sexta-feira, novembro 17, 2006

Deus de folga

Do outro lado da linha ouviu-se a voz de uma avó. Pela voz não parecia muito idosa. Mas avó. Senhor padre, sou daí, mas estou a viver aqui. O senhor não me conhece. Mas fiz aí tudo. Baptizado, primeira comunhão, profissão de fé. Contou metade da sua vida sacramental. Depois anuiu. Queria que o senhor deitasse águas sobre a minha netinha. Primeiro perguntei-me, a sorrir em silêncio, que águas seriam. A seguir, com uma maldadezinha da minha parte, perguntei se estava a referir-se ao baptismo. Que sim. Ainda bem que o senhor padre me entende. Ela gostava de conversar. Estivemos seguramente uma meia hora ao telefone. Contou da sua forma de ver a vida e a fé. Contou das suas maleitas. Dos azares, dos milagres. Do dedinho que descobria sempre quando algo de mau estava para acontecer. Contou vários casos. Eu não quis dizer que era coincidência, mas dei a entender que podia ser. Ela que não. Imaginei a casa dela cheia de ferraduras e comezinhas. Mas que era verdade. E agora estava a telefonar-me para ver se eu podia baptizar a netinha. A filha não estava muito virada para ai. Mas aceitava. Só que não podíamos perder tempo porque a criança já estava com dois ou três meses. Nunca se sabe, senhor padre! Mas agora a minha filha já está disposta a fazer-me a vontade. Por isso gostava que fosse aí, senhor padre. Na minha terrinha. Estou a tentar resumir a conversa. E falou do marido que era muito religioso. Passava muito tempo nas igrejas. Ela não. Até se fartava da conversa do marido. Mas que tinha de deitar-lhe as águas. Depois conversámos sobre datas possíveis. Horas possíveis. Sempre no meio da eucaristia para que a comunidade acolhesse. Aceitou. Aceitava tudo. Só não podia ser depois do sol se pôr e numa sexta-feira. Expliquei que todos os dias e horas eram de Deus. Mas depois do sol se pôr dá azar. E na sexta-feira, já se sabe.
E assim aprendi que na sexta-feira e depois do sol se pôr Deus não está atento ou está de folga.

31 comentários:

Carlos Ponte disse...

Sou da sua opinião Senhor Abade, isto de crendices não resulta. Veja-se os quilos de sal os dentes de alho e não sei que mais que o tonto do Oliveirinha mandava espalhar pelo balneário da selecção e nunca deu nada que se visse. Mas as ovelhas, por vezes, são difíceis de compreender.
Um abraço para si,
Carlos Ponte

Vítor Mácula disse...

Já ouvi isto em qualquer lado... :P

Abraço, caro padre, e bom fim de semana ;)

Vítor Mácula disse...

E o que é isso de marcadores na terceira pessoa?... É alguma alegoria da Trindade?... Que raio, anda tudo a ficar net-especialista, a não ser este pobre netroglodita... ;);)

Confessionário disse...

ahahah, Víctor. Boa gargalhada me proporcionaste!
Já leste isto no anterior blogue. Por isso eu refiro no sidebar (sabes o que é?! hihi)que iria colocando alguns textos que denomino de "arquivos".
Quanto aos marcadores, tratam-se de uma forma interessante de pesquisar no blogue, quando queremos textos de uma só categoria. E as categorias que escolhi prendem-se com textos em que me refiro ao que me é mais pessoal (na primeira pessoa), ao que se refere a assuntos que outros, terceiros, me impulsionam a escrever (na terceira pessoa), às sondagens (sondagens), a outros que não têm referência especial nem se enquadram nestes anteriores (outros) e, logicamente e neste momento, aos que foram já colocados anteriormente no blogue da primeira versão (arquivos).
um abraço em Cristo, amigo.

Pitux disse...

Essa teve piada. :)

Maria disse...

hahahaha...

Ultimamente, tenho ouvido muitas histórias deste género... mas esta está "muito à frente"(passe a expressão)!
Deu-me para rir (deve ser sinal que estou a ficar mais tolerante) porque se há coisa que me deixa fora do sério é a mistura de paganismo, cristianismo e bruxarias populares. Quantas discussões já tive por causa destas coisas.

Bem...fiquei a saber que Deus dorme. Depois do Sol se pôr deve ser cada "ronco"!!!!!

Um excelente fim de semana :)

elsa nyny disse...

Amigo!
Ajuda-me!!!!
Pois, eu nasci numa sexta-feira às 19 h...

tenho a certeza que Deus não estava de folga!!!
Beijinhos!!!
;))

Goldmundo disse...

Passei a deixar um abraço... ai ai, é sexta feira e já o Sol se pôs... vale na mesma? :)

Confessionário disse...

olá, Goldmundo. Que saudades dos teus comentários, das tuas palavras, das tuas questões. É curioso como apareces no primeiro dia e texto que publico do antigo confessionário que tu tnatas vezes visitavas... Será isto o dedo de Deus?!
Aparece sempre, homem. Continuas a ser um dos meus grandes penitentes... ou de Deus!

Andante disse...

Às vezes dava geito que Ele tirasse umas folguitas e se pusesse a dormir para não assistir àquilo que fazemos uns aos outros ou àquilo que Lhe fazemos a Ele próprio...

E por que não deixá-Lo descansar?! ihihih

Beijos peregrinos

Paula disse...

"Sempre no meio da eucaristia para que a comunidade acolhesse"

infelizmente na minha paroquia ( e nas paroquias proximas) os baptizados
são celebrados só para a familia sem eucaristia, quase ás escondidas e rapidamente porque não há tempo a perder :-(

Espero que se um dia tiver de baptizar um filho (a) seja para comunidade acolher novo elemento da familia..
bom fim de semana

Confessionário disse...

Andante, a mim apetece-me tantas vezes... para poder fazer o que queria... hihi


Paula, aqui já estão habituados. É sempre na eucaristia e, de preferência,na dominical, onde está a comunidade presente. No entanto de vez em quando aparecem alguns que querem ser privilegiados... Eu procuro explicar tudo isso bem (se o baptismo é uma entrada na comunidade, de que comunidade se fala??!!) quando faço a preparação do sacramento, e acabam por entender!!... digo eu.

NaSacris disse...

Consola-me o facto do nosso país ser bafejado com muitas horas cheias de sol. Dá para fazer muitos mais baptizados... ao sol! Pena que nem todos descubram o outro Sol. Crendices! Crendices!
Também me acontecem muitas parecidas com esta.
celebra sacramentos é fácil. Evangelizar os sacramentos é que é difícil.
Compreendo-te caro colega!
Abraço forte... antes e depois do sol se por e, também, à sexta-feira.

Anónimo disse...

A imaginação das pessoas é realmente muito fértil.

O Homem é simultaneamente a melhor e a pior criação do universo. Depende do lado para o qual está voltado.

teodora

Tiago Almeida disse...

mt bonito keria ke passases no meu!!!!!!=D

Catequista disse...

A ideia do Baptismo ser realizado em plena Eucaristia é muito boa, em especial se se trata do acolhimento de um novo membro da família. Quanto à avozinha, pelo menos quis que a neta recebesse o sacramento. O Espírito Santo fará o resto...
A ideia de que Deus não trabalha às sextas feiras... é muito hilariante!

guevara disse...

e então? é desde sexta ao por do sol ate sabado ao nascer? hei-se estar atenta! nao va o diabo tecê-las.

;)

Anónimo disse...

A mim nunca me passou pela cabeça que um baptizado não fosse com Eucaristia, com e para a comunidade... até que vi o do meu próprio afilhado...
Fiquei traumatizada...Não estou a exagerar...Ainda para mais quando na mesma celebração havia uma 1ªcomunhão...pergunto eu, aquela criança aprendeu o que é viver com e para Cristo, seguindo as suas Palavras?
Não me vou alargar porque diria aquilo que não quero.

Anónimo disse...

hoje é Domingo e o sol já se pôs.
hoje a chuva doeu.
hoje, quem tirou folga fui eu.

um abraço (agradecido)

Dinis

Confessionário disse...

Anónimo das 21.39, como foi isso?! Houve baptizado e 1ª Comunhão da criança (que idade tinha) sem ser na Eucaristia? 1ª Comunhão?!!! De certeza? hummm... tens que explicar-nos isso melhor. Pode ser?

Confessionário disse...

Ainda voltando ao mesmo anónimo: clarifico que um baptizado pode ser sem ser enquadrao na Eucaristia. Pode... mas eu acho que tem muito mais sentido (se é uma entrada na comunidade) que haja uma comunidade a acolher, e de preferência aquela onde a criança vai crescer...

Lord of Erewhon disse...

Deves estar é de greve! :)

Flôr disse...

Sr.Padre, começo por lhe desejar um dia, ou melhor, uma semana muito ABENÇOADA pelo nosso bom e maravilhoso Deus!

Tenho uma questão a colocar-lhe e gostaria, se possível que o Sr. Padre me ajudasse... :D

Tenho uma família amiga, que está com um problema que é o seguinte:

A Andreia, de 13 anos e meio, quer muito ser baptizada. É seu desejo, pois com 13 anos já sabe o que quer!

No entanto, na sua paróquia, só a baptizam se ela fizer 3 anos de catequese!!! é possível?!!!

O padre diz que tem que fazer 3 anos (lectivos) de catequese, para então ser baptizada?!...

Muito grata e despeço-me com um abraço no amor Cristão. :D

Flor

Confessionário disse...

Olá, Flor de todos nós... Respondo: a partir dos 7 anos (idade tida como idade da consciência, isto é, considera-se que a criança já possui consciência das coisas) torna-se obrigatório fazer o Catecumenado, isto é, um período de preparação e formação. Podem ser 2 anos ou mais, consoante aquilo que estiver organizado. Geralmente, no caso de crianças, inserem-se na catequese organizada das paróquias e têm, além disso, outras horas de formação específica.

Já agora deixo tb à reflexão sobre o que será melhor:
1. uma pessoa converter-se, fazer formação (para conhecer... pois só amamos o que conhecemos) e depois baptizar-se?
2. uma pessoa ser baptizada, fazer formação e depois, quem sabe, esperar que se coverta?!

Confessionário disse...

Ó Carlos Ponte, só agora reli o teu comentário... e pensei, po..., caramba, pá, não me chames "abade". Eu sou padre. hihihi. Nem seuqer só gordinho (pois que os abades são tidos como gordinhos)...

Fá disse...

Padre
estou numa situação muito semelhante à descrita pela Flôr. Uma afilhada de coração (se há filhos de coração, por que razão não poderá haver afilhados?...) com 13 anos -coincidência mas é verdade- manifestou grande desejo de se baptizar. É uma menina com um coração de ouro, que poderá não ter grandes conhecimentos catequéticos mas é profundamente bem formada. Os sacerdotes exigem que vá à catequese o que lhe é difícil de compatibilizar com os horários escolares e os horários dos Pais. A avó, uma pessoa culta e dedicada, disponibilizou-se a trabalhar com ela os temas que o catecismo aborda mas os sacerdotes são irredutíveis. Agora,pergunto: fará sentido privá-la daquele que é o primeiro sacramento? Impedi-la de fazer caminho? Fico triste com estas posições tão radicais...
Um abraço

Flôr disse...

A fé, é algo que vem de dentro para fora, não de fora para dentro! :D

Aceito que se faça uma preparação, tal como é feita tb para o casamento, mas 3 anos? como se fosse tirar um curso de bacharelato? Penso, que esta tomada de posição seja muito "formal", quando o amor, a fé, a crença em Deus, simplesmente "brota" de forma espontânea e jenuína do coração do Homem... Sr. padre, não se de ensina, a meu ver, de maneira tão formal a amar, a seguir Cristo, a ser-se Cristão!... Nós Homens temos o dever, pois é dever de todo o que segue a Cristo, de semear, lançar a semente, depois... depois o Espírito Santo fará o resto... O coração que "se abre", que se torna receptivo do Amor de Deus, esse coração passará a ser o templo do Espírito Santo, e isso não é obra do Padre ou de qualquer outro Homem!... Queira-me desculpar, o meu ponto de vista! :D

Fará todo o sentido, isso sim, ensinar-se a estas duas jovens de 13 anos, o fundamento, a doutrina do cristianismo! Acima de tudo, dever-se-á isso sim, incentivar-se à leitura diária da Santa Palavra de Deus, pois é aí que se vai "beber"/aprender tudo aquilo que Deus quer que sejemos ou que façamos!

Mas penso, que jovens com 13 anos, ao aceitarem, ao quererem ser baptizadas, é porque algo dentro delas... de divino.... já se manifesta, penso eu!

É uma pena que a igreja Católica Romana, "brucratize" tanto as coisas de Deus!... Quando o baptismo, é, crendo, tendo consciência de..... assumindo o compromisso com Cristo, simplesmente ....tornar-se numa nova criatura, em Cristo Jesus!

Jesus, foi baptizado aos 33 anos, por João Baptista, de forma tão pura e tão simples!.... E não teve qualquer tipo de formação para o fazer! E o Espírito Santo, em forma de pomba manifestou-se sobre Ele!

Formação sim, dar a conhecer à criança o significado do acto em si, faz sentido, agora andar 3 longos anos, na.... escola para simplesmente se assumir um compromisso com Deus, com Cristo!

Mais uma vez, Sr. padre, queira-me desculpar o meu ponto de vista, e acredite, que para mim, ser-se Cristão, é acreditar-se em Cristo, mas acima de tudo, ser-se como Cristo, viver-se como Ele, seguir-Lhe os seus passos, fazer o que Ele nos manda, isso sim, é ser-se Cristão. Ou seja, ser-se discipulo de Cristo! E é esse o meu desejo! Que em cada dia do meu viver, eu testemunhe de Cristo!

Sr. padre, um bem haja muito grande, pelo seu amor, manifestado na sua disponibilidade em nos responder e nos aconselhar! Que Jesus, meu Senhor e Salvador, o ilumine sempre!

Um grande beijinho muito florido no AMOR DE DEUS PAI, DEUS FILHO E DEUS ESPÍRITO SANTO!

Flor :D

Flôr disse...

Sr. Padre, ainda voltando à nossa questão, e desculpe por voltar a maçá-lo, pergunto?

não fará mais sentido ministrar-se o sacramento do baptismo a uma jovem de 13 anos, de forma natural, não tão formal, e que conscientemente quer assumir esse compromisso com o Senhor e com a igreja, do que a um bebé, que é baptizado, não tendo consciência do seu acto, não porque ele o queira, mas porque os seus pais assim o desejaram? Será o bébé baptizado mais cristão, mais consciente do seu compromisso para com Deus e para com a igreja... será que o bébé poderá amar o que não conhece, o que não lhe foi ensinado? ou será a jovem de 13 anos?

Deste modo, irá com certeza perder-se uma cristã, a jovem de 13 anos, que o quiz ser de forma consciente e ganhar-se-á um verdadeiro Cristão na criançinha que foi baptizada no colinho de seus pais? Este tiveram que o levar até ao baptismo, a jovem irá pelo seu próprio pé!.... faço entender o meu ponto de vista?

Obrigado :
Flor

Confessionário disse...

Olá de novo, Flor.

1. Deixa-me dizer-te que coloco algumas reservas na adesão de uma jovem de 13 anos (porque se trata de uma idade conturbada) á fé. Mas só as coloco porque não conheço os casos em si e porque tenho algumas experiências menos boas a esse nível. Por isso relativizo a questão por este lado. Não dês importância a esta minha opiniãop pouco credível por não conhecer as pessoas.

2. Claro que estará mais consciente que um bebé. Mas exactamente por ter mais consciência não deve colocar-se ao mesmo nível da criança, isto é, receber o baptismo só porque deseja. Enquanto a bebé vai depois formar-se, este caso, porque já se pode formar, torna-se mais verdadeiro se a formação for antes. Aliás, o processo do "antigamente" (e tu falaste em Jesus!) era exactamente ao contrário de hoje (o que abona em necessidade desta formação): 1º convertiam-se; 2º faziam o catecumenado (=formação); 3º baptizavam-se. No tempo de Jesus era assim.

3. Não é o baptismo que salva, mas a fé. Tu própria disseste que "ser-se Cristão, é acreditar-se em Cristo, mas acima de tudo, ser-se como Cristo, viver-se como Ele, seguir-Lhe os seus passos, fazer o que Ele nos manda, isso sim, é ser-se Cristão". Não é exclusivamente o baptizado que faz isto acontecer, mas a própia pessoa. Por isso dizer que a criança ou jovem de 13 anos se vai afastar é dizer que ela não tem ainda fé (e isso vai fazer-nos repensar de novo a questão toda). Ter fé exige sacrifício, tal como seguir Jesus. Porque se havia agora de evitar esse sacrifício?!

4. Para mim o catecumenado é super-útil nestes casoa e em qualquer um. Eu já tive essa experiência numa jovem de 26 anos que fez quase dois anos de preparação. ela não deu o tempo por perdido. Aprendeu a rezar, conheceu Jesus, e aprendeu a segui-Lo. Eu não acho de todouma borucratização, mas um aproveitar para o baptizado ser mais autêntico (pelo menos quando se tem a oportunidade)

5. A única coisa com a qual não concordo mesmo é que tenha de ser extritamente 3 anos (no caso descrito acima foi o tempo necessário e não o acordado).

Espero ter-te (vos) ajudado. às vezes as coisas na Igreja estão mal porque os cristãos ainda não têm formação suficiente (que não é saber coisas, mas viver coisas que se sabem e conhecem). Por isso...

Lord of Erewhon disse...

Uma vez que o Baptismo se transformou num ritual desprovido de toda a dimensão sacramental mágica... é indiferente. Mas talvez seja melhor não o fazer a recém-nascidos... não vão as criancinhas apanhar alguma pneumonia. :)

Luís António disse...

Senhor Padre, poderia comentar o seu texto de diversas formas ou estilos mas prefiro optar conscientemente pela forma da caridade. Neste sentido e com o conjunto de comentários que este Blog tem, com um texto tão comezinho do "aí" e do "acolá", que apenas prefaço com a celebérrima frase do Mestre: "Eu Te Bendigo ó Pai por aquilo que escondeste aos sábios e inteligentes e revelaste aos pequeninos e humildes".