quinta-feira, junho 06, 2013

Os ordenados dos padres

Um jovem de idade mais parecida com a minha do que com a dos jovens no vigor da idade, dizia-me em conversa, com uma certa admiração para comigo e que me deixou admirado com ele, que eu devia receber muito dinheiro. Não o disse como quem perguntasse ou desdenhasse, mas para afirmar que eu merecia um enorme ordenado, dado que o que fazia dava sempre algum fruto, ou de outra forma, onde tocava, algo de bom acontecia. Foi esta a explicação que me deu. Claro que fui para casa preenchido, como se não houvesse um cantinho em mim onde pudessem caber outras coisas, sobretudo as minhas fragilidades. Umas horas mais tarde, em conversa telefónica com um colega, assim como quem não quer a coisa, mas até quer, contei-lhe o sucedido. Este respondeu-me da seguinte forma, que me deixou com um espaço enorme para preencher com as minhas fragilidades. O que fazes, fazes a pensar em ti ou para ti, ou em Deus e para Deus? Eu esclareci-lhe que era em Deus, ou que às vezes era o que tinha de ser feito. E ele acrescentou. É que se fazes as coisas a pensar em ti, deverias receber muito mais dinheiro. Mas se as fazes a pensar em Deus, até o que recebes é demais.

10 comentários:

bia disse...

Pois é recebes um ordenado para executar um ato de doação, não vejo problema algum nisso, tens horários a cumprir, serviços a realizar dentro e fora de suas paroquias, visitam hospitais, creches, os seus doentes em casa, rezam por eles, fazem o ato de representar e ser alguém importante na vida das pessoas. receber por isso também é necessário para cuidares de ti. Não precisa dizer quanto mas acho muito justo e necessário. Um forte abraço e acho lindo seu trabalho, agradeço sempre por suas mensagens de resposta as minhas dúvidas e anseios.

Maria J. disse...

"O senhor não daria banho a um leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não. Só por amor se pode dar banho a um leproso.!
Madre Teresa de Calcuta

Penso que passa por aí.O mandamento so Amor gratuito.

Bartolomeu disse...

Avisado, esse teu colega, padre. Pois, ordenado, já foste e, foste ordenado, precisamente porque sentiste em ti o desejo de servir a Deus e aos teus semelhantes, em Deus. As obras dos Homens, sem a inspiração divina, nunca apareceriam. Se as que fazes são boas, se naquilo que tocas sai obra, então so tens de agradecer-Lhe pela Graça que Ele te concede.
O ordenadinho é outra cena à parte, que sendo demasiado, nuca será bastante para que com ele possas ajudar ainda mais aqueles que necessitam.
Deixo-te a minha humilde vénia, pela partilha e a confissão.

Peregrino disse...

"Digno é o trabalhador do seu salário" (Lucas 10,7)

Agora que ele nunca mate em ti essa liberdade divina que te dá a possibilidade de amares e servires somente por graça e amor que um dia também recebeste de graça. Nada é nosso, nem sequer a vida que dispomos como queremos!

Abraços fortes Naquele que faz com que a chuva caia sobre todos, “bons” e “maus”!

Filha de Maria disse...

Amigo Pe. Conf.;

Passou-LHE um cheque em branco, lembra-se? O que espera que Ele tenha lá escrito? Será que tem "saldo" suficiente?

Foi apanhado na curva?!

Ana Melo disse...

Se for vivendo, ao jeito de Jesus, a sensação que mais vezes se vai apoderar de si é!!!! a de não saber o que fazer a tanto dinheiro. A ausência total do mesmo deve ser terrível!! mas qualquer excesso também só nos estraga!!!!

Teresa disse...

Até nisto, existe descriminação por parte da Igreja sr. padre!!
Porque é que as irmãs freiras não têm direito a salário?!
Será que a vocação e trabalho delas é diferente e menos merecedor?!
Eu e o meu lado feminista, você já me conhece...
bjs :)

Ruth Bassi disse...

Penso, Padre, que o teu colega tem toda a razao. Um trabalho como o teu, feito com Amor e dedicacao, ate pode levar a esquecer a parte material.
Mas, esta nunca devera ser esquecida, pois todo o ser humano devera ter o seu sustento assegurado e poder realizar outras despesas inerentes ao seu bem estar fisico e intelectual. Atendendo a actual situacao de recessao, talvez se possa considerar que o ordenado e outros apoios sociais nao
sao especialmente maus, mas mesmo so por eese facto.
Beijinho
Ruth

Anónimo disse...

Por isso é que Santa Teresinha não olhava para as obras, nem para os frutos...

Helen disse...

Acho isso de ficarem julgando o quanto um padre ganha ridiculo!
Os padres trabalham para ganhar seu dinheiro como todo mundo! Deixe-os em paz...que Deus lhe de saude para ganhar seu dinheiro e sabedoria para utiliza-lo.
Fique em paz Padre.