quinta-feira, março 09, 2006

Sinto-me desumano

Tenho andado a pensar na minha gatita. Minha companhia. Olhos tão azuis e tão meigos. Está naquela época. Não a costumo deixar sair. Até para não ser atropelada. Mas não é simples gostar-se assim de um animal. Há dias perguntaram-me porque não a deixava fazer aquilo. Aquilo o quê? Perguntei. Ir ao gato. E respondi em tom de brincadeira. Já que o dono tem de ser casto, ela também tem de fazer sacrifício. Já me aconselharam algumas coisas, tipo pílula, laqueação, veterinário (não entendi bem quando me aconselharam o veterinário sem explicar o que ele podia fazer! Imagino que fosse a laqueação!) … Mas a que me deram como melhor medida foi mesmo a do gato. Ela precisa, padre. Não se faz isso! Até se torna mais adulta depois de ser mãe. A verdade é que me dói vê-la aqui a gemer. Geme de dor. Vê-la alçar o rabito. Roçar-se. Mas o pior é quando olha para mim, olhos nos olhos, e como que me pede. Como que me implora ajuda, que isto é do outro mundo! Olho-a bem. Faço-lhe umas festas. Peço-lhe para aguentar. E depois. Depois penso em mim… desumano…

64 comentários:

Claudia disse...

a minha opiniao? desumano...

a opinião dos outros? desumano...

a opinião publica? desumano...

a opinião oficial de quem tem poder, estava escrito!

Claudia disse...

e penso que nao tem de se sentir desumano! a situação é que é desumana!

on disse...

Não fique à espera que nós o lhe arranjemos o desculpa para a sua consciência...

on disse...

Ah, é verdade, eu não sou penitente...
Só os penitentes é que podem vir cá?

Confessionário disse...

Podem vir todos, on... Come ON.

BLUESMILE disse...

Não há um mínimo de caridade cristã?

Deixa lá a gata gozar, padre.

Já basta o que a religião faz ás mulheres.....

Vítor Mácula disse...

Caro Confessionário.

Eh pá, pois... Coitada... Eu cá (e falo por experiência felina, quero dizer, dos gatos com quem já morei...) penso que o melhor é deixá-la ninhar... E uma ninhada de tarecos em casa é uma trabalheira... muito alegre.

Se precisares de ajuda para dar os gatos, avisa... Sou especialista:)

Abraço, extensivo à gata de olhos azuis e meigos.

Vítor Mácula disse...

E depois. Depois penso no eco... desumano... A palavra aos padres e etc...;)

Confessionário disse...

Víctor, acho que captaste... o "depois"! o segundo texto...

Thinky_girl disse...

Desumano não será a melhor palavra! Talvez não haja opurtunidade, mesmo por ter medo que ela atravesse a estrada e seja atropelada, mas desumano não! Se calhar Cuidadoso??? sim! Pena?! Sim, mete pena! Solução?! Claro, que sim, sempre há uma solução mesmo que não esteja á nossa frente, neste caso a melhor seria um gatito! Parece-me ser a mais acertada. Beijo.
Thinky

Anónimo disse...

A nossa sorte (dos humanos) foi escapar à lei do cio. Embora a Primavera costume mexer com muita gente...

Anónimo disse...

Questiono se o problema não estará também no facto de o felíneo ser fêmea...

Avozinha disse...

Pois... eu também tenho uma gata de olhos azuis...

Anónimo disse...

Eu não sou gata... mas faço eco: desumano. Percebo-a bem.

(Assinado: leitora solteira que, por esta vez, prefere passar anónima)

Fá disse...

Cá temos um dilema de natureza bioética:
-castrar a gatinha...
-limitar-lhe a liberdade...
-ou aceitar as proles que possam resultar dos namoros?

Se nos é difícil optar quando se trata de animais que estimamos quanto não será se o transpusermos para a esfera humana.
É um desafio que coloco.

E já agora, Padre, faça por ela, a melhor escolha... Tenho a certeza que o fará e que desumano nada tem!
Um abraço fraterno

Confessionário disse...

Fá, o texto de hoje passa por aí: contrapor gatos e homens, gatos e padres, homens e padres... Será que não fui claro nas entrelinhas?!

Anónimo disse...

Entre o imposto pela natureza e o imposto pelo ser humano... coitado do mexilhão.

Ninguém disse que a vida de celibatário é fácil. Mas tem o seu sentido, se assumida de forma livre. Claro, se se pudesse ter tudo ao mesmo tempo...

Anónimo disse...

Desumano... Afinal o celibato é sinal de alguma coisa!

BLUESMILE disse...

Padre:

A minha primeira experiência de adultidade vivi-a com oito anos... Rodeada de animais, cães, gatos, gatinhos e até alguns pássaros, passei a minha primeira infãncia numa liberdade antiga e amiga com os animais que calmamente acasalavam em cio e se reproduziam ou não.Havia sempre quem ficasse com cachorros e gatinhos alheios.
Mas nem sempre. Um dia descobri que alguém tinha afogado uma ninhada inteira de gatinhos recém nascidos. Era assim que se fazia aos gatinhos excedentários - antes de se usarem contraceptivos para os animais. Aliás, era precisamente o mesmo que se fazia aos recém nascidos humanos excedentários antes de se inventar a contracepção..
Nunca esquecerei o dia em que descobri sete minúncuos gatinhos mortos por mão deeconhecidas (talvez até caridosa) e de ter andado uns dias a pensar se os gatos também iriam para o Ceu.
Ideias de criança. ( Hoje q
Vem tudo isto a propósito do seu falso dilema.

Se a gata tem cio é um crime impedir o animal de seguir o seu instinto. Se não tem ninguém a migo a quem possas dar uns gatinhos recém nascidos que possam resultar dos devaneios da gata... marque uma consulta no veterinário. E não é preciso castara a gatinha..Os contraceptivos existem para não ter que afogar gatinhos...

Dê a pílula á gatinha e deixe-a em paz.

Isto de dilemas de padre chega a ser irritante... Já não basta castrarem as mulheres...( e chamara a isso dilemas bioéticos) agora nem as gatinhas escapam...

cr disse...

É primavera... as hormonas andam aos saltos (não só nos gatinhos). Considero desumano não deixar a gatinha seguir os seus instintos animais e satisfazer as suas necessidades? Sim. Não a podemos obrigar a seguir o celibato quando ela não quer... assim como acho que nenhum ser humano deveria ser obrigado ao celibato.. isso é castrar parte de nós.

Carla Isabel disse...

oLÁ AMIGO

....deixa a gata seguir a vidinha dela!

Já agora ...o seu mail está com algum problema?


Bjs

Carla

Fa disse...

É claro que foi! Eu limitei-me a explicitar um pouco mais.
E já agora, Bluesmile, não faça uma transferência tão directa do que eu disse para os humanos. Não era essa a minha intenção. Isto da língua portuguesa tem que se lhe diga!...

Dad disse...

Ó Confessionário!
Agora que ainda estamos perto do dia da mulher, pergunto: se em vez de uma gata fosse um gato, não teria já ida para a rua, à procura da sua gatona?
Então gata em casa de padre sofre mesmo?
Eu tive uma gata e como não a podia mandar à rua porque morria de certeza, atropleada, foi tratada no veterinário e pronto.... depois, foi o sossego completo. Se tivesse um jardim, lógico, iria ter com os gatos, mas assim, não houve outro remédio...
Mulher, gata, padre, tudo sofre...uns por umas coisas e outros por outras.
Mesmo o que é normal até aos próprios bichos é negado?
Contingências de ser gato, às vezes de ser Mulher e outras de ser Padre!
C'est la vie...
Bjitos,

Desejando Um Anjo disse...

Pois, desumano... A palavra talvez não seja a mais correcta, mas não deixa de ser triste que a gata não possa seguir os seus instintos. E será que a questão se punha se fosse um gato?

mi disse...

olá confessionário! bom dia!
ena ena, que esta história é puxada!
pelo que percebi, o que se pretende com esta história é fazer a transposição para o caso dos seres humanos.
- a gata tem um dono e o dono pode escolher por ela. a opção de procriar ou não, de tomar ou não contraceptivos, de castrar ou não, é toda do dono. o seu instinto animal só lhe diz que está na altura do cio… enfim… o resto vocês sabem!
- com os homens, é tudo diferente! à partida, ninguém é dono de ninguém, não é? (ou não devia ser…) mas os homens são animais racionais!
e agora?! o que pensam deste assunto quando se trata de seres humanos?
mais precisamente, a minha questão é:
contracepção (em humanos) – sim ou não? em que condições? quem escolhe? é pecado?
mi, cada vez mais assídua nas visitas ao confessionário

Vítor Mácula disse...

Caro anónimo.

"Afinal o celibato é sinal de alguma coisa!"

Sim. O que não é líquido é a conecção necessária entre o chamamento ao celibato e o chamamento à pastorícia.

Abraço.

Anónimo disse...

Ó confessionário, deixa lá, que se o celibato é desumano, o casamento não o é menos. Imagina-te a obrigar a gata a ficar presa toda a vida ao primeiro gato que lhe fizesse a côrte...

Louco disse...

Todos os seres vivos tem uma função, um porquê para a sua existência. E todos podem viver Deus de forma diferente, desde que seja em Amor. Amor a Deus, à vida, aos Homens, aos animais...

A escolha do sacerdócio deve ser feita em consciência, de forma livre, como um apelo e vocação. Quase por instinto. Como o do gato ou da gata. Se escolho ser agricultor, não serei pescador.

Que a luz ilumine o caminho da vida.

Sonhadora disse...

Coitadita da gatita! Se para os homens já acho uma crueldade impedi-los de viverem a sua sexualidade, quanto mais uma gatita linda!
São as nossas leis, da nossa sociedade, que nos tormam desumanos. E impô-las aos animais que (felizmente para eles) não têm nenhuma obrigação moral nem social é cruel.
Deus deu aos Homens e a todos os animais a capacidade e a necessidade de se reproduzirem para manterem a sua espécie. Ainda por cima, a alguns animais (como o Homem) ainda tornou o acto de reprodução num acto de prazer! Será assim tão mau?

MC disse...

Até nos bichos a diferença de sexo conta.

O meu bicho anda todo lampeiro a fazer o que a natureza manda. Nem vai dormir a casa. Só aparece pontualmente à hora de almoço buscar reforços. Que a vida é dura.

Escusado será dizer que se fosse gata, outro galo cantaria. Ah, pois!

Quanto ao dona da bicha, dê uns passeios (ao luar não), faça desporto, pense na carestia da vida, escreva ao papa...

Gambozina disse...

É desumano. E não só a gata dos olhos azuis. Pode trazer algumas vantagens (falam em mais tempo de dedicação aos outros), mas eu não sei se compensa, se se justifica. Mas esta é apenas a minha opinião. É apenas mais uma opinião.
Bom fim de semana!

MC disse...

Ei, ei, ei, um erro grave.

A dona do gato, está bem. O dono da gata é que precisa distrair.

Manuel disse...

Caro colega,
A blogosfera é um mundo misterioso. E tu tens um dom para o tornar quase místico! Provocar uma avalanche de comentários a partir do cio felino é tarefa digna de registo!!!
Leva lá a gata ao gato! Quanto ao resto, meu caro amigo... água fria! Muita água fria! E penitência, que estamos na quaresma! Ao terceiro dia de jejum, já näo pensas nessas coisas.
Abraço

Anónimo disse...

Desumano? O Celibato não pode ser desumano, Jesus, verdadeiro Homem viveu-o na alegria de quem se oferece. Desumano, pode ser entendido a partir das Escrituras, por amor do Reino dos Ceus. Só assim se entende o celibato. Como doação.
Expressões como castração,são tipicas do mundo, de uma mentalidade mundana.
Ao contrario das gatas, que nao possuem vontade, os homens sao dotados de inteligenica e vontade. A gata tem instintos, o meu amigo, que é um Homem tem desejos. Todos sabemos que nem todos os nossos desejos se podem satisfazer.
Apenas nao entendi a ultima frase. Se um padre olha para o seu celibato e considera-o desumano, se considera desumano que a sua gatinha nao vá ao gato. Como as gatas nao são humanas, penso que esta a falar da primeira, o seu celibato é desumano.
Se assim é, resta-me esperar que tenha um proveitoso retiro, e que encontre no Mestre a força que lhe falta.
Não se deixe levar pelos discursos de castração, que já sabemos donde vêm e onde conduzem.

xana disse...

Muito inteligente e divertido este atalho ao debate sobre a castidade..na generalidade e na sua especificidade..

Anónimo disse...

Será que Deus fez o homem tão escravo da biologia como as outras criaturas, padre? Era tão mais fácil se assim não fosse. Será que Ele nos quis reduzir à condição de animais, ou quis que fossemos Homens sem renegar essa condição?
Algumas religiões orientais pensam assim. Para mim faz mais sentido.

ivan (aka bandinho) disse...

desumano pa gatos, homens, mulheres.

padres incluídos!


principalmente porque depois falam de uma coisa que não sabem (oficialmente, pelo menos!) o que é.

guevara disse...

Já estou como o Manuel:

"A blogosfera é um mundo misterioso. E tu tens um dom para o tornar quase místico! Provocar uma avalanche de comentários a partir do cio felino é tarefa digna de registo!!!"

Cada vez mais estes 'debates' estão interessantes, cativantes e proveitosos.

da_ue disse...

Olá Padre!

Se tiveres hipótese de dar gatinhos deixa lá a pobre gata seguir o instinto! Se não... então não! Eu tenho 9 cães, e para não serem mais sei o terrível que é ter que andar atrás deles a puxar-lhes as calças para cima!

Quanto à analogia gata/dono da gata aproveito para deixar também a minha opinião: entre sentir-se reprimido e ter uma vida amorosa legítima, tem que decidir qual é mais prejudicial ao seu ministério e à sua paz para se aproximar de Deus... o ideal seria o celibato mas sem sentir-se reprimido! Já o diz o apóstolo Paulo em ICorintios 7:1-10 - se tiveres tempo lê esses versiculos!


PS: Também queria partilhar contigo um assunto que me tem estado a intrigar ultimamente! Caso tenhas tempo e curiosidade, deixo-te este link para te contextualizares:

clica aqui

e este para um artigo genial (embora um pouco extenso) sobre o assunto!

clica aqui

soldeinverno disse...

oh..tadita... é verdade que lhe podem acontecer mil e uma peripécias... eu tenho uma cadela que é virgem, agora já tem 7 anos e já não pode ter cachorrinhos, pois poderia morrer no parto, e eu sinto-me como se lhe tivesse tirado a alegria de ser mãe... não se sinta desumano... é que ás vezes gostamos tanto destes bichinhos, que nos fazem tanta companhia, que temos medo de os perder... no máximo sinto-me egoísta...desumana não...

JOINCANTO disse...

MIAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!

Confessionário disse...

Ai, amigos, isto está menos bem! O meu computador avariou. A reparação vai demorar. Agora só posso visitar-me quando, com tempo, utilizo computadores alheios. Peço desculpa, por isso, por algum demora...

da_ue, já li os artigos! Puxa, não estava a par. Vou procurar saber mais. Depois (esta semana não, por causa do computador) digo qualquer coisa...

NaSacris disse...

A sexualidade da gatinha é aoenas a deixa para a metáfora. Claro que, humanamente falando, o celibato dos padres é desumano. Agora, a teologia dos votos, entre os quais está a castidade e o celibato, já é outro discurso.

Anónimo disse...

Agora que foram descobertos casos de gatos infectados com a gripe das aves, já há uma boa desculpa para fechar os bichanos em casa... :)

Vilma disse...

Em relação à gatinha, posso dizer que seja pouco humano sim, pois o desejo dela é esse e não a deixam... e ela não tem outra opção! Quanto a si, padre, a opção foi e é sua! Foi escolha sua! Ninguém o obrigou a optar por isso! Tão pouco é bíblico. Quem o opta, faz por sua escolha!

Pdivulg disse...

Ir contra aquilo que está nos nossos genes, ir contra o nosso instincto é um pouco desumano, claro que sim. Impor regras de humanos aos animais é desumano. Quanto aos Homens desde que eles aceitem conscientemente os seus compromissos nada podem reclamar...

Marco disse...

Meu caro padre,
Se eu te conhecesse pessoalmente, escrevia aqui umas "bocas" valentes sobre este assunto.
Mas sim assim, contenho-me.
Guardo o humor para outra oportunidade.
Um abraço.

Silvia disse...

deixa a gatinha sair.

mi disse...

bom dia! então, esse computador, continua avariado?! tenho saudades!

desumano é desaparecer assim de repente da blogosfera e deixar-nos entregues à tentação!

Missé disse...

Meu caro, não sei se algumas vez entendeu a palavra entrega. De facto é uma palavra pequena mas diz imenso. Não vou estampar velhas ideias pré establecidas, vou-lhe dizer simplesmente que a castidade passa pela liberdade. Não uma liberdade qualquer de quem se liberta de algo pecaminoso, porque a sexualidade é tão sagrada em si, quanto aquele pão consagrado no altar pelo compromisso e entrega mutuos pelo amor. Mas o objectivo do celibato é de não "prendermos" o coração a ninguem em concreto para, de uma forma mais livre, entregarmos incondicionalmente o coração aos outros por Jesus, para estarmos disponiveis, para nos abrirmos com pica e gratidão. Custa? Ah pois custa e por vezes desespera, mas será que estando casado nao haverão coisas que também custam e são delicadas? Não há coisas que Jesus nos diz que custam e são delicadas? Morrer numa cruz não custa? Mas foi por essa coisa "desumana" que ele nos provou o nosso amor. Todos os conceitos e pré-conceitos se reduzem perante o amor...que simbuliza entrega...que simbuliza trocar o certo pelo incerto. Custa mais pensar que nao vou ter um filho, a pensar que nao vou poder ter relações, mas sinto-me feliz por ter força no coração para o seguir apesar das falhas dos erros. Mas confiar.....confiar leva-nos lá.

Confessionário disse...

Caros amigos, duas novidades tenho para vos dar: uma boa e outra má. Começando pela boa (se é que é mesmo boa... pelo menos para mim é), à minha gatinha já lhe passou aquilo; a má, ainda estou com o computador avariado. Vou tentar amanhã arranjá-lo. Prometo postar assim que estiver em forma, o computador e eu.

Confessionário disse...

Relativamente a outros assuntos, gostava de dar realce ao que disse o Missé. Foi bonito e fez-me bem ler ou ouvir o que escreveu. Concordo contigo, amigo. Eu não desdenho do meu celibato. Tento vivê-lo. Mas de vez em quando, como num casal ou como em qualquer outra forma de viver ou em qualquer assunto da nossa vida, apatece questionar, apetece queixar...
Quero deixar claro para todos que a decisão já está tomada há muito. Conflitos, há-os, não escondo. Mas não faço disso bandeira! Prefiro dedicar-me àquilo que, para mim, é essencial, Jesus!

NaSacris disse...

Bonitas reflexões, sim. O Missé deu na mosca. Parabéns. À Vilma diria que o celibato não é a escolha fundamental, o celibato é caminho. A opção fundamental do sacerdote é Jesus. Tudo o resto deve incorporar-se a esse projecto, a esse caminho. Pelo menos eu sinto assim.

Missé disse...

Fez-me mesmo bem ouvir a tua resposta e partilha ao que te disse. Obrigado! Abraço e prometo oração por ti.

Lilith disse...

O sexo é sagrado.

perdido disse...

esta semana enviei postais de votos de páscoa feliz pra toda a gente. agora mesmo acabei de descobrir que a páscoa não é no dia 19 março como tinha julgado. é só lá para abril.

porque é que a páscoa não se torna numa celebração fixa em vez de ser uma celebração móvel?

A Sonhadora disse...

Sabes uma coisa? eu acho que tanto os animais, como os humanos, nunca deviam ser privados duma liberdade, que é normal, tão auitêntica... e só com ela as espécies, se vão conservando e evoluindo....
Acho essas castrações todas, uma hipocrisia!!! e uma violência...
Deixem os seres vivos serem livres, pois assim o PAI os criou!!!
Um abraço

Anónimo disse...

O celibato... os padres... as horas de solidão quando as saudades de uma presença humana, próxima e íntima, invadem o coração e alma. Não deve ser fácil. Sei que não é. Mas a presença próxima e íntima de tantos a quem se faz falta, de tantos a quem se acolhe e se entrega, e a certeza de que Deus providenciará, certamente lhe farão companhia nesses momentos e lhe aquecerão a alma.

É o que espero...

Lilith disse...

O sexo é sagrado. A escolha é sagrada.


"Personal mastery teaches us to choose. Choosing
is a courageous act: picking the results and
actions which you will make into your destiny."
Peter Senge

Lilith disse...

E a escolha da gata?

Catarina disse...

Em última análise, não deveríamos ter animais em casa. Mas, se os temos, eles têm de se sujeitar às nossas regras.
Por muito impulso biológico que sinta, se nunca a deixares "conviver" com os gatos, também não é por aí que ela vai ser infeliz. A felicidade dela está restrita àquilo que tu lhe permites. Por isso é que tu és um ser humano e ela é um animal. Com todo o respeito aos animais, claro.
Resumo: ou somos coerentes e não temos animais domésticos (porque eles não foram feitos para serem domesticados), ou então não vale a pena estarmos a culpabilizarmo-nos pelos males que a civilização forçada produz na vida animal.
Só a opinião de uma filósofa...

disse...

Percebo muito bem!!! Enfim...

Lilith disse...

Descendo de um padre. O avô da minha avó era padre.

Anónimo disse...

Estou curiosa para saber como é que vai resolver a situação...
Contrapondo esta situação aos problemas que a sociedade enfrenta hoje em dia motivados em grande maioria pelo paralelismo da igreja/sociedade, penso sinceramente que ao nao querer uma ninhada ou mesmo, que a sua gata desapareça ou seja atropelada terá que se render à medicina e à laqueação da sua gata!
Tudo bem que vai contra as leis de Deus e que se devia encarar o "poder ter filhos" uma dádiva do Senhor, mas o sofrimento que essa gata tem enfrentado não é justificado quando se pode "remediar" a situação!
Esta é a minha opinião...Já agora se se decidir pela medicina, pff peço lhe para nao lhe administrar a pilula, é realmente uma má solução (leia os contra indicativos!)...
Resta- me despedir-me!
Cordiais Cumprimentos:)