sábado, fevereiro 17, 2007

Amigos coloridos ou em tom pastel

A Elsa, do Eu estou aki, amiga de tom colorido e pastel, enviou-me esta corrente. Como corrente que corresponde ao seu papel, não só ata uns aos outros como nos ata a nós próprios, isto é, aprisisona-nos. Se não fosse uma prisão saudável, a dos amigos, a daqueles que nos fazem viver, desistia dela, como desistindo de uma cadeia que não nos deixa ver para além das grades. Mas como esta corrente não tem grades, e pelo contrário, nos prende aos outros, decido decidir pela forma escrita de mostrar como é bom amar e como amo.
Os meus amigos são muito coloridos. Mesmo aqueles que desconfiamos se são ou não verdadeiros, são coloridos. Não como aqueles que apimentam a nossa vida, mas como aqueles que lhe dão cor. O pastel pode ser bonito, mas transporta-nos a uma ideia desmaiada da verdadeira cor. Por isso prefiro ter amigos com muitas cores. Uns são mais vermelhos. Outros azuis. Ou amarelos. Ou brancos. Ou a branco e preto. Sei lá. Para mim todos têm lugar no meu coração arco-íris. De facto procuro na minha vida ter lugar para todos, mesmo para os que custa encontrar lugar. É bonito ter amigos de diferentes cores. Assim a comunhão é mais alargada. Mais verdadeira. Mais rica. Mesmo quando a cor não me agrada tanto, procuro que ela faça harmonia no meu arco-íris. Gosto de pintar quadros com muita cor. Modernos, com cores garridas. Os de cor mortiça são mais esquecidos ou menos lembrados. Gosto daqueles que me fazem levantar um sorriso. Mas gosto de gostar daqueles que precisam de mais colorido.
Enfim, para dizer de outra forma: gosto imenso de amar. Não conseguiria viver sem amar. Não conseguiria desfazer-me do amor que Deus nos concede. Não conseguiria ser sem o amor de Deus, a Cor de todos os amigos coloridos. Gosto desta cor. Espero contribuir para um mundo com mais cor. Viva a cor dos amigos! Que seria de mim só com a minha cor?!
Passo esta "cor de viver com muitas cores" à Carla, de uma casa cheia porque tem uma casa cheia de cor; à Xana do Portinho de Abrigo porque já coloriu muitas vezes a minha vida; ao Goldmundo, da Ribeira Negra por uma tirada que teve há dias; ao colega Ver para crer porque há algo que me faz escolhê-lo. Um arco-íris a todos estes e todos os que me visitam e a todos os que amo por aí fora.

11 comentários:

elsa nyny disse...

Amigo!

Ès um querido! E obrigado por tanta cor que espalhas á tua volta!!!
Adoro-te!!!

beijinhos!
:)

Anónimo disse...

Olá
Para mim tu és o amigo AZUL, aquele que trás palavras de paz e de serenidade, dando a impressão de que estou em contacto directo com o céu ou com o enorme oceano azul que me rodeia todos os dias...
Beijinhos azuis
Maria João

paulves01 disse...

Olá amigo!

Obrigada...por te lembrares de mim...és um arco íris nas nossas vidas!
Bjs

Carla

joaogouveia disse...

Nesta noite de insónias, vaguei pelo mundo virtual, que bem que soube!Poemas apoteóticos encontrei e neles revivi o ego de quem os limou.Gostei muito, sim, gostei mesmo. Escrevi faz alguns dias um texto: "Ser Escritor". Divulgo isto, porque sinto que talvez seja a pessoa indicada para o ler. O endereço é este: www.transparencia.blogs.sapo.pt
Cumprimentos:
JoãoGouveia

Confessionário disse...

Amigo João, fui e deixei lá este comentário que acho oportuno. Aliás, porque dizes que eu talvez deva ser a pessoa indicada para o ler?

"Sim e Não. Ser escritor é algo que os outros é que devem dizer. O escritor não se sabe tal. Vive apenas nas palavras!"

joaogouveia disse...

Obrigado pela visita ao meu blog.
É a sua modesta opinião, deduzo, Senhor Padre. Porém creio que mal entendia por mim mesmo, não é que pensei que estava a referir-se a mim, como um pretensioso escritor, ou melhor,"peudo-escritor". Vou acreditar q a legitimidade paroquial é mesmo o reino dos fins.
Ser escritor não depende de nenhuma aprovação exógena, ser escritor é simplesmente sentir.tal como voce sentiu a orientação para a vida espiritual, creio que hoje, é considerado pela sua opção e não por conhecimento do mundo.É a minha opinião.Além disso, o texto que leu no meu blog, "SER ESCRITOR", é um texto individualista, nunca genérico!

Mafalda Freire disse...

Confessionário, só por seres uma pessoa tão bela.. admiro-te imenso de várias cores!! :)

www.confissoesdeumasurda.blogs.sapo.pt

joaogouveia disse...

Isto foi um engano, devo confessar.
Eu tinha duas janelas abertas, a sua e a de um outro usuário, o que aconteceu foi o seguinte: ambos eram do "blogger" e comentei o seu blog com o comentário que era para a outra pessoa ( não reparou que no seu falo em poemas, onde estão eles?) e por conseguinte, comentei o outro com o escrito que era para si.Enfim.
Confusão.Porque o outro "Senhor" era escritor, por isso disse que devia lê-lo. Porém, fiquei feliz por ter lido o meu último post.

Confessionário disse...

Amigo João, não me referia a ninguém. Referia-me ao ser escritor. E pelos vistos, pensamos de forma igual. O verdadeiro escritor nao precisa que outros lhe apontem esse dedo. Tão só vive nas palavras. O verdadeiro escritor não consegue viver sem as palavras escritas. Vive em muito para elas. Foi isso. Longe de mim "julgar". Muito pelo contrário.
Amigos? Mas não respondeste à questão que te coloquei... Porque eu ser a pessoa de entender?!!

Confessionário disse...

Engraçado como as coisas acontecem.
Mas existem poemas. De facto existem, num lado, outro, meu. Que está por aí. Por isso anui com o comentário!!

E quem é o tal escritor?! hehe
E porque não poderíamos falar desta escrita no "Confessionário"?
E qual foi o comentário que o meu colega escritor recebeu e que era para mim?

ahahah.

Amigos, ok?

xana disse...

Confessionário..meu bom amigo:
Claro! Escreverei! Conta comigo!
..
Tu tens um dom,
o de colorir,
o de amar,
o de sorrir..
..
O de lançar correntes
a unir-te a um amigo..
..
Claro, confessionário,
entre cores, entre gentes,
parecidas ou diferentes,
tu conta sempre comigo!