quarta-feira, novembro 28, 2007

O que eu espero de um padre

Tudo isto vem a propósito de um indivíduo que veio ter comigo, a casa, a desoras, para me pedir um favor. Queria que lhe desse um jeito. Um baptizado àquelas horas naquele dia. Já tinha tudo marcado. Imagino que tenha vindo o marido e não a esposa porque os maridos são mais incisivos quando querem alguma coisa. Não berram nem gritam, mas insinuam os ombros e a altura ou largura. Primeiro dediquei-me a explicar-lhe algumas normas. Ó padre, não tenho muito tempo. Queria que passasse à frente. Esperava a minha resposta e não os meus ensinamentos. Como a maioria dos cristãos. Quando lhe respondi que não podia aceder ao seu pedido, levantam-se os ombros, alarga-se a cintura, estica-se a altura. Não foram muitas as palavras, porque eu estiquei o sorriso e quando este se estica o outro fica desarmado. Era assim que Jesus fazia. Já imaginava, padre. Vou procurar outro, disse. Eu esperava que o senhor dissesse sim, que é para isso que os padres servem. Um bom padre não diz Não. Essa também me fez lembrar Jesus, disse-lhe já ele virava costas.
Entrei em casa, sentei-me e a propósito perguntei-me. E se fosse eu? O que eu esperaria de um padre?
Que ele me anunciasse a palavra de Deus e não a sua própria palavra. Que fosse modesto e vivesse com simplicidade. Que soubesse calar-se quando outros falam e soubesse falar quando os outros ficam mudos. Que rezasse, fosse profundo e me fizesse participar dessa profundidade para fugir ao perigo da superficialidade. Que tivesse tempo, como eu sinto que devia ter, agora e amanhã, sem datas marcadas no calendário. Fosse a garantia do tempo que Deus tem para mim. Que se fizesse perguntas e tivesse dúvidas. Os que não têm dúvidas ou questões também não têm respostas e não as podem conceder aos outros. Decidi ficar por aqui com os pensamentos pelo medo de descobrir muitas mais coisas que fossem demais para as minhas costas. Estas já pesam.
Eu esperaria muito do sacerdote.

44 comentários:

Ana disse...

Quantas vezes falei com Jesus queixando-me dos outros não serem bondosos, generosos, compreensivos, disponíveis segundo as expectativas … esperando simplesmente que fossem Cristo! Quando Ele me explicou que eu devia ser o que esperava, dar o que pedia, evitar do que me queixava.

Ana

Peregrino disse...

pois é..muitos abriram a porta a anjos sem o saberem...!Mas n te preocupes... Jesus também um dia bateu à tua porta e Ele não te pediu nada, só ofereceu... faz isso, verás que a carga não pesará tanto... gosto do espaço que ofereces.. olha já é uma boa acolhida que fazes na hospitalidade... oro por ti, ora por mim... somos ambos peregrinos de Deus...sinto isso nas tuas palavras...

Anónimo disse...

oi confessionário
desculpa aa ausência, mas isto tem andado a ferver...
ai! olha...Jesus de certeza que baptizaria nem que fossem 5 da manhã,(desculpa a sinceridade) mas pronto naquele tempo também não havia tanta burocracia, e sei, tenho a certeza que se disseste não, foi porque tinha mesmo que ser, porque não podias de jeito nenhum.
Tenho saudades tuas, mas agora só para o Natal.
Fica bem, fica com Deus..

bj
mariana

Ecclesiae Dei disse...

Olá, Padre... visito-o sempre, gosto muito de seu blog e de sua sinceridade... sobre essa postagem, gostaria de expor minha opinião: quando decidiu ser sacerdote, o senhor entregou sua vida para Jesus, o que se espera de um padre, é que ele se faça Jesus para nós... inclusive, Jesus cumpria as regras da sociedade, que dirá da Igreja, lembremos do "Dai a César o que é de Cesar". Creio que essas pessoas não têm idéia do que é a vida de um padre, por isso dizem que é para isso que serves. Alegre-se, serves para muito mais. Nos apontas, a cada momento para Cristo, que, aliás... não fez as vontades dos outros, se fizesse, não teria sido crucificado!!!
Um grande abraço, com carinho
João Batista
Ecclesiae Dei

Anónimo disse...

Sim! Eu esperaria de um padre que dissesse sim quando fosse para dizer sim e não quando fosse para dizer não. Acho que tb foi isto q Jesus ensinou algures. Firmeza também se espera de um padre. Acho que fez muito bem. Os padres não são fornecedores de serviços avulso à espera que o consumidor faça o pedido. Não à sociedade consumista. (Mulher, 41 anos)

Teodora disse...

Claro que eu de um padre espero muito! Do meu então, mais que muito. Mas só coisas muita boas. Eleva. Todo ele é elevação!

Provoca verdadeiros loopings! Ele é todo sorrisos, simpatias e amabilidades. Aquele homem é um "perigo"!!! Mas sabe tão bem. aiai!

Ainda que seja numa missa com mais padres é ele que brilha! É verdade. Os outros até estão bem (um pouco tristonhos!)mas o meu é todo luz. Tem luz, tem salero, tem jeitinho, tem tudo. É a minha estrela polar! Até quando desafina é muito bom. Entra sempre muito bem. Tem a perfeita noção do ritmo. Só ainda não tive oportunidade de testar a coordenação. Mas algo me diz que funciona na perfeição.

Gosto muito de o ver a "fazer tricô" com as plantinhas trepadeiras dele. Ou melhor do jardim dele.

É uma verdadeira obra de Deus!

Paula disse...

o que eu espero num padre?
que quando eu o ouvir falar e agir me faça lembrar que estou na presença de Jesus e que me faça sorrir :)

Kephas disse...

Este post é um pouco semelhante ao anterior...

Já começo a perceber porque o Confessionário desabafa tantas vezes o seu cansaço. Não é nada fácil.

Se lhe serve de consolo, aquilo que você escreveu no seu post é exactamente o que se espera de um padre.

Desejo-lhe muita força e paciência!

Cumprimentos

Fá disse...

Padre
Acertou em cheio!:))) Em cheio!
Eu gostava que todos os Padres:
- me anunciassem a palavra de Deus.
- fossem modestos e vivessem com simplicidade.
- soubessem calar-se quando outros falam e soubessem falar quando os outros ficam mudos.
- rezassem, fossem profundo e me fizessem participar dessa profundidade.
- tivessem tempo, como eu sinto que devia ter, agora e amanhã.
- fossem a garantia do tempo que Deus tem para mim.
- fizessem perguntas e tivessem dúvidas.

Mas... não gostava nada, mesmo nada, de os ver enlouquecer...

Por isso, estou decidida a aceitar e a conviver com a sua humanidade.

Peço a Deus que lhes dê sabedoria bastante para possam ser, sempre, bons Pastores. SEMPRE!

Bjs

Ana Patrícia disse...

Não acho que se deva sentir pesado!Um sacerdote também tem de dizer não!E as pessoas, qualquer uma que seja, não têm exclusividade nos serviços por si prestados!Está em questão o ser comunidade...por que haveria aquele senhor de querer um serviço isolado de todos?Era uma situação urgente?
Não se sinta assim...as pessoas só vêem os padres e a sua função quando lhes convém...

Beijo sereno
Ana Patrícia

Maria João disse...

Pois... Situação complicada.

O que se espera de um padre? Que seja o exemplo de Cristo... E, com isto, está tudo dito.

Agora também acho que nós, leigos, não nos podemos esquecer que vocês padres são humanos...


beijos em Cristo

dsf disse...

pera ai!!! nao sao so os padres k tem de ser o exemplo de Cristo!! Tem é de ter o "trabalho" adicional de tentar k os outros o sejam tambem... XD deve ser bem dificil...boa sorte!!!

Anónimo disse...

Concordo perfeitamente
com a Paula!

Que as suas palavras nos façam lembrar Aquele que anunciam com tanto fervor, para que as nossas vidas sejam convidadas a uma mudança.

É o que se predende de um bom padre!!!

E se for possivel, que nos faça sorrir,
é um bom sinal.

Se bem que nós não temos razão de queixa,hiiiiii

Bjs.

Teodora disse...

hhuhuhui

Anónimo disse...

Sei que se desvia um pouco da pergunta mas a definição de sacerdote mais fantástica, para mim, que alguma vez encontre foi esta:"O sacerdote é exactamente uma mão furada em que é mais importante o furo do que a mão, de modo a que as moedas de amor ou arrependimento que alguém lhes entregue caiam sempre nas mãos de Deus que se escondem debaixo das dele". Desconheço o autor. Abraço
Filó

Teodora disse...

O último comentário não era para ser. nem sabia que o tinha feito. é apenas fruto da minha aselhice.

Lua dos Açores disse...

Baptismos a metro...cumprir formalidades, assim me parece ser esse o caso. Não um baptismo in extremis, mas planeado, pelo menos no que toca aos aspectos sociais, familiares. Foi esquecida, relegada para a última da hora a preparação religiosa que inclui o conhecimento por parte dos Pais e Padrinhos do seu papel no crescimento cristão do neocatecúmeno.

Fez bem, Padre. Só espero que o Padre à porta de quem este papá extremoso foi bater o tenha feito, também.

Abraço fraterno

Teodora disse...

O meu padre dava é o namorado ideal! Descobri que o homem vivencia o Natal tão intensamene que a última homília foi um verdadeiro workshop de decoração de Natal.

Eu sinceramente gostei. Dei por mim a pensar que lá em casa tudo deve ser muito giro e o homem não tem mulher nem filhos (que se saiba!) É uma pena enorme.

Estou a pensar pedir-lhe alguns conselhos não só para as decorações da época mas também ( e por que não?) acerca do restante, pois, estou em fase de remodelação do meu "cacifo" (é um cacifito jeitosinho com uma bela vista). Não é que ele não tenha sido esclarecedor, eu perco-me a olhar e a pensar. Sei que falou de velas, em arranjos de flores e rezar o terço.

Eu gosto do Natal. Em minha casa não há presentes de aniversário. Há de Natal. O meu padre "dava-me muito jeito" para que tudo fosse mais giro. Aliás com ele se não fica giro, é porque tem sempre piada!

Disse ele, entre outras coisas, que poderiamos acender a vela para rezar o terço em família. Mas qual família? A maioria de nós vive sozinha se não só! Com este modelo político-económico (ditadura camuflada)quem é que tem tempo para a família?! Eu pensei... com as horas que passo fora de casa só se for ao volante do meu artefacto motorizado! Terços até tenho (presentes) mas nem sei rezar o terço?!. Bem... ele de facto disse que seria rezar pela família e como a desgraça é enorme valerá o esforço.

Também falou que a cor do paramento mudará de roxo para cor-de-rosa! Confesso que não me lembro de ver um padre de cor-de-rosa?! Na volta eu ouvi mal. Ros?!Desconfio que preiro o padre em tom pérola... uma casa com alpendre no Douro, sol todo o dia... as galinhas, patos e coelhos ( e alguém para tratar delas. Tenho medo de um pintainho!), bom vinho, queijo, livros, música e muito silêncio. O café, as bolachas o borralho, a lua e as estreas, a força da terra e a imponência da paisagem.

Não fazer nada, rigorosamente nada. Apenas viver.

Beijos no meu padre

Teodora disse...

A propósito do texto, esta semana fui ao cabeleireiro. A Madame Chanel dizia que devemos estar sempre preparadas para conhecermos o homem das nossa vida. Eu prefiro dizer que devemos estar sempre com aspecto digno nem que seja para morrermos. Sei lá, não vá haver uma festa de recepção aos novos residentes e a gente não estar vestida condignamente.

O meu novo cabeleireiro é numa freguesia meio agrícola meio industrial. Não tenho quem me sirva café, mas pago menos 75% do que se for lá na minha urbe. Tenho ainda a vantagem de poder conversar com gente que sorri e não se pavoneia.

Ao chegar, ainda na rua dizia a senhora para a neta "não vês filha, aqui mora o senhor padre e a senhora Maria". Pensei eu durante esta minha hibernação puseram fim ao celibato?!

Chegada ao cabeleireiro, perguntei se o padre da terra seria um homem emancipado? Lá me explicaram que o senhor padre já é um homem com muita idade e sempre morou com a senhora Maria. Vai dai lá acrescentaram que ele está muito velhinho, um pouco chato, faz homílias muito longas e fala de tudo. Até do lixo! Imagine-se que até pediu às senhoras para não levarem calças de ganga com aplicações porque riscam os bancos e já não há dinheiro para mais manutenções.

Eu, timidamente e sabendo da minha ignorância, tentei dizer à senhora que se calhar a religião implica a partilha de um conjunto de valores morais que deverão pautar a vida dos cidadãos. A senhora visada não pareceu gostar.

Mais tarde já estava eu sozinha com a cabeleireira (rapariga que nasceu e viveu nos estrangeiro e que vê as coisas de forma distante dos "nativos") lá me disse que achava que o padre tinha muita razão; as pessoas não gostam que lhes diga a verdade. Acham que podem fazer o querem e não pensam nos outros.

Anónimo disse...

Amigos e Confessionário,

Andei fugida deste “cantinho” de partilha durante algum tempo… demorei no regresso, sem nunca ter deixado de estar…
Já queria ter deixado aqui um comentário, mas faltavam-me as forças e principalmente as palavras…
Ao ler todas as mensagens que vocês me foram deixando, a vossa preocupação comigo (que nem me conhecem), a coragem, a força, as vossas orações deixaram-me muito comovida, sensibilizada e sem saber como agradecer. Um simples obrigada é muito pouco…
É um orgulho e privilégio ter-vos como AMIGOS!!! Virtuais?!?!? Sim! Mas que já fazem parte do meu viver, que já estão no meu coração…
Este “cantinho” é mágico… é o “cantinho” daqueles que acreditam que vale a pena sonhar e partilhar, sorrir e amar, VIVER e lutar pelo que se ACREDITA!
OBRIGADA pelas vossas orações… hoje, sinto-me melhor e tudo está a correr mais ou menos… há ainda um longo caminho a percorrer… Continuo o rezar de mãos dadas com vocês: Pai-Nosso…
Gostava de oferecer, um Terço, a cada um, mas como isso é impossível, deixo-vos com uma partilha:

Amizade não se apalpa,
Amizade não se compra.
Amizade é algo
Que se vai cultivando.
Primeiro a raiz,
Depois o caule,
As folhas.
E quando as flores aparecem
Podes garantir que a amizade
Está fermentada.
Não completa, pois há sempre
Mais e mais a descobrir…
Podemos levar anos a fazer uma amizade,
Mas num segundo podemos perdê-la.
Conserva a amizade como algo de grande.
Como algo de fundamental para a tua existência.
E verás que o mundo se torna mais belo
Para ti, para mim, para os outros.
Mesmo sendo uma amizade virtual…

Termino, dizendo:
DEUS, obrigada por todas estas pessoas que puseste no meu caminho… Abençoa-as e ilumina sempre os seus caminhos!!!

Para si, Confessionário, o que eu espero de um Padre, é que saiba escutar, falar, ver com o coração… saber dizer sim e não quando tem que dizer. Saber dizer aquilo que tem que ser dito e não aquilo que nós queremos ouvir. Como já lhe disse, se me fosse possível, neste momento ter um Padre aqui ao meu lado, queria um como o Confessionário! Como diz Correia de Oliveira: "Ser Padre é somente isto: não ser de si, nem dos seus, para ser de toda a gente." Muito obrigada por toda a força que me dá…
Com muita amizade e gratidão
MJG

Paulo disse...

Ultimamente as pessoas exigem por demais dos padres, e não só. Esquecem-se que esse sacramento, entre outros, não é o "dar cá aquela palha" e depois pronto. Não é como quem vai a um supermercado e vai vendo, prateleira em prateleira o que se quer comprar para consumir. O Sacramento do baptizado é o 1ª sacramento, e como tal deve ser dado, com a convicção dos pais e padrinhos do gesto que estão a tomar e não só o que vem a seguir, a festa para os convidados e amigos. Fez bem!

Kephas disse...

Caro Confessionário
Deixei-lhe uma mensagem no mail.
Cumprimentos

Confessionário disse...

Amigos, terei deificuldade em vir. Estou outra vez sem net. Estou a mudar de casa. heheh... que confusão!
Mas vou escrevendo !!

Anónimo disse...

Culpo-me de não ter vindo aqui dois dias atrás para ter uma tão grande alegria como saber das melhoras da MJG. Louvado seja Deus que ouviu as nossas humildes mas fervorosas orações. Amiga, não só nós estamos no teu caminho , como tu estás no nosso. Neste cantinho os caminhos se cruzam...é tudo por Deus. Beijo-te com toda a minha alma.
Filó

Ni disse...

Às vezes ausentamo-nos um pouco nas palavras que escrevemos, mas as que o silêncio deixa fugir continuam a ser profundas...
Hoje todas estas, mais uma vez, confundiram-se num sorriso com as óptimas notícias que por aqui vão surgindo.

MJG... para além deste cantinho... na preocupação da alma, nas orações de coração.

ana maria disse...

Para o Confessionário:

O que se deseja de um Padre é que seja construtor de pontes, entre Deus e os homens, entre os homens e seus semelhantes, entre cada um e a sua própria essência. Creio, daquilo que por aqui conheço, que é um "engenheiro" destas pontes muito eficiente! Parabéns!

já agora, boa mudança!

Para a MJG:

Aleluia! Fiquei muito feliz ao ver que tinha voltado a este espaço! Deus a guarde em saúde!

Anónimo disse...

olà!


O que eu espero de um padre?

Essencialmente que saiba ouvir. Que quando o procuro ele me ouça com atenção(nos tempos que correm, ninguem tem tempo para escutar e as vezes é tão dificil encontrar alguem que nos ouça).Que me aconselhe nos varios percursos que atravesso. E acima de tudo que esteja sempre com um sorriso nos labios quando me diz que estou errada.

Que tente ser justo nas decisões que toma, embora as vezes erre.

Que quando eu entro ma igreja não me olhe como uma simples mulher, mais sim como uma pedra que fortalece a casa de Deus.

Que seja rigorozo nas normas que o conduzem, e que saiba dizer não quando é necessario.

E que quando eu precisa-se dum abraço de Deus, os seus braços me abraça-sem.

Um abraço
Alexandra

Kephas disse...

MJG
Que bom! O Confessionário disse-nos há uma semana que você estava melhor, mas já estava a ficar preocupado porque nunca mais ouvia novas. Fico contente!

Continue a acreditar... a confiança é o segredo para a saúde, a vida e o amor (incluindo o amor a Deus e de Deus).

Salmo 23 lembra-se? Enquanto o seu coração cantar Salmo 23, ele será um Sol que irradia Esperança.

Eu sinceramente, antes de a conhecer, não gostava dos Salmos. Agora vejo que o "nosso" Salmo é como um anjo da guarda que nos consola e protege. Tenho que encontrar o meu.

Melhoras! Continuo a rezar por si! Apesar de você estar muito mais perto de Deus do que eu, um humilde pecador que se sente embaraçado (mas também animado e comovido) com a Fé da MJG.



Caro Confessionário:
Anda a mudar de casa? É para fugir destes "sapatinhos de Cinderela" que o perseguem a horas indecentes? Tenha cuidado com eles! Fuja!!! Ehehehe!

Cumprimentos

Ver para crer disse...

"Que soubesse calar-se quando outros falam e soubesse falar quando os outros ficam mudos. Que rezasse, fosse profundo e me fizesse participar dessa profundidade para fugir ao perigo da superficialidade. Que tivesse tempo, como eu sinto que devia ter, agora e amanhã, sem datas marcadas no calendário."
Eu não sou capaz de dizer melhor.

Anónimo disse...

O que esperar de um padre?
Sobretudo que seja disponivel, simpático, tolerante...
Não nos podemos esquecer que ele é humano, mas estar numa paróquia e fazer só os "serviços mínimos", sobretudo quando se trata de uma paróquia rural e muito envelhecida, é muito complicado. Até para mim que sou muito liberal!!!

Maria

Anónimo disse...

Olá!

Mais uma vez, vos venho agradecer as mensagens que têm enviado. Muito, mas muito oBRIGADA!

Kephas,

Os Salmos são magnificos... Acredito que cada um de nós tem um especial que nos toca mais, mas todos eles têm sp uma palavra k nos ajuda na caminhada, no dia a dia. Apesar de k eu neste momento, não encontro nenhuma.
Ah! Só mais uma coisa! Não estou mais perto de Deus do que tu... tenho as minhas dúvidas, gdes momentos de fraqueza, faltam-me as forças... creio estar mt afastada Dele e cada dia estou mais....

Confessionário, obrigada por tudo! Continue com força...

Nada nesta vida é em vão...
Adeus
MJG

Teodora disse...

O rosa do meu padre!!!

Ora aqui está uma coisa que eu não esperava no meu padre! De rosa! O tom rosa do casulo do qual ele tinha falado! Todo rosa com dourado! Sóbrio mas rico q.b. Conjugação perfeita!

Quando ele falou do rosa do paramento dele confesso que o imaginei vestido de cor-de-rosa bébé ou então rosa mais intenso! (Género rosa do blog Eu estou Aki)Entrei em pánico e pensei vou influenciá-lo noutro sentido, meu Deus! Relaxei um pouco e depois de visto o resultado "pensei que tonta, ora o meu padre é lá homem para vestir rosa de menina?! Muito feminino portanto nada tem a ver com o meu padre.

Surpresa! O homem tava lindo de rosa, mas era rosa velho! O meu padre não é tolo nem é dado a "gaysices".

Fiquei a olhar para aquilo tudo e nem saberia por onde começar.

Até a minha mãe (tadinha da bichinha, tá velhotita e doente)perguntou-me "reparas-te? O padre hoje estava muito bonito?" E eu respondi-lhe "tava? Nem reparei!" Eu sou muita boa no faz-de-conta!

Anónimo disse...

Alexandra, concordo consigo. também é isso que eu espero de um padre. Infelizmente muito se critica as pessoas por apenas se lembrarem dos padres quando necessitam. De não serem bons cristãos, e isto e aquilo...Coitadinhos dos padres que são umas vitimas...
Mas será que grande parte da culpa não é deles próprios? Que exemplos e estimulos dão eles aos seus paroquianos? Quantas homilias tão floridas, tão cheias de amor, de paz, fraternidade, ajuda... E na prática? Qual o testemunho de Deus que esses padres dão? Faz o que eu digo não faças o que faço?
É tão facil escrever ou falar, mas praticar...
E então se quando se procura o padre se leva não...
Não será assim que a Igreja vai crescer.
Têm de educar é verdade. Mas devem fazê-lo ajudando, com justiça, igualdade de criterios e não porque me apetece ou não.
Não culpem só as pessoas...
Um abraço em Cristo para todos

Maggi

Cee Jay disse...

O que eu espero de um Padre... espero que saiba viver como irmão de todos, ajudando e deixando-se ajudar; criador de comunhão; consciente da sua debilidade, da sua fraqueza - homem como os outros -, escolhido por Deus do meio de todos, "vivendo no mundo mas não sendo do mundo".

Eu vejo que a maioria dos padres diocesanos vivem muito sós, não têm quem realmente acompanhe a sua vida, irmãos que sejam apoio para o seu caminho, para a sua entrega; que o ajudem a discernir quotidianamente a vontade de Deus.
Mas também compreendo que muitos necessitam fazer o caminho de se saberem irmãos e necessitados de ajuda; necessitam aprender a pedir ajuda, a reconhecer que não têm que saber tudo e resolver tudo sozinhos.

Aqui fica a minha pequena colaboração. Oro por todos os presbíteros, como sei que eles oram pelas famílias. Agradeço a Deus a sua entrega diária muitas vezes não compreendida, sem frutos aparentes, mas com um horizonte de vida eterna muito grande, que lhes dá Cristo, configurando-os com Ele precisamente onde a pobreza é maior.

Obrigado pelo seu blog.

Anónimo disse...

Um padre é antes de mais um homem. E nisto é tal e qual como todos os outros: tem medos, defeitos, qualidades e inclinações. Aquilo que se espera de um Padre é que, apesar de ser pecador, queira ser santo. sabendo que nunca o será sózinho, tal como todos nós, mas apenas com e em Cristo. Não há truque para ser padre: não há resposta certa, se deve dizer sim, ou se deve dizer não. Os padres erram (graças a Deus), o que os deve destinguir é a vontade de voltar a levantar-se a cada queda, é o caminhar sempre de olhos postos em Deus. O erro está nas pessoas que esperam mais dos padres do que podem e devem dar.

ruipda disse...

Num olhar superficial sobre a bíblia (e assim poder responder, ocasionamente, ao teu inquérito:) ) direi que talvez olhêmos para Jesus, para os seus gestos, para os seus sinais, procurando aquele cego que não via, aquele coxo que não corria, aquele surdo que não ouvia e assim encontrar em Jesus aquela resposta que nós homens não damos.

Quanto a vocês padres, quem sabe se não são vistos como aqueles que hoje mais próximos estão da bondade, do amor, de Jesus. Aqueles que possuem a última restea de esperança, de amor, de atenção, aquela última palavra de compreensão. Não que isto seja uma verdade absoluta mas sim uma forma de vos ver por grande parte de nós.

Última restea que muitas vezes nos poderá fazer a nós,não padres, procurar-vos não por questões de amor, do amor de Jesus mas de oportunismo tradicionalista (casar por casar, batizar por batizar...)Dirigir-me a ti porque o teu colega do lado não viu em mim vontade de amar como Jesus mas sim uma mera formalidade mais social que amorosa e talvez, abusando da tua bondade, do teu amor, tu me possas "ajudar".

Talvez não seja nada disto, que me surgiu nestes meus minutos de brainstorming...

Talvez a questão que realmente te interesse seja:
Porque tomaste a atitude que tomaste? Será amor, aquele amor puro e sincero de Jesus? Será mero formalismo ou burocracia?

Talvez o teu paroquiano não tenha que receber uma resposta do tipo faz ou não faz, mas sim uma questão:
Porquê o quer fazer? Porquê agora? Porquê?...

(E para reforçar a olhadela ocasional ;) ) Não é o advento tempo de espera? Nem sempre este é o momento...

Espera... Tempo de espera...

Teodora disse...

Ontem concluí as compras de Natal. Comprei dois livros para o meu padre: Fazes-me falta (Inês Pedrosa) e Era bom que trocássemos umas ideias acerca do assunto (Mário de Carvalho). Optei por comprar estes livros porque além de gira também sou muito do intelecto. Até já fui convidada para fazer parte da Ordem dos Templários mas preferi ficar só pelos lanches de caridade da Cruz Vermelha. A Taylors é óptima a organizar eventos!

Também já fui convidade para pertencer a uma loja Maçonica mas não estou disponível para rituais estranhos e discursos feministas! De gente que comeu e não gostou!!!

Voltando aos livros, escolhi-os porque as capas são sugestivas. O conteúdo dos mesmos não interessam aqui para o caso.

Encontrei uma edição de bolso do kamasutra, imagens de boa qualidade, era giro mas pensando bem aquilo deve dar uma trabalheira! Aquela gente nunca deve chegar ao emprego a horas! Pois... aquilo também era muito pecado junto! Deve dar direito a entrada directa no Inferno sem passagem pelo Purgatório! Uma vida inteira no caldeirão do Inferno! O meu padre tem ar de quem gosta de jacuzzi! Graças a Deus!

Foi então que optei por um livro de joga. è que o meu padre é só aparentemente calmo! Funciona em ritmo binário! Passo a explicar, ora está muito sossegado no cadeirão ora penteia o cabelo com os dedos com um speed enorme o que demonstra impaciência. Quanto à leitura, aí é sempre muito mansinho "Naquele tempo...." e eu penso "fala-me ao ouvido que eu gosto!"

Este livro vai ser-lhe muito útil para recuperar a sua forma física. Não é que o homem foi a uma peregrinação, lá prás bandas da Sra da Graça, e de tanto andar, rezar e , sei lá, aquelas coisas que os padres fazem nas peregrinações o homem teve um esgotamento fisíco! Tombou! E não é que ninguém se apercebeu?! Bando de gente desatenta e ingrata! Eu se lá estivesse jamais tal coisa aconteceria! Eu mandava parar a caminhada periodicamente de modo a que eu pudesse aplicar umtónico revigorante nos glúteos (coitadinho, ele queixava-se tanto dos glúteos!) dava-lhe ora um suminho, ora um bombom (Godiva tá claro!) ora umas framboesas e umas amoras e mais umas massagens nos pés...e teriam de esperar até que ele terminasse uma soneca! As pessoas têm de perceber que os santos não fogem, aquilo não é uma prova de contra-relógio.

Não é que o homem caiu redondo e só depois é que notaram! Eu estaria atenta e prontérrima para o segurar. Uma verdadeira Pieta do séc. XXI, versão melhorar e actualizada.

O meu padre é um romântico! É mesmo um homem cheio de encantos! É projetista! Ora eu que imaginava que ele andava a poupar na luz porque teria aderiro a algum grupo ecologista e, por isso, só acendia velas lá em casa para economizar electricidade, mas afinal o homem tinha a camara de filmar ligada e eu estava no ângulo errado.

Lindo... lá tá ele no seu palácio com telhado de chocolate com mais de 70% de cacau. Tem fosso e tudo, só esperon que o bispo não mande lá pôr uns crocodilos. Bem eu já sei o que faria. Rappel! É ... um dia destes acordei cansadissima porque passei a noite a sonhar que estava conjuntamente com ele a fazer rappel da janela dele para a minha e vise-versa! Foi muito giro!!!


Feliz Natal a todos e sem excepção.

O Micróbio II disse...

UM FELIZ NATAL!! :-)

Anónimo disse...

Que tenha a coragem de anunciar Cristo como verdadeiro Salvador neste mundo materialista, hedonista e marcado pela indiferença.

que recorde aos Cristãos que o "outro" é nosso irmão e precisa de nós--Na África,Ásia,América ( recomendo a Fundação Ajuda à Igreja Que Sofre)

Francisco

Frequência Jovem disse...

Porque continua o bom trabalho, nomeámos o seu blog para mais um prémio! Parabéns!

http://frequenciajovem.blogspot.com

Dad disse...

Que o Natal, o verdadeiro, não o dos Centros Comerciais, possa constituir um momento de introspecção que nos leve a ser melhores e a entender os nossos Irmãos caminhantes desta terra.
Que una as famílias e os amigos e ajude a perceber o propósito da nossa vida aqui, nesta
Terra que é de todos mas que, infelizmente, só alguns usufrem a seu belo prazer.

Um abraço,

NI* (Lisboa) disse...

Espera-se que um padre não negue quando pedimos que um sacramento nos envolva... espera-se que um padre não nos feche a porta quando precisamos de sentir que não estamos sós no infortúnio... tal como Cristo prometeu... e que entenda o grito de alerta, seja a que horas for... tal como Jesus fazia.
«Deixai vir a mim as criancinhas... »
Somos todos um pouco crianças, quando nos sentimos pequenos face ao mundo... quando precisamos que alguém nos diga que vai ficar tudo bem...
Eu procurei um padre que me disse não...
Eu escrevi-lhe a si, padre, um email... há algum tempo... e disse-me um não estetizado... alegando falta de tempo.
Pena.
Jesus não o faria... teria tempo.

A minha Fé persiste. O meu desencanto nos Homens e na Igreja também...

Feliz Natal... e que Jesus renasça no seu coração...

Ni*
Lisboa

Confessionário disse...

Ni (de Lisboa), peço desculpa pela minha desatenção.
Não há desculpa que valha, embora não tenha net há muito, ter estado, antes disso, mais duas semanas sem net, e ter estado muito ocupado, pois para estar disponível para uns, os meus paroquianos, não posso estar tanto para outros, os meus amigos virtuais. mas não há desculpa, até porque tenho respondido a quase todos os mails, embora tipo uma vez por semana.

Peço-te apenas, e caso o queiras, que renoves o teu pedido. talvez por não teres respondido à minha resposta eu tenha esquecido. Sorry!

Eu sei que Deus tem mais tempo que eu... e ainda bem!

Anónimo disse...

Esta Teodora é um must...