu de certeza. Estava à espera. Não de mim, mas desta presença de Deus. Sentir o Seu Amor. Aproximei-me e disse. Vamos falar com Ele. Terminada a Unção, serena. Em menos de um minuto parou a respiração. Serena igual. Acompanhei o processo como nunca tinha feito. Cheguei a casa lá para as três da manhã, com este pensamento que não me saiu durante toda a noite, com o qual acordei e com o qual sonhei e tornei a sonhar. Isto é o que se chama a evidência de Deus. Podemos gastar palavras a tentar explicar Deus ou a sua existência. Mas nada explica tanto como a própria evidência de Deus.

20 comentários:

elsa nyny disse...

Amigo!
Adorei!
Mas desta vez adorei ainda mais!
"...Não sei porquê, mas respondi que não.Não sabia explicar. ...."... Que lindo! Tu não sabias explicar, mas Ele sim!! Porque Ele tinha algo para ti, muito mais importante!

Amei este Grande Momento!!
Continua a ouvir e a dizeres - Não! - mesmo não sabendo porquê!!!
Muita força pa ti!
beijinhos!
:))

paulves01 disse...

Amigo

Posso dizer-te que já senti Deus muitas vezes...muitas!...nunca assim como tu o descreveste ou nesta situação mas noutras situações...minhas quando não sei o que hei-de fazer sei que é Ele a dizer-me uma vez mais para deixar nas Mãos Dele!...é sempre melhor entregar nas Mãos Dele!

Bjs
Carla

joaquim disse...

Continuo sempre a "espantar-me", como da primeira vez, com as coisas que Ele faz em nós, por nós e connosco!

Faz tudo tão bem feito e tão humildemente que até parece que nem é Ele, que somos nós!!!

Para nos fazer sentir que somos importantes "aos Seus olhos"!

Obrigado por esta partilha que trouxe paz e serenidade ao meu coração.

Abraço em Cristo

Maria João disse...

Acredito que estes momentos acontecem muito na nossa vida. Nós é que, por vezes, andamos distraídos.

Mas, a verdade, é que o que tem de ser, tem de ser. No mês de Dezembro tinha um retiro em Fátima. Inscrevi-me, mas até à última hora andei indecisa. Não sabia porquê. Acabei por não ir.
Nesse fim-de-semana uma das pessoas que ajudo no voluntariado precisou de mim. Vinha da natação e senti umas saudades incríveis de ir ao sacrário. Achei estranho. Estou sempre a ir lá. Mas fui. Fui e encontrei-a perto da Igreja, sozinha, a sentir-se muito mal. Teve de ir para o hospital.

Deus fez com que dissesse Não para a poder ajudar.

Força, amigo!

"Deus em tudo e sempre"
S. Vicente Pallotti

Anónimo disse...

Caro Amigo, esta evidência de Deus leva-me:"A quem Me ama Eu, manifestar-Me- ei".Deus sempre nos acompanha, nós dístraídos, é que não dámos conta na maior parte das vezes.
Não foi o caso, e para aquela família foi certamente o melhor que lhe poderias ter dado.
já passei pela experiência de perder alguém na minha presença, mas isso significou um ganho, a paz interior, a certeza de que a morte é uma passagem também acompanhada por Deus que nos ama eternamente, e quando temos a presença de um padre nesses momentos, sentimos a garantia de Lhe termos oferecido um bom presente.jocap

elsa disse...

Nada acontece por acaso... eu tb já SENTI DEUS em muitos momentos da minha vida e conitun-o a Senti-Lo... e sinto-me abençoada por isso...

O Micróbio II disse...

Ficou tudo dito... belo momento!

Sandra Dantas disse...

Lindo!!!
Momentos únicos e inesquecíveis!
Ele está sempre para além dos pensamentos, dos raciocínios...
É surpreendente e tantas vezes nos faz sentir a sua presença!
Obrigado por esta partilha, fez-me bem!

Um abraço amigo!

Paulo disse...

Como é bom sentir Deus nos nossos poros, na nossa respiração e nos nossos pensamentos. Pena que por vezes, nos esqueçamos d`Ele.

Olhe o Céu disse...

Poxa vida...

Sacramento!!! Sinal de Deus!!! O próprio Cristo, vindo ao nosso encontro! Um encontro real! Não é só sentimento, gente!!!

Meu amigo padre! O senhor poderia discorrer sobre isso algum dia!?! Nossos amigos acham que o senhor está a falar de sentimentos, de boas sensações apenas... E um sacramento é encontro real! O que acha???

Paz & Bem!!!

deprofundis disse...

Essa da "evidência de Deus" tem algo de falacioso. Então a religião não é uma questão de fé?
A fé só tem lugar quando a dúvida é legítima. E a dúvida deixa de se justificar perante a evidência. Não é preciso ter fé para acreditar que dois e dois são quatro. Porque é evidente!

E não me venham mais uma vez com a a Teologia que, blá blá blá, justifica sempre o injustificável...

Ver para crer disse...

Se não ias nessa noite, até a morte esperaria para a levar.
Só um dia saberemos o mistério do amor de Deus.

Maria disse...

..."Podemos gastar palavras a tentar explicar Deus ou a sua existência. Mas nada explica tanto como a própria evidência de Deus."

Delicioso...
Remate magistral.

Um abraço,
Maria

Confessionário disse...

De profundis, a fé não existe porque existam dúvidas. Não é por isso que se chama fé. Eu, por exemplo, não duvido. A fé é ter a certeza sem que ela seja palpável ou experiênciável.
Porventura estarás a fazer confusão. É quase como vento. Tu não o vês, mas sente-lo (a comparação nem é bem correcta, mas é só um exemplo de coisas que não vemos, mas que não duvidamos porque nos parece evidente; alguém nos terá dito um dia que era o vento!).
Mais, o que para mim é uma evidência pode não ser para ti.
Eu, por exemplo, alimentei intensamente a minha fé com isto a que chamo de evidência. Nunca vi Deus de forma experiêncial; porém, a minha fé não tem dúvidas da sua existência. Ela manifestou-se (repito, para mim) evidentemente nisto.

Elfo disse...

Hoje tenho de me confessar directamente a DEUS... não há mais ninguém a quem me dirigir... sinto-me só, tão só que me apetece chorar. Mas um Elfo não chora, não é verdade?

Confessionário disse...

todos choramos, elfo, quer na tristeza, quer na alegria de uma emoção. Isso é vida. Chorar é saber que estamos a viver. Não sei que se passa contigo, mas... força...

elsa nyny disse...

Olá Amigo!!

Há duas frases que em parte estão interligadas, e são bastante identificativas do meu modo de encarar a vida:

1 - “Há apenas duas formas de viver a vida, uma é achar que não há milagres, outra é achar que tudo é um milagre!” (Albert Eunstein)

2 - "Na realidade todas as coisas,
todos os acontecimentos,
para quem os sabe ler
com profundidade,
encerraram uma mensagem que,
em definitivo,
remete para Deus." João Paulo II


Para mim, este post é por demais evidente da “evidência de Deus”, está tudo lá, no encadeamento das acções, nos detalhes...tudo junto resume-se aos sinais de Deus, é só segui-los e deixar-nos ir, não importa como, até de olhos fechados, se for preciso...já tive muitos, Graças a Deus, não que eu os pedisse, porque acho que ninguém pede isso (?), eu não peço, aliás nem costumo pedir nada... Ele vai-me dando o que preciso, quando preciso, às vezes até acho que nem preciso, mas Ele diz que sim, e eu aceito!! Acho que quando há evidências assim tão claras, Deus só nos quer dizer uma coisa muito simples... “porque tu estás aí Comigo...olha, eu também estou aqui, Contigo!”...eu interpreto as coisas assim, mas nestas coisas cada um terá a sua opinião, e ainda bem que é assim! No entanto, eu, humildemente... sou uma das pessoas que percebo destas coisas, e tu sabes que sim!

Não posso também deixar de comentar a Fé, deste o exemplo do vento, que está bem, eu já o conhecia, mas eu arrisco dar outra, acho que não te importas, pois não??
Para mim a Fé, é algo muito interior, comparo sempre a Fé com o amor, e para mim estão muito ligadas... Como é que sabemos que amamos alguém? Porque é que sabemos que amamos? Alguém nos disse que era assim? Não! È algo que está em nós...e não precisamos de ver nada, para saber que amamos! Com a Fé é exactamente o mesmo! Porque no fundo a Fé é amor! Amor a Deus! E mais amor é ainda porque é um amor que pode não ser correspondido pelos homens, mas Deus continua a ama-los, ainda antes de serem pessoa, Pessoas únicas e irrepetiveis!

Agradeço a Deus, a existência de pessoas como tu, Amigo!!!!

Beijinhos!


Ps - Não te esqueças do tpc dos amigos! hehehe

Confessionário disse...

ó elsa do Aki, eu nem me lembrei dessa imagem do amor... e até já a utilizei. É mesmo. é isso.
Obrigado.

Quanto ao resto... caramba (posso dizer caramba??!!)

Anónimo disse...

Padre
Situações do tipo da que descreve também me acontecem. A última foi ontem. Não sei se são sinais de Deus, evidências de Deus como lhe chama, ou se serão coincidências. Agora o momento em si, esse é muito especial e toca bem fundo. Não dúvido que o senhor tenha sido a forma que Deus escolheu para se apresentar à doentinha. Serenou-a, tenho a certeza, e serenou quem a ama aqui na Terra. Quantos são os que partem sozinhos no abandono de uma qualquer enfermaria? E porquê meu Deus? Porquê? Precisamos de intermediários, assim, grandes e fortes, humildes e frágeis como o senhor mostra ser. Intermediários que nos segurem a mão quando as forças faltam...
Ao ler os seus postes, por vezes, interrogo-me se serão verdadeiros ou virtuais. Será que consegue mesmo desempenhar o seu ministério com a densidade que faz transparecer?
E já agora: cuidado, não queira desafiar os seus limites... para bem de todos os que de si precisam... Fiz-me entender, não fiz?
Um abraço amigo

Confessionário disse...

Fá, interessantes as tuas palavras. Obrigado pelo que me toca.
E no que se refere à verdade destes textos, garanto que são verdadeiros: quer os que aconteceram tal e qual, quer aqueles que componho de acordo com, quer aqueles que fazem parte da minha realidade, mas os conto de maneira diferente (com razões de tem de ser por causa de...). Todos fazem parte de mim...
e podes acreditar que a minha vida é bastante intensa!